História Thank You - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Crime, Romance
Visualizações 7
Palavras 2.447
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi como está?
Eu só estou postando mais um Cap desta história. Aida agradeço quem está lendo. E espero que gostem, como eu gostei de escrever. Até o próximo Cap

Até mais ^^

Capítulo 2 - BlueSky


Fanfic / Fanfiction Thank You - Capítulo 2 - BlueSky

-Química é o estudo da... transformação. Nos sabemos! Nos somos a BlueSky. 

Disso um homem em um comercial, enorme passando em um televisor, com o Jason sentado sobre o banco do ponto de ônibus, que olhava para cima com o rosto estático, que sequer ouvia o restos da fala com um barulho fino e constante em sua cabeça, fechando os olhos e colocando as mãos sobre os olhos, respirando e suspirando profundamente, sentindo o coração batendo. E levantou o rosto respirando fundo, colocando as mãos sobre o joelho. E olhou novamente no televisor, já com outro comercial. Virando o rosto para o lado e o ônibus chegando, escolar e amarelo . Que entrou diretamente, sem muita expressão ignorando tudo que se passava. Sentando no fundo do ônibus, ao lado da janela, ainda com o barulho em seus ouvidos.batendo os dedos na perna, em ritmo com a música que passava no fone.  

-que Merda. 

Disse elé, melhorando o rosto olhando pela janela do ônibus, encostando o cotovelo ao arranjo da janela. Até chegar ao colégio, o prédio alaranjado escuro, com detalhes verde musgo, bem grande . Com ele descendo do ônibus. Tirando os fones arrumando s mochila ao corpo, andando em direção ao prédio, sem olhar para os lados, como se não ligasse para nada. Já acostumado a rotina.já dentro de sala, no laboratório de química 

     -química é o estudo de que?  

Disse o professor andando de um lado para outro, com todos em silêncio. Um dos alunos levantando a mão com o lápis para cima 

-produtos químicos? 

-.....não. mais alguém?  

Todos se olharam, com todos dando ao entender que não sabiam. Em mesas longas para duplas. O Jason sentado, com o caderno abraço, com o braços ara frente, com a cabeça sobre a mesa. E o professor indo até ele por perceber, e com ele batendo os papéis em sua mão na cabeça do Jason para que acordasse.

-bom somo Sr White?  

-Até agora. 

Com todos rindo disfarçadamente, com ele erguendo o corpo para cima e quando. Profeadr se virou, deu um bocejo que o professor se virou de volta para ele, com ele passando a mão no cabelo para disfarça. E ele voltando ao Jason

-a la vem. 

-Sr White. O Sr já leu o livro indicado para o trabalho? 

-Tenho quanto tempo? Até acabar o livro ou até ele acabar comigo? 

Disse ele sério, com todos rindo novamente com o professor, balançando a cabeça para ele em desapontamento.

-A química é o estudo da "matéria", solução e diluição, ação e reação. A transformação.

Com um aluno caindo no chão dormindo do tédio da aula . Ao término dos primeiros horários, a hora do intervalo, com o Jason saindo da sala, dando ao encontro ao professor de química . 

-Ótimo encontrar o senhor. Poderia vir comigo?  

-tá, claro. 

E os dois caminharam até a parte de fora do prédio de frente a um espaço gramado e uma árvore 

-Sr White, depois de seu comportamento hoje na aula .

-tá...

-o que é gás mostarda?  

-oi? 

Disse ele não entendo a pergunta, colocando as mãos no bolso.

-você me ouviu, o que é gás mostarda? 

-uuff. Se eu responder você me deixa em paz?  

-Sim .

- Gás Mostarda é um agente químico de ação vesicante pelas lesões que causa na pele. Foi produzido pela primeira vez em 1822, na Inglaterra por Despretz na mistura de Etileno e Dicloreto de enxofre, e ai ? 

-Formula química?  

- C4H8Cl2S.

-46x11?

-Professor o que você quer?  

-Só responde. 

-.....506. Mais e aí?  

-Viu 

Disse o professor apontando para ele, é ele virando o rosto desinteressado. 

-Você deve ser mais inteligente do seu ano. Mais é desperdiçado. Não quero te julgar, mais desse jeito nunca será alguém. 

-Tá...

-E por mais que agente fala, você faz mais. Dormindo na aula, fazendo gracinhas...

-e sua reclamação é?  

-Para você parar com isso, levar mais a sério , levar o estudo a sério. 

-claro.  

Disse ele querendo sair dali rápido, mais o professor segurando seu braço. Com ele virando o rosto já incomodado.

-da para me soltar?  

-Você escutou o que te disse?  

-sim escutei. 

Disse ele saindo andando, pelo corredor deixando o professor no local onde pararam. Deixando isso de lado e indo ao refeitório, e professor suspirando irritado, e o Jason passando pelo corredor, e indo até o pátio, se sentando em borda a uma árvore de salgueiro, colocando os fones de novo, e tempo depois, começou a sentir a dor no peito, fechando os olhos com força, colocando a mão sobre o peito e levantando o rosto, em encontro com a luz. Respirando devagar. Até ele escutar um barulho de algo sendo colocado sobre a grama .. e ele levantou o rosto se virando para o seu lado, com a Midori se sentando ao seu lado, com um caderno de folhas brancas com o arame de lado, ela sentada com um moletom verde e a roupa escura, destacando o tênis vermelho. E ele ainda sentindo dor disfarçando, começando a suar pelo rosto, com um sorriso forçado para ela.

-oi Midori. O que você está desenhando?  

-um homem. 

E ele se aproximou com o rosto a frente dele, e tinha um desenho de um homem, com moletom preto e blusa branca, com o capuz tampado seu rosto e alto caminhando em uma rua de terra, com uma bolsa em seu ombro, com dinheiro saindo com o vento. E ele olhou se impressionado. 

-bonito, esse ficou lindo. 

-Ainda não terminei.  

E o Jason se encostou de novo na árvore, ainda com o peito dolorido. 

-O que tem de errado com seu coração? 

Disse Midori, com o Jason rindo colocando o cabelo para trás. 

-Eu sei lá. Mais dói. 

E logo a frente, tinha um dos garotos olhando para os dois, mais com o Jason encarando, e escuta 

-namorado da retardada.  

E ele olha ignorando, não mostrando qualquer reação, E ela se levantou segurando o caderno entre as mãos, e saiu andando sem dizer nada, e o Jason levantou as mãos sem entender, e depois abaixou, virando o rosto, e de repente levantou rápido, indo andando rápido até o banheiro, e abril a porta do banheiro, se ajoelhado em frente ao vaso, caindo vomitando no vaso, segurando as bordas. Colocando a mão sobre a parede, e continuava vomitando, com os olhos lacrimejando , com o corpo tremendo pelo gosto azedo na boca, com o peito ainda doendo, com o coração batendo muito rápido, e ele limpando a boca , e quando ele foi levantar, ele já estava com o rosto suado, com o coração disparado em batimentos. Mais com o corpo por tamanho estresse, ele desmaia e ele cai de frente ao chão, com o silêncio dentro do banheiro e ele desmaiado no chão.

      Já acordado dentro da ambulância, sem camisa com os para médicos em cima dela, com ele em oxigênio. 

-ei eu to legal. Da para me deixar em qualquer esquina por aí?  

Disse ele retirando a mascara da boca, e paramédico com o estetoscópio sobre o pescoço.

-não,lamento. Você teve uma arritmia agressiva. Você bebe?  

-não.

-fuma?  

-não

-tem histórico de doença cardíaca? 

-e não.

-sabe de algo que poderia ter causado a arritmia?  

-cara, eu cansei de dizer não 

-isso é um sim?  

-não! 

Disse ele com o paramédico, colocando ele com o dorso levantado, ouvindo os pulmões. E balançando a cabeça em aprovação. deitou ele sobre a maca, pondo o estetoscópio sobre o lado esquerdo do peito, com ele ouvindo um barulho estranho. 

-o Sr não tem mesmo histórico de doença cardíaca?  

-não, cara não...... por que?  

A expressão do médico mudou, de uma antiga despreocupação, para uma expressão de insegurança, querendo falar algo. E com isso ao se teve Jason, ao hospital..

Deitado sobre uma máquina de ressonância, com o avental hospitalar, maior que seu corpo. E ele deitado com o rosto estático, em choque e Em total desilusão . 

-....vo... vocês ligaram para minha mãe? 

E médico sentado sobre o computador, apertando o microfone 

-sim, porem deixamos vários recados. 

-Foi o que pensei....nessa.... nessa hora ele deve estar trabalhando. 

(Em outro lugar) 

E a Solenya (mãe do Jason) estava sentada sobre uma mesa, com uma caneta sobre os dedos, com vários papéis sobre a mesa e pastas em papel marrom. Are chegar uma mulher, passando sobre a porta de vidro que dava a sala, com duas xícaras nas mãos, uma com café a outra um chá, ainda com o saquinho e a pequena corda saindo pela xícara, sua irmã mais nova Lydia.

-a obrigado Lydia.  

Disse Solenya pegando a xícara, e soprando levemente a xícara. E se ajeitando na cadeira, com as duas sorrindo uma a outra. 

-nossa você está enorme Sole. 

-a obrigado Lydia. 

Disse ela tomando um pequeno gole do chá fechando os olhos. 

-e aí? Como vai o Jason? Já tem namorada?  

-Que isso Lydia? !

-Acho que já respondeu a pergunta. 

-...aar tá bom, ele anda meio estranho. Mais essas coisa acontecem com adolescentes. 

-sei.

-e desde que o pai dele morreu. Ele anda meio.... sabe? 

-não não sei. 

-meio, inabalável. Tudo que acontece com ele, ele.... sequer reage em muita coisa.

(Hospital) 

E Jason estava sentado em uma cadeira, em uma sala cheio de quadros , com o mesmo barulho incomodando seus ouvido, e com o médico sentado em sua frente, sua mochila encostada em suas pernas , com ele totalmente inerte em concentração na própria mente, até o médico bater com a caneta mesa ao chamar sua atenção. .

-Jason? Jason? . 

-......sim? 

-o sr ouviu o que eu lhe disse?  

-sim, ouvi. Câncer cardiovascular. Sem possibilidade de operação. Estágio 3...... eu entendi hahaha...

-me desculpe, mais eu precisava ver se entendeu bem . 

-Jason eu sei é que esse quadro atrás do senhor....

E o médico desentendido, virou-se para o quadro, do homem vitruviano. Grande pintura.

E o médico virou olhando para o Jason estranhando ele, com o Jason com a expressão vazia, com os olhos quase fechados. 

-pessoas desculpa, por não podermos contatar sua mãe, deixamos vários recardos que ficaram na secretaria eletrônica. 

-...sim claro. Obrigado. Eu posso ir? 

O médico se surpreendeu com a pergunta, mais com a conceção do hospital. Ele apontou para a porta educadamente, e o Jason apertou sua mão e saiu levando sua mochila. Antes de sair o médico o parou

-o seu professor está o esperando , não porta. 

-Jason. Tá bom. 

E Ele saiu pela porta, respirando fundo, com o corpo meio mole. E professor indo até ele, fingindo preocupação, pondo a mão sobre o ombro dele. E o Jason sentindo o corpo ficando quente , com os olhos. No rosto dele, entendendo o fingimento. Nem prestando atenção no que dizia. Até ele tirar a mão dele, com o rosto enfurecido.

-Vai se Fuder, Grames! 

-O que?  

Disse o professor surpreendido com a fala dele, com a postura de dama ofendida. 

-vai se Fuder, você e esse seu sueter de gay! 

E o Jason passou batendo o ombro com o ombro dele E se virando 

-leva a sério isso aqui!  

Disse ele pondo a mão entre as pernas, e em seguida saindo mostrando o dedo do meio para ele. Passando pela porta automática. 

     Com tudo continuando a noite, com ele sentado sobre o sofá, com os pés encostados em um encosto. E ele em frente, na sala escura, e a Midori sentada do seu lado, ainda com o caderno de desenho. E ele ainda com o rosto sem vida, olhando para a TV ainda em choque. Até a mãe dele Solenya, abrir a porta, tirando o casaco, e ele tomando fôlego, com ela aê aproximando, dando a imagem e fingindo estar ótimo. 

-nossa gente por que essa sala escura?  

-a oi mãe. 

-oi Solenya. 

Disse os dois do sofá, com ela deixando a bolsa sobre a meda e indo até eles. 

-acendem essa luz, por favor.

E a Midori acendeu a luz pelo interruptor. E se sentou de novo. E o Jason se levantou passando por sua mãe e ela puxando ele pelo pulso e dando um beijo no rosto dele. 

-o meu garoto lindo.... o que foi querido? Por que essa cara?  

-Ahm.....

Disse ele pensando no que dizer e ela abrindo o rosto em dúvida. 

-Jason, nada. Eu só to meio caçado. 

-ótimo, já sabe. Olha se secretaria aê tem recados. Por favor.

Disse ela indo para as escadas e no corredor em cima de uma mesa, a secretaria eletrônica, indicando 2 recados, que o Jason abaixou o volume e em seguida, o reproduziu. 

-"Sra White, seu filho Jason sofre um desmaio no banheiro masculino da escola, e está sendo levado para o hospital da central, a Sra deve ir para lá agora .

E o Jason fechou os olhos abaixando o rosto, colocando os dedos sobre os olhos. E esperando a próxima. Já do hospital

-Sra White, o seu filho de entrada em nosso hospital a poucas horas. E o médico responsável, esta suspeita de câncer, sobre o estado de seu filho, a Sra deve vir até aqui imediatamente. 

Com o Bib dando o fim da mensagem, e ele como o Rosto sério levantou olhando do corredor para a TV E o Jason olhou para a Midori sentada desenhando, despreocupada e em concertação, com um traço de felicidade. E com a Koy e sua mãe descendo as escadas , sua mãe já com outra roupa, e as duas indo a cozinha. Com ela de mãos dadas sorrindo e a Koy a puxando para a cozinha. 

-E aí Jason? Teve algum recado? 

Disse ela, com ele firmado um sorriso, pondo a mão sobre a secretaria.

-não. Nenhum, você acredita?  

Ela passou por ele. Junto a Koy, indo para a cozinha.

-ei vice né ajuda aqui na cozinha?  

E ele olhando para a secretaria, em dúvida e aflição, e olhou para TV, ficando com o rosto sério, olhando ao redor ...sua família. E a Midori mudou de canal dando em uma reportagem de jornal local. De um criminoso sendo preso. Com várias bolsas de dinheiro, por cima de uma mesa, e mais dinheiro espalhado ainda a ser contado. Com o policial em depoimento.

-sem dúvida, uma grande quantia em dinheiro. Não a maior que pegamos , mais esse eram só criminosos pequenas, em cuidado do dinheiro. Cerca de 800.000 mil dólares foram aprendidos nessa ação....

E com essa declaração, ele respirou fundo, novamente olhando para sua mãe e sua irmã, e em seguida para a Midori. E com o rosto sério, e a dor no peito parando, com o canal mudando. De novo, com o comercial que ele havia visto naquele televisor

- -Química é o estudo da... transformação. Nos sabemos! Nos somos a BlueSky. 

E ele olhando para a secretaria, eletrônica e sem excitação apertou um botão dela, com o assobio de sua mãe.

-Já vou mãe. 

E ele passando pela secretaria, marcando exatos. 00 recados, e piscando. 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...