História Terapêuta de Casais - Capítulo 20


Escrita por: ~

Visualizações 122
Palavras 3.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meus amores !
Infelizmente ou felizmente, eu tenho o capítulo escrito há muito tempo, muito mesmo, mas o spirit não estava deixando postá-lo, e eu ao menos sei o porquê; não me culpem a mim, culpem ao spirit !!!

Boa leitura ❤ e leiam as notas finais pois tenho uma proposta a vos fazer

Capítulo 20 - Do you want to be my girlfriend ?


Fanfic / Fanfiction Terapêuta de Casais - Capítulo 20 - Do you want to be my girlfriend ?

Point of View. Justin Bieber


Observo de longe a porta de madeira branca. Bárbara caminha ao meu lado e posso sentir o suor que escorre em sua palma da mão, quando esta me aperta de maneira suave, porém desconfortável.
Estamos na clínica de terapia, mais precisamente em frente á porta da minha, ou nossa terapêuta. Selena. 
Faz tempo que não cá viemos, pois eu mesmo não quis vir. Eu tinha algo com Selena e não era fácil esconder isso, nada fácil.


Sinto o meu corpo estremecer, ora por estar prestes a tentar resolver o meu casamento, ora por ir ver a minha garota. Não a vejo desde o dia do hospital, pois não me pareceu bem a reencontrar após me reconciliar com Bárbara. A nossa relação está melhorando pouco a pouco, porém eu me sinto distante. Já não é o mesmo.


- Pode entrar. 
A sua voz soa calma e logo vejo a minha mulher adentrar a sala confortável me puxando com ela.


Tento não olhar Selena mas é inevitável. Os seus olhos transbordam mágoa quando me olha, mas logo ela sorri para Bárbara que começa exageradamente a falar.
[...]
- Justin, eu já disse que não ! 
Bárbara grita, de novo. Estava bom demais para ser verdade.


- Eu não vou ver sua mãe. Ela me odeia ! - seus dedos percorrem seus cabelos os jogando para trás, nitidamente raspando as unhas em seu couro cabeludo, causando provavelmente um atrito doloroso.


O que ela diz é de todo verdade, infelizmente. Porém o sentimento que a minha mãe sente por ela é recíproco, ambas se odeiam uma á outra.


- Bárbara, é importante que se tente relacionar com quem Justin gosta. É importante ter uma boa relação com quem ele se importa. - a morena explica pacificamente.


- Pois é, mas eu não vou aturar toda aquela merda. - olho para ela a repreendendo - Eu não gosto dela nem ela de mim. Não vejo o porque de tanta insistência para nos darmos bem. Não vai acontecer. - ela dá um sorrisinho irónico. Que filha da puta.

- A única pessoa que se aproveita da sua família é o seu pai, se quiser que o váiamos visitar, nós iremos.
Olho para Selena hesitante, esta percebe o meu olhar pesado sobre ela e se remexe desconfortável na cadeira. 


Bufo impaciente.


- Bárbara, por favor, não toque no assunto do meu pai.
Digo sério. Não é legal, ouvir falar do homem que nunca o ajudou em nada, mas sempre critica a sua vida e julga a sua pessoa.


Passamos algum tempo em silêncio, visto que ninguém ousa se pronunciar.
- Ouça, você quer fazer essa viagem, mesmo ? - Bárbara me olha pacificamente. Eu aceno postivamente. - Têm a certeza Justin ?


- Eu quero muito, Bárbara. Sabe que não vejo Pattie à algum tempo.
Não posso evitar olhar para  a minha princesa. Ela nos olha incomodada, não a culpo.
- Então vá sozinho.


Bárbara diz e levanta-se ajustando a saia preta em seu corpo magro, por fim, sai da sala pisando fundo.
Que porra de vadia!
Bato o punho na mesa, descarregando a raiva que sinto dela naquele momento. É uma vaca mesmo.


- Justin a consulta acabou. - ouço a sua voz trémula e observo seus olhinhos escuros me olharem com medo da minha reação.
Ela está tao linda hoje. Seu rosto não possui qualquer maquilhagem e seus cabelos estão presos num apanhadinho apertado, destacando suas rosadas bochechas.


- Você está linda. - finalmente me dirijo a ela. 
Seu rosto cora violentamente e ela me olha de um jeitinho cruel.


- Eu acho melhor você ir atrás da sua mulher.


- Para quê ? 


- Vocês estavam bem de novo antes de virem á terapia. Sugiro que tente estar bem com ela de novo, afinal esse é o objetivo.
Ela profere e seu corpinho magro se levanta. Sua bunda rebola bem na minha direção. Ela está mais gostosa do que a a última vez.


- Porque eu faria isso ? - digo irónico enquanto me levanto. Eu não faria isso.
Ela se vira de costas para mim enquanto sibila.


- Porque ela é sua mulher.

Ando vagorosamente até seu corpo e a puxo de encontro a mim. Agora perto sinto o seu perfume doce e abaunilhado.


- Ciúmes, Gomez ? - sorrio de lado.
Ela apenas me olha de maneira estranha, mas numa questão de segundos seus olhinhos se enchem de lágrimas.


- Você é um canalha, Justin! Eu te odeio e ainda me odeio mais por ser tão burra e anti-profissional! EU TE ODEIO ! 


Seus braços me empurram pelo peitoral porém sua força não é a suficiente para me fazer mover. Seus punhos cerrados socam minha barriga consecutivamente, o que chega a ser engraçado visto que não me aleija de modo algum, mas num ato preciso eu a paro, a segurando pelos pulsos fazendo ela me encarar.


- O que foi isto ? - a pergunto incrédulo mas calmo.


Selena me olha aflita com a minha repreensão e continua a chorar mais. Seus lábios se reprimem enquanto seus olhos puxadinhos se apertam numa tentativa de não chorar alto. Eu a abraço, pois tenho a plena noção de que ela não está bem.


- O que aconteceu, Selena ? - seu choro agora é alto. Seus soluços não param assim como as lágrimas que molham meu ombro. Não me importo.
Sinto seu corpo se afastar, mas eu a forço em meus braços, o que não é dificíl visto que sou bem mais forte que ela.


- Me larga, Justin! - sua voz embriagada se remete a seu corpo que se debate para sair do meu abraço.
No entanto, permaneço estático a apertando. Passo o indicador por seu rosto, contornando seu maxilar e sua bochecha molhada pelo gosto salgado do líquido.


- Não faça, assim amor! - a peço, sussurando baixo para só ela ouvir, apesar de nos encontramos sozinhos.
Sinto o seu corpinho tremer e ela se acalma um pouco, enquanto eu a embalo como se de um bebé se tratasse. Porém seu choro persiste frenético e mais intenso ainda.


- O que houve ?
Sinto o meu paladar seco, pois me custa de verdade ver a garota que eu gosto e tanto prezo assim.


- O que você acha de mim ? - ela se afasta um pouco para me olhar, e eu lhe devolvo um olhar confuso.


- Como assim o que eu acho de você ?


- Você acha que eu sou uma qualquer ? - ela cospe as palavras entre os soluços do seu choro.


- Você não é uma qualquer, Selena. - a garanto.


- Não me minta, Justin ! Olhe para mim - seu dedo fina aponta todo seu corpo agora trémulo e mole- Eu sou uma puta. - travo o maxilar, não gostando do rumo que tomamos agora. - Eu me deitei com você. Eu tinha um namorado quando isso aconteceu e você era e é casado. Eu devia ajudar a sua relação e não detoná-la. 


A olho incrédulo, não acreditando no que acabara de ouvir. Tento me pronunciar mas é como se algo me impedisse de falar.


- Eu sou a pior pessoa do mundo, meu deus ! - ela se joga ao chão com as mãos no cabelo e deixa fluir seu choro possesso. - Eu mereço apanhar tanto, eu mereço, eu mereço, eu mereço. 


Aquilo me quebra por dentro.
A levanto com cuidado e a tomo em meus braços.

...
Olho para Selena e agora ela dorme quietamente no quarto do hotel, após um banho e um calmante. Seu rosto inchado denuncia o choro que ela chorou, sem dúvida alguma.


[...]
Point of View. Selena Gomez
Tento focar-me no filme que passa na televisão de tamanha dimensões, porém a voz de Justin cantando uma músicasinha qualquer e seus dedos me dando carinho no cabelo, me fazem desconcentrar totalmente. Olho para o seu rosto que agora me encara com um sorriso sincero. Sorrio de volta.


- Está se sentindo melhor ? - ele pergunta atento.


- Bem, melhor. - engulo seco. - Você deve me estar achando uma maluca provavelmente. 

- Quer mesmo saber o que estou achando ? - não o respondo.  A resposta que ele poderá me dar, me assusta. - Eu estou achando que você foi forte sozinha durante muito tempo. Eu estou achando que você merece melhor que tudo isto. 


- Eu não ..


- Não vai me contar o que aconteceu ? - ele me corta.
Respiro fundo, insegura de expor tal coisa para Justin.


- Eu tenho recebido cartas. - Justin me encara confuso, e encena com a cabeça pedindo que eu continue. - São de Zayn. Ele me ameaça e me ofende nelas.

Abaixo meu rosto, profundamente envergonhada e triste com a situação em que me deparo.


- Porque você não me disse isso antes ?


- Nós não nos falávamos, Justin. - digo emburrada, tentando esclarecer o óbvio.


- E depois ? Deveria me ter procurado. - seu rosto se contorce num expressão confusa e zangada enquanto ele insiste.


- Acha mesmo que eu o procuraria depois do que me disse ?
Seu olhar se torna arrependido e sua boca se contorce diversas vezes, enquanto ele balbucia algo inaudível.


- Eu não queria dizer aquilo, me perdoe. - seu olhar esbanja sinceridade e eu sorrio de maneira peculiar.


- Não faz mal. - o conformo.


- Sim, faz mal. Eu fui um idiota e pretendo te compensar por isso.
Seu olhar agora misterioso me encara enquanto seu sorriso se abra de orelha a orelha. O observo desconfiada.


- O que pretende fazer ? - pergunto incerta.


- Viaja comigo para o Canadá ?

A sua pergunta cai como um baque em meu estômago.

É deveras de loucos o que ele me pede.
Me afasto dos seus braços tatuados e fortes num impulso.


- Como é ? - minha voz é incapaz de esconder a surpresa que sinto agora, no entanto minha barriga formiga.


- Estou pedindo que venha comigo para o Canadá, conhecer minha família. - ele diz simples.


- Eu acho que não deveríamos, Justin.


- Por favor ! - o loiro me suplica de mão juntas enquanto faz um beicinho engraçado com a boca.


- Porque me quer apresentar para a sua mãe ? 


O questiono o que tanto me importuna. Estou feliz por tal convite, mas assustada também.


- Porque você é minha namorada.
Coro violentamente e vejo Justin se agachar no chão perante mim. Sua mão pula até o bolso da calça e exibe agora uma caixinha vermelha de veludo.

Posso sentir meu coração saltar ritmáticamente em meu peito e uma forte ansiedade subir em meu sistema. Respirar parece tão dificíl agora.


Ele a abre e o brilho da jóia agora irradeia minha visão e toda a minha íris brilha.
- Você aceita namorar comigo, Gomez ?


[...]
Point of View. Justin Bieber
Saio do pequeno banheiro arrumado, e me dirijo a Selena, que está sentada numa cadeira próxima à janela. Ela parece distante, e suas mãos pressionam o estofado do assento de maneira a que as suas unhas se cravem por lá.


- Tudo bem ? - pergunto ao me sentar do seu lado, abraçando seu corpo esbelto e depositando um beijo em sua bochecha rosada.

Ela se vira para mim e assente suavemente enquanto solta um longo suspiro.


- Não acredito que alugou um jatinho só para nós. Poderíamos ter pego um avião.
Olho seus olhos profundos que rolam de um jeito irónico.


- Bom, na verdade eu o comprei. 
    Digo orgulhoso. A verdade é que sempre gostei de esbanjar o quanto sou bom e o quanto posso, já que eu mesmo trabalhei por isso. Dei de tudo para ter o que tenho agora, porém minha cobiça não é maior que minha humildade, graças a deus.


- A minha mãe está ansiosa para lhe conhecer. - digo retomando a atenção da garota em minha frente.


- Você lhe contou sobre nós ?


- Não. - molho meus lábios. - Mas pretendo fazer isso quando lá chegarmos.


- Ela vai me achar uma vadia.
A garota diz desesperada e eu não podendo me reter, rio de si.


- Se lhe serve de conforto, minha mãe odeia Bárbara e reza todos os dias para que eu encontre alguém melhor.


- E se ela não gostar de mim ? - ela diz apreensiva.


- Bom, ela vai adorar você, tenho a certeza.


Seu rosto agora se contorce e logo ela está sorrindo de maneira satisfeita.


- Farei por isso. 
Após sua fala, me aproximo tomando seu rosto e a beijando. O beijo é tudo menos calmo. Sua língua batalha contra a minha enquanto suas mãos sobem para dentro da minha camisa, arranhando minha pele e apertando meu abdominal.
Dexo os meus beijos para o seu pescoço, chupando este com vontade. Vou deixando marcas e sugando o seu cheiro e o seu sabor. Ela geme.
Dexo minha mão para sua calça jeans e abro o botão rapidamente, adentrando assim na mesma. Esfrego sua intimidade coberta pela calcinha a sentindo molhada. Molhada por mim. Molhada para mim.


- Ahh.. - Selena geme em meu ouvido após eu afastar sua calcinha para o lado e começar a masturbá-la, acariciando toda a sua preciosidade de maneira precisa e excitada.


Logo enfio dois dedos sentindo eles deslizarem fácil devido ao lubrificamento natural que agora a garota possui. Começo a estimulá-la num vai e vem enquanto ela geme baixinho.


- Oh, Justin ... Awnn! 


Tomo seus lábios num beijo selvagem e começo a aumentar a velocidade dos meus dedos, que trabalham forte em sua buceta. Forte e fundo.

- Ah !
Não demora muito para que sinto seu gozo escorrer meus dedos, os esquentando e lambuzando. Chupo os mesmos com prazer enquanto os olhos pardos de Selena me encaram com luxúria.
Sinto um bater na porta e logo avisam do outro lado:
- Vamos aterrar !


[...]
Toco á campainha, pela primeira vez após acalmar a frenética Selena, que se esperneava garantindo que isto não era boa ideia.
- Acho que não está ninguém, podemos ir ! - Selena diz apressada e vira-se na intenção de voltar para o carro. Sou rápido e seguro o seu braço.
No mesmo momento que falaria algo a porta se abre.


- JUSTIN ! - sinto o corpo de Pattie ser jogado sobre o meu, num abraço apertado, fazendo-me assim soltar o braço da morena. 
Retribuoo o abraço e logo Patricía começa a beijar meu rosto sem pausar. Eu tinha muitas saudades dela.


- Meu bebé, eu estava a morrer de saudades. - ela se afasta um pouco estendendo os meus braços, e me analisando de cima a baixo. - Você está mais magro, aquela ruiva de cabeça peluda, não te anda alimentando direito é isso ?


- Estou fazendo ginásio. - a digo sorrindo.
Logo vejo seu olhar se direcionar à garota ao meu lado que nos olha quieta.


- Oi. - Selena diz tímida após Pattie a encarar por mais de 1 minuto em silêncio.


- Você é a Selena ? 
A garota apenas assente com a cabeça e logo mamãe a puxa a abraçando forte. Sorrio ao ver a cena, é de meu agrado.


- Nossa garota, eu ouvi falar tanto de você. - diz sorrindo. - Só coisas boas claro, e se me permite dizer você é bem mais linda pessoalmente.
-Muito obrigada. - Selena agradece ainda acanhada e me olha medrosa.  - A senhora também é muito bonita, muito mesmo.


- Ahh, sem essa de senhora. Senhora é só para a Bárbara, para você é Pattie, minha querida.


Agora as duas riem e não posso deixar de acompanhar elas duas. Sinto uma sensação de orgulho e de felicidade por estar aqui com Selena, a metendo para conhecer minha mãe.


- Vamos entrar meninos. Aproveitam que as suas tias e primos saíram com os meninos e tomam um banho.
- As tias estão cá ? - pergunto desacreditado. 
- Na verdade toda a família está. É uma boa altura para apresentar a sua apenas amiga. - Pattie dá ênfase na palavra apenas amiga, fazendo Selena me encarar corada.
Pego sua mão numa maneira de lhe passar confiança e sorrio para ela.


[...]
Adentro a cozinha, vendo Patrícia preparar algo em uma panela rosa. Vou até ela e deposita um beijo na sua nuca sentindo seu cheiro agradável.
Ela se vira com a colher de pau na mão e estende para eu provar o molho acastanhado.


- Está quente, tome cuidado.
Assopro um pouco, e depois lambo a colher sentindo o sabor adocicado na minha língua.


- Chocolate. - digo sorrindo. - Está ótimo. 
- Óbvio que está ótimo, Justin. Fui eu que fiz. - Pattie sorri convencida. - A Selena ?
- Está no banho.
- Bárbara ? - minha mãe agora volta a prestar atenção no ganache chocolatudo que borbulha na panela.
- Está em casa.
- Vocês ainda estão juntos ? - aceno que sim com a cabeça. - Ela sabe que você veio com outra moça para cá ?
- Não. Não lhe conte, por favor.
- Não farei isso, você sabe. A louca iria logo achar que você anda a traí-la. - mamãe diz rindo e logo olha para mim que estou sério. Seu riso para e agora ela percebe.
- Você a trai não é ?
- Eu...
- É com a Selena ?
- Mãe, não a trate mal por favor, eu tenho uma explicação.
- Traição, não tem explicação Justin. - ela diz frustrada. - Mas vá, tente me convencer. Dê me motivos para eu gostar de Selena após o que me contou. - mamãe diz séria. Seu ódio por traições, supera o ódio que sente por Bárbara.
- A culpa não é dela. Eu que insisti para caramba nisso, sem falar que ela não devia lealdade a Bárbara mas sim eu.
- Elas se conhecem ?
Me entreolho com medo do que falarei.
- Selena é nossa terapêuta. - bufo.
Mamãe me olha chocada.


- Isso é muito errado, Justin.
- Não é não. As coisas entre mim e Bárbara estão super mal. Ela só trabalha e toda a hora me ofende. Faz tudo ao alcance para que eu me sinta mal e sempre que tento terminar ela me faz sentir culpado, estou farto. - mamãe me olha de maneira triste. Ela está com pena de mim. - Nos estávamos tão mal que tivémos que fazer terapia. Isso é de loucos.
- Como se involveram ?
- Nem sei bem. Selena precisava de amor e de carinho, de atenção de tanta coisa mãe. Ela tinha um namorado e ..
- Ela também namorava ? - minha mãe me pergunta incrédula.


- É, namorava. Porém era proibida de tudo, mas tudo mesmo. Ele a tratava tão mal mãe, você não faz ideia. - engulo a seco, não querendo aprofundar isso. - Então eu a dei tudo o que ela precisava. Ela se entregou para mim e me deu amor.


- Eu não sei o que lhe dizer... Apenas faça o que lhe faz feliz, meu amor.
Abraço Pattie que retribui me apertando mais forte.
- Obrigada, mamãe.
- Selena parece ser uma boa garota, não a machuque.
A olho confuso, não entendendo o que ela queria dizer.


- Ela está apaixonada por você, seu totó.
- Como sabe ? - sorrio debochado.
- Justin você já olhou bem para ela ? Está esparramado nos olhos dela, escrito em sua testa, falado em sua boca.
Rio devido ao exagero mas logo digo:


- Eu também estou apaixonado por ela mamãe, não sabe o quanto.
- Então porque não avançam logo ?
- Já a pedi em namoro, aconteceu ontem.
Minha mãe sorri alegre e eu suspiro aliviado.
- E Bárbara ?


- Pretendo terminar tudo com ela assim que chegar a New York.


Mais tarde, ao jantar me sinto orgulhoso por ver Selena feliz e arrancando sorrisos dos meus parentes que mantém conversas paralelas com a garota. Eles se deram todos bem. Sorrio, ao receber elogios pela minha escolha. E agora tenho a certeza que ela é a escolha certa.


Notas Finais


Oi oi bombocaaaaaaas
Que saudades, viu ? ❤
Bom, entramos no meio da fanfic, e jelena já é uma lance sério e assumido uhuhuh, ouvi gritos ?

Pra quem não entendeu, tanto Selena como Justin estavam em relacionamentos abusivos, e eu acho que não especifiquei claramente o relacionamento de Justin com Bárbara por isso vai ter muitos flashbacks minhas filhas

Venho vos alertar também que eu não vou romantizar os relacionamentos abusivos deles, nem pensem.. Eu vou servir a realidade crua e vou mostrar que sempre há alguém melhor á nossa espera, e neste caso, o melhor de cada um é o outro

Eu gostaria de começar uma fic nova, jelena óbvio, tenho o vosso apoio ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...