História Terminal Love • VKOOK - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Jungkook, Sad, Taehyung, Taekook, Vkook
Exibições 29
Palavras 843
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Postando pelo Notebook
Em breve atualizo <3

Capítulo 4 - Seu abraço é Quentinho


Fanfic / Fanfiction Terminal Love • VKOOK - Capítulo 4 - Seu abraço é Quentinho

Fui acordado com a sensação da cama ficando mais leve. Abri meus olhos com medo, porque medo? Eu também não sei. Hoje completa duas semanas desde os desmaios, duas semanas que contei sobre o câncer. Dois anos que nós namoramos. Três que moramos juntos. Eu não estava com vontade de levantar daquela mesma, mesmo vendo Tae me fitar em pé. Meus olhos estavam "fechados", eu conseguia vê-lo, mas sei que ele não percebeu que eu estava acordado.

- Kookie, porque tem que ser assim? - Percebi que sua voz falhou, ele estava prestes a chorar, mas se impediu de fazer o mesmo - Porque você que pegou essa doença? Eu queria estar no seu lugar, amor...

Sentei na cama quando pude escutar o barulho da porta sendo fechada. A janela estava aberta, pensei em pular e me matar, mas seria uma ideia muito idiota, por dois motivos: Tae se sentiria culpado pelo suicídio, eu não queria isso, e era apenas o segundo andar, isso não mata. Me permiti soltar uma risada fraca. Levantei da cama e percebi que eu estava apenas de cueca, a noite anterior estava muito quente.

- Bom dia! - Recebi de um grande Tae sentado na mesa lendo o jornal.

- Jornal? Desde quando você lê? - Perguntei curioso depois que deixei um beijo em sua bochecha.

- Achei o preço barato e comprei. - Olhei a data do jornal - Sim, antes que fale algo. O jornal é de duas semanas atrás, e nem pense em chamar-me de idiota, eu sei que você quer.

- Seu pedido não vale de nada. - Sorri com seu sorriso e dei língua em seguida - Vou comer um pouco, já comeu? - Minha voz falhou.

- Você está bem?

Assenti com a cabeça e fiz um bico. Assim que estava na cozinha, funguei e cocei meus olhos, impedindo a minha vontade de chorar. Pode parecer idiota, bobo, infantil, desnecessário, pode parecer várias coisas, mas Tae nunca esquecera um aniversário sequer, e logo hoje? Porque logo hoje... Devo estar ficando sentimental com essa doença.

Eu já estava voltando para a sala depois de preparar cereal com leite e te-lo colocado numa tigela. Rodei meu olhar por toda a sala e não encontrei-o sentado mais a mesa, apenas ignorei essa questão e continuei comendo.

Duas horas.

Três horas.

DEZ horas!

Já eram sete da noite, esperei o dia inteiro e ele não voltou, onde ele estaria? Porque teria saído de casa e não me avisado? E ainda por cima no dia do nosso aniversário de namoro, Tae havia esquecido feio, muito feio, ou apenas teria me abandonado, eu acredito mais na segunda opção. Não tem porque aturar um doente como eu.

Já estava me preparando para dormir, era cedo. Bastante cedo, era apenas oito da noite, para quem costuma dormir quase uma hora da madrugada. Um barulho na porta foi ouvido, não me dei o trabalho de ir ver, se fosse Tae, eu iria ignora-lo, escolha idiota, mas eu estava magoado. Se fosse um ladrão, qual seria o problema? Eu iria morrer no futuro, um tiro só ajudaria o processo, acelerando minha morte.

- Já está dormindo? - Aquela voz grave se fez presente - Kookie... - Sussurrava, como se não quisesse me acordar - Desculpa ficar fora o dia inteiro sem nenhuma explicação, sei que é nosso aniversário de dois anos hoje... Eu queria fazer algo especial, mas sou burro demais para fazer tal coisa... - Dessa vez senti a cama ganhar um peso, contrário de mais cedo - Desculpa amor... Mas que tal parar de fingir?

Ele sabia, era óbvio. Não precisava estar derramando lágrimas para ele perceber que eu estava mentindo. Sentei-me na cama e não consegui olhar para seu rostinho de neném, eu estava magoado, as lágrimas não paravam de rolar, era até engraçado.

- Idiota... - Retruquei quase mudo - Fiquei com medo...

- Desculpa, agora olha pra mim. - Segurou meu queixo e virou meu rosto para o seu, percebi um sorriso lindo - Eu queria comprar algo legal, fazer isso de forma mais especial, mas como disse, sou muito burro pra fazer tal coisa.

- Que coisa? 'Tá me deixando preocupado.

Tirou uma caixinha de veludo de dentro do bolso daquele casaco grosso e longo que ele tanto gosta, as lágrimas que antes tinham parado de cair, voltaram incessantemente. Logo minha visão mudou para um acastanhado ajoelhado na minha frente, com uma mão estendida e a caixinha de veludo aberta, mostrando duas alianças douradas, finas e muito simples.

- Queria comprar-lhe algo melhor, mas não tenho boa renda... - Falou cabisbaixo - Jeon Jungkook, você que casar comigo?

Não preciso dizer a resposta, logicamente foi SIM. Nos abraçamos, nos beijamos, choramos e rimos muito depois da cena. Acabamos por dormir cedo. Eram nove horas quando pregamos nossos olhos e logo dormimos. Dormimos abraçados, sentindo a respiração dele sobre minha nuca, e sua mão apertando minha cintura, seu coração batendo forte, e percebia seu sorriso.

Eu queria ficar assim pra sempre, abraçados.

Seu abraço é tão quentinho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...