História The 7th sense - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Namjin, Yoonseok
Exibições 34
Palavras 3.232
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu demorei tanto para escrever esse cap, e também to demorando muito para fazer o pilot da minha outra fic, mas é a vida :v alem do mais o comeback tirou toda a minha atenção, e como não tirar não é mesmo.
Esse cap uh?

Capítulo 7 - Esse destino


                                                             -Namjoon-
 

O que eu devia estar sentindo?

Demorou alguns minutos para que eu realmente entendesse o que estava acontecendo, depois de leva-lo para dentro do apartamento dele, eu pensei na situação, e quando vi o frasco de remédios no chão a minha fixa caiu.
Ele tinha de fato tentado se matar, e isso me deixava triste. Imensamente triste.
Isso também provava que Kim Seokjin precisava de ajuda, e não da minha ajuda, claro que eu podia ajudar de alguma forma, mas ele precisava de uma ajuda mais profissional. Eu não sabia lidar com pessoas deprimidas, mas Seokjin não estava apenas deprimido, ele estava morrendo completamente por dentro, apenas olhar para ele já me faz ter certeza disso; ele não tinha mais esperanças.
Mas deitado na cama, como ele está agora, e dormindo de forma tranquila ele só parecia alguém normal, que não se cuidava e deixava o cabelo crescer além da conta, mas parecia razoavelmente normal.
Eu não podia fazer muita coisa por ele agora, pois ele apenas dormia calmamente e suava um pouco, a pele pálida dele refletiam um leve brilho por conta do suor, especialmente no rosto, e eu não conseguia desviar o olhar apenas para ter certeza de que ele ainda está respirando.
Era uma paranoia, mas eu sentia que se deixasse ele sozinho agora algo terrível podia acontecer, e eu preferia não conferir isso.
 Ele não tinha absolutamente nada descente para comer, apenas macarrão e eu sentia nojo por saber que ele devia comer aquilo todos os dias, ele tinha um fogão e uma geladeira, ele parecia ter tudo para sobreviver, mas tudo parecia intacto. O fogão parecia não ser usado a muito tempo, e a geladeira também, o lugar ainda era bem escuro, assim como o restante do apartamento, e eu tinha vontade de abrir todas as janelas e deixar a luz entrar mas resolvi esperar ele acordar.
Eu tive certeza de que ele estava sem energia elétrica quando fui ao banheiro limpar os remédios que ele tinha deixado por lá, e quando apertei o interruptor a luz continuou apagada, e como ele tinha feito da sala praticamente o quarto a luz do lugar já não existia mais. Por que tanta escuridão?
 Eram muitas perguntas, e respostas cada vez mais distantes e sem nexo, mas a cada momento as perguntas pareciam crescer mais .
Por que toda a escuridão?

Por que toda a tristeza?

Por que a falta de luz?

Por que se matar, Kim Seokjin, por que?

Malditas respostas distantes. Malditas.

 Ele ainda dormia quando decidi fazer algo para ele comer, algo que fosse realmente comida e não um macarrão industrializado, mas onde eu iria conseguir os alimentos para preparar uma comida descente?
Dahee provavelmente me mataria se me visse por ali e não na escola, e ainda por cima cuidando de uma pessoa, que ela julgaria ser louco, ela me mataria. Definitivamente Dahee me mataria.
Em horas como essa, eu realmente gostaria de ter mais amigos, assim eu teria alguém para contar, mas eu ainda tinha Min Yoongi.
Peguei meu celular e disquei rápido o número do meu amigo, e ele não atendeu no primeiro toque.
Claro, era Min Yoongi, e julgando por ainda ser cedo, imaginei que ele ainda estaria dormindo.
Suspirei olhando o celular frustrado, e disquei novamente esperando
Nada; droga Yoongi.
Disquei mais uma vez, me afastando da cama onde Seokjin dormia, e com a esperança de que Yoongi me atendesse,  me desloquei para a cozinha para não causar barulhos.
- O que tem de tão importante para me dizer Namjoon? – A voz de Yoongi estava sonolenta e ele parecia um pouco irritado
- Preciso da sua ajuda, tipo, agora. – Respondi baixo para não acordar Seokjin, um tanto porque eu me sentia andando sobre ovos com ele, qualquer passo em falso e eu nem sei o que aconteceria, mas eu sentia que não seria nada bom.
- Tá, o que é? – Ele perguntou.
- Preciso que traga comida até o apartamento, mas Dahee não pode saber.
- O que? Que merda você está aprontando? Aliás, você não devia estar na escola agora?
- Aconteceu um imprevisto, eu não pude ir, mas é importante. Você precisa me ajudar. – Soltei o ar observando aquele quarto escuro, eu não sabia onde estava me metendo, mas droga, parecia errado pra caralho, mesmo que fosse certo ajudar Kim Seokjin.
Ouvi Yoongi suspirar no telefone, e ele ficou alguns segundos em silêncio
- Eu te ajudo, posso passar em algum restaurante e comprar comida, você cozinhando pode dar errado. Mas eu quero saber, que imprevisto é esse, e por favor me diga que isso não envolve o seu vizinho estranho que você estava, supostamente, apenas perseguindo.
Contar para o Yoongi, por alguma razão, parecia errado. Um tanto porque ele provavelmente diria para que eu me manter longe do Seokjin, e eu não queria isso, eu queria ajudar esse cara, apenas porque isso tinha se tornado questão de honra, eu tinha o salvado no corredor de alguma forma, eu trouxe comida para ele, eu estou me tornando responsável por um cara que já deve ser maior de idade. E querendo ou não, eu estou pronto para tomar as dores de alguém que eu não conheço apenas para que ele não se mate por aí.
 E eu sei, isso vai soar totalmente infantil ao Yoongi, ou a Dahee. Mas foda – se, essa é a primeira vez que eu estou fazendo algo apenas porque eu realmente quero fazer. É a minha independência.
 Mas esconder isso do meu amigo, também é errado, além do mais ele decidiu me ajudar mesmo as cegas, ele é meu aliado, eu tenho que confiar nele.
- Isso envolve meu vizinho, só preciso que você faça isso por mim, aqui eu te digo tudo, vou estar no terceiro andar. – Respondi ainda pensando
- Tudo bem, mas Namjoon, não se meta em confusão. Por favor. – Ele disse de uma forma rápida, eu sei que ele está preocupado, mas provavelmente ele negaria isso até a morte e depois disso desligou.
Okay Yoongi, eu estou confiando em você.

O que Kim Seokjin poderia pensar quando me visse em seu apartamento assim? Eu não faço ideia. Mas realmente espero que ele não surte ou coisa do tipo.
 Às vezes eu pensava nele apenas como alguém doente, e ele devia estar mesmo, e pensar isso me fazia ter dó dele, e eu podia estar fazendo isso apenas por dó? Talvez.
Fui até a janela devagar olhando a vista de lá, não era vasto e remoto, na verdade a vista da cidade era curta e bonitinha, mas julgando pelas cortinas, Seokjin não estava interessado em ver a vista.
Meu celular vibrou dando sinal de mensagem, por favor seja o Yoongi, ele já devia ter chego.
E felizmente; era Min Yoongi
“Estou aqui, onde devo ir? ”
Digitei rápido a resposta dando o número do apartamento de Seokjin e fiquei perto da porta aguardando Yoongi, que não demorou três minutos para chegar e tocar na porta, e o barulho do toque ecoou alto pelo apartamento me fazendo olhar para Seokjin rapidamente. Ele ainda dormia, suspirei aliviado e abri a porta devagar dando de cara com Min Yoongi apreensivo.
- Aqui, eu trouxe a comida, agora me deixe entrar e me explique. – Ele falou de uma forma quase dura, o que me fez pensar toda a ideia de ter contato a ele, mas mesmo assim ele já está aqui, e se eu negar a entrada desse filho da puta provavelmente ele faria um escândalo e não me daria a comida, então no meu nível mais foda se Min Yoongi eu dei espaço na entrada para que ele entrasse.
Ele entrou parecendo confuso, piscou algumas vezes olhando em volta e seu olhar parou em Seokjin, que dormia em posição fetal e tinha um cobertor grosso o cobrindo.
- Namjoon, por que não acende a porra da luz? – Ele perguntou ainda encarando Seokjin na cama, fiz sinal para que ele falasse baixo e o mesmo me deu um olhar estranho
- Não tem luz, como você pode ver. Me dê logo a comida. – Bufei baixo e dei mais uma olhada a Seokjin, apenas conferindo que o mesmo ainda dormia, e por sorte ele dormia.
Yoongi resmungou algo baixo e me entregou as sacolas contendo comida, em seguida fui até a cozinha sendo seguido pelo mesmo, coloquei as sacolas em cima do balcão e antes de começar a verificar o que Yoongi tinha trazido, caminhei até a cortina que habitava em frente à janela do local e a abri senti um grande alivio ao ter luz o bastante para deixar o cômodo mais iluminado e reluzente
- Namjoon, comece a explicar, tudo. – A voz de Yoongi saiu mais baixa agora, ele tinha finalmente se tocado de que acordar Seokjin não era uma boa ideia.
- Olha, eu não sei se você vai me entender, mas quero que você me escute.
- Prometo escutar, mas não prometo concordar com nada. – Ele respondeu, duramente.
Assenti devagar e me encostei no balcão cruzando os braços
- Eu estava indo para a escola, como você pode perceber pelo uniforme, e quando eu ia descendo.... Eu.... Eu vi ele. – Minha voz estava baixa, e tremula, porque contando agora eu percebi realmente que a cena que eu vi só foi alterada porque eu o encontrei.
Yoongi franziu o cenho e virou o rosto de forma confusa
- Como assim?
- Ele ia se matar. Eu cheguei no momento em que ele desmaiou, e até agora ele não acordou, mas continua respirando e tudo mais... Mas na hora que eu trouxe ele para o apartamento, o corpo dele estava muito mole e frio, eu fiquei com medo, mas ele melhorou, eu acho...- Expliquei tentando achar as palavras necessárias para não expor Seokjin
A expressão do Yoongi era difícil de dizer, ele estava em confusão por tudo, tentando acreditar de alguma forma...
- Eu acho que...Se eu não tivesse chego algo pior poderia ter aconteci-
Não terminei a frase, um barulho soou pelo cômodo me fazendo olhar para onde Seokjin antes dormia, mas assim que meu olhar se encontrou com a cama, ele não estava mais lá.
Atravessei aquela cozinha rápido demais, não parei para notar o que Yoongi fez, mas eu só conseguia pensar no corpo de Seokjin caído no chão...
O que ele...
Me aproximei rápido de onde ele tinha caído e em seguida vi ele virar o corpo para o lado e começar a vomitar, sem pudor, ele chorava e vomitava.
Eu não pensei em nada, apenas peguei o lençol mais próximo e coloquei a mão no ombro dele, de Seokjin, e o mesmo me olhou naquele momento, me notando finalmente ali.
Os olhos dele estavam molhados, e ele tinha suplica intensa nos olhos, parecia confuso por me ver ali também. Mas o olhar não durou muito, pois ele voltou a vomitar, e eu claro, não pude evitar de fazer uma careta.
Quando ele parou de vomitar, eu finalmente usei o lençol e comecei a limpar o vomito liquido nojento que ele tinha trazido à tona, ele ainda chorava baixo, e se afastava lentamente do lugar onde eu limpava
- Por que está aqui? – Ouvi a voz dele soar baixa, e parei minha função de limpar o vomito levando meu olhar até ele, mas o que me impressionou foi que ele não falava para mim. Ele disse olhando para Yoongi, que estava parado perto da cozinha olhando com nojo e confusão
- Quem é você? – Seokjin perguntou mais alto dessa vez atraindo o olhar de Yoongi, que me olhou pedindo ajuda
- Ele é meu amigo, eu chamei ele. – Respondi olhando Seokjin, que agora parecia assustado e intimidado, e voltei a limpar o vomito
- Por que? Saia daqui. – Seokjin disse encarando Yoongi, que certamente não sabia o que dizer
- Ele trouxe comida, calma, só achei que você ia precisar comer algo descente quando acordasse – Respondi me levantando e atraindo o olhar de Seokjin
- Nem você devia estar aqui, saiam os dois!

Droga, mil vezes droga.
- Vamos sair daqui Namjoon, esse idiota não precisa da sua ajuda – Yoongi disse, duro, irritado certamente pela fala de Seokjin
Aquilo não tinha me magoado, nem chateado e nem nada do tipo, só tinha sido um choque as palavras dele, e sim eu tinha me iludido pela minha boa ação. Foda se.
Permaneci parado encarando Seokjin, que também me olhava ainda chorando, e abri a boca dizer algo, mas nada saiu.
E antes que eu pudesse me deslocar para a porta, Seokjin começou a vomitar novamente, dessa vez apenas água, sem remédios e por puro impulso eu me abaixei novamente colocando as mãos nos ombros dele para que ele não caísse em cima da meleca que ele soltava pela boca, ouvi Yoongi bufar, mas não dei atenção.
Peguei outro lençol limpando o vomito de Seokjin e em seguida olhei para ele, que mantinha os olhos fechados e com a expressão de pura derrota. Eu não podia simplesmente sair e deixa-lo passando mal, eu tinha insistido nesse assunto por um longo mês, por que desistir agora?
- Você está bem? Consegue ir até a cama? – Perguntei baixo e ele fez que sim lentamente e se levantou com auxílio da parede e foi se deslocou de forma lenta até a cama, meu olhar o seguiu e depois encarei Yoongi, que observava a situação achando meramente estranho.
Peguei os lençóis sujos e levei até o banheiro jogando dentro do box sem me importar com aquela merda. Inferno.
Voltei até o quarto e olhei para Yoongi
- Você pode ir se quiser. – Disse a ele
- Vocês dois, deviam sair – Seokjin disse nós olhando ainda deitado na cama, ele suava, e estava com a aparência mais morta que eu já havia visto – Não tem nada aqui.
- Ele só quer te ajudar seu babaca infernal – Yoongi cuspiu as palavras sem se importar, assustando a mim e até a Seokjin – Se você não quer a ajuda dele, pelo menos agradeça por tudo que ele tem feito, insistido em você já foi demais, uh? – Yoongi estava irritado, muito irritado. – Esse garoto devia estar na escola agora, mas ele resolveu deixar a escola de lado apenas para te ajudar, e se você está pensando “Eu não pedi para ele fazer isso” então vá se foder, se você não quisesse mesmo isso você não teria tentado se matar assim – Yoongi parou de falar e passou as mãos nos cabelos com certa raiva
Fiquei paralisado o olhando, aquelas palavras certamente doeram em Seokjin, a expressão dele estava assustada, mas ele não parecia pensar numa resposta, e aquilo doeu em mim também, certamente a minha ajuda tinha sido negada e Yoongi simplesmente cuspiu isso dessa forma...
- Eu vou embora. – Yoongi se pronunciou primeiro e abriu a porta rápido em seguida saindo, permaneci olhando a porta fechada e senti um certo medo, Yoongi realmente se ofendeu por mim, e agora ele tinha ofendido Seokjin, que loucura...
- Você pode ir também... – A voz dele saiu baixa, me fazendo perceber o medo, talvez de ficar sozinho. Mas como eu poderia?
- Eu não vou. Até ter certeza de que você está bem. – Respondi me aproximando da cama e olhando para o chão para checar de que tudo estava limpo, e apesar do odor, estava.
- Eu estou, devia ir. – Ele se cobriu novamente e encostou o rosto no travesseiro
- Você precisa comer... E comer algo descente. – Fui até a cozinha ignorando as palavras anteriores dele. Seguir as regras dele não era uma opção no momento.
Peguei o único prato que encontrei na cozinha e coloquei o Bibimbap que Yoongi tinha comprado e levei o pote contendo alguns Kimbap até o quarto novamente
Ele estava pensativo e sem expressão, engoli seco me aproximando da cama e coloquei o prato em cima levando para perto dele
- Aqui, coma. Você precisa ficar forte. – Minha voz saiu fraca e atrai a atenção dele
- Namjoon. – Ele disse e o encarei – Obrigado.
Uau.
- Você não precisa me agradecer...Só porque ele disse.
- Não é só porque ele disse, é que ele está certo, infelizmente, eu preciso agradecer e.... Foda se, eu já disse. – Ele coçou a nuca e pegou o prato começando a comer.
Soltei um riso anasalado e fiz que não
- Deixa pra lá.
Seokjin comia muito rápido, sem dúvidas ele estava com fome, pois em menos de três minutos ele tinha acabado com toda a comida do prato e quando percebeu meu olhar sobre ele, ele pareceu envergonhando
- Eu..
- Você estava mesmo com fome. – Respondi juntando as sobrancelhas
- Estava? – Ele deixou o prato de lado e em seguida pegou o pote que continha os kimbap começando a comer.
Eu ri baixo do desespero dele para comer, e ele parou de comer me encarando
Droga, o que eu fiz agora? Parei de sorrir e fiquei o olhando confuso
- O que foi?
- Você estava....Rindo.
- Descu-
- Não, eu só não ouço ninguém rir, normalmente....
- Rir te incomoda? – Perguntei abaixando meu olhar, era estranho eu ter rido nessa situação, droga Namjoon você não faz nada certo.
 - Não. – Ele disse baixo e de repente, eu ouvi um som nada normal, o que...
Ele estava rindo, a risada mais estranha do mundo, rindo desesperadamente, ele estava ficando vermelho de tanto rir
Comecei a rir levemente também, ele estava rindo... O cara que tinha quase acabado com a própria vida a algumas horas agora estava rindo desesperadamente de nada, ou melhor, ele estava rindo de tudo. Que idiota, Kim Seokjin é um infeliz de um idiota.
- Ai... – Ele foi parando de rir aos poucos, aquela risada estranha – Por que estou rindo? Que idiota.
- É, você é bem idiota Seokjin. – Respondi sorrindo de leve, não o ver chorar de certa forma era legal, ele podia ser uma pessoa bem legal, e eu queria mesmo desbravar isso. Droga.
Ele parou de rir totalmente, e encarou o prato vazio pensando, ele era realmente pensativo.
- Você está bem? – Perguntei ao ver a expressão dele se tornar novamente algo vazio, por que ele simplesmente não volta a rir? Ele podia rir muito agora para que essa expressão sumisse
- Não. – Ele disse e me olhou parecendo achar alguma palavra boa o suficiente para dizer, mas ele não disse nada.
- Tudo bem em não estar bem. – Respondi me sentando na ponta da cama e ele abraçou os joelhos permanecendo sentado encostado na cabeceira
- Você aceitaria numa boa, se eu abrisse as cortinas? – Perguntei sentindo um pouco de medo da resposta, eu não queria questiona-lo sobre a falta de luz ainda, mas eu realmente queria saber se ele aceitaria isso numa boa
- Não. – Ele respondeu e suspirou coçando a nuca, assenti devagar levando meu olhar até as cortinas – Mas eu não vou impedir.
Olhei mais uma vez para ele, e ele abaixou o olhar, pela primeira vez ele parecia alguém não afetado, ele estava derrotado, tinha parado de lutar contra si mesmo, pelo menos por agora. Então que mal faria um pouquinho de luz?
Me levantei e me pus em direção a cortina do cômodo, antes de abrir olhei para Seokjin, que me olhava com tristeza, e abri as cortinas sem demora. A luz entrou, ele está aqui, eu estou aqui.

Naquele dia, a escuridão perdeu a batalha, e a luz reinou lindamente.

 


Notas Finais


Qualquer erro eu sinto muito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...