História The Baby Sitter — Imagine Taehyung - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan, Bangtan Boys, Bebê, Bts, Kim, Romance, Sexo, Taehyung
Visualizações 4.081
Palavras 1.188
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, oi. :]

Sei que muitas pessoas não lêem as notas do autor, e já venho dizer que esse é o penúltimo capítulo. ^^

Boa leitura, bebês! ♡

Capítulo 9 - Também quero brincar.


Fanfic / Fanfiction The Baby Sitter — Imagine Taehyung - Capítulo 9 - Também quero brincar.

8.


— Taehyung... — Minha mãe estava boquiaberta, assim como a minha garota. — A (S/N) está grávida?

— Não Senhora Kim, claro que não! — Ela negou. — É... — A morena olhava-me como se pedisse socorro através do olhar.

— Jeongguk, com quem você aprende essas coisas filho?! — Omma indagou, encarando o pequeno.

— Ah, mamãe... — Riu sapeca. — É o Suga-hyung que diz isso.

— Aquele bastardo! — Resmunguei limpando a minha boca. — Mãe, a (S/N) não está grávida. E você saeng, pare de dar ouvidos ao Yoongi.

— Por que, hyung? Ah, mais ele disse que ia me arrumar uma namoradinha. — Fez bico e a mais velha entre nós, puxou a sua orelha. — Miane, Omma.

— Desculpe, Senhora Kim. — (S/A) curvou-se brevemente.

— Tudo bem, querida. Mesmo se você estivesse grávida eu não iria achar ruim.

Engasguei novamente, dessa vez com a minha saliva.

— Kim Taehyung, pare de nojeira durante o lanche! — Minha mãe repreendeu-me.

— Miane. — Desviei o olhar para a morena. — Mãe, eu e a (S/N) estamos apaixonados. — Fechei os olhos, apertando-os com força.

— E o que isso tem de errado? — Indagou sorrindo. — A (S/N) é uma bela moça. É esforçada, educada e trabalhadora!

— Obrigada, Senhora Kim. — A minha menina sorriu docemente.

— Vamos voltar a tomar o café? — Perguntei e as duas mulheres assentiram.

— Eu ainda quero um irmãozinho... — Kook disse com o dedinho na boca.

— Jungkook! — Nós três gritamos com ele.

— Miane... — Fez biquinho.

[...]

Finalmente as coisas haviam se acertado. Depois do lanche, Gukkie e minha mãe foram dormir, enquanto eu e minha garota ficamos na sala, vendo TV. Ela estava com o rosto apoiado em meu ombro, enquanto meus dedos brincavam com seus fios lisos e macios.

— Eu pensei que ela fosse ficar brava, TaeTae. — Murmurou sorrindo.

— O Kook precisa de umas boas palmadas, ele o Suga! — Revirei os olhos.

— Imagina quando ele tiver uma namoradinha?! — A brasileira levantou o rosto e riu da minha cara fechada.

— Pelo jeito ele nem vai namorar, vai ser da farra. — Nós dois rimos. — Yoongi-hyung vai me escutar!

— Deixa ele pra lá, Tae. — Recebi um beijo na bochecha. — Nós estamos juntos, não estamos?

— É claro que sim. — Beijei o seu cabelo e entrelacei os nossos dedos. — Devemos comemorar?

— Sim, sim! — Ditou empolgada. — Mas como iremos comemorar, amor?

— Eu já sei. — Sorri malicioso, a minha garota deu um tapa em meu braço. — Estou brincando, princesa! — Gargalhei.

— Sei. — Ela fez bico e acariciou os nossos dedos entrelaçados. — Podíamos sair com os seus amigos, o que acha?

— Aqueles tarados? — Revirei os olhos. — Não, (S/N)!

— Ah, porquê? Eles são legais, Taehyung. — Sorriu irônica.

— Não me chame pelo nome, garotinha! — Apertou a minha coxa, fazendo-me rir.

— Seu magrelo orelhudo! — Gargalhou sentando do outro lado do sofá.

— Você me chamou de que? — Bufei.

— Você escutou, dumbo. — Sorriu amarelo.

— Eu posso ser um orelhudo, mas tenho algo bem maior. — Sentei perto da morena. Sorri malicioso e passei  a língua nos lábios. — E é de chupar, amorzinho.

— Pervertido! — Resmungou.

— Amo você. — Puxei-a para um abraço.

Ai, Tae! — Grunhiu de dor.

— O que foi, amor? — Encarei seus lindos olhos, assustado.

— As suas orelhas me machucaram. — Soltou um gritinho enquanto ria, fazendo-me rir também. 

— Idiota! — Lhe dei um beijinho.

[...]

— Não gostei desse moletom, fiquei muito gay. — Balancei a cabeça em negação.

— Mas eu queria usar roupas iguais... — (S/N) fez biquinho.

— Não pode ser só uma camiseta, sei lá? — Suspirei frustrado. — Se quiser, leve esse moletom pra você, princesa.

— Ah, Tae... — Abraçou-me.

— Temos outras roupas iguais. — A atendente sorriu.

— Sim, por favor. — Pedi.

Depois de tanto procurar, achamos uma camiseta com um alien na frente, era realmente bonita e diferente. Fomos para a cabine e assim que coloquei-a, gostei. A minha menina havia ficado engraçada, porque era um pouco grande para ela, mas mesmo assim havia ficado linda.

— Dinheiro ou cartão? — A moça do caixa pediu.

— Cartão. — Segurei a mão da brasileira. — Quer tomar um sorvete?

— Quero. — Sorriu beijando a minha bochecha enquanto caminhávamos para fora da loja. Já estávamos com as blusas iguais. — Oppa, você está tão fofinho.

— Você também, pequena. — Acariciei os seus dedinhos. — Amor, você se importa de ficar ali? — Apontei para uma fonte. — Quero tirar uma foto sua.

— Tudo bem.

Ganhei um selinho e ri feito bobo quando a (S/N) abriu os braços e abriu o seu melhor sorriso. Tirei várias fotos, com várias poses diferentes da mais nova.

— Dorme comigo hoje? — Pediu manhosa, enquanto eu dirigia para casa.

— O Kook não pode ficar sozinho. Amanhã a minha mãe sai cedo. — Sorri fraco.

— Vamos levar ele então, amor!

— Aquele pestinha?! — Gargalhei.

— Ele não é tão ruim assim, TaeTae.

— É sim. — Semicerrei os olhos, olhando-a de lado.

— Certo então... — Cruzou os braços, totalmente emburrada.

— Tudo bem, pequena. Eu levo ele! — Me dei por vencido.

— Menino obediente... — Riu apertando a minha bochecha.

— Engraçadinha. — Ri sem ânimo.

[...]

Deixei a minha garota em sua casa em sua casa, e fui para a minha, tomar banho e falar para a minha mãe que o Gukkie vai para a casa da (S/A). Estacionei o carro e adentrei a casa.

— Mãe? — Chamei-a assim que cheguei na sala.

— Dando banho no Kook! — A mais velha gritou.

— Omma, posso levar o Gukkie pra casa da (S/A) hoje?

— Pode filho. — Sorriu enxugando o corpinho do capetinha.

— Obrigado. — Sorri.

— Hyung, podemos pedir pizza? —Pediu sorridente.

— Podemos, Kook. — Apertei a sua bochecha fofinha.

Peguei alguns brinquedos do Jeongguk e coloquei dentro de uma sacola para poder levar. Despedimos da nossa mãe, e coloquei o menor sentado na cadeirinha. Liguei o rádio e logo chegamos na casa da minha garota. Estacionei o carro e peguei o meu irmão no colo, toquei a campainha e não demorou muito para que a brasileira atendesse-nos.

— Olá, Noona. — Gukkie sorriu colocando o dedinho dentro da boca.

— Olá, Kookie. — Deu um beijinho em sua bochecha. — Venham!

Senti um cheiro delicioso, parecia brigadeiro.

— Eu fiz brigadeiro... — (S/A) murmurou toda linda naquele moletom.

Enquanto a morena foi até a cozinha, liguei a TV e procurei por algum filme, escolhi A Era do Gelo 4. Pedimos duas pizzas enormes, e por fim, o meu saeng estava dormindo em meu colo, antes mesmo do filme acabar.

— Coloque-o no quarto de visitas, Tae. — Sussurrou e eu assenti.

A minha menina foi na frente e ligou a luz do cômodo, coloquei o pequeno deitado e dei um beijinho em sua bochecha.

— Dorme bem, Kookie.

Voltamos para a sala e eu puxei a minha namorada para que ela sentasse em meu colo.

— Me deixe aproveitar você, hm? — Rocei minha boca em seu pescoço. — Cheirosa...

— Sou toda sua, TaeTae. — Sorriu provocativa. — Quero brincar, amor. — Passou suas unhas em meus braços, fazendo-me arfar.

Ouvimos um barulho e olhamos na direção do corredor. Jeongguk estava com um sorrisinho.

— Também quero brincar.


Notas Finais


Gente... :')

Até o próximo e último. <3

→ Perfil: @rabetania ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...