História Terceira Rainha - Capítulo 6


Escrita por: ~

Visualizações 26
Palavras 2.883
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Você também tem sentimentos


6.000 mil anos atras

Roma

Estava na minha última aula de piano, na melhor academia de musica de toda a Roma quando Harry apareceu na porta e ficou me observando tocar as ultimas notas, assim que termino escuto seus aplausos.

-Lindo amor, cada dia toca melhor - diz ele agora já ao lado do piano.

-Obrigada Harry, sua opinião é muito importante para mim - digo olhando nos seus olhos, depois de tanto tempo juntos aprendi a ter confiança ao olhar para o rosto de meu noivo.

-Mal consigo esperar para te admirar tocar piano todas as noites somente para mim - diz ele com aquele sorisso que arraza meu coração.

-Só para você, por que? - pergunto brincando.

-Porque não quero nenhum outro homem te admirando, você é minha Gabrielly, sempre foi minha - diz ele com convicção.

-Não posso descordar Harry, você é o único em minha vida, sempre foi - digo ao olhar no rosto de meu noivo, que ao ouvir sorri.

-Eu te amo Gabrielly - ele diz em um sussuro,

-Eu também te amo Harry - digo ao acariciar o seu rosto.

-Tenho tanto medo de lhe perder, daria minha vida por você - ele diz.

-Eu sei meu amor e eu faria o mesmo - digo.

-Eu sei Gabrielly, mas quero te prometer uma coisa - ele me diz sério.

-Não precisa me prometar nada Harry - digo para ele.

-Esta errada amor, eu preciso sim, preciso que você saiba que não importa quantos dias, anos, séculos ou milenios passem, enquanto você existir meu coração pertencerá somente a você, nunca vou deixar de ama-la, posso me esquecer em algum momento que a amo, mais sempre vou voltar a lembrar, porque esse sentimento sempre permanecerá vivo em mim. Cada batida do meu coração é sua porque o meu coração e seu, assim como minha mente, meu corpo e minha alma. Sempre serei seu Gabrielly , isso é uma promessa.

As lágrimas desciam pelo meu rosto como seu fosse gotas de chuva quente, aquela era a declaração de amor mais linda que Harry já me fizera, ele poderia entregar o seu coração a qualquer mulher mais ele me escolhera, confiara em mim.

Acordei com lágrimas escorrendo pelo meu rosto, me sentei na cama e me encolhi abraçando minha próprias pernas enquanto eu chorava em silêncio, aquela lembrança dói mais do que qualquer uma das minha mortes, ele prometeu me amar para sempre, prometeu que seu coração seria só meu, ele o entregou a mim naquela tarde, mas embora meu coração pertença a ele, eu não posso entrega-lo, não posso entregar algo que não me pertece mais. 

Senti braços ao meu redor e levantei o rosto, vendo Percy me olhando com preocupação.

-Esta bem Luciana? - ele pergunta limpando as minhas lagrimas com seus dedos.

-Vou ficar - digo já me recompondo.

-Sabe você não precisa ser sempre forte - ele me diz enquanto me observa levantar da minha cama.

-Preciso sim, eles não podem saber que ... - não consigo terminar de dizer, não consigo falar em voz alta como esta doendo saber que nunca serei feliz ao lado do homem que amo, esta doendo por ter perdido os meus pais e minha vó, esta doendo porque tenho três nacionalidades esperando por minha ordens, esta doendo porque tenho que ficar longe das pessoas que amo mais do que tudo, esta doendo.

-Que você tem sentimentos também - quando Percy diz isso eu olho para o chão enquanto ele se levanta e vem em minha direção e mais uma lagrima cai dos meus olhos.

Sinto novamente o abraço dele que de alguma forma era reconfortante, ainda era o abraço de um amigo de muitas vidas, alguém que eu havia esquecido que poderia sempre contar, ele cheira o mais limpo e salgado mar e sua pele era tão suave como o mais calmo lago.

-Eu estou aqui - ele me diz ao pé do meu ouvido.

Não sei quantos tempo ficamos abraçados daquela maneira, nos separamos por conta de uma batida na porta que por sinal também fez meu irmão e minhas primas acordarem, fui abrir e no trageto me recompus, minha familia não podia saber que eu havia chorado.

-Bom dia - digo assim que abro a porta e vejo Piper.

-Bom dia, minha mãe esta aqui - ela diz.

-Na onde? - pergunto.

-No nosso chalé - diz Piper - Ela esta te esperando.

-Ok só vou tomar um banho e já vou - digo e saio indo rumo ao banheiro do chalé.

Tomo um banho curto mais recomfortante e coloco a roupa que Afrodite havia me mandado na noite anterior, que era uma calça negra esquini de coz alto e uma blusa branca que era um pouco mais larga que eu, o que me deixava mais estilo sou uma mulher poderosa, mais ainda era justa o suficiente para marcar as minhas curvas.

Havia junto um bracelete com uma pedra de esmeralda verde, assim como um par de brincos combinando, também havia uma corente prateada que tinha a mesma pedra do brinco e do bracelete.

A bota era preta e de cano alto e o sobre tudo para o frio que fazia era do tom mais vivo de vermelho, corrige minhas olheiras com a maquiagem e fiz um deliniador gatinho deixando os meus labios com um rosa claro assim como minhas bochechas, meu cabelo estava solto e cheio de ondas.

Me olhei no espelho e vi uma mulher linda e forte, que muito embreve será bem mais do que é agora, porque ela mudará e aprenderá muito com tudo que passar assim que sair pela porta do chalé.

-Estou indo no chalé de Afrodite, nos vemos para tomar café em meia hora - digo ao sair do banheiro e dar de cara com meu irmão, Percy e minhas primas, dou um beijo na testa das minhas pequenas e saio pela porta do chalé de poseidon e começo a andar até o chalé de afrodite que era todo rosa.

De longe se ouvia o alvoroço lá dentro o que me fez sorrir, são raros os momentos em que os deuses interagem com seus filhos, paro e bato na porta e tudo se silencia, quando a porta é aberta vejo um lindo homem que aparentava ter a minha idade, era loiro de olhos do mais lindo chocolate.

-Entre alteza - diz o homem que me olha de cima em baixo.

-Obrigada - digo e entro no chalé e logo sou pega pelo abraço de afrodite.

-Luciana já vejo que não precisa da minha ajuda você esta perfeita - diz ela ao se afastar.

-Sei me virar quando você não está - digo rindo e ela me acompanha.

-Percebi boneca, vejo que gostou do luke do dia - ela diz, e me pede para girar.

-Amei - digo girando - pareço uma mulher de negocios - digo rindo.

-Eu queria te explicar porque não nos vimos a noite - diz ela.

-Eu imaginei, achei estranho você não estar lá, aconteceu algo? - pergunto a minha amiga.

-Sim, Poseidon aconteceu - diz ela claramente irritada.

-Mais vocês dois continuam com essa briga boba - digo.

-Ele não deixou eu entrar no chalé ontem, disse que lá o único deus que entra é ele - diz afrodite que bufa.

-Mais como a caixa chegou lá? - pergunto.

-Ele fez o minimo que poderia fazer e levou para mim - nessa hora eu reparo que todos os filhos de Afrodite nos observam com olhares curiosos e facinados.

Eu e Afrodite apenas nos olhamos e rimos, os filhos delas pareciam  não entender como poderiamos nos dar tão bem, mas isso nao importava afrodite e eu eramos amigas e nada e nem ninguem no mundo iria mudar isso.

-Bom já vou indo, tenho um mundo de beleza e amor para cuidar, e você Luciana tem que voltar para os Egipcios - diz afrodite me reeprendendo.

-Eu sei, irei logo apos o café da manhã - digo a ela e vou abraça-la.

-Tchau amiga, até a noite - ela me diz.

-Até - digo enquanto me afasto dos braços de minha amiga.

Ela apenas piscou para mim e olhou para o teto do chalé e no instante seguinte ela havia ido, me despedi de todos e fui para o refeitorio, encontrando meu irmão, minhas primas e Percy sentados comendo.

-Oi gente, desculpe a demora - digo ao sentar ao lado do meu irmão apos ter dado um beijo na testa de minhas primas.

-Afrodite e suas manias de beleza -digo rindo e todos me acompanham.

-Nem precisa maninha, você esta linda assim - diz meu irmão, que beija a minha testa.

-Obrigada maninho - digo e sorriu para ele.

Me sirvo e começo a comer e como consequecia a conversa começa a fluir.

-Então Lu, a Sadie não fez você surtar ainda? - pergunta Percy rindo e eu o acompanho.

-Ainda não, mais no primeiro dia pelos deuses - digo entre gargalhadas.

-E quando você vai? - me pergunta Thais.

-Vou assim que terminar de comer - digo olhando para minha prima.

-Mais você volta neh? - pergunta Katia.

-Claro que sim meus amores, mais cedo do que imagina - digo a elas.

-Não pensei que já fosse voltar assim tão cedo - fala Percy.

-Eu preciso -digo a ele.

Nessa hora Quíron chega e se senta conosco e o assunto sobre eu ir embora em menos de uma hora se foi tão rapido como havia chegado.

Assim que terminamos de comer, volto ao chalé para buscar as minhas coisas mas vejo Jason encostado na porta do mesmo.

Meu coração despera e meus joelhos começam a tremer, o medo e o amor começaram a me dominar era incrivel o fato de quanto mais eu tento esquece-lo mais ele me aparece.

Jason estava com um olhar de esperança, medo, desejo e confusão, já vi aquele olhar centenas de vezes nas minhas últimas vidas. Esperança de mudança, Medo do desconhecido, Desejo pela mulher que ele jurou amar em quanto ela existe e Confusão pelo sentimento que floreceu novamente nele.

-Oi - diz ele.

-Oi - respondo, não sabia mais o que dizer, droga sou uma mulher adulta que não consegue falar nada além de oi para o homem que ela ama a mais de seis mil anos.

-Eu gostaria de falar com você Luciana - ele usou a sua velha e linda voz de liderança e simpatia.

-Por favor,aconteceu algo? posso ajudar em alguma coisa? - pergunto para ele, eu sei que ele notou a preocupação em minha voz.

-Aconteceu sim, ontem a noite eu tive um sonho - ele diz olhando para o chão sabia que estava com vergonha, só não entendia o porque.

-E como era esse Sonho? - pergunto, pode ser que ele tenha sido convocado já.

-Não sei - diz ele receoso.

-Confia em mim, me conta vou ajuda-lo a entender - digo.

-Eu estava numa praça, eu andava e as pessoas que passavam por mim se curvavam e me cumprimentavam - diz ele.

-Por favor prossiga - digo a ele.

-Bom eu estava andando até que vejo uma mulher linda parada sozinha e aquilo me pareceu muito estranho, mais quando me aproximei e vi seu rosto eu fiquei sem ar, sem chão e sem nada.

Assinto o encorajando a prosseguir.

-Nós conversamos um pouco ali na praça na frente de todos, ela me parecia certa.

-Quem era essa mulher? - pergunto embora já soubesse a resposta, ele estava falando do dia em que nós dois nos conhecemos.

-Era você - ele me diz olhando nos meus olhos, seu olhar era tão profundo que parecia chegar a minha alma.

-Não conte a ninguém sobre isso - digo a ele.

-O que esse sonho quer dizer? - ele me pergunta.

-Não é um sonho Jason, isso foi uma lembrança - digo a ele.

-Lembrança? - ele me parecia muito confuso.

-Sim, lembrança da nossa primeira vida e é isso que quer dizer, você faz parte dos escolhidos Jason - digo a ele tentando parecer firme.

- Luciana, posso te perguntar uma coisa? - ele me pergunta depois de alguns instantes de silencio.

-Claro, qualquer coisa - digo.

-O que nós dois eramos? - ele me pergunta.

Naquele momento eu congelei, eu não posso mentir vai contra a minha escolha de fazer o que é certo, mas não estava na hora dele saber que eramos noivos e namorados em outras vidas, nem que estavamos almadiçoados a nunca amar nenhuma outra pessoa por toda a eternidade.

E como se fosse uma luz no fim do tunel sinto braços ao meu redor e um forte cheiro de agua salgada, era o Percy sendo meu heroi.

-Atrapalho? - ele pergunta de forma inocente.

-Não - diz Jason - depois você me responde tá - diz ele olhando para mim.

Eu apenas concordo com a cabeça e entro no chalé.

-É ele neh - diz Percy.

-Não sei do que você esta falando - digo ao arrumar as minhas coisas.

-Eu lembrei de mais algumas coisas - ele diz e eu engolo seco enquanto fico parada de costa para ele.

-Do que mais lembrou? - pergunto assim que meu choque passa.

-De que você o ama, e que ele te ama também - diz Percy um pouco perplexo.

-Lembra do seu sonho de revelação que o Jason ia casar - digo agora olhando para ele que apenas afirma com a cabeça.

-A noiva dele era eu - digo deixando uma lágrima escorrer.

Aquele sentimento ainda era muito vivo em mim.

-Ele é o homem que você nunca poderá ter - diz ele como se começase a entender.

-Isso, por isso não posso ficar sozinha com ele - digo ao Percy.

-Vou te ajudar com isso, eu prometo - diz Percy que puxa novamente para os seus braços e é ali que permaneço até me acalmar.

 

 

Agora eu já estava em frente a mansão dos egipcios, e já era quase a hora do almoço, guardei meu carro na garagem e subi.

-Oi gente - digo assim que entro na varanda onde todos estão reunidos para almoçar.

-E ai esta tudo bem com a sua familia?- pergunta Sadie.

-Estão sim, graças a Deus - digo ao me juntar a eles na mesa.

-Hoje começamosa sua atualização alteza - diz Bastet.

-Sim, e por onde começaremos?  - pergunto.

-Não tenho a minima idéia - diz Bastet.

-Que tal pela era? - diz Carter.

-Como assim ? - pergunta Zia.

-Pela Era, ela estudar a historia em geral das Eras des que ela viveu pela ultima vez, como se fosse uma aula de história - Explica Carter.

-E com o decorrer da historia vou aprender como tudo ocorreu e como e quando mudou, gostei da idéia Carter - digo sorindo para ele, que fica com um leve rurbor na pele morena.

-E como será isso? - perguntou Walt.

-Poderiamos ir até a Casa da Vida - diz Carter.

-Perfeito - diz Zia.

-Então vamos logo ápos o almoço - digo.

-Mas, vamos todos? - pegunta Sadie.

-Acho que seria bom ir apenas alguns de nós - diz Walt.

-Mas quem ? - perguntou Bastet.

-Pode ser o Carter e o Walt, já que ontem sai com as meninas, hoje saio com os meninos - digo sorrindo.

-Gostei da ideia - diz Sadie.

-Ok então, saimos ápos o almoço - diz Carter e voltamos todos a comer.

Assim que o almoço termina eu, Carter e Walt saimos rumo ao ao Museu de Historia Natural de Nova York para abrirmos um portal para a Casa da Vida.

Assim que atravesamos o portal, Carter virou para mim com o mais belo dos Sorisso e disse:

-Bem Vinda a Casa Da Vida Alteza.

E como consequencia uma lembrança nossa me veio a mente.

 

Egito 

3.000 Mil anos atrás

-Bem Vinda a Casa Da Vida Alteza - diz Caique para mim com o mais belo dos sorissos.

-Obrigada Caique - digo ao entrar na casa da vida.

-Imagina Lorena, precisando pode contar comigo você sabe disso - diz ele andando ao meu lado.

-Sabia que você me disse a mesma coisa na minha primeira vida - digo rindo.

-E bom saber que algumas coisas não mudam - diz ele sorindo.

Continuamos a andar lado a lado pelos grandes salões do Primeiro Nomo.

-Sabe é engraçado - diz Caique olhando para mim.

-O que é engraçado? - pergunto confusa.

-Que você chegou a tão pouco tempo Lorena e já não consigo ficar longe de você - diz ele olhando para o chão, como se estivesse com vergonha por ter dito algo tão lindo.

-Fique tranquilo por hora Caique - digo fazendo um carinho no seu rosto.

-É difícil Lorena, você é importante de mais para mim, você mudou tudo - diz ele com uma sinceridade que chegava a ser palpável. 

-Caique, você também é importante de mais para mim - digo sorindo e ele me puxa para os seus braços, e me prende no mais doce e perfeito abraço bem ali no meio dos salões egipcios.

 

-Obrigada Carter - digo a ele 

-Imagina Luciana, precisando pode contar comigo você sabe disso - diz ele andando ao meu lado - diz ele, eu não me contenho e sorrio.

E a história se repete



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...