História The Alley - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ed Sheeran, One Direction, Zayn Malik
Personagens Ed Sheeran, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Larry Stylinson, Ned Shoran, Ziam Mayne
Exibições 49
Palavras 3.098
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Beeem, essa é a primeira fic dessa pessoa maravilhosa, vulgo eu
entao me perdoem qualquer coisa >.<

Uns avisinhos básicos antes de tudo:
Bem, vão ter algumas cenas pesadas em certos caps, porém sempre que tiver eu vou avisar nas notas iniciais
Essa fic é aquela tipica em que o Louis é um ser indefeso e o Harry é o "heroi' da poha toda, porém eu pretendo fazer que o Louis não seja só um bixinho medroso como ele está nesse cap e sim que ele tenha uma personalidade um pouco diferente
A tão maravilhosa limonadinha vai demorar um pouco pra chegar então aquietem esse cú ai
E só pra avisar que a maioria dos povs do Louis vão ser meio bad

Acho que é isso msm, boa leitura ae e até as notas finais :3

Capítulo 1 - The Alley


Fanfic / Fanfiction The Alley - Capítulo 1 - The Alley

Harry's POV

 

O dia estava mais frio que o normal, tinha acabado de sair do trabalho. Andava pela rua com o meu guarda-chuva a procura de onde estacionei o carro. Vestia um enorme casaco junto a uma calça jeans preta, uma camisa da mesma cor e uma bota marrom meio cinzenta. Devia começar a seguir o conselho do Liam de deixar o carro em frente a galeria, por mais que depois seria extremamente difícil conseguir tirar o carro da vaga devido ao grande movimento naquela área a tarde, é melhor do que passar 15 minutos andando até o carro.

  De acordo com que eu andava, via todo tipo de pessoa. Sozinhas, com amigos, com os pais, com pressa e é claro, os casais. Eu fico me perguntando se se eu não tivesse cometido aquele erro eu estaria como essas pessoas, sorrindo e dividindo o guarda-chuva com ela enquanto conversávamos sobre coisas banais com intuito de ver o sorriso um do outro. Não gosto de pensar naquela época, mas não posso dizer que não sinto saudade. Sou apenas um homem de 24 anos, de poucos amigos, que  trabalha  em uma galeria que foi praticamente esquecida por 90% dos habitantes de Londres e ainda por cima solteiro, não por falta de opção, apenas falta de vontade. Já tive várias oportunidades de recomeçar e seguir em frente, mas apenas desperdicei por medo, medo de cometer outro erro, medo de não ser suficiente, medo que essa pessoa me deixasse assim como ela fez.

Fui tirado de meus pensamentos quando ouvi um choro seguido de um gemido de dor. A chuva abafava o som, tornando-se quase impossível de ouvir aquele choro que transmitia tantos sentimentos que eu nem conseguia identificar, mas com certeza nenhum era bom. Olhei na direção que vinha o choro, um beco. Uma pessoa normal talvez não entraria em um beco escuro de Londres as 18:47 da tarde em uma sexta-feira, mas veja bem, eu nunca fui uma pessoa muito normal.

Quanto mais eu entrava no beco, mais podia escutar o choro. Quando cheguei ao final do beco, pudi ver um pequeno corpo encolhido na parede. Um garoto, ele tremia enquanto abraçava suas pernas como se tentasse se esquentar e se proteger, vestia apenas uma camisa branca completamente suja e que ficava um tanto grande em seu pequeno corpo. Ele parecia tentar segurar o choro, como se quisesse se manter forte mesmo naquela situação, coisa que não estava tendo muito sucesso.

_H-Hey, você está bem?- Perguntei um tanto receoso tentando me aproximar do garoto. Eu sabia que ele não estava bem, mas eu não consegui achar outra forma de me aproximar do pequeno ser a minha frente.

Quando ouviu minha voz, o garoto deu um "pulo" fazendo com que se encolhesse mais ainda na parede suja do beco. Levantou a cabeça e me olhou completamente assustado como se eu fosse o maior monstro do mundo. Só ai que eu pude perceber como ele era lindo, por mais que estivesse com o rosto sujo e coberto por alguns cortes. Sua franja caia vagamente em cima de seus olhos. Ah, aqueles olhos. Eu posso dizer com certeza absoluta que nunca tinha visto outros iguais. Eram azuis, mas não um azul normal, era um tom de azul que eu nunca havia visto antes, era simplesmente lindo. Intenso, essa é a palavra que definia seu olhar. Ele me olhava intensamente de uma forma que parecia saber de todos os meus pecados, todos os meus segredos, como se entrasse bem lá no fundo da minha alma onde eu guardo coisas que eu nunca diria a ninguém. Aquele olhar penetrante, que por mais que parecesse desvendar todos os meus quebra-cabeças, ainda assim transmitia dor, angustia e tristeza. Podia afirmar que por mais bonito que sejam não tinham nem um pingo de vida lá e se tivesse, era com certeza muito pouco.

Tentei me aproximar do garoto, mas quanto mais chegava perto mais ele se afastava, sem deixar seus olhos desviarem dos meus

_Está tudo bem, eu não vou te machucar, ok? Não precisa ter medo.- Disse e ele pareceu dar uma relaxada, porém ainda continuava com uma expressão desconfiada no rosto.-_Meu nome é Harry, Harry Styles. Qual seu nome, pequeno?- Perguntei e ele abaixou a cabeça.

_L-Louis.- Respondeu. Sua voz era fina e rouca, coisa que eu achei incrivelmente adorável.

_E o que você está fazendo aqui, Louis?- Perguntei e pude ver uma lágrima escorrer de seus olhos novamente.-_Oh, não chore. Não precisa dizer se não quiser , okay?- Perguntei e ele assentiu.-_Quantos anos você tem?- Perguntei me agachando para olhar para seu rosto e protege-lo da chuva com o guarda-chuva.

_D-Dezesseis.- Respondeu e se abraçou quando uma corrente de vento passou sobre nós.

Tirei meu casaco, sem deixar o guarda-chuva cair e coloquei sobre ele, o que fez com que o mesmo me olhasse surpreso.

_Tudo bem, minha camisa é bem quente, não preciso dele.- Disse ajeitando o casaco em Louis.

_O-Obrigado.- Respondeu secando as lágrimas.

_Sem problemas, você sabe onde está?- Perguntei e ele apenas abaixou a cabeça negando em seguida.-_Olha, você não precisa ter medo de mim, eu só quero te ajudar, tudo bem?- Perguntei e o mesmo assentiu.-_Consegue se levantar?-Perguntei e ele negou.-_Certo, segure em mim.- Pedi e Louis colocou seus bracinhos em volta de meu pescoço e eu coloquei meu braço em torno de sua cintura, o que fez com que ele soltasse um gemido de dor.-_Desculpe.

_Tudo b-bem.

Impulsionei seu corpo pra cima e ele soltou novamente um gemido de dor, porém mais alto. Quando ia começar a andar, olhei pra baixo e pude ver que havia sangue onde ele estava sentado e também na parte interna de suas coxas... oh... ele não teria...? Meu Deus.

_Vem aqui.- Peguei ele no colo quando vi que ele não conseguia andar direito e ele apenas me agarrou, afundado o rosto na curvatura do meu pescoço enquanto chorava baixinho.-_Shh, está tudo bem.

Andei o mais rápido que podia sem me importar com os olhares estranhos das pessoas até que finalmente cheguei até o carro. Fechei o guarda-chuva, peguei a chave do carro abrindo o mesmo e colocando Louis no banco do passageiro em seguida. Coloquei o cinto nele e entrei no carro ligando-o e começando a dirigir em direção ao hospital mais próximo.

_Eu vou te lavar pra um hospital, tudo bem?- Perguntei e ele me olhou assustado.-_O que foi?

_P-Por favor, h-hospital n-não.- Pediu já começando a chorar novamente.

_Louis, você está machucado, não posso fazer isso me desculpe.- Disse sem tirar os olhos da rua.

_Por favor, Harry. Só não me leva pra l-lá.- Pediu novamente eu senti uma imensa vontade de cuidar dele me fazendo apertar o volante até a ponta dos meus dedos ficarem brancas. Eu não posso, ele deve ter os pais dele, preciso levá-lo pra delegacia depois.-_Eu não quero que eles me toquem, Hazz...- Pediu baixinho pronunciando meu apelido de forma arrastada. Senti um aperto no coração e novamente aquela vontade de cuidar e protege-lo. Eu não posso, droga...

_Tudo bem, eu te levo pra minha casa.- Disse mudando a rota do carro e Louis abriu um pequeno sorriso, um sorriso incrivelmente fofo e sincero. Eu podia passar a minha vida toda olhando pra ele.-_A proposito, qual seu sobrenome?

_Tomlinson.

_Tomlinson.- Repeti.-_Hm, gostei.

_O-Obrigado.-_ Agradeceu com a cabeça baixa e as bochechas vermelhas. Adorável.

_Você sabe onde estão seus pais, Louis?- Perguntei e ele olhou para janela negando.-_Entendo.

Achei melhor não falar sobre ter que leva-lo na delegacia amanhã ou perguntar quem fez aquilo com ele, muito menos o que fizeram, então passamos o resto do caminho sem trocar nenhuma palavra.

Quando chegamos na minha casa já havia parado de chover, então deixei o guarda-chuva dentro do carro e me aprecei para ajudar Louis a sair. O coloquei nas minhas costas enquanto ele se agarrava a mim como um coala com medo de cair. Peguei rapidamente a chave da casa e abri a porta fechando-a com o pé em seguida. Subi as escadas com Louis e o coloquei em sentado na minha cama sem me importar se iria sujar ou não.

_Hey, tem algum lugar doendo, Lou?- Perguntei examinando-o com os olhos e ele assentiu.-_Onde?- Perguntei e ele permaneceu quieto me fazendo dar um suspiro sem saber o que fazer.-_Eu vou preparar a banheira, consegue tomar banho sozinho?- Perguntei e ele assentiu novamente.

Fui até o banheiro, liguei a banheira e coloquei o shampoo e o condicionador em lugar que ele conseguisse pegar facilmente. Peguei uma toalha no armário debaixo da pia e coloquei sobre a tampa do vaso. Esperei a banheira encher e a desliguei. Voltei para o quarto e Louis estava na mesma posição de antes.

_Vem, se segura em mim.- Pedi e ele segurou no meu pescoço e eu em sua cintura levantando-o e fomos andando devagar até o banheiro.

Quando finalmente chegamos, fui o largar para que ele tomasse o banho, porém assim que eu o fiz tive que pega-lo novamente para que não caísse no chão.

_Tem certeza que consegue tomar sozinho?- Perguntei e ele ficou quieto.-_Vamos eu te ajudo.

Coloquei a toalha encima da pia e sentei ele no vazo, tirei meu casaco dele, porém quando fui tirar a camisa Louis segurou nas minhas mãos e me olhou assustado.

_Tá tudo bem, pequeno. Eu não vou te machucar, mas você precisa tirar a camisa pra tomar banho.- Disse calmamente e ele tirou as mãos de cima das minhas. Tirei sua camisa e vi que a situação era pior do que eu pensava e então o coloquei delicadamente dentro da banheira.

_E-Eu acho que eu consigo sozinho.

_Tem certeza?- Perguntei preocupado e ele assentiu.-_Tudo bem, qualquer coisa me grita.-_ Disse e sai do banheiro encostando a porta do mesmo.

Fiquei pensando em como faria pra cuidar dos ferimentos dele, até que tive a ideia de chamar o Niall. Ele é enfermeiro de uma escola, então deve saber o que fazer.Peguei meu celular e disquei seu número.

"Olá, Harryzinho do meu core. Finalmente percebeu como eu sou importante na sua vida e vai me presentear com um estoque de pizza pra vida toda?"

_Não, na verdade eu preciso da sua ajuda.

"Sim, eu acho que você é gay."

_Oi?

"Ah, não é sobre isso?"

_Não...?

"Então fala logo, porque eu marquei de sair pra jantar com aquela professora de matemática."

_Aquela que dá em cima de você? Niall, você é gay...

"Você acha que eu vou por causa dela? Eu vou é por causa da comida. Não pegaria ela nem se fosse hétero, até a minha bunda é maior do que a dela. Agora conta ai, pra que você quer ajuda?"

_Ah então, você pode vir aqui em casa... e trazer aqueles seus negócios de curativo e tal?

"Harry Edward Styles, em que briga você se meteu?!"

_Relaxa, loiro. É que... vem logo, quando você chegar eu explico, mas vem logo.

"Ok ok, depois eu quero uma pizza"

_Tá, só vem.

"Já to indo."

Coloquei o celular em cima da cama e escutei Louis me chamar. Peguei uma box minha que eu nunca cheguei a usar já que fica apertada, uma camisa grande de manga comprida e fui até o banheiro. Quando abri a porta vi Louis só com uma toalha amarrada na cintura com as bochechas vermelhas apoiado na parede.

_Quer ajuda pra se trocar?- Perguntei.

_N-Não, eu... eu consigo sozinho.

_Tudo bem, então.- Disse e entreguei a roupa pra ele.-_Olha, eu chamei um amigo meu que é enfermeiro pra cuidar desses machucados, tudo bem?

_Ele... vai me t-tocar?

_Vai, mas só pra fazer os curativos, tudo bem? Eu prometo que ele não vai fazer nada com você e eu vou ficar do seu lado o tempo todo.

_Promete?- Perguntou olhando pra mim com os olhos marejados. Ah, aqueles olhos...

_Prometo, pequeno. Se quiser ajuda pra ir pro quarto me chama, okay?- Pedi e ele assentiu com um sorrisinho no rosto.

Fui até o quarto e comecei a arrumar a cama para o Louis, até que ouço a campainha tocar. Desço rapidamente e vou até a porta abrindo a mesma e dando de cara com um irlandês segurando uma maleta.

_Olá, monamour. Cade o problema?- Perguntou já entrando e se jogando no sofá.

_Primeiramente, tira essa bunda magrela do meu sofá.

_Aff, falar da bunda é sacanagem! Agora me diga, quem você matou, feriu ou sequestrou?- Perguntou se levantando.

_Não matei, feri e nem sequestrei ninguém, Nialler.- Respondi calmamente.

_Então o qu- Foi interrompido por um grito de Louis me chamando.-_Explique-se.- Mandou com os braços cruzados.

_Ah, então... Bem, vamos subir que eu te mostro.- Digo e começo a subir as escadas com ele logo atrás de mim.

Chegando no quarto, corro até o banheiro e ajudo Louis a andar de volta para o quarto. Quando chegamos até a porta, Niall arregalou os olhos assim como Louis.

_Harry... você engravidou alguém e não me contou?- Perguntou Niall sem tirar os olhos de Louis.

_Que? Não!- Respondi no mesmo instante.

_Então explica por que que tem uma criança saindo do seu banheiro?- Disse tentando parecer calmo.

_Loiro, se acalma! Eu não sequestrei ele, não é Louis?- Perguntei olhando para Louis.

_N-Não e eu não sou uma criança, tenho dezesseis.- Respondeu tímido fazendo bico e no mesmo instante os olhos do Niall brilharam... ah não...

_Ai. Meu. Deus.- Disse pausadamente.-_QUE COISINHA MAIS LINDA VEM CÁ NO TIO NIALL DEIXA EU TE ABRAÇAR!- Disse tentando agarrar Louis que se escondeu atrás de mim.

_Foco, Nialler! Foco!- Pedi enquanto escondia Louis em meus braços.

_Okay okay, me desculpa. Louis, não é?-Perguntou e Louis assentiu.-_É você que está machucado, pequeno?- Assentiu novamente.

_Niall, ele tem quase a sua altura não é como se...- Parei de falar assim que vi o olhar mortal do irlandês sobre mim.-_D-Desculpa, sim é ele.- Respondi pondo Louis sentado na cama, o que fez ele soltar um gemido de dor.

_Onde dói, Lou?- Perguntou Niall calmamente chegando perto de Louis.

_T-Tudo...- Respondeu de cabeça baixa enquanto algumas finas lágrimas escorriam pelo seu rosto agora limpo.

_Oh, não chore, okay?- Disse Niall secando as lágrimas de Louis.-_Eu vou te ajudar, mas preciso que tire a camisa, pode fazer isso?- Perguntou sorrindo para Louis que apenas fechou os olhos fortemente.

_Louis...- O chamei seguido de um suspiro.-_Não se preocupe, o Niall não vai te fazer mal, tudo bem? Ele vai só ter que cuidar dos seus machucados para não infeccionar e nem nada do tipo. Eu vou ficar aqui o tempo inteiro.- Prometi e ele me olhou assentindo e começou a tirar a camisa ficando só com a box.

_Oh, Deus...- Disse Niall assim que viu o estado do pequeno corpo a sua frente.-_Eu vou pegar as coisas lá embaixo e já volto, fique parado!- Pediu e desceu rapidamente as escadas.

Quando subiu, abriu a maleta e começou a cuidar dos cortes que haviam por praticamente todo o corpo de Louis. 

Qualquer ser humano com uma boa saúde mental ficaria em choque com o estado de Louis. Além de cortes e hematomas, haviam marcas de dedos em suas coxas, cintura e até mesmo no pescoço e marcas de corda em seus pulsos e tornozelos. Na parte interna de sua coxa havia marcas que aparentavam ser de unhas e outras marcas que pareciam ser chupões que também estavam em outras partes do corpo.

Louis apenas chorava baixinho durante todo o processo, assim como Niall que chorava junto a ele e eu que tentava ao máximo ser forte, porém algumas lágrimas teimavam em cair. Como um ser humano é capaz de fazer isso com outro? Ainda mais com uma pessoa tão pequena e frágil como Louis, que da medo até de encostar com medo que quebre? Mas eles tocaram, tocaram mais do que poderiam e Louis se quebrou. A minha vontade era de pegar cada pedacinho e monta-lo novamente, eu queria protege-lo, queria cuidar dele e era isso que eu iria fazer. Iria colar cada pedaço de Louis mesmo que isso custasse a minha própria vida.

É estranho você sentir isso por alguém que acabou de conhecer e a única coisa que sabe é o nome e idade, apenas isso. Eu não sou gay nem nada, mas Louis despertou alguma coisa dentro de mim que eu não sei explicar. Não, eu não estava apaixonado, não poderia estar, não por um homem, ou melhor, um garoto de apenas 16 anos que eu acabei de conhecer dentro de um beco. Seria impossível... não é?

_Louis, o que aconteceu com você exatamente?- Perguntou Niall assim que acabou e acariciava os cabelos do menor tentando passar segurança.

_E-Eu... e-eu...- Tentou dizer, porém acabou por chorar.

_Hey, baixinho.- Chamei sentando ao seu lado da cama e olhando em seus olhos.-_Não precisa ter medo ou vergonha tudo bem? Nós não vamos te julgar, a culpa não é sua.- Disse segurando seu queixo para que me olhasse.

_Você não precisa dizer agora, mas alguma hora você vai ter que contar, Lou.- Disse Niall.

_Eu sei é só q-que...- Deu uma pausa para se acalmar.-_É complicado.- Disse abaixando a cabeça.

_Não precisa contar agora se não quiser.

_O-Obrigado, Harry.

_Não precisa agradecer, babe.- Respondi abraçando-o enquanto Niall sorria para cena, porém seu sorriso sumiu de repente.-_O que foi?

_Harry, eu posso conversar com você rapidinho?- Perguntou Niall.

_Hm... Tudo bem, deixa só eu ajudar Louis a se deitar.- Respondi e ele assentiu.

_Bem, até mais LouLou, foi bom te conhecer espero te ver mais vezes.- Disse sorrindo e dando um beijo na testa de Louis, saindo do quarto em seguida.

Ajudei Louis a vestir sua camisa e o coloquei deitado na cama o cobrindo com o cobertor.

_Quer mais um cobertor?- Perguntei para o pequeno corpo que estava embolado entre o pano.

_Por favor.- Pediu e eu peguei um edredom no armário e cobrindo Louis em seguida.-_Hazz.

_Diga, pequeno.

_Aonde você vai dormir?- Perguntou se ajeitando.

_Acho que no sofá ou no quarto de hospedes, por quê?- Perguntei confuso.

_Não precisa fazer isso, Harry. Você já fez de mais por mim, pode dormir aqui eu durmo no quarto de hospedes.- Disse tentando se levantar, porém eu o deitei novamente.

_Nem pensar! O colchão daqui é mais macio, vai ser melhor pra você. Sem contar que eu gosto daquela cama.

_Mas...

_Sem mas, ok? Você precisa dormir.- Disse fazendo afagando  seus cabelos.

_Tudo bem, me desculpe e... obrigado, Hazz.- Pediu e senti alguma coisa se aquecer dentro de mim.

_N-Não precisa agradecer, pequeno.- Disse e beijei sua testa levantando logo em seguida.-_Boa noite, Lou.- Apaguei as luzes.

_Boa noite, Hazzy.- Respondeu e eu fechei a porta.


Notas Finais


Admito, to nervouser
Juro que me esforcei pra fazer esse cap mais do que eu me esforço pra fazer prova
me deem um desconto

Enfim, espero que tenham gostado
pelamor de Deus eu realmente espero espero mt msm
Até sexta que vem sai o cap 2 bejao

All the love~ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...