História The Baby Sitter — Imagine Taehyung - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan, Bangtan Boys, Bebê, Bts, Kim, Romance, Sexo, Taehyung
Visualizações 2.964
Palavras 1.296
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi amores. <3

Trouxe outro capítulo pra vocês. Esse, ficou bem fofinho. Finalmente os dois tiveram a noite deles. :')
Vocês estão gostando da história? Conte-me nos comentários. >_<

Boa leitura e até as notas finais. <3

Capítulo 8 - Me adotem, papais.


Fanfic / Fanfiction The Baby Sitter — Imagine Taehyung - Capítulo 8 - Me adotem, papais.

7.


Na manhã seguinte, acordei com a minha garota deitada sobre mim. Ela não era pesada, e sim manhosa. Afaguei seus cabelos cuidadosamente para que ela não acordasse. Respirei fundo e beijei seus fios escuros. Não teria como levantar da cama naquele momento, então continuei deitado.

— Bom dia, TaeTae. — Sua voz sonolenta me fez sorrir.

— Bom dia, princesa. Dormiu bem? — Um riso bobo escapou de meus lábios.

— Melhor impossível. — A morena levantou o olhar e beijou-me a boca. — Ainda bem que hoje é domingo...

— Por que diz isso? — Passei minhas mãos por suas costas nuas, a mais nova estremeceu.

— Porque podemos ficar juntinhos. — Nós rimos. — Mas é verdade...

— Eu sei, (S/A). — Sorri mesmo que ela não visse naquele momento. — Preciso pedir desculpas para o Chim.

— Você não ficou bravo por eu ter usado o seu melhor amigo, não né? — Levantou o rosto, fitando meus olhos.

— Um pouquinho. — Fiz bico. — Amor, você deveria ter falado comigo.

— Mas eu sou uma pessoa tímida pra isso. — Gargalhei. — O que foi?

— Você tímida? — Ri novamente.

— Kim Taehyung, eu estava bêbada ontem, por isso falei aquelas coisas estranhas. — Fez uma careta.

— É eu sei, bobinha. — Apertei a sua bochecha. — Quando você quiser algo ou precisar de alguma coisa, fale comigo antes, certo? — Beijei a sua testa carinhosamente.

— Certo, Alien. — Voltou a deitar sobre o meu peito. — Sua mãe deve saber que estamos juntos?

— Huh, claro que sim. — Murmurei sorridente. — Ela te adora, e vai te adorar ainda mais.

— Eu espero. — Sussurrou.

Ficamos mais um bom tempo deitados na cama, trocando carinhos. Depois que levantamos, (S/N) preparou o café e alegou que estava com dor de cabeça. Tomei um banho rápido e vesti a mesma roupa de ontem, com um pouco de nojo, claro. O cheiro delicioso de café pairava por cada cômodo da casa. A morena estava cantarolando baixinho enquanto fazia uma coreografia esquisita.

— Não sabia que você cantava e dançava. — Ri alto, abraçando-a por trás.

— Pois é, você viu? — Gargalhou acariciando minhas mãos que envolviam a sua cintura. — Vamos tomar café, Tae?

— Vamos. — Puxei-a para que sentasse em meu colo. 

(S/A) colocou vários biscoitos e bolachas sobre a mesa, fazendo-me rir. Pelo o que eu entendi, a minha garota vive de salgadinhos e outras besteiras.

— Alien, e se a sua mãe não gostar? — Sussurrou.

— Ela não tem que gostar. — Beijei suas costas. — Eu quem tenho que gostar, e eu não gosto, eu amo.

— Você é romântico, que fofinho. — Virou-se para trás e apertou as minhas bochechas.

— E você é chatinha. — Resmunguei massageando os locais doloridos.

— O que vamos fazer? — Perguntou manhosa, aninhando-se em meus braços.

Beijei seu cabelo e acariciei as suas costas descobertas.

— O que você quer fazer? Almoçar fora? Tomar um sorvete? — Sugeri.

— Que tal os dois? — Levantou o rosto dando-me um selinho.

— Tudo que você quiser, pequena. — Beijei-lhe a boca calmamente.

— Uh, gostinho de café. — Nós rimos. — Vou tomar um banho, certo?

— Enquanto você se arruma, eu vou pra minha casa. Ver o meu pequeno, a minha mãe e trocar de roupa. — Sorri e a morena levantou-se.

— Tudo bem. — Fez bico e abriu os bracinhos.

Encaixei nossos corpos em um abraço caloroso. Deslizei minhas mãos por toda a extensão de suas costas, acariciando e sentindo toda a sua maciez e o seu cheiro natural. (S/N) soltou uma risadinha baixa e apertou a minha bunda.

— Hey! — Gritei rindo, a brasileira riu também.

— Desculpa, eu não resisti. — Apertou novamente. — Gostoso!

Arrepiei-me desde o dedão até a espinha.

— Vai tomar banho antes que eu te coma em cima dessa mesa! — Mordi o lábio.

— Seria uma ótima idéia, TaeTae. — Sorriu maliciosa.

— Vai logo, princesa. — Apertei o seu nariz e a menor riu, afastando-se e indo para o quarto.

Saí de sua casa, e antes de ir até o meu carro, resolvi em passar na casa do Jimin. Toquei a campainha e a Senhora Park atendeu.

— Tae querido, bom dia. — Ela sorriu.

— Bom dia Senhora Park. — Sorri de volta. — O Jiminnie já acordou?

— Já sim, ele está no banho. — Deu espaço para que eu entrasse em sua casa. — Irei avisar que você está aqui, certo?

— Posso subir? — Questionei e a Senhora Park assentiu. — Obrigado.

Subi a estreita escada e abri a porta do quarto do meu melhor amigo, sem me importar se ele estava pelado ou não. Sentei na cama do loiro e esperei alguns minutos, até que o menor abriu a porta do banheiro, já vestido.

— Taehyung... — Murmurou sem ânimo.

— Oi, Jiminnie. — Sorri sem jeito e passei a mão na nuca. — Preciso te pedir desculpas...

— Vocês se resolveram? — Ele abriu um pequeno sorriso.

— Sim. — Assenti.

— Que bom, Alien. — Respirei aliviado. — Transaram muito?

— Park Jimin! — Engasguei com a minha própria saliva.

— Kim Taehyung, eu escutei os gritos de vocês. — Sorriu malicioso. — O quarteirão todo escutou.

— Sério? — Arregalei os olhos.

— Estou brincando, Tae. — Gargalhou.

— Ah, bom. — Ri também. — Tenho que ir, vou levá-la para almoçar.

— Felicidades, maninho. — Nos abraçamos brevemente e eu fui para casa.

Assim que cheguei, visualizei o meu pequeno sorrindo feito um coelhinho enquanto assistia um desenho. Seus olhinhos voltaram-se para mim e eu agachei ao seu lado, afagando seus fios lisos e escuros.

— Hyung. — Abraçou-me de um jeito desajeitado.

— Bom dia, pequeno. — Apertei o seu narizinho. — Onde a Omma está?

— Na cozinha, hyung. — Fez bico. — Beijou muito a gata?

— O que? — Tossi levemente, arregalando os olhos logo em seguida.

— Você dormiu fora, hyung. O Suga-hyung diz que quando dorme com uma garota, é porque a noite foi boa. — Soltou uma risadinha sapeca.

— Ah, aquele bastardo. — Resmunguei. — Preciso trocar de roupa.

— Mal chegou e vai sair, Taehyung? — Mamãe perguntou curiosa.

— Prometo explicar tudo depois, Omma. — A mais velha sorriu.

[...]

            Segunda, 10:32h AM.

Estava brincando com o Tae, e pensando na (S/N). Quero oficialmente tê-la e anunciá-la como a minha namorada. Tenho certeza de que minha mãe vai adorar a idéia. Jeongguk estava com um biquinho fofo nos lábios, enquanto rasbicava uma folha de papel.

— Hyung, você não vai me trocar por ela, vai? — Perguntou manhoso.

— Claro que não, Kookie. — Apertei sua bochecha gordinha. — Você é o meu pequeno.

O menor sorriu e abraçou-me. Ficamos sentados no sofá até que a nossa mãe, chamou-nos para almoçar. Minha mãe não iria trabalhar hoje, e seria uma boa para anunciar que estou apaixonado pela babá do meu irmão. Carreguei o Kook para a mesa e dei a sua comida. Depois do almoço, lavei a louça e tirei um cochilo, junto ao Jeongguk. (S/N) chegou e abraçou-me fortemente, eu já estava com saudades dela.

— Te amo, Tae. — Sussurrou. Até os meus olhos sorriram.

— Também te amo, meu bem. — Separei o abraço e beijei a sua testa.

— Lindos, mas agora quero a atenção da minha Noona. — Kookie gargalhou, batendo palminhas.

— Jungkook! — O repreendi.

[...]

Minha mãe havia comprado várias guloseimas para o nosso lanche. Enquanto ela fazia o café, (S/A), Kookie e eu ficamos na sala. Gukkie estava todo sorridente e eu tinha certeza de que o meu irmão estava aprontando algo. Sentamos na mesa, e a minha mãe serviu-nos com o café.

— Obrigada. — A morena agradeceu.

— Mamãe... — Gukkie suspirou dengoso.

— O que foi, meu filho? — A mais velha pediu.

(S/N) e eu nos entre olhamos. 

— Quero ser adotado pela Noona e pelo Hyung. A Senhora sabia que eles fizeram um neném?

— O quê?! — Cuspi todo o café.

— Me adotem papais, porque eu quero um irmãozinho.


Notas Finais


Esse Gukkie KKKKKKKK. Quero ele pra mim.

Até o próximo. <3

~Divulgação
https://spiritfanfics.com/historia/love-bandit-imagine-taehyung-9835012 (ShortFic com o Tae)

https://spiritfanfics.com/historia/or-nah-imagine-jung-hoseok-9905544 (TwoShot com o Hobi)

Perfil: @rabetania ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...