História The Bastard - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Holland Roden, Justin Bieber
Personagens Holland Roden, Justin Bieber
Tags Holland Roden, Justin Bieber
Exibições 153
Palavras 3.401
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a demora.

Capítulo 8 - Ciúmes


A batida na minha porta veio às oito da manhã. Eu estava acordada, mas definitivamente não acordada o suficiente para ir a uma academia. O que eu estava pensando quando concordeiem ir? Ontem eu estava muito favorável. O álcool tinha  suavizado temporariamente, mas esta manhã eu estava sem ânimo, mais uma vez.

"É muito cedo", gemi após ver Justin já vestido em seu equipamento de treino. Ele estava sexy como o inferno em seu short de corrida e tênis, mas mesmo isso não seria o suficiente para tirar meu rabo da cama. Ele fechou a porta quando eu estava voltando para a minha cama e escorregando sob o lençol.

Justin arrancou o cobertor quentinho de mim.

"Mas que diabos?"

"O sol já raiou, princesa."

"Eu não me sinto bem para levantar."

"Você vai se sentir melhor depois do que vamos fazer."

Eu levantei uma sobrancelha e ele sorriu. "Ah. Acho que você está corrompida. Quem é o pervertido agora?"

"Um pervertido é alguém que tem um comportamento sexual considerado errado ou inaceitável." Palavra por palavra, recitei a definição que ele tinha me dado quando estávamos discutindo sobre o caso de eu não admitir me masturbar.

Ele riu. Mas também me tirou de cima da cama e me levou para o banheiro. "Você viu o tamanho do hambúrguer que comeu ontem? Eu preciso ir a academia, e você vai junto."

Eu fiz uma careta. "Você está me dizendo que estou gorda?"

"De jeito nenhum. Digo que gosto de olhar para essa sua bunda bem torneada, e que sou egoísta. Eu quero que continue assim."

Rolei os olhos, mas entrei no banheiro e tomei banho. Quando terminei, Justin estava deitado na minha cama, as duas mãos atrás da cabeça enquanto assistia um jogo de futebol europeu.

"Sente falta de jogar?" Eu perguntei. Era uma pergunta estúpida. Eu me arrependi no momento em que saiu da minha boca.

"Sim".

"Pode voltar, de alguma forma? Não jogando. Talvez treinando ou gerenciando uma equipe ou algo assim?"

"Eu pensei sobre isso."

"E..."

"E que eu nunca completei minha formação acadêmica. Eu parei no meu segundo ano da faculdade. A maioria das universidades e até mesmo as escolas de ensino médio quer seus treinadores formados. Definir um exemplo para os alunos."

"Então volte para a escola."

"Suponho que eu poderia. Isso pode manter-me ocupado nos próximos dois ou mais anos."

Fui até a mala e peguei meu top de ginástica e leggings. "Vai ser só um minuto. Eu preciso me vestir."

Dentro do banheiro, eu puxei meu cabelo para trás e vesti minha roupa de treino. Eu gritei pela porta do banheiro enquanto escovava os dentes.

"O que vamos fazer? Eu gosto de ioga."

"Yoga não é um bom exercício. Normalmente eu pego peso e corro na esteira por quarenta e cinco minutos, para o coração."

"Está bem. Talvez na academia tenha ambos, e poderemos fazer o que gostamos". Eu abri a porta do banheiro e sai, pronta para ir.

"Isso é o que você está usando para a academia?"

Eu olhei para baixo. Minha barriga estava nua, mas não pensei que fosse sugestivo ou estranho. "O que tem de errado com isso?"

"Nada". Ele desligou a TV e agarrou minha mão no caminho para a porta. "Acho que estou fazendo ioga hoje, também."

Nós realmente chegamos a um consenso na academia. Ele teve uma aula de yoga comigo, e depois nós corremos na esteira lado a lado por meia hora. Depois, nós dois estávamos morrendo de fome. Ontem à noite, tínhamos falado sobre ficar mais uma
noite, então eu abordei o assunto no caminho para o café da manhã. "Você estava falando sério sobre ficar mais uma noite?"

"Eu ficaria para sempre se nós pudéssemos." Aquelas pequenas coisas que ele dizia me davam esperança, mesmo que tivesse escrito que nunca vai acontecer na minha testa.

"Bem, então esta noite é a minha noite. Você escolheu o que fizemos ontem à noite. Agora é minha vez."

Chance segurou meu olhar por muito tempo. "Eu topo".

"Legal". Eu sorri. "Eu quero ir visitar Esmeralda está manhã. Ela está provavelmente com medo."

"Nós estamos pagando oitenta dólares por dia num lugar para tomar conta de um bicho de estimação mimado. Eles lhe dão três parques, e ela dorme no ar condicionado quando normalmente vive fora e anda na frente de BMWs com excesso de velocidade... E você está preocupada que ele esteja com medo esta manhã?"

"É o meu dia. Eu reclamei quando você escolheu tudo o que fizemos ontem?"

"Só tive uma noite. Por que é que você está tomando um dia todo e a noite?"

"Porque sim."

Ele riu. "Boa resposta, advogada. É assim que você argumenta no tribunal?"

"Cala a boca". Então peguei algo. "Recebo um dia todo e a noite porque você me fez ir a um clube de strip e ter uma lap dance."

"Mesa para dois," Justin disse quando chegamos no balcão do buffet. Em seguida, ele voltou sua atenção para mim. "Você gostou. Eu acho que você ainda está um pouco ligada."

"Não estou." Meu rosto ficou vermelho.

Justin falou com a anfitriã quando ela nos levou para sentar. A mulher estava provavelmente no final dos sessenta
anos, não que ele se importasse. "Ela teve uma dança no colo de uma stripper na noite passada, e não quer admitir que gostou. "

A mulher sorriu e acenou com a cabeça. Seu sotaque jamaicano era forte quando ela falou. "Não há vergonha aqui, querida. O que acontece em Vegas, fica em Vegas. Desfrute um pouco do seu shakity-shake se quiser. Pode voltar a ser seu próprio eu conservador na segunda-feira. Eu vou te pegar um café, e vocês podem se servir no buffet quando estiverem prontos." Ela foi embora.

"Vamos lá. Admita. Você gostou. A bunda daquela mulher mexeu com você". Justin deu de ombros. "Eu sei que eu gostei."

"Por que você gosta de me fazer admitir coisas que são embaraçosas?" Eu já confessei uma coisa embaraçosa, e não tinha intenção de dar mais nenhuma."

"Você que dizer quando eu te fiz admitir que dava prazer a si mesma?"

Senti a temperatura subir no meu rosto. Levantei a cabeça para a fila do buffet, mesmo que estivesse sentada. Mas Justin agarrou meu pulso e me parou. "Não fique com vergonha de dar prazer a si mesma ou de desfrutar de uma lap dance. É lindo, e é você."

***

Tomando um passeio à tarde, nós tínhamos acabado de voltar da visita a cabra. A doce menina ficou realmente animada por ver Justin, lambendo sua cara quando chegamos. Coitada, deve ter pensado que nunca íamos voltar.

"Esmeralda Snowflake foi tão fofa quando te viu."

"Minha cara ainda está pegajosa do ataque".

"Você sabe que sentiu falta dela." Eu ri.

"O que vamos fazer com essa coisa, de qualquer maneira?"

"Essa coisa? Não se refira a ela como coisa. Ela é como nosso filho adotivo".

Justin parou num impasse e olhou para o céu, ficando louco. "Nosso filho?"

"Sim! Ele não tem ninguém além de nós no mundo inteiro."

"Sério, Aubrey. Depois que nos separarmos, como vamos fazer com ele? Você não pode mantê-lo."

Meu coração de repente caiu. Depois de nos separarmos.

Minha mente estava tentando lidar com o fato de que ele tinha implicado que esta viagem definitivamente tinha um fim. Na forma típica de Justin, só quando ele estava me dando um pouco de esperança de que alguma coisa estava acontecendo entre nós, ele a arruinou.

Fiquei em silêncio por um tempo antes de me forçar a falar. "Eu vou tentar encontrar uma fazenda em que confie. Vou mantê-lo de alguma forma até ter certeza que é o encaixe perfeito."

"É justo. Ele tem sorte de ter você." Ele estava procurando meu rosto, tentando ler minha expressão carrancuda. "Já pensou sobre o que quer fazer no resto da tarde?"

"Você quer saber? Não me interessa. Você decide."

Justin parou de andar e se virou para mim. "Espera. Você quer perde sua capacidade de escolher tudo o que fazemos hoje? Por que diabos você iria fazer isso?"

Porque você basicamente admitiu que não significo nada para você, e eu não quero ficar perto de você agora.

"Só não estou a fim de decidir nada."

"Há uma nuvem negra no ar, princesa. Não sei o que fiz ou disse desta vez, mas me sinto como se te conhecesse bem o suficiente agora para saber que algo de repente a irritou."

"Esquece, Justin, ok? Não temos muito tempo aqui. Não vamos desperdiça-lo tentando me entender. Às vezes as pessoas ficam de mau humor. Fim da história. Escolha algo."

Seu rosto ficou sério. "Você está bem?"

"Sim. Eu prometo."

"Eu sei que estava brincando sobre isso antes mas... é a sua vez do mês?"

"Não!"

Ele coçou o queixo enquanto estávamos um de frente para o outro no meio da rua. "Acho que tenho uma ideia do que você precisa, algo que vai aliviar toda a tensão que mantém dentro de você nos últimos dias."

"Oh, realmente?"

Ele balançou suas sobrancelhas. "Oh sim. Espere aqui." Ele se afastou para fazer uma chamada de telefone.

Enquanto eu fiquei no meio do calor seco, jurei tentar manter meu bom humor. Tinha que aceitar esta situação pelo que realmente era — uma carona de estrada, nada mais, nada menos. Eu precisava desfrutar destas últimas horas com ele e parar de exagerar.

Após seu retorno, a boca dele espalhou-se em um sorriso largo. Essas covinhas. Um lembrete de que minha nova postura não ia ser fácil.

Agarrando minha mão, ele disse "Vamos."

Não sabia onde ele estava me levando. Ele não disse se era pra tomar sorvete ou até seu quarto. Depois de uma caminhada de cinco minutos, nós terminamos e voltamos ao hotel. Segui-o para dentro do elevador, e notei que ele apertou o botão para um andar diferente de onde se localizavam nossos quartos.

"O que tem no terceiro andar?"

Ele piscou. "Você vai ver".

Quando as portas abriram, eu vi o sinal: Spa de águas tranquilas.

"Nós vamos ao spa?"

"Bem, teremos uma massagem." Antes que eu pudesse fazer algo, ele caminhou até a recepcionista.

"Massagem para casais no nome de Bieber."

Eu não poderia evitar, e apenas ri e balancei a cabeça. "Massagem para casais?"

"Sim. Estamos recebendo uma juntos. Eu poderia ter algum alívio de tensão, também."

Uma mulher atraente aproximou-se e bateu seus cílios para Justin.

"Aqui".

Vadia.

Nós a seguimos num corredor longo e em uma sala com baixa iluminação. "Tire tudo, menos roupa intima e envolva-se com estas toalhas" ela disse. "Seus massagistas chagarão em pouco tempo."

Estava completamente quieto, exceto o som da suave música instrumental. O quarto cheirava a hortelã, e havia uma cintilação elétrica de velas escassamente organizadas em torno do espaço. Normalmente seria um experiência de relaxamento, se não fosse por.

"Você ouviu. Tire suas roupas" Justin disse rispidamente.

Um calafrio percorreu-me ao ouvir o tom dominante de sua voz.

"Você acha que eu vou só me despir na sua frente agora"?

Em vez de responder à minha pergunta, ele agarrou a própria camisa. Eu assisti todos os movimentos de seus músculos do abdome ondulando enquanto ele lentamente se despia. Se essa visão fosse um gif no tumblr, eu iria repeti-la mais e mais.

Ele desabotoou seu jeans e o tirou antes de jogá-lo em uma cadeira. Ele ficou diante de mim vestindo nada além de sua cueca boxer marinho enquanto descaradamente olhava para o meu peito. "Sua vez".

"Vire-se, então," Eu disse suavemente.

"Preciso?" Ele brincou, piscando um sorriso irônico antes de se virar para olhar a parede.

Removendo meu top, olhei para os músculos definidos de suas costas, até sua bunda. Ele estava parado bem debaixo de uma das lâmpadas com iluminação embutida. Ela brilhou sobre seu traseiro delicioso como um holofote. A fenda no meio era perfeitamente delineada através do tecido. Ele tinha a bunda mais fenomenal. Eu queria mordê-la.

Quando tirei meu sutiã e o joguei em cima da pilha, por cima do seu jeans, sua respiração falhou. Me enrolei na toalha branca luxuosa e me deitei de barriga para baixo na minha mesa. Isto era suposto ser uma experiência relaxante, mas eu definitivamente me sentia um pouco nervosa.

"Pode se virar."

"Você não está brincando," ele disse quando se deitou sobre a mesa ao lado.

"O que você esperava? Que eu ficasse de pé na sua frente nua?"

"Apenas um sonho."

Estávamos os dois deitados com nossas cabeças viradas uma para o outro. Os olhos dele ocasionalmente viajaram por todo o comprimento do meu corpo.

Ele sussurrou, "Você está bem, princesa?"

Algo sobre o tom da sua pergunta puxou as cordas do meu coração. Eu mentalmente as cortei com uma tesoura imaginária. Eu ia ser firme no meu voto para manter meus sentimentos sob controle, mesmo que isso me matasse. "Sim. Eu estou bem." Quando ele levantou a sobrancelha com ceticismo, eu sorri. "Realmente. Eu estou. Esta foi um boa ideia. Obrigada."

"Estou feliz que esteja satisfeita."

Após dez minutos de espera, eu estava começando a me perguntar se haviam esquecido de nós quando a porta rangeu, se abrindo lentamente. Uma pequena asiática chamada Anna andou para o lado de Justin. E à minha esquerda estava um homem grande, musculoso, que se parecia com o ator Joe Manganiello.

Os olhos de Justin escureceram, e ele se virou para a mulher. "Ele vai fazer massagem nela?"

"Pelo menos alguém vai fazer," eu murmurei sob minha respiração.

"Sim. Achamos que funciona melhor assim. Os homens tendem a ficar mais confortáveis com uma massagista feminina, e nossas clientes realmente gostam do serviço de James. Há algum problema?"

Justin apenas me olhava, boquiaberto.

"Não. Não tem problema algum" Eu respondi, olhando direto para os olhos de Justin. "Eu prefiro um homem."

A voz de James era baixa e profunda. "Por favor, tire sua toalha. Você pode ficar deitada."

Era bom demais para ser verdade. O plano do arrogante saiu totalmente pela culatra. Os olhos de Justin estavam colados a cada movimento meu enquanto removia a toalha de baixo de mim. E então seu olhar focou nas laterais de meus seios nus pressionados contra a mesa.

Anna pingava óleo quente ao longo das costas de Justin. Ele deveria fechar os olhos e relaxar. Em vez disso, ele ficava
encarando para James jogando o mesmo óleo em mim. Eu podia ver suas costas subir e descer enquanto sua respiração se acelerava.

James começou a esfregar o óleo na minha pele. A certa altura, as mãos dele estavam massageando a parte inferior das minhas costas, e estavam praticamente amassando a parte superior da minha bunda. O olhar de Justin se transformou num olhar de morte. Ele estava seriamente chateado, mas eu não pude deixar de me sentir feliz com isso.

Assistir a mulher tocando da mesma forma, porem, estava me deixando muito irritada também. Mas eu estava preocupada demais com sua observação para descobrir se
estava com ciúmes ou se me importava. Provavelmente ambos.

Após vários minutos assistindo Justin acompanhar cada movimento das mãos de James, não pude deixar de perguntar- lhe, "Você está bem?"

Sua voz era rouca. "Não".

Ele estava queimando de ciúmes. Eu não conseguia entendê-lo. Se ele apenas soubesse que o tempo todo eu ficava imaginando que era ele me tocando. Eu o queria mais do que tudo.

"Quanto tempo mais?" Justin perguntou a mulher.

"Tente relaxar senhor. Você está extremamente tenso."

Quarenta minutos depois, nossas massagens terminaram. Justin não tinha tirado os olhos das mãos de James o tempo todo. Acho que a única razão que eu sabia disso era porque não tinha tirado meus olhos dele me olhando.

As coisas estavam extremamente silenciosas quando Anna e James nos deixaram em paz para que pudéssemos nos vestir.

As costas de Justin estavam na minha frente quando lhe perguntei "Como você se sente?"

"Mais tenso do que quando entrei".

"Por que?"

"Porque eu paguei 350 dólares para ver um homem tocando em você durante uma hora."

"Então está tudo bem uma mulher te tocar, mas não um homem me tocar?"

Ele se virou de repente, antes que eu estivesse vestida, obrigando-me a cobrir meus seios com minha camisa.

"Não é bom um homem te tocar quando eu não posso", ele surtou antes de se virar novamente, permitindo-me terminar de me vestir. Após alguns segundos de silêncio, ele finalmente disse: "Peço desculpa, princesa. Eu agi como um idiota."

Eu realmente amei seu ciúme.

"Você tem sorte que eu sou normalmente atraída por idiotas. Bastardos arrogantes, também." Puxando meus braços através da minha camisa, eu disse, "Se vire, idiota."

"Desde que voltamos a estaca zero, eu gostaria de lhe devolver o seu passe para escolher o que vamos fazer pelo resto do dia."

"Vou aceitá-lo. Acho que nós dois precisamos esfriar a cabeça. Além disso, nós estamos melados desse óleo. Por que não vamos para a piscina?"

"Parece bom."

"Espere... não temos roupas de banho."

"Vou comprá-las na loja no térreo. Por minha conta, e eu posso pegar o seu." Ele piscou.

"Feito".

"Sério?" Ele parecia surpreso. "Você confia em mim"?

"Sim". Eu sorri. "Sim".

Esta era a nova Aubrey. Sem preocupações. Eu não iria me apegar. Eu ia me soltar e me divertir com ele.

"Tudo bem".

Justin me surpreendeu com a escolha do biquíni. Tinha alguns realmente minúsculos, mas ele escolheu um com um top de sutiã esportivo modesto e uma calcinha que cobria a maior parte da minha bunda. Era branco com bolinhas pretas, e tinha um pequeno forro sobre a parte traseira da parte inferior. Ele também comprou um par preto e lustroso de calções para si mesmo, que abraçava sua bunda maravilhosamente.

Encontramos duas espreguiçadeiras brancas uma ao lado da outra, e eu tinha trazido lanches e revistas. Já era tarde, então não tinha muita gente na área da piscina. Tomamos um mergulho juntos antes de retornar ao nosso local para ficarmos secos. Até agora, esta pode ter sido a minha parte preferida da viagem.

"O que você quer beber?" ele perguntou.

"Algo gelado e com sabor de frutas”.

Justin olhou para o bar. Algumas meninas estavam olhando-o quando ele passeou em direção ao outro lado da piscina. Ele pareceu não ter notado, como muitas vezes acontecia quando as pessoas o verificavam. Ou talvez ele notasse, e só não ficava afetado por isso.

Depois que ele voltou com dois drinks, bebemos em silêncio.

Brincando com o guarda-chuva de papel na minha bebida, olhei para ele.

"Isto é bom".

Ele sorriu. "Eu tenho certeza que se houvesse alguma coisa que eu poderia optar por estar fazendo no mundo agora, seria isso."

"Essa piscina é linda."

"Não é apenas o lugar. É a companhia.”

Quando ele olhou para mim, seus olhos estavam me contando uma história. Estavam afirmando que ele realmente
quis dizer o que disse. E eu acreditei que Justin me queria, que queria ficar comigo, mas que verdadeiramente não podia. Fosse o que fosse que estava segurando-o, era algo além do seu controle. Esses sentimentos loucos que eu tinha tentado suprimir começaram a chegar devagar novamente, e então eu enterrei meu rosto em uma revista Vogue.

Justin estava chupando um Pixy vermelho quando eu tive um desejo repentino de açúcar, e perguntei: "Você tem mais desses?"

"Talvez," ele disse, piscando quando procurou dentro do saco plástico e entregou-me um.

Comecei a chupá-lo, mas quase nada estava saindo. Então eu olhei para baixo e percebi que havia um buraco na extremidade inferior do palito. O pó laranja tinha derramado sobre meu estômago.

Justin riu. "Garota bagunceira".

"Você tem um lenço?"

"Não precisa", disse ele. "Deixe-me.”

Mais rápido do que eu pude piscar, Justin inclinou-se sobre mim e abaixou a cabeça ao meu estômago. Ele lentamente correu a língua ao longo do meu umbigo, lambendo para cima em uma linha reta a apenas uma polegada dos meus seios. Eu me contorci sob ele, sentindo uma perda total de controle quando ele limpou todo o pó.

"Mmm", Ele gemeu quando chupou o último pedaço de açúcar da minha pele e lambeu os lábios.

Minha respiração estava irregular quando ele voltou para seu lugar na cadeira ao lado. Ele me deixou sentada lá, completamente excitada, mas em estado de choque. Nós não falamos sobre o que ele tinha feito. Ele disse que tinha que usar o banheiro, e desapareceu por um tempo.

E assim de repente, toda a vontade que eu tinha construído hoje foi embora






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...