História Texting - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Kentin, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya, Violette
Tags Castiel, Dress, Love, Nathaniel, Texting
Exibições 381
Palavras 918
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Aqui está o capítulo 19! 🎉🎉♥
O tão esperado capítulo!
Sim, vocês não tao sonhando, eu consegui postar o capítulo hoje, pois eu consegui terminar o trabalho mais rapidamente e consegui tempo para fazer o capítulo ainda hoje!
Sem mais demoras... O capítulo 👇👇

Capítulo 19 - • NINETEEN •


- Nathaniel -

Hoje acordei com as mensagens do desconhecido me dizendo que era hoje…. É hoje que eu iria finalmente ver o rosto da pessoa com quem eu gosto tanto de falar… Hoje!

O meu dia não podia correr melhor.

Depois de mandar uma foto a ele sai da minha cama, com alguma preguiça, e, em passos lentos, fui até ao banheiro ligar a água para tomar um banho quente e relaxante. Eu fico quase uma hora na banheira a pensar, e hoje não seria diferente, fiquei a pensar em como ele seria e como será a minha reacção ou até a dele quando nos virmos, e imaginei milhares de momentos, todos eles bons. 

Quando finalmente notei que fiquei tempo demais na banheira, me enrolei numa toalha e fui até ao armário, e tirei de lá a uma blusa e umas calças jeans, juntamente com os boxers. Me vesti rapidamente e fui até á sala encontrando lá o meu bebé, ainda sem nome. Dei algum carinho nele, e depois fui até á cozinha sendo seguido pelo gatinho peludo, que provavelmente quer comida.

Dei-lhe comida e fiz o meu café da manhã ao som de algumas músicas que passavam na rádio. Acabei por fazer umas panquecas e um sumo natural de laranja. Comi calmamente enquanto observava a bolinha de pelo mais fofa a enrolar-se num novelo de lã que havia dado ontem, e essa era a cena mais fofa de sempre.

Esta manhã seria um autêntico tédio, já que eu e o desconhecido havíamos combinado nos encontrar no parque ás 14h30, e agora são apenas 10h. Então, para passar o tempo mais rápido, decidi arrumar algumas coisas no seu sítio certo já que ainda tinha coisas dentro de caixas por conta da mudança.

Arrumei toda a roupa no armário, todos os meus livros foram arrumados alfabeticamente na prateleira, juntamente com os meus CDs, e acabei por montar alguma mobilia que ainda não tinha montado, e assim o tempo passou muito mais rápido, algumas vezes parei para dar carinho no meu bebé, mas não parei quase nunca de arrumar e montar mobília,

Quando notei já eram 12h30, então fui logo para a cozinha e preparei meu almoço, que foi esparguete á bolonhesa, uma comida que eu amo. Quando terminei fui até ao banheiro e lavei os dentes, aproveitando também para dar uma arrumada nos meus fios loiros.

Peguei a chave, meu celular e carteira, e finalmente estava pronto para ir para o parque, e finalmente vê-lo

Eu não conseguia esconder a animação, passava pelas ruas cantarolando algumas músicas que ouvi na radio enquanto preparava o café da manhã e que ainda permaneciam na minha cabeça, enquanto sorria alegremente.

Fui até ao parque e procurei um pouco alguém com cabelos ruivos quase cor de tomate, e acabei por encontrar, olhei para as suas roupas e encontrei a roupa que ele havia descrito, mas não consegui ver o rosto pois o mesmo estava de costas. 

Andei até ele e quando me pus de frente para o mesmo, me assustei.

Não podia ser, não podia ser.

- Não pode - falamos a mesma coisa.

Fiquei paralisado a olhar para ele. Não podia ser, não podia! Podia ser qualquer pessoa, mas Castiel? Porque a Rosa me fez isto? É desta que eu vou matar ela.

Sai de perto dele e fui em direção da saída do parque. Eu definitivamente não quero olhar na cara dele, não depois de tudo o que ele me fez, quer dizer, nos éramos melhores amigos e ele me chamou de milhares de nomes após lhe contar um segredo delicado e importante. Que tipo de amigo ele era, ou é?

- Ei - ele chamou vindo até mim, que continuava a andar até á saída do parque - Temos que falar - ele disse andando lado a lado comigo.

- Esquece tudo o que falamos, apaga as minha fotos todas, e eu vou matar a Rosa - disse andando mais rapidamente, mas ele também acelerou o passo para poder me acompanhar.

- Não, tu vais falar comigo, e ponto final - Castiel disse agarrando o meu braço.

- Eu não tenho nada para falar contigo! Podia ser qualquer pessoa! Porque justo você?! - eu quase, mas quase gritei - Você não lembra o me fez?! O que me chamou?! Eu era seu melhor amigo!

- Você não sabe o quanto me arrependo, eu..

- Cala essa boca! - interrompi-o - "Deram purrada ao viado" - citei a frase do dia em que fui vestido com roupa feminina para a escola e me bateram, ele arregalou os olhos - Sim, eu lembro, como podia esquecer?! Você me viu no chão, machucado, e preferiu dizer uma frase idiota ao em vez de me ajudar! Agora sai, eu quero ir para casa…

Surpreendentemente ele largou o meu braço e ficou parado olhando o nada, então me permiti ir para casa.

O caminho de volta foi totalmente o contrário do caminho até ao parque, o meu sorriso caiu e meu rosto ficou triste, e as músicas que estavam na minha cabeça enquanto cantava deram lugar a tudo o que Castiel me fez.

Quando cheguei a casa me permiti a mim mesmo desmoronar. Peguei no meu bebé e fui diretamente até minha cama com algumas lágrimas nos olhos.

Porque justo ele? Ele me fez a pior coisa que alguma vez já me fizeram, ele me humilhou quando lhe contei algo delicado e importante que poderia mudar toda minha vida, e mudou. Ele não me apoiou quando eu mais precisei, e nem se importou se eu estava bem ou não!

Porque ele?

Porque eu fui me apaixonar justo por ele?


Notas Finais


A única coisa que posso falar é: NAO ME MATEM! Ainda preciso estar vida para continuar a fanfic......... 🙈
Enfim, comentem e se quiserem me chamem de todos os nomes que quiserem, eu não ficarei ofendida, estão á vontade.... 🙊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...