História The Accursed - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aaron Carpenter, Magcon
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Jack Johnson, Nash Grier
Visualizações 32
Palavras 3.004
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Leia no ritmo

QUEM TA COM RAIVA DE MIM, BATE PALMA

TCHANTCHANTCHAN

QUEM QUER ME MATAR, BATE PALMA

TCHANTCHANTCHAN

MAS SE VOCÊ ESTA CONTENTE, POR EU TER VOLTADO FINALMENTE, ABAIXA A ARMA E ME PERDOA

TCHANTCHAN

Ai que lindo que ficou, acho q vou largar mão de ser escritora e virar compositora

Rsrs


GENTEEEEEE ME DESCULPA, SERIO, AAAAAAAAAA

QUANTOS MESES SEM POSTAR??? AAAAAA


EU TO BERRANDO AAAAAAA


SERIO, N FOI INTENSÃO MINHA DEIXAR VCS TANTO TEMPO SE CAP, APESAR DE TER AVISADO Q PODERIA DEMORAR... PORRA DEMOROU MT!!!!

EU PODERIA FICAR ANOS ME EXPLICANDO, MAS ACHO Q VCS N TEM SACO PRA ISSO NE? DKFBAKDAKS RESUMINDO, DEU UM BLOQIEOO FODIDO E APESAR DE AINDA ESTAR COM ELE, CONSEGUI ESCREVER UM CAP BOSTINHA PRA PELO MENOS ATUALIZAR VCS

ESTA SENDO POSTADO PELO CELULAR, ENTÃO ME PERDOA OS ERROS DJSNDJAJSKS

EU DEVIA ESTAR ESTUDANDO, PQ TENHO DUAS PROVAS AMANHA, MAS VCS JÁ TINHAM ESPERANDO TANTO Q... MDS, ME SENTI NA OBRIGAÇÃO DE PELO MENOS TENTAR ESCREVER ALGO

:(

ENFIMMMMM, MESMO EU N TENDO GOOSTADO MT DO CAP, ESPERO Q VCS GOSTAM :)

COMENTEM, PF, SÓ NESSE!! PODEM ATE ME XINGAR, MAS POR FAVOR, PRECISO SABER SE AINDA TEM ALGUEM AI Q QURR Q EU CONTINUE OU SE EU PARO DE VEZ COM A FIC
.
.
.


ENFIM, NOVAMENTE SKFNSMDKS, BOA LEITURAAAAA!!!

Capítulo 49 - Sinceramente?


Fanfic / Fanfiction The Accursed - Capítulo 49 - Sinceramente?

Ei, está se escutando? Realmente acha que fez o melhor para os outros? Ou só pensava em si mesma?

 

Nash fechou os olhos e tampou os ouvidos com força, deixando mais lágrimas grossas e quentes escorrerrem pelas suas bochechas pálidas. Um soluço escapou de sua boca rosada e foi o suficiebte para que Theo praguejadse Ashely pela milésima vez naquela hora. Terminou de jogar as lenhas na lareira e se virou, analisando o namorado sem saber muito o que fazer. Queria saber o que dizer, mas a medida que se aproximava mais do moreno, a única coisa que se passava em sua mente era como alguém que fazia seu escolhido chorar, poderia continuar respirando.

- Shhhhh. - ele sussurou, se sentando no sofá, ao lado de Nash que pulou para o seu colo, como uma perfeita criança assustada com o mostro papão de baixo da cama. Theo ergueu as sobrancelhas, sendo pego desprevenido por aquela ação, mas não demorou em envolve-lo com seus braços compridos, colocando o rosto do mais novo em seu peito. - não chore, amor. - pediu calmo, sentindo seu coração apertar quando os dedos gordinhos e trêmulos de Nash agarraram com força o tecido de sua blusa, o puxando para mais perto ainda, como se fosse despencar a qualquer momento. - tudo vai fic-. - sua fala foi cortada por mais um alto e prolongado rosnado de ódio vindo do lado de fora da casa.

Algo muito parecido com madeira partindo ao meio foi escutado e os dois vampiros pularam assustados quando uma árvore invadiu a sala, derrubando uma das paredes e um pedaço do teto. Theo abriu a boca, olhando a situação da sala da casa dos Dallas com absoluta convicção que Aaron ainda devia estar irritado ao extremo. Ele respirou fundo e soltou o ar devagar, cansado de toda aquela história e mordeu o lábio inferior quando teve a visão do lobo caído de  joelhos no chão, ainda socando o tronco da árvore que aos poucos ia afinando mais e mais.

Nash soluçou mais uma vez mais uma vez e escondeu o rosto na curvatura do pescoço do outri vampiro, voltando a chorar desesperadamente, sentindo seu corpo doer. Machucava ver seu melhor amigo destruído daquele jeito e só piorava tudo quando ele lembrava do motivo de ele estar assim.

- EU VOU TE MATAR, ASHELY! - ele rosnou alto o suficiente para que os pássaros noturnos que estavam nas árvores por ali perto, fugissem para longe. - EU. VOU. TE. MATAR! - ele grunhiu, socando o tronco já destruído da árvore derrubada em cada intervalo de suas palavras.

Pulou de susto quando seus braços foram puxados com brutalidade para trás e rosnou, pronto para começar a bater em quem quer que fosse que tinha interrompido seu momento de desabafo.

- Pare, Aaron! - Cameron rosnou mais alto do que o mais novo fazia, o chacoalhando com força para que o mesmo parasse logo de lutar.

Apesar de Aaron também ser um alfa e nunca admitir nem para si mesmo, ele respeitava Cameron o suficiente para que em um momento como esse, se deixasse ser comandado pelo lobo mais experiente. Os ombros de Carpenter encolheram e ele finalmente parou, a dor finalmente vencendo a raiva e os olhos esverdeados recebidos de Tomás marejaram rapidamente. Seu cenho franziu  enquanto ele prensava um lábio no outro, tentando, em vão, conter os soluços. As garras e as presas foram sumindo aos poucos, assim como a cor natural de seus olhos voltou. Cameron passou a língua entre seus lábios, desviando o olhar por alguns instantes. Gostou de ver que o menino confiava nele para que impedisse de se transformar por completo, mas preferia lutar com alguém do que bancar a conselheira quando estava tão destruído quanto qualquer um.

- Cameron... - Aaron tentou falar o quão dolorido estava seu coração, mas o choro não deixou, fazendo com que ele esconderam o rosto entre as duas mãos e desabasse por completo.

- Eu sei, cara. Eu sei. - Dallas respirou fundo, puxando o menor pelo ombro e o apertando contra o próprio peito cheiroso e caloroso, batendo carinhosamente nas costas dele, pegando Aaron de surpresa. Apenas quando sentiu que o mais velho precisava daquilo tanto quanto ele, que se deixou levar, o abraçando tão apertado quanto era abraçado. - aonde está minha irmã?  - ele perguntou depois de alguns instantes em que os dois apenas ficaram em silêncio.

- No quarto. - Aaron respondeu, se afastando devagar, porém ainda conseguindo ver o cunhado limpando alguns rastros de possíveis lágrimas decorridas pelo rosto com a manga da jaqueta. - eu não tive... eu... - ele respirou fundo, desviando o olhar para os seus pés. - eu não consegui fazer nada para impedir. - susurrou, tão frustrado quanto rancoroso. - me desculpe.

Cameron fechou os olhos, enquanto engolia em seco. Ele sabia o que Aaron estava fazendo. Tinha feito isso algumas horas atrás. Se ele tivesse prestado atenção nas ações estranhas de Ashely... Se ele não tivesse se deixado enganar, ela nunca teria conseguido apagar ele naquele banheiro sujo de sangue da própria irmã e ela nunca teria tido êxito em sua tarefa. Mas a culpa não era dele. Não era de Blair. Nem muito menos de Aaron. A única e exclusiva pessoa culpada nisso tudo, era Ashely Dallas. Seu peito apertou enquanto o anel em seu dedo queimava mais um pouco.

- A culpa não é sua, Aaron. - ele disse sério, virando o rosto para encarar o moreno que erguia a cabeça aos poucos. Ele franziu o cenho e entortou o canto direito da boca. - não é sua culpa, ok? - ele levou as duas mãos até as laterais do rosto de Aaron e o segurou firme por ali. - minha irmã vai precisar de você. De todos nós, mas principalmente de você! Tem que se manter firme por ela, me entendeu? - ergueu as sobrancelhas e Aaron respirou fundo, assentindo com a cabeça logo depois. - ótimo. - deu um leve tapa na bochecha rosada pelo exercício dele e se afastou, se virando para o lado contrário á porta principal da casa e começando a andar naquela direção.

- Aonde vai? - Aaron perguntou confuso e preocupado, não sabendo se o seguia ou não. Nenhuma das duas opções eram boas.

- Minha vez de destruir alguma coisa. - respondeu, sua voz saindo tão animaslesca que o assustou, enquanto ele continuava a andar já quase correndo.

Aaron o observou até que o seu corpo alto sumisse entre a escuridão da Mata. Passou as mãos pelo rosto, secando o suor dele e grunhidos baixo qundo sentiu suas mãos alterarem. As virou, deixando as costas das mesmas á vista para seus olhos e respirou fundo ao ver seu sangue escorrendo de machucados feios, apesar de quase todos curados.

Olhou em volta, podendo ver pela primeira vez à destruição que tinha causado. Seus olhos pararam no casal ainda abraçado no sofá da sala. Trincou o maxilar e se matirizou mentalmente por isso. Ele tinha que ter ficado ao lado de Blair para quando ela acordasse, tivesse alguém para ajudá-la, mas não, preferiu deixar com que seu lado animal ganhasse na luta pelo controle e isso fez seu melhor amigo chorar.

Ele posicionou as mãos com cuidado na parte superior do tronco grosso e fez força para subir em cima dele, resmungando de dor ao sentir seu pescoco latejar da briga mais cedo com os bruxos. Andou devagad por cima dele até o buraco feito na sala e pulou lá dentro, desviando dos destroços que havia quebrado.

- Acho melhor você arrumar uma grana para concertar a sala da sua sogra, cara. - Theo brincou, a voz tão seca e sem emoção que quase não arrancou um pequeno sorriso do moreno. - como está? - perguntou preocupado e Aaron desviou o olhar para Nash antes de responder.

Fervendo de raiva. Querendo arrancar a cabeça do Stefan e da Ashely o mais rapido possível e brincar de embaixadinhas com elas. Nunca estive com tanto ódio e rancor em toda a minha vida. Nunca vou perdoa-la pelo o que elafez a minha família. - pensou, mas o que respondeu foi...

- É. Tô melhor. - engoliu a frustação ao dizer aquilo e Theo assentiu, sabendo que ele só disse o que disse porque sabia que Nash estava escutando, e ficou agradecido por isso.

Aaron sempre gostou de Nash. E tinha alguém que não gostava? Ele era o engraçado da turma. Era a Ponte, se assim poderiam dizer. O quarteto só era um quarteto, porquê Nash juntou eles dois ao Jack e a Ashely. Era fiel até o último segundo, mesmo que isso saísse caro para ele depois. Mais sensível que uma criança e tão ingênuo para esse mundo, que a única vontade que todos tinham era de tranca-lo dentro de um quarto e jogar a chave fora, para que ninguém nunca conseguisse o estragar. 

O lobo se ajoelhou na frente do amigo e colocou a mão quente de leve NA cocha naturalmente gelada do vampiro, fazendo o mesmo estremecer pelo choqje térmico. Ele engoliu o choro e tirou o rosto do pescoço do namorado, piscando os olhos vermelhos e úmidos algumas vezes antes de conseguir focar no rosto machucado e ensanguentado do moreno a sua frente.

- Você está bem? - Aaron franziu levemente as sobrancelhas e sorriu fraco de canto.

Sorrir naquele momento parecia um insulto para a dor da perda em seu coração.

- Eu não acredito que ela fez aquilo. - ele sussurrou,  Seus olhos azuis voltando a marejar enquanto ele negava com a cabeça. - o que fizemos para ela nos odiar tanto?

Aaron abriu a boca para responder que se tinha alguém que não havia feito nada para que aquilo acontecesse, esse alguém era o Nash, mas o barulho de madeira rangendo fez todos olharam para a escada, aonde Blair decia com o cenho franzido.

Ela olhou toda a sala destruída e pousou os olhos nos três, que rapidamente se levantaram e se olharam nervosos, esperando ela desabar, mas invés disso ela franziu ainda mais o cenho.

- Alguém pode me dizer aonde é que estou? -ela perguntou confusa, olhando em volta mais uma vez e respirou fundo, voltando a olha-los. - e quem sou eu?

 

 

Ashely soluçou mais uma vez, socando todas as suas blusas dentro da primeira mala que achou. Se virou, caminhando apressadamente até a cômoda e abrindo a primeira gaveta, jogando as coisas em cima da cama, para posteriormente serem colocadas dentro da mochila também.

Outro soluço escapou, dessa vez mais dolorido e alto do que os anteriores. Os olhos marejados começaram a escorrerrem mais rapido ao que ela analizava a foto que estava em suas mãos trêmulas. Seu coração apertava na medida que a culpa a devorava por dentro. Sua consciência brigava com ela, a destruindo mais do que já estava destruída.

Olhe o que você fez! Olhe como você conseguiu destruir a sua família! Observe como todos sorriam abraçados em você nessa foto e caia na realidade aonde todos eles querem te ver morta! 

Você merece tudo isso!

Merece muito mais!

- Ash? - escutou sua tia chamá-la preocupada do outro lado da porta, batendo novamente para que ela abrisse. - tem certeza que está bem, querida? - ela não conseguiu engolir o choro dessa vez. - está chorando? Abre a porta, filha. Vamos conversar, por favor! Estou preocupada.

A loira franziu mais ainda o cenho, enquanto fechava os olhos com força e espremia a foto contra o peito, completamente cansada de tudo isso. Sua tia bateu mais uma vez e ela se virou, pronta para ir até a mais velha e a despedir já que subiria da cidade ainda naquela noite, mas pulou de susto ao ver o corpo de Cameron parado no canto do seu quarto, olhando para ela com tanta raiva e rancor que fez o resto de seu coração ser reduzido ao pó.

- Cameron? - ela perguntou apenas mexendo os lábios, mas o lobo não se mexeu para respondê-la. - eu estou bem, tia. Desço para falar com você daqui a pouco. - falou mais alto, tentando passar a tranquilidade que não possuía. 

- Tudo bem, vou esperar. - sua tia disse ainda desconfiada, mas se rendeu, indo até a sala na qual não sairia até até afilhada descer e explicar tudo o que estava acontecendo.

- Cameron... - A loira tentou se aproximar, mas ao ver os olhos esverdeados do lobo brilhar no meio da escuridão daquele canto do quarto, paralisou, ficando exatamente aonde estava.

- Por quê? - sua voz saiu grossa, seguida de um rosnado baixo que fez todo o corpo da bruxa tremer de medo. - Por que fez aquilo?

- Eu posso explicar.- ela soluçou, os olhos implorando perdão.

- Explicar? - ele riu rancoroso e desencostou da parede. - tem uma explicação para isso? Você matou uma criança! Você matou a filha da minha irmã! - ele rosnou mais alto, se controlando para não atacar algo com força na parede.

- E-era preciso! - ela tentou se convencer de que era mesmo. - essa criança iria destruir o mundo! V-você precisa m-me entender...

- Destruir o mundo? - ele franziu o cenho e negou com a cabeça. - como?

- Os bruxos me disseram que-.

- Ah, claro. - ele riu indgnado. - se você ainda não entendeu, eu vou explicar pra você. - ele disse voltando a ficar sério e deu mais um passo, ficando com o rosto a centímetros do da loira, que já chorava desesperadamente igual a antes. - não podemos confiar em bruxos. - A olhou com desgosto.

- Por favor, Cam. - ela soluçou, segurando o rosto dele com as duas mãos, que fizeram a raiva sumir no mesmo momento. O coração do lobo apertou e seus olhos voltaram para o tom castanho normal, marejando em seguida. - eles iam te tirar de mim!

Pela primeira vez que esteve ali, pode pensar com clareza, sem toda aquela raiva bloquando o que sentia pela loira. Seu cenho franziu e a duvida finalmente ficou clara em suas expressões, fazendo a bruxa respirar 10% mais aliavida.

- Te ameaçaram? - a preocupação na voz dele fezo coração da loira esquentar e bater mais depressa. - fe machucaram? - ele segurou as duas mãos dela, que ainda estavam em seu rosto e olhou fielmente na íris cristalina dela.

- Eles precisavam que os clãs ficassem Unidos novamente. - ela começou a contar, sua cabeça abaixando por não conseguir dizer isso olhando nos olhos aflitos do marido. - precisavam que os dois membros principais dos dois grupos se casassem.

- Você não... - Cameron arregalou os olhos, começando a entender tudo.

- Eles não me disseram que a condição era matar uma criança, Cameron! - ela falou mais alto, chorando. - eu não sabia! 

- E por que não desistiu quando soube? - ele perguntou, indgnado novamente. - era uma criança, Ashely! Uma crianca totalmente indefesa e sem culpa alguma!

- Eles iriam me matar! - ela gritou, indgnada também. As sobrancelhas do lobo desfranziram e ele olhou para ela com repulsa. Como assim ela achava que o filho da irmã dele valia menos que a vida dela? Como ela pode ter sido tão egoísta a este ponto? Ash sentiu a hesitação do corpo do marido e ergueu a cabeça, vendo que o mesmo estava com a pior das expressões no rosto. - eu não queria que nada disso tivesse acontecido! Você sabe que não! 

- Sei? - ele se afastou, tirando as mãos dela de si e depois as soltando também. Um frio pertubador circulou pelo coração de ambos e os dois engoliram em seco quando sentiram a ligação invisível dos invisível enfraquecendo. - pelo o que vejo, não conheço você como achava que sim.

- Cam.... - ela soluçou. 

- Você era a pessoa em que eu mais confiava! - sl falou alto, quase gritando e ela se encolheu, desabando mais um pouco. - eu estou achando difícil de te entender. - ela ergueu ergueu cabeça, fazendo o coração dele ser destruído um pouco mais ao vê-la tão arrasada.

- O que eu posso fazer? - ela perguntou sussurando e deu o passo que os separavam. - me diz que eu faço, Cameron! Eu faço qualquer coisa! - ela disse desesperada, os olhos arregalados em pavor de ser deixada pelo lobo.

- Sinceramente? - ele disse sério, olhando para a cama dela, aonde tinha a mala quase completa. Seu coração apertou mais um pouco, mas a magia que os prendia por ela ser a escolhida dele o ajudou a entender que era melhor por um fim nos dois. - termina essa mala.

Ashely abriu a boca assustada com a resposta e a esperança de que tudo poderia ser resolvido foi por água a baixo. Seus olhos voltaram a escorrer com rapidez e ela começou a tremer enquanto via ele dar as costas e caminhar até a janela, por onde tinha entrado.

- Cameron! - ela o chamou no ultimo segundo. - e-eu amo v-você. - sussurou, fazendo com que ele morresse o labio inferior com força e deixasse cair a primeira lágrima. - diz de volta. - ela implorou, mas ele apenas se ajeitou melhor para poder pular para o lado de fora. - diz, Cameron! Por favor. Lembra? Eu digo, você diz. Diga de volta! - ela gritou a última frase, fazendo ele erguer a cabeça e respirar fundo.

- Adeus, Ashely. - ele disse sério, retirando a aliança do dedo e a deixando cair para dentro do quarto, para no próximo segundo já ter corrido para longe dali.

A loira perdeu todo o ar presente em seu corpo e seu coração pareceu parar de bater enquanto via aquele objeto circular de Ouro quicar no chão em câmera lenta, parecendo zombar de sua tristeza. Seus joelhos sederam e ela foi de encontro ao assoalho, chorando toda a sua dor para fora do corpo.

 

 

 


Notas Finais


AAAAAAAA


TENTEI COLOCAR O FINAL TRÊS VEZES, MÁ NÃO TA INDOOOOOOO

VOU TENTAR AMANHA PELO PC

AVISAREI QUANDO POSTAR O PRÓXIMO SE CONSEGUI OU N


N FICOU SEM SENTIDO ASSIM, MAS O FIM ERA PRA ENTENDER O CASO DA BLAIR


AFFFFF


ENFIM

VOU TENTAR N DEMORAR RSRS


COMENTEEEEEMMM


AMO VCS

ATE A PRÓXIMA

XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...