História The Accursed - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aaron Carpenter, Magcon
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Jack Johnson, Nash Grier
Exibições 78
Palavras 1.425
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OOOOOOOOOIIII

ESPERO Q GOSTEM MEUS DELICIAS

TENHAM UMA BOA LEITUA, COMENTEM E NOS VEMOS DAQUI TRÊS DIAS

Capítulo 28 - Você pode ajudar


Fanfic / Fanfiction The Accursed - Capítulo 28 - Você pode ajudar

 

Forcei meus olhos para abri-los depois. Ainda estava de noite, ainda tinha tudo aquilo para enfrentarmos, mas não deu para não sorrir com as lembranças do que acabaram de acontecer.

Virei minha cabeça na direção de Blair e a encontrei olhando para o teto. Ela recitava umas palavras baixinho, em outra língua e cada vez que ela que repetia, eu me sentia mais forte.

Segurei sua mão, que estava em cima da sua barriga e ela sorriu, fechando os olhos em seguida. Blair virou a cabeça para me encarar e então percebi que ela já estava vestida, com uma roupa preta e colada.

- Faz o que? Uns cinco segundos que acabamos de transar? - eu perguntei rindo - por que já está vestida? - franzi o cenho e ela diminuiu um pouco o sorriso, mas continuou com ele no rosto.

- Os meninos já devem estar me esperando - ela falou erguendo as sobrancelhas. 

Eu respirei fundo e assenti, olhando para cima. Nossas mãos ainda estavam dadas e ela começou a me fazer um carinho ali. Sorri e voltei a olhar para ela, que me olhava com os olhos da cor verde.

- O que está sentindo? - perguntei. No mesmo instante senti uma angustia gigante dentro do meu peito por ter que deixá-la ir daqui a pouco. Ela deu um meio sorriso.

- Você sabe - passei a lingua entre os lábios e depois os comprimi, assentindo - é o elo, ele está mais forte agora que fizéssemos isso...

- Pera aí - eu franzi o cenho - você não transou comigo apenas para deixar o elo mais forte não é? - ela não respondeu, o que me fez tirar as minhas próprias conclusões.

Bufei e me levantei, procurando pela minha cueca e a vestindo. Blair se levantou da cama e me encarou. Eu sentia cada músculo da minha boca doendo de tanto que eu trincava meu maxilar.

- Aaron...

- Sério Blair? Eu me entreguei de corpo e alma, porra! - explodi, meio que cortando sua fala - eu achando que seria uma ótima despedida se pudesse acontecer algo com a gente e você só estava fazendo isso para te deixar mais forte? 

- Não! - ela negou com a cabeça e se aproximou mais de mim - agora que o elo está mais forte, você vai sentir o que eu sinto mas não vai ter o mesmo fim - ela sorriu de lado, colocando a mão nos cabelos atrás da minha nuca - se eu morrer, você não vai também - engoli em seco.

- Fez isso para me salvar? - ela assentiu. Eu respirei fundo e neguei com a cabeça - porra Blair! - falei estressado, segurando sua cabeça entre as duas mãos. Ela me encarou assustada - você acha isso certo? Eu sou o homem porra, eu devia te salvar! Essa história tá toda ao contrário! - ela riu, se inclinando para me dar um beijo.

Senti meus nervos relaxarem na hora e corresponder foi praticamente um ato involuntário. Segurei sua cintura e me inclinei um pouco pra frente, fazendo ela rir quando seus pés ficaram 100% no chão e ainda sim me beijava.

- Eu vou voltar - ela sussurrou, me assegurando. Eu fechei os olhos e grudei a testa na sua, suspirando - eu sempre vou voltar por você, Aaron.

- Promete? - abri meus olhos e ela riu.

- Prometo.

- Nós dois agora e pra sempre? - ela sorriu, me dando um selinho.

- Agora e pra sempre. Estamos juntos nessa.

•••

- Estão aqui para me vigiar? - perguntei sério, porém brincando. Jack e Ash riram enquanto entravam com mochilas e travesseiros nos braços. Eles as deixaram no sofá e viraram para mim.

- O termo correto seria "fazendo companhia já que nenhum de nós tem super poderes para salvar o dia" - Jack corrigiu, nos fazendo rir. Ele parecia bem e com bem eu quero dizer bem de sanidade mental.

- Você está reagindo bem a toda essa história - comentei, vendo que ele deu de ombros. Jack sempre foi fã de mitologia, Teen Wolf, crepúsculo e tudo mais. Acho que ele até esta se divertindo com esse novo mundo que está descobrindo.

- É, melhor que eu.

- Você quer dizer muito melhor né Ash - a cutuquei - ele pelo menos não chutou as bolas do Cameron alegando que ele só estava querendo te afastar com todo esse papo por vocês já terem transado - Jack gargalhou.

- Você admitiu que fizeram sexo pra irmã dele? - a loira revirou os olhos e cruzou os braços, nos fazendo começar a rir de novo.

Um trovao, extremamente, alto nos fez dar um pulo. Nos encaramos assustados. Isso era obviamente um dos truques de Cora, já que estava um céu brilhante quando o encarei do meu quarto. 

- Muito machos - Ash zombou da gente e começamos as rir de novo. Era bom ter esses momentos com eles. Fazia tempo que não agíamos como adolescente normais, mesmo que as circunstâncias não fossem as melhores. 

- Uau, teremos uma festa e ninguém me avisa? - minha mãe perguntou brincalhona. O barulho dos saltos sendo anulados pelo barulho forte de gotas de chuva batendo contra o telhado da casa.

- Eu sou um prisioneiro e eles os guardas - revirei os olhos e os dois acenaram rapidamente para minha mãe, que sorriu de volta - só queria poder ajudar em algo.

- Não leva a mau não cara, mas... - Jack bagunçou os cabelos - fiquei sabendo que você sempre dava um jeito de cagar na missão.

- E quem te falou isso foi o Nash, aposto - ele riu - eu só queria ser útil...

- E pode ser que você seja - meu pai disse, descendo as escadas correndo, enquanto tinha a tarefa difícil de equilibrar um enorme livro nos braços.

Ele o colocou com cuidado em cima da mesa da sala e todos se aproximaram dele. O livro, além de grande, era velho. As páginas eram amareladas, rasgadas, amaçadas e cheiravam mal. Tava na cara que tinha pelo menos um 100 anos.

-  O que é isso? - perguntei, dando a volta na mesa e ficando ao lado do meu pai, conseguindo ver o que estava escrito, mas não entendendo pois era em outra língua.

- Um grimório - respondeu, folhando as folhas devagar. Parecia que elas iriam se esfarelar a qualquer momento.

- Um o que? - Jack perguntou tão perdido quanto eu.

- Um livro de feitiços - Ash respondeu, se endireitando para poder vê-lo melhor - tá legal...por que eu sei disso e por que parece que eu já tinha visto essa coisa antes? - ela perguntou assustada, porém fascinada.

- Porque é o grimório da sua família, Ash - minha mãe respondeu, pondo a mão no ombro dela - é o grimório dos Lightwood, a família de bruxos mais forte de todos os tempos.

- Ah, ok. Todo mundo é alguma coisa - Jack jogou os braços para cima - e eu sou só o humano que vai se dar mal no fim - eu revirei os olhos rindo - pelo menos podia ser gato igual ao Stiles.

- Igual a quem? - perguntei confuso.

- Foco gente - Ash falou estralando os dedos - por que esse livro ajudaria o Aaron a ser útil? Desculpa, mas acho que nem toda a magia do mundo faria isso real.

- Ei! - olhei para ela inconformado e a mesma sorriu fofa, me fazendo revirar os olhos.

- Por causa desse feitiço - meu pai virou o livro, deixando de frente para ela - uma bruxa que usa demais seus poderes, morre. 

- Você quer que ela me mate? - perguntei arregalando os olhos.

- Só se a Ashely poder te trazer de volta - ele olhou para ela, que terminava de ler o feitiço.

A loira arregalou os olhos e encarou meu pai preocupada. Ele apenas assentiu com a cabeça e os dois pareceram conversar por olhar. O que não me agradou, não me agradou nem um pouco.

- Mas... eu não sei fazer nem uma simples magiazinha - ela falou, desesperada. Meu pai riu.

- Está no seu sangue, Ash. Você vai conseguir. É só treinar um pouco antes - nesse momento, outro trovão foi feito e dessa vez apagou todas as luzes da casa - quero dizer, você precisa treinar agora!! - ele riu e eu bati com a mão na minha testa.

isso não vai prestar.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...