História That Can Be Real - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Cidade, Fic, Gen, História, Jessie, Original, Romance, Zoeira
Exibições 5
Palavras 722
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie! Espero que goste. Se ler este capítulo continue acompanhando, pois ele é só a introdução da história, a explicação que você precisa entender antes da história começar, então espere pra ver.

Capítulo 1 - Apresentação


Fanfic / Fanfiction That Can Be Real - Capítulo 1 - Apresentação

Olá. Me chamo Jessic Baeg-Yu, mas todos me chamam de Jessie. Vivo em Alenis, uma cidadezinha no sul da Califórnia, com meu pai, minha mãe e irmão mais velho. Acontece que, nessa "maravilhosa" cidade, o povo tem uma tradição muito esquisita, única e diferente dos outros lugares: a cidade inteira se divide em dois. Alinus e Alunes (eles amam a Aline Barros), ou melhor, Alinus Vs. Alunes.

Os Alinus são a grande maioria das pessoas, é como o padrão, quase todos são Alinus. Eles são os que preferem Alinu, o time Alinu. Segundo o que nos contam, Alinu era o nome de um dos fundadores da cidade (que na época se chamava Família Unida), o irmão mais velho de Alune. Ele acreditava que com união, dedicação e amor uns pelos outros, poderíamos formar a cidade perfeita.

Quase não se encontra Alunes por aí, mas eles existem. São os diferentões que preferem o Alune, o time Alune. Dizem que Alune, junto com seu irmão mais velho Alinu, fundaram a cidade. Eles eram muito amigos, mesmo com suas grandes diferenças. Alune dizia  "Cada um por si! Assim iremos mais longe". Ninguém concordava com ele, nem seu irmão (que o tempo todo consolava ele), mas Alune estava dominado pelo desejo de impor o que dizia, e acabou fazendo isso e não deixou ninguém o impedir. Como todos previam, essa ação destruiu a cidade. Alune, arrasado (mas não arrependido), fugiu, deixando seu irmão na mão. Com muita dificuldade, Alinu restaurou a cidade. Depois de um tempo, Alune voltou, dizendo que estava arrependido e acabou enganando seu irmão. Mais uma vez ele destruiu a cidade, acreditando que se todos parassem de se ajudar e se concentrassem em si mesmos, a cidade seria melhor. Mas dessa vez os cidadãos não toleraram mais isso, e partiram com tochas e armas para matar Alune, que correu pro final do abismo da Montanha de Alar & Alom (foi dado este nome em homenagem aos pais deles). Sem mais pra onde ir, estava à beira da morte, quando Alinu chegou e tentou convencer os cidadãos a perdoar seu irmão, mas eles não aceitaram. E quando eles se aproximaram de Alune, Alinu escorregou e caiu do abismo direto a um rio, deixando sua esposa Aliri e sua recém-nascida filha Alenis pra trás. Desesperados os cidadãos largaram as tochas e começaram a se lamentar. Alune enxergou o que tinha feito, e se arrependeu de todo coração. Ele reassumiu o governo da cidade, com o mesmo lema de seu irmão, e em homenagem renomeou a cidade com o nome de sua sobrinha Alenis. Se tornou uma pessoa realmente bondosa, mas quando sua sobrinha completou 15 anos de idade, um dos melhores amigos de Alinu assassinou Alune, fazendo Alenis se tornar a atual governadora, mesmo sem saber o que havia acontecido. Alenis governou muito bem, com o mesmo lema de seu pai. Ela declarou que o povo devia esquecer o que seu tio Alune fez de errado, o perdoar e considerar Alinu & Alune os fundadores e melhores governadores que a cidade já teve, pra sempre.

É claro que, pelo o que você deve ter percebido, com o passar do tempo o povo "esqueceu" da declaração de Alenis, e se dividiram em dois, apenas pra maioria da cidade falar mal de Alune.

Se você não escolher um lado pra seguir você fica tipo um trouxão. Todo mundo te zoa por onde você passa, Alinus e Alunes, velhos e jovens, TODO MUNDO. Fazer o quê? É Tradição.

Eu? Sou uma Alínua (termo feminino pra quem é do "time" Alinu. Masculino: Alínuo. Time Alune: Alúnea e Alúneo). Sim, eu concordo com a metodologia do grande Alinu. Mas é só por isso, e não porque quase todo mundo é Alínuo. Mas não, eu não concordo nem um pouco com essa divisão. Como podem incluir a declaração de Alenis na história da cidade e não segui-la? Eles são loucos. Eu não me importo de alguém ser Alúneo, diferente de todo mundo. Todos têm gostos e opiniões diferentes, mas Alinus e Alunes se odeiam, falam mal uns dos outros, ah! É tudo um desastre. Mas o que ainda me deixa feliz aqui, é o amor da minha vida: Gen <3 Acontece que recentemente descobri que ele é Alúneo! NÃO, eu não me importo com isso, mas será que ele se importa?


Notas Finais


Bom, é isso! Obrigada por ter lido e desejo que continue acompanhando a Fic. Peço que avalie e seja sincero(a). E se puder, peço que favorite pra estar por dentro das novidades da Fic. Até breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...