História The adventures of an unlikely love - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justiça Jovem, Novos Titãs (Teen Titans)
Personagens Ciborgue, Estelar, Garth (Aqualad / Tempest), Mutano, Ravena, Robin, Terra, Wally West (Kid Flash)
Tags Gar, Garfield, Jovens Titãs, Mutano, Rachel, Rae, Raven, Ravena, Teen Titans
Exibições 61
Palavras 1.697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi oi pessoal, foi mal pela demora mas estou em semanas de provas e eu quero passar de ano, vou estudar para as provas finas e.... É só isso mesmo, estudar e estudar.

Enfim, boa leitura...

Lembrando que, esse capítulo retrata o outro lado da moeda ou seja, o que está acontecendo em outro lugar no mesmo instante.

Capítulo 46 - The Force (PT 3)


- Será que eles vão demorar muito? – Nick falou cabisbaixo em quanto encarava os olhos azuis de Karina. A babá havia sido chamada novamente para vigiar as nossas "crianças" irresponsáveis.

- Eu acho que não, vai ser jogo rápido, a final eles só foram buscar o Garfield, você sabe bem como o seu tio é. – Karina deu os ombros e seguiu até a cozinha para pedir o jantar.  – Você prefere comida chinesa ou festfood? 

Nick não respondeu, apenas fez um sinal com a mão indicando que preferia a segunda opção. Karina acentuou com a cabeça e sumiu em meio ao mundo de entregas rápidas.

Nick ficou encarando o teto da sala. Nem a televisão estava conseguindo destrai-lo. 


Nick estava com um precentimento estranho. Algo estava errado. Garfield havia sumido o dia todo, onde ele havia ido? Onde ele estava?  e de uma hora para outra os titãs resolvem ir atrás dele. 


Ele só se desligou de seus pensamentos quando ouviu vozes eufóricas chamando seu nome. Ele se levantou num pulo ao ouvir o grito agudo:

- NICK! – Bryan, Angel e Kate o chamaram impacientes. Nick apenas encarou um a um e riu um pouco ao ver a expressão dos amigos.

- Vocês estão ai a quanto tempo? – Ele abriu um sorriso amarelo enquanto se sentava novamente.

- Há uns dois minutos. – Bryan resmungou. - Você ficou surdo é? 

- Não, é só que.... Esquece. – Nick revirou os olhos. Ele achou que guardar aquilo para si mesmo era a melhor opção...

Mas ele estava errado.

- Qual o motivo de tanta gritaria? – Nick perguntou novamente.

- Nós vamos ver um filme lá em cima... Quer ver com a gente? – Angel deu os ombros ao reparar que sua voz havia saido mais fofa que o normal. 

- Tanto faz. – Nick falou sem ânimo ao ver a capa de um filme nas mãos de Kate. - Cidade de papel? Serio mesmo?

Kate pegou o DVD em sua mão e soltou um típico "Claro que não". Logo após atirou o DVD para longe.

- Hoje não vai ser a sessão de filme romântico. – Angel fez uma cara triste, em seguida a trocou por um sorriso largo. - Maratona velozes e furiosos. 

Ao ouvir isso Nick sorriu satisfeito e se lavantou bruscamente do sofá.

- Agora estão falando a minha língua. – Ele brincou. 

Eles subiram em passos rápidos até o quarto de Angel. Que por sinal era o único que possuia aparelho de DVDs.


Os créditos do terceiro filme começaram a tomar conta da tela da televisão. Angel se mecheu desconfortável no pufe preto em que estava. Ela bufou ao ver que ninguém levantaria para trocar o filme. A mesma fez o serviço.

Ela encarou seus amigos e riu um pouco. Bryan e Nick dividiam um pufe duplo e Kate estava jogada de qualquer jeito no tapete felpudo do quarto. Ela se abaixou e revirou a pilha de DVDs no canto da pequena estante de vidro. 

- Hey, o que acham de um filme de terror desta vez? – Ela fitou a capa de um de seus filmes favoritos de terror. "O chamado".

Os trés se entreolharam e balançaram a cabeça negativamente.

- Bundões. – Angel revirou os olhos. 

- Angel para de agir feito uma gótica. – Bryan brincou e revirou os olhos. – Morte, depressão depressão. Você só gosta de filme de terror.

- Eu não sou gótica. – Angel protestou deixando o filme de lado. – Você acha que me conhece bem, não é mesmo?

Bryan a encarou e revirou os olhos de novo. Ela queria mesmo brigar? 

- Pelo que parece. – Bryan deu os ombros. Nick e Kate se mecheram desconfortáveis. - Você só usa roupas escuras, tem a cara cheia de piercings e sem falar no seu cabelo. – Bryan falou num tom de deboche, mas no fundo ele sabia que amava tudo aquilo, cada parte dela.

- Então você me define pelas roupas que uso? – Angel falou incrédula. - Então você iria gostar mais de mim se eu vestisse tops e mini saia? 

Bryan arregalou os olhos, seu rosto começou a queimar. Mas antes que ele pudesse abrir a boca. Nick pigarreou:

- Eu acho que já deu, eu vim aqui para assistir filmes e não para ficar vendo vocês dois brigarem....

– Concordo. – Kate deu os ombros. - Vamos ver logo a droga do filme e...

- NÃO! - Angel assustou a todos e puxou a tomada da tv com força. - Ninguém vai assistir nada enquanto ele não responder a minha pergunta.

- Você quer mesmo uma resposta? – Bryan suspirou e a viu balançar a cabeça. - Não, não e não, eu prefiro mil vezes uma garota gótica do que essas que só ficam com alguém pela fama ou dinheiro. 

Os três arregalaram os olhos. Ninguém esperava uma resposta dessa de Bryan West. 

- Falou o garoto mais famoso do colégio que sai por ai com qualquer uma. – Kate revirou os olhos e Nick a imitou.

- Ah, isso... Isso é diferente. – Bryan respirou fundo, ele estava tendo a oportunidade de se abrir com alguém...

- Diferente como? – Angel falou irônica. 

- EU NÃO SEI TA LEGAL! Eu não sei.... – Bryan fechou os olhos e se encolheu no pufe. - Eu, sei lá... Eu saio com as meninas do colégio mas eu juro, nenhuma delas me fez "amar" de verdade. – Bryan pronunciou a palavra "amar" com um certo nojo de sí mesmo. 

O menino de quatorze anos era muito jovem, mas ele já tinha noção do significado da palavra paixão ou até mesmo amar...

- Sinto muito Bryan West, mas você não ama nem a sí mesmo. – Angel lamentou se aproximando dele.

Bryan arqueou a sombrancelha e riu debochadamente. Em seguida se levantou e com isto ficou a milímetros de distâncias do rosto dela. Ele congelou ao sentir o cheiro vivo do gloss de cereja que ela havia passado a pouco na boca.

- Você é maluca. – Bryan abriu um sorriso. Mínimo, mas ainda sim um sorriso. 

Nick arregalou os olhos e também congelou. Ele sentiu sua respiração parar, ela não queria e não iria deixar que isto acontecesse.

- Bryan deixe de ser idiota. – Ela falou séria, mas ele não escutou. Ele não queria escutar. 

- Sabe de uma coisa? É... Eu prefiro as garotas góticas. – Bryan a puxou pelo braço e...

- VOCÊ FICOU MALUCO? – Angel o empurrou com força ao perceber que ele havia lhe dado um rápido beijo, que por sorte ou não, havia pegado no canto da bochecha dela... Isso se ela não tivesse virado o rosto.

- Eu só... – Bryan ficou mudo de repente. Ele encarou a expressão de Nick que por sinal não era nada amigável.

- Nick? – Bryan deu um leve empurrão em Angel e foi em direção ao amigo. – Cara, você ta bem?

Nick trincou os dentes e respirou fundo. Ele simplesmente saiu do quarto, batendo a porta com força e deixando um Bryan, uma Angel e uma Kate confusos.

- O que deu nele? – Kate perguntou. Porém não obteve respostas.

- Por que você é sempre assim? – Angel perguntou seca.

- Por que você é tão difícil? – Bryan devolveu a pergunta indiferente.

- Difícil... Ah eu entendo. – Ela falou com um sorriso e se aproximou dele, e ele riu vitoriosamente. Mas ele trocou essa expressão por uma careta de dor.

Ele passou a mão pelo rosto que ardia com a força do tapa. A marca dos dedos de Angel ficaram bem visíveis no rosto do ruivo. 

- Difícil? Você deve ser esquecido, mas eu não faço parte da sua coleção tosca de namoradinhas de colégio. – Angel cuspiu. – E eu aqui achando que você poderia mudar... Pelo visto me enganei.

Ela deu as costas. Ele massageou o queixo e soltou algo que não deveria dizer:

- Quer saber... Eu quero que você se exploda Logan, pelo jeito você também não mudou, continua a mesma brutamontes de sempre. Você é igualzinha a sua mãe.

Kate arregalou os olhos e encarou a amiga. Ela sabia que iria acontecer, Bryan não pensou direito e acabou falando besteira.

Uma besteira que Angel odiava ouvir.

- O que você disse? – Ela se virou bruscamente e andou em passos duros para cima do ruivo. 

- Escuta a aqui Logan. – Bryan falou nervoso. Sim, ele estava ferrado.

- Não, escuta aqui você West. – Ela falou seria. Kate fechou os olhos e enfiou o rosto num travesseiro. - Ninguém fala da minha mãe.

Ela o derrubou no chão com uma rasteira. As aulas de artes marciais do Richard haviam lhe servido para algo. 

Porém Bryan se levantou rápidamente a empurrando para trás a fazendo bater contra a parede. Mas algo estranho ocorreu, uma energia azul marinho tomou conta do lugar. As luzes começaram a piscar e os objetos começaram a se mover.

- Que diabos é isso? – Bryan sussurrou para ele mesmo, mas ele não teve tempo de reagir, a energia azul o lançou contra a outra parede e ele caiu em cima da estantes de bonecos, os mesmos foram ap chão e se quebraram. 

- Droga. – Ele fez uma careta ao retirar um pedaço de vidro da estante quebrada de sua perna. 

Kate ajudou Angel a levantar a mesma estava tonta. Ela andou lentamente até Bryan e se ajoelhou ao lado dele. A luz azul havia sumido.

- Olha a merda que vocês fizeram. – Kate falou chocada, apontando para a estante quebrada e os vários bonecos no chão.

A final, o que havia realmente ocorrido? O que significava a energia azul?


- A culpa foi dela. – Ele riu um pouco retirando retalhos de vidro de seus braços. 

- Não, a culpa é sua. – Ela revirou os olhos e olhou suas preciosas figuras de ação de Star Wars jogadas no chão. – Bryan eu vou te matar.

- Vá em frente. 

- Você quebrou todos os meus bonecos.

- Sério? E você quebrou a minha perna! 

- Não seja dramático. – Ela desviou o olhar para uma das figuras de ação. O Chewbacca em especial tinha algo estranho.

Ela se levantou devagar e apanhou o boneco. Lentamente ela retirou uma folhinha branca do interior do boneco. Parecia um bilhete...

Ela o leu e seu coração parou na hora....

- Angel? – Bryan a chamou, mas ele se deparou com a figura pálida e assustada da amiga. - Angel! O que você tem garota? 

Ela se ajoelhou e apertou o papel em sua mão, ela piscou algumas vezes e tentou falar, porém ela gaguejava e tremia. O que ela conseguiu falar foi um simples mas significativo:

- Mãe?





Notas Finais


Comentem ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...