História That's Love? - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Aquarius, Aries, Cana Alberona, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Evergreen, Gajeel Redfox, Gildartz, Grandeeney, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Macao Conbolt, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Nikora "Plue", Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Ur, Virgo, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Nalu
Exibições 138
Palavras 1.627
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


~ Oi :(
Demorei? rsrs nem percebi.
Eu fiquei sem tempo,, :( eu preciso de tempo pra pensar na história, pra ter coerência né kkjkj e com a escola eu não tava conseguindo pensar :((((
matemática é uma coisa muito dificil, pqp e também eu tive uns problemas em casa então,,, me desculpem.
Espero que gostem :) Até as notas finais.

Capítulo 13 - Passeio parte 2 - Confusão?


Natsu – Lucy?

Lucy depois de comer, começou a olhar o local onde estavam, estava nostálgica.

Lucy – Sim? – levou seu olhar até Natsu. Os olhos castanhos da garota brilhavam.

Natsu sorriu – Hum nada.

Depois de pagarem a conta resolveram sair da lanchonete, Natsu nunca havia ido a aquela parte da cidade. Na parte dos campos, das árvores.

Natsu – Então Lucy... – a loira o olhou – O que vamos fazer?

Lucy – Bem... – a garota pegou na mão do rosado – Eu conheço um lugar que você vai adorar – sorriu e Natsu a acompanhou.

                                                                                           ------------------- ♡ -----------------

Depois de 10 minutos de caminhada e muita reclamação por parte do rosado, finalmente chegaram ao local.

Natsu – Nossa... – expirou o ar do local – É lindo!

Era um campo florido.

Lucy – Não é? – sorriu – Mas não é esse o lugar.

Natsu a olhou – Não?

Lucy – Vem Natsu! Me siga. – a garota saiu correndo pelo campo.

Natsu – Lucy! Me espera. – suspirou e saiu correndo atrás da garota.

Natsu seguiu a garota. Lucy havia finalmente parado de correr.

Natsu – Onde estamos? – olhou em volta do local, havia uma pequena casa e uma estufa.

Lucy – Na casa dos meus avós. Vem!

Natsu seguiu novamente a garota, entraram na casa.

Natsu – Onde estão seus avós? – olhou para a garota que andava de forma curiosa pela casa.

Lucy – Na Coréia do Sul – continuou andando pela casa – De férias.

Natsu – E o que nós estamos fazendo aqui?

Lucy – Depois você faz perguntas, agora me ajuda a encontrar uma chave.

Natsu – Chave?

Lucy – É! – pensou um pouco – Acho que ela é grande, bem grande e dourada.

Natsu – Tipo aquela ali? – apontou para uma chave dourada meio desgastada pendurada em um porta-chaves perto do relógio da sala de estar.

Lucy – Essa mesma. – sorriu ao pegar a chave – Vamos Natsu.

A loira saiu da casa e o rosado pela milésima vez naquele dia a seguiu.

Lucy parou de andar assim que chegou à estufa, a chave parecia ser de lá.

Natsu – Nós podemos fazer isso? Seus avós deixam? – perguntou para a loira.

Lucy – Hum, acho que podemos sim. – sorriu empolgada – Eu nunca entrei aqui.

Natsu arregalou os olhos – O que?

Lucy – Minha avó não deixava. – fez uma expressão de 'tanto faz – Mas acredito que agora eu posso.

A garota abriu a porta.

O local era repleto de flores, de todos os formatos e cores. Mesmo que o local fosse completamente de vidro e desse para ver por fora, ver por dentro era muito melhor e mais emocionante.

Lucy bateu palmas – Ah que lugar lindo. – a estufa era enorme e cheia de flores, muitas flores – Natsu eu quero sua ajuda para fazer algo.

Natsu que mexia em uma das flores olhou para Lucy – Fazer o que?

Lucy – Vem! – puxou o rapaz pela mão.

Lucy – Eu quero regar as flores! – sorriu.

Natsu – Certo, mas o que eu tenho a ver com isso?

Lucy revirou os olhos – Você vai apertar aquele botão ali. – apontou para um botão vermelho e grande.

Natsu – E por que você não aperta aquele botão?

Lucy – Não sei... – disse irônica – Talvez seja porque eu não o alcanço!

Natsu revirou os olhos – Certo, baixinha. – o garoto apertou o botão e em segundos começou a cair à água sobre as flores.

Lucy – Pra que serve esse botão? – apontou para um tipo de medidor, parecia que media a pressão da água.

Lucy girou o botão.

E em milésimos de segundos a água que caia sobre as flores ficou mais forte, quase como uma chuva forte, a água começou a molhar a loira e o rosado.

Natsu – Droga Lucy. Desliga isso!

A loira tentou girar o botão, mas o botão havia emperrado.

Lucy resmungou – Eu não consigo desligar!

Natsu suspirou e tentou apertar o botão Liga/Desliga da água.

Não funcionou. A água continuou caindo.

Lucy saiu correndo pela estufa, Natsu foi atrás da loira.

E como tudo estava colaborando com a garota naquele dia, ela escorregou na água que escorria pelo chão.

Lucy – Kyyaah! – fechou os olhos.

Natsu a segurou em seus braços – Eu não vou deixar você cair. – sorriu.

Lucy olhou nos olhos do garoto.

Natsu começou a se aproximar... E...

– Lucy? – Natsu soltou bruscamente a garota a fazendo cair de bunda no chão.

A garota olhou em direção a voz conhecida.

Lucy – Tio Seiji! – disse se levantando indo em direção ao seu tio.

A água parou de cair sobre as plantas.

Seiji – Oi minha querida. – abraçou a loira – Como está?

Lucy – Muito bem e o senhor?

Seiji – Eu ‘to ótimo. – sorriu – Mas o que aconteceu aqui? – sua expressão de felicidade sumiu em segundos.

Os mais novos engoliram em seco.

Lucy – B-bem, sabe como é...

Natsu – Prazer senhor Seiji! – Natsu gritou de onde estava. – Eu sou o Natsu!

Seiji – Prazer, Natsu! – o mais velho gritou.

Lucy – Tio, por que nós não entramos em casa? – a loira disse já pegando no braço de seu tio – Cadê a vovó?

Seiji suspirou – Vamos Lucy, mas você e seu amigo vão me contar o que aconteceu aqui. – cerrou os olhos em direção ao rosado que engoliu em seco.

O tio de Lucy não aparentava ser muito velho, aparentava ter uns trinta anos, tinha traços que lembravam o pai de Lucy, ambos tinham cabelos meio loiros, Seiji era um tanto baixo, mas ainda era maior que Natsu.

Já dentro de casa, os três conversavam na cozinha.

Lucy – Então tio, cadê a vovó?

Seiji suspirou, parecia ter muito para falar – Sua avó foi para a Coreia do Sul certo?

Lucy concordou.

Seiji – Sua avó ‘tá maluca!

Lucy – Hã?

Seiji – Ela não para de falar de kpop!

Lucy sorriu confusa – Que?

Seiji – Espere e veja. – antes de Lucy poder fazer mais uma pergunta a casa foi invadida por uma velhinha dançante vestindo um boné com um nome de algum artista ou grupo coreano.

 Natsu olhou para a loira e sorriu – Oi!

A senhora dançante parou no mesmo segundo de dançar – Oh Meu Deus!

Natsu arregalou os olhos – O que? – se espantou.

Vovó – O seu cabelo! – a velhinha tirou o boné – Parece com o meu! – seu cabelo estava rosa, um rosa chiclete, com umas mechas lilás.

Lucy quase caiu de onde estava sentada, seu tio apenas suspirou e balançou a cabeça negativamente.  

Natsu começou a rir – Prazer, Natsu.

Vovó – O prazer é todo meu! – a senhora olhou para a loira – É seu namorado? – sussurrou.

A garota riu – Não, definitivamente não.

Seiji – Então, Lucy – a garota o olhou – Você não esqueceu que ia me falar o que aconteceu na estufa, não é?

A senhora que conversava com o rosado parou de falar no instante que escutou a palavra “estufa”.

Vovó – O que aconteceu na minha estufa? – Lucy engoliu em seco.

Lucy – Medesculpanãofoiporquerereusoqueriaregare... - disse tudo de uma vez deixando todos confusos, até Natsu.

Seiji – O que?

A nova rosada suspirou – Entendi – Seiji a olhou assustado – Você está com frio? Está toda molhada.

Lucy – N-não, eu estou bem – deu um sorriso nervoso – Você está bem Natsu?

Natsu – E-eu estou ótimo! – disse coçando a cabeça.

A senhora olhou para a loira.

Vovó – Lucy.

Lucy – S-sim?

Vovó – Eu comprei umas blusinhas lindas de um grupo que eu gosto, são umas gracinhas, vem comigo – antes da loira responder a senhora já havia a puxado para a sala.

Natsu suspirou aliviado.

Seiji – Ei rapaz. – Natsu o olhou – Está aliviado?

Natsu – Sim, muito – sorriu.

Seiji – Então volte a ficar tenso – sorriu de forma macabra.

Natsu – Que? – definitivamente o rosado voltou a ficar tenso.

                                                                                              ------------------- ♡ -----------------

– Então... Era pra isso que eu tinha que ficar tenso? – disse Natsu mais aliviado.

O tio de Lucy pediu ajuda à Natsu para limpar a bagunça que ele e Lucy haviam deixado na estufa. 

Seiji – Eu não entendi nada do que a Lucy disse – olhou para Natsu – O que aconteceu?

Natsu suspirou – A Lucy disse que ela nunca havia entrado aqui na estufa, então...

Seiji – Você deve imaginar o porquê de ela nunca ter entrado aqui, certo? – Natsu assentiu com uma gota na cabeça – Então, o que mais?

Natsu – Bem, ela quis regar as flores então ela me pediu ajuda para apertar o ‘botão vermelho’ que ela não alcança, ai ela achou o botão de pressão e bem... Acho que você já sabe o que aconteceu... – Seiji assentiu.

Seiji suspirou –Certo. Vamos terminar isso logo.

Depois de alguns minutos, que pareciam horas, os rapazes terminaram de limpar a bagunça, e Seiji arrumou o botão que ligava a água.

Seiji – Natsu tranca a porta, eu vou na frente ver o que as moças estão fazendo.

Natsu resmungou, mas voltou e trancou a porta.

Na volta Natsu bateu em algo duro – O que?

Seiji – Xiuuu. – sussurrou – Quieto.

Natsu – O que?

Seiji observava Lucy e sua avó recolhendo flores.

Seiji – Então Natsu... – olhou para o rosado que estava sentado no chão – Você gosta dela?

Natsu – Então... Ela é legal, eu gostei do cabelo rosa, mas... – antes de terminar de responder, Seiji dá um soco em sua cabeça.

Seiji – Não estou perguntando da minha mãe, idiota. – suspirou – Estou falando da Lucy.

Natsu arqueou uma sobrancelha – Você sabe tudo sobre ela...?

Seiji – Eu sei sobre essa ‘parada de “não acredito no amor”. – fez aspas com a mão – Ela acredita sim, mas é tonta demais para assumir isso.

Natsu deu um sorriso de canto – Será? – olhou para a loira que se divertia colhendo flores.

Seiji – Mas você não me respondeu... Você gosta dela?

Natsu encarou Seiji.

Eu gosto dela? – parou para pensar.

Lucy – Natsu seu tapado! – a loira gritou – Vem aqui!

Natsu afastou seus pensamentos, mas procurou uma resposta para a pergunta de Seiji.

Seiji – Não me responda se não for sincero.

Natsu se engasgou com as palavras que ia dizer – Ok.

Seiji – Agora vai lá, seu tapado!

Me xingar deve ser de família – pensou o rosado.

Natsu – Já vou, loira! – disse enquanto corria em direção à garota. 

                                                                                                        ------------------- ♡ -----------------


Notas Finais


Talvez esse capitulo tenha sido bem fraco, me desculpem :((( o rendimento caiu um pouco, mas eu prometo que logo vai melhorar. Me digam se vcs gostaram do cap ◕‿◕ me deem dicas também sz afinal é a minha primeira história, nao tenho experiencia... mas estou dando o meu melhor.
Me falem se gostaram do cap!!!! E me desculpem algum erro!!!
Até o próximo \o/ e vão assistir Fighter do Monsta X a musica é ótima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...