História Texting Camren - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Cabello, Camila, Camren, Fifth Harmony, Jauregui, Lauren
Exibições 1.334
Palavras 2.162
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hahahaha então, nem preciso explicar o pq do nome do capítulo..
Espero que gostem xD

Capítulo 20 - Bad Things


Camila POV

Decidimos ir a pé até a pizzaria, por ser apenas 3 quarteirões da minha casa. Eu ia de mãos dadas com a Lauren, mesmo Dinah tendo feito birra porque não queria ficar segurando vela. Estávamos quase chegando quando escutei alguém me chamar:

- Mi Mi!!!

Virei-me e não poderia estar mais surpresa.

- Ash?? O que você tá fazendo aqui?

- Feliz em me ver? – perguntou sorrindo.

- Surpresa na verdade, a gente não conversa desde... Você sabe.

- É... Sobre isso, me desculpa. Sei que fui uma idiota com você... Será que a gente pode começar do zero?

Antes que eu pudesse responder ouvi alguém pigarrear e olhei para Lauren que parecia estar meio nervosa.

- Er... Ashlee, essa aqui é a Lauren, minha...

- Namorada! – Lauren disse olhando friamente para Ashlee.

- Wow, sério? Bem... Felicidades ao casal.

- Obrigada... – falei enquanto Lauren segurava-me pela cintura de uma forma possessiva.

- Acho que a gente se vê por aí então, Mi MI. Beijos – falou ignorando o fato de Lauren estar fuzilando-a e me dando um beijo na bochecha.

Quando ela se afastou Lauren me largou e começou a fazer o caminho de volta, deixando eu e Dinah para trás.

- Lo! Espera! Onde você vai? – falei correndo até ela.

- Pra casa. Fique a vontade pra convidar sua amiguinha pra ir no meu lugar, “Mi Mi”. Quem sabe assim vocês  podem “começar do zero”. – disse imitando a voz de Ashlee.

- Lauren, não vai me dizer que você está com ciúmes.

- Eu não tô com ciúmes! – falou e continuou a andar.

Fiz sinal para Dinah dizendo para ela esperar e fui atrás da Lauren.

- Então porque tá assim? – perguntei.

- Me deixa em paz Camila. – falou séria.

- Lo, ela não é ninguém importante... Será que a gente ir pra pizzaria e depois conversámos? – pedi.

- Vá você. Perdi o apetite. – disse chamando um táxi e entrando nele.

- Lauren!! – chamei-a mas ela já tinha ido embora. – Arrrrrgh!!!

Voltei até Dinah espumando de raiva.

- Não acredito que ela me deixou falando e entrou na porra do táxi!

- Ela ficou com ciúmes?

- Mesmo tendo negado eu sei que sim. É a única justificativa.

- É... Se ela tá assim agora espera até você contar pra ela sua história com a Ashlee.

- Sai pra lá com essa macumba, Dinah. Se ela já tá com ciúme espera até eu falar que a Ash e eu já namoramos...

- Boa sorte viu Chancho, você vai precisar. Agora vem, vamos comer. Depois eu te passo o endereço da casa da Lauren pra você ir lá conversar com ela.

- Ai Chee, me leva lá agora, por favor.

- Camila eu tô com fome!

- Me leva que depois eu pago sua pizza.

- Vamos logo!! – falou me puxando e chamando um táxi.

“Interesseira” – pensei.

Depois de longos minutos que mais pareceram horas, o táxi parou. Dinah pagou a corrida e saímos do carro.

- É aquela casa ali, vem. – falou

Fomos até a casa e Dinah tocou a campainha. Uma mulher logo abriu a porta.

- Dinah, ei meu anjo, você sumiu. – disse abraçando-a.

- Ei tia Clara, pois é... Vou aparecer mais vezes.

- E você querida, quem é? – perguntou me abraçando também.

- Camila, muito prazer.

- O prazer é todo meu, entrem. A Lauren está no quarto. Pode ir lá, Dinah já conhece o caminho. – falou sorrindo para nós.

- Só vou mostrar o caminho para a Camila...

- Ah, então volte aqui depois para colocarmos a conversa em dia.

- Pode deixar, vem Mila.

Subimos as escadas e Dinah me mostrou a porta do quarto da Lauren.

- Boa sorte. – falou dando meia volta.

Respirei fundo e bati na porta.

- Tá aberta, mãe. – Lauren disse do outro lado.

- Oi... – falei abrindo a porta.

- Ah, você. Como descobriu onde eu moro? – disse seca. – Ah, já sei... Dinah.

- Lo, a gente tem que conversar.

- Não quero ouvir. – falou voltando a atenção para seu celular.

- Lauren! Você vai me ouvir sim. Para com essa crise de ciúmes idiota e me escuta! – falei já irritada.

Ela tirou os olhos do celular e ficou me encarando, esperando eu falar.

- Olha, eu e a Ashlee já namoramos... – Lauren bufou mas não disse nada. – Mas isso foi a muito tempo, eu e ela não temos mais nada, nem mesmo somos amigas...

- Engraçado, não foi o que pareceu, ficam até chamando uma a outro por apelidinhos idiotas.

- Lolo, por favor.  Mesmo ela tendo me magoado, ela foi uma grande amiga pra mim, eu às vezes sinto falta disso...

- Chega, não quero mais ouvir. – Lauren disse se levantando de supetão.

- Lauren. Eu amo você, caramba! É com você que eu tô, é com você que eu quero ficar! – falei indo até ela.  

- Não quero você conversando com ela. – falou.

- Olha, eu nem tenho o número dela, nem nada. Mas não vou ignorar ela se nos encontrarmos de novo e se ela mostrar que quer reconquistar minha amizade, não vejo mal nisso...

- Então vai atrás dela! – falou virando de costas para mim.

- Pra que se o amor da minha vida da aqui? – falei abraçando-a por trás e dando beijos em seu pescoço, fazendo-a arrepiar.

- Você não sente mais nada por ela? – perguntou virando-se pra mim, segurando-me pela cintura.

- Claro que não, Lo. Eu amo você.

Lauren chegou perto do ouvido e cantarolou com sua voz rouca:

 

“I want you forever

Even when we're not together

Scars on my body so I can take you wherever…”

 

“Eu te quero para sempre

Mesmo quando não estamos juntos

Cicatrizes em meu corpo para te levar para qualquer lugar...”

 

Aquilo me fez arrepiar por inteiro. Que voz era aquela, Deus. Olhei para ela mordendo o lábio e ela prontamente me puxou para um beijo um pouco desesperado. Nossas línguas brigando pelo domínio, que eu logo cedi a ela. Lauren finalizou o beijo mordendo meu lábio inferior e puxando, me fazendo soltar um gemido baixinho. Olhei para ela com um sorriso cheio de malícia e falei:

- Am I out of my head? Am I out of my mind? If you only knew the bad things I like…

(Será que perdi a cabeça? Será que estou ficando louca? Se você soubesse das coisas más que eu gosto...).

Lauren me puxou para mais perto antes de falar novamente no meu ouvido com aquela sua voz sexy e rouca:

- I only wanna do bad things to you…

(Eu só quero fazer coisas más com você...).

A puxei para um beijo urgente. Precisava daquilo mais do que tudo. Levei minhas mãos até a barra de sua blusa, tirando-a logo em seguida. Ela prontamente fez o mesmo comigo. Ela desceu suas mãos até minha bunda, a apertando, me fazendo arfar. Então ela me puxou, me fazendo pular em seu colo, entrelaçando as pernas em sua cintura, e foi em direção à cama. Deitamos nela, eu ficando por cima. Interrompíamos o beijo apenas para recuperar o ar perdido. Enquanto beijava e mordia seu pescoço, eu fui tirando seu sutiã e sua calça. Logo invertemos as posições e ela fez o mesmo comigo, caindo de boca em meio seio.

- Hmmmm, Laaauureen... – gemi.

- Geme meu nome, vai. – pediu enquanto fazia uma massagem nos meus peitos.

Lauren foi descendo a boca, lambendo, mordendo e distribuindo beijos até dar de cara com a minha calcinha. Removeu-a rapidamente e veio me beijar.

- Não provoca! – falei entre o beijo.

- Me fala o que você quer... – disse com um sorrisinho sacana enquanto descia uma mão até meu sexo, pressionando-o.

- Você sabe o que eu quero! – falei antes de soltar um gemido.

- Quero ouvir você falar... – disse beijando meu pescoço e fazendo movimentos lentos no meu clitóris, me torturando.

- Me fode logo Lauren!

 - Seu pedido é uma ordem. – falou tomando meus lábios logo em seguida e aumentando o ritmo dos seus movimentos.

Lauren parou de repente e trouxe os dois dedos que usou para me masturbar colocando perto da minha boca.

- Chupa.

Lambi os beiços antes de chupar os seus dedos, olhando no fundo dos seus olhos verdes. Lauren me olhava com luxúria. Fiquei um bom tempo chupando seus dedos, até que ela os tirou, voltando a me masturbar. Sem aviso prévio, me penetrou. Em pouco tempo gozei nos seus dedos.

- Quero fazer um coisa... – falou

- O que?

Ela então se posicionou em cima de mim e colocou sua intimidade na reta da minha cabeça e a minha intimidade na reta da sua. Formávamos um 69. Ela então se inclinou abrindo minhas pernas e começou a me chupar com força. Eu agarrei sua bunda e então trouxe sua intimidade pra minha boca, começamos a nos chupar num ritmo quase igual, ela rebolava na minha boca e eu na dela, eu já estava sentindo meu corpo ficando rígido e então comecei a rebolar mais. Tinha que me segurar para não gritar. A sensação de dar prazer e receber era ótima. Lauren parou de me chupar por um momento, começando a ter espasmos, gozando logo em seguida. Eu acabei gozando em seguida só de ouvir seus gemidos. Ela então saiu de cima de mim jogando-se ao meu lado. Minha respiração estava acelerada e eu já estava soada assim como ela. Me sentei na cama e então vi que ela acalmava a respiração com os olhos fechados, aproveitei e subi em cima dela que abriu os olhos. Ficamos nos olhando por uma fração de segundos, então ela sorriu e eu me inclinei para beijá-la. Parei o beijo descendo pro seu pescoço e deixei chupões por todos os cantos, quando me ergui de novo me apoiei na cama com os dois braços e comecei a rebolar em cima do seu sexo. Ela segurou minha cintura com as mãos e começou a rebolar comigo, conforme rebolávamos meus gemidos foram saindo cada vez mais intensos, ela então tomou um dos meus seios com a sua boca, começou a chupa-lo.

- Goza comigo de novo amor... - falou um pouco sem ar entre os gemidos e aquele pedido foi a minha perdição. Não demorou a gozarmos juntas. Deitei-me no seu peito e esperei minha respiração se acalmar.

- Eu não sinto minhas pernas. – admitiu.

Eu ri com sua confissão, mas eu estava do mesmo jeito que ela. Ficamos abraçadas por um tempo até que eu lembrei.

- Dinah!! – falei me levantando pegando minha roupa jogada no chão.

- Ela tá aqui? – perguntou enquanto olhava descaradamente para meu corpo nu.

- Sim! Ai meu Deus. Sua mãe... O que ela vai pensar...

- Ou que eu estava de matando ou então a verdade. Que estávamos transando loucamente. – falou gargalhando.

Olhei para ela e dei um tapa estalado em seu braço.

- Ouch! Doeu.

- Era pra doer mesmo, ridícula.

- Eu tô brincando mô... Vem, vou colocar uma roupa e vamos descer.

Colocamos nossas roupas e descemos as escadas. Dinah estava na cozinha com Clara. Quando notaram nossa presença Dinah falou.

- Olha, a Camila tá viva. Achei que tava matando ela lá em cima, Lauren.

Senti meu rosto corar violentamente. Lauren nem ficar com vergonha ficou, só me deu um selinho e foi pegar um copo d’água.

- Então, Dinah estava me contando que você é a menina de que a Lauren tanto fala. – sua mãe disse.

- Mãe!! – Lauren a repreendeu.

- O que? É a verdade. – ela disse rindo. – Enquanto vocês estavam... Vocês sabem, eu fiz um bolo. Podem se sentar. Fique a vontade Camila.

Eu estava querendo abrir um buraco no chão e colocar minha cabeça dentro. Lauren vendo meu estado veio até mim, pegou minha mão e guiou-me até a mesa. Sentamos uma do lado da outra e ficamos as quatro ali conversando. Dinah sempre que podia soltava um comentário para me deixar sem graça, e Lauren nem sequer ligava. Ela estava era se divertindo com aquilo tudo.

- Dorme aqui hoje? – Lauren pediu.

- Eu nem trouxe roupa, Lo...

- Como se fosse precisar... – falou baixinho.

- EU OUVI HEIN!! – Dinah falou.

- Não tá na hora de você ir embora não Dinah? – Lauren falou irritada.

- Lauren Michelle! Isso não é jeito de tratar as visitas. – Clara disse.

- Michelle? – perguntei segurando a risada.

- Olha o que você fez, mãe!

- Sabe... Isso pode ser até interessante... – falei com malícia.

- Meu Deus, parem de fazer tudo ficar no sentido sexual!! – Dinah reclamou.

Claro engasgou com o suco que bebia e todos nós rimos. Ficamos conversando mais um pouco até que Dinah decidiu ir embora. Clara falou que ia assistir um pouco de televisão e eu voltei com Lauren para o quarto. Assim que ela fechou a porta, grudei meu corpo no dela, fazendo sua bunda roçar no meu sexo.

- Round 2, Michelle? –perguntei em seu ouvido.

- Round 2, Karla!


Notas Finais


Hehehehe, e aí, como estamos??
Até o próximo capítulo e não se esqueçam de amanhã divulgarem loucamente Bad Things e fazerem stream!!
Love you guys!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...