História The Bates's Story - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Bates, Califórnia, Drama, Heterossexualidade, Homossexualidade, Irmãos
Exibições 2
Palavras 1.697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie! Eu entrei em semana de provas finais, então eu deixei alguns capítulos já escritos para não me atrapalhar.

(Pensei em deixar o nome da música que uso para escrever cada capítulo nas notas finais, para quem quiser gourmetizar)

S2 boa leitura e relevem os erros de português S2

Capítulo 4 - Love Game


Dois meses depois...

-Não aceito que vocês não estejam namorando. –Brooke tomava seu drink no mesmo bar do píer que conheceu os meninos, e junto com ela estava Thomas e Peter. –Eu entendo esse negócio de “ah, mas o Anthony é meu melhor amigo, e eu estou gostando do irmão dele”, mas lembre-se que ela não tem nada haver com a vida amorosa de vocês.

-Mas não é só por isso. Eu tenho 17 anos e Peter tem 22. Imagina o quão difícil será. Nós nem conseguimos nos ver direito, pois eu tenho a escola e ele trabalha. –Thomas recusava a batata frita na qual estava sendo devorada por Peter. –Além de que... Eu não pretendo tem uma relação tão séria até eu me formar.

-Thomas quer tentar uma faculdade fora da Califórnia, já até conversou com o tio dele, o Julian. –Peter bebeu a cerveja que restava em seu copo. –E eu pretendo morrer daqui a alguns anos e ser enterrado no quintal da minha avó.

-Peterson, eu tenho n-o-j-o de você. –Brooke diz fazendo Thomas rir.

 

Anthony trocava mensagem com Brooke de vez em quando. A maioria das vezes era na hora livre do trabalho, na qual não era rara. O mesmo sempre levava algumas papeladas do escritório para terminar em casa, então sempre sobrava tempo no trabalho, e gastava ele com Brooke, que almoçava quase todos os dias com Anthony.

Seu chefe, o próprio tio Julian, não pegava leve com ele, pois sempre quis mostrar que o trabalho duro gera recompensas boas. O escritório era apenas um dos cem que estavam pelo mundo. Anthony trabalhava na área de telemarketing, usando os quatro anos não concluídos de sua faculdade de artes plásticas em Nova York.

Anthony ria de uma piada que Brooke tinha mandado até que foi cortado por uma voz grave de uma mulher.

-Carta para o senhor... Senhor Anthony Michael Bates Ju... –Anthony levantou em um pulo e gritou, fazendo todos olharem para ele.

-Eu! Eu sou Anthony... Não precisa dizer o nome todo. –A mulher estava envergonhada da cena e logo entregou a carta para Anthony e saiu apressada.

Anthony sentou em sua cadeira e mandou uma mensagem para Brooke, ignorando a carta e a jogando na mesa.

-Desculpe ter saído,  uma mulher estava me chamando.

-Alguma pretendente sua? A fila está extensa né?

-Não para você...

Brooke não escreveu mais nada, apenas visualizou, e Anthony jogou o celular na mesa, se xingando por mandar aquilo. Logo se lembrou da carta e a abriu.

 

1 semana depois...

-O jogo de hoje é importante. Então não fiquem de gracinha. –O treinador ajeitava o chapéu enquanto passeava na frente dos jogadores. –Haverá alguns convidados de algumas universidades, e esse jogo é uma oportunidade para vocês. Então quero todos com a autorização para jogar assinada até a hora do jogo.

-Treinador Will, o Newton vai fazer um bom trabalho hoje, ainda mais que Maggie, sua filha, irá vê-lo jogar. –Hyler diz fazendo todos rirem, menos Newton que sentiu o olhar do treinador em sua direção.

Logo a porta do ginásio foi aberta e o grupo do coral seguido da senhora Lipwisth adentrou o local.

-Treinador Will, parece que acabaram os treinos. –Ela segurava várias partituras e ao seu lado estava Angelo, que encarava Newton seriamente. –Precisamos ensaiar para hoje a noite, já que o diretor disse que iriamos cantar o hino para abrir o show.

Logo a porta do ginásio foi aberta novamente, atraindo os olhares para o garoto magro com um teclado em mãos.

-Oh, desculpe pelo barulho. –Thomas forçava um sorriso desconfortável e logo alguns jogadores começaram a cochichar sobre o mesmo.

-Ali Thommy. Naquele canto. –Diz a senhora Lipwisth apontando para um canto e todos começaram a rir por causa do apelido.

Newton levantou do banco e foi ajudar o irmão a levar o teclado para o local indicado.

-Não consegue nem carregar um teclado, que bichinha. –Alguém do coral disse fazendo muitos rirem. –Tem que ter ajuda em tudo, acho que não consegue mais carregar nada de tanto dar.

-Que eu saiba, o passivo da história toda era você. –Thomas disse, apontando para Angelo, que estava fazendo as “piadinhas” com ele. –E nem venha dizer que não gostou, porque eu teria parado na nossa primeira vez se não fosse sua insistência.

Newton largou o teclado e empurrou o irmão, que segurava o choro, para fora do ginásio, enquanto todos estavam em silencio.

Thomas e Newton entraram em uma sala desocupada e logo Thomas desabou em um choro descontrolado. Newton trancou a porta e sentou se apoiou na parede.

-Tom, não precisa chorar. Você nunca teve nada com ele, então não precisa da satisfação a ele.

-Já faz dois meses que nós cortamos todas as nossas relações, ou pior, eu cortei, ele não consegue me esquecer. –Thomas dizia entre os soluços. –Eu só queria ficar em paz, sabe? Queria ser tratado igualmente, como todos te tratam como tratam a Maggie. Me tratar como um humano normal.

-Newton, o mundo é tão avançado, mas ao mesmo tempo é tão lento. Evoluímos tanto, mas certas coisas infelizmente permaneceram.

- Eu também beijo garotas. –Thomas riu e Newton sorriu para o irmão. –Na verdade nunca beijei nenhuma, mas também não estou afim.

-O dia que você precisar beijar alguém, pode me chamar.

-Eu não vou te beijar! –Thomas disse parando de chorar e arregalando os olhos, surpreso. –Saímos do mesmo útero cara, somos irmãos, e gêmeos. Não vou beijar meu irmão.

-Às vezes penso que também peguei um lado inteligente. –Newton abriu a porta, saindo da sala.

 

 

Anthony, Brooke, Thomas e Peter ocupavam um pedaço arquibancada do enorme ginásio. A escola festejava enquanto o jogo não começava. Peter comia um hot dog enquanto conversava animadamente com Thomas, perguntado sobre a escola, e de vez em quando, roubava um selinho do mesmo. Anthony e Brooke dividiam um copo grande de refrigerante, enquanto Brooke falava sobre alguns shows que estava organizando e que adoraria que Anthony toca-se novamente, coisa que acabou virando costume de Brooke, sempre adicionar Anthony no cronograma de bandas.

-Boa noite alunos e visitantes da Franklin Elementary School! Hoje teremos o jogo mais esperado do ano, as águias de Franklin e os pelicanos de Lincoln School! –Todos começaram a gritar e aplaudir as palavras da diretora. –Agora vamos nos preparar  para o hino nacional com o coral da escola Franklin Elementary School, coordenado pela senhora Lipwisth. Os envolvidos em seus lugares.

Logo Thomas deu um selinho em Peter e desceu a arquibancada e se dirigiu ao teclado. O coral havia se arrumado no ginásio e Thomas viu Angelo diante ao microfone, e seus olhares se encontraram, e Thomas desviou no mesmo instante.

-Oh, say! can you see by the dawn's early light. What so proudly we hailed at the twilight's last gleaming... –O coral e osalunos cantavam enquanto a banda acompanhava dando suporte, alguns ficavam em pé e outros apenas colocavam a mão no peito. - ... And the star-spangled banner in triumph shall wave. O'er the land of the free and the home of the brave.

Todos aplaudiram e Angelo olhou para Thomas e quando todos estavam saindo do palco, Peter percebeu que ele estava seguindo Thomas. Em um pulo, Peter desceu a arquibancada e foi de encontro com Thomas.

-Tom... –Thomas parou antes de chegar perto de Peter e percebeu que Angelo segurava seu pulso. –Precisamos conversar.

-Já não me humilhou demais em um dia? –Thomas puxou o braço e Peter parou ao seu lado. –Me procure amanhã, talvez eu esqueça o que você disse hoje e absorva mais magoas.

-Cara, ele não quer falar com você. –Peter se manifestou e Angelo estreitou os olhos para ele. –Cai fora.

-Então já arranjou alguém para me substituir? –Angelo ria e Thomas sorriu.

-Digamos que você sempre foi substituível, e não foi difícil achar alguém para o cargo. –Peter sorriu e passou o braço pela cintura de Thomas, fazendo Angelo sair pisando fundo.

-Então finalmente eu conheci o Angelo. –Peter me puxou para a arquibancada. –Tomara que ele vomite de remoço pelas coisas que já falou com você e escorregue no vomito e morra.

 

 

Faltava apenas 1 minuto para o jogo acabar. Franklin school: 97 pontos. Lincoln school: 99 pontos. Anthony torcia junto com Brooke e cantavam junto com a torcida da escola. Thomas decidiu não ver o minuto final e escondeu o rosto no pescoço de Peter, que mexia nos cabelos castanhos nervosamente.

Hyler conseguiu tomar a bola do adversário e teve duas opções: Newton em uma arriscada cesta de 3 pontos ou Silva em uma cesta de 2 pontos com marcação serrada. Logo o treinador grita para Hyler sobre o tempo e por impulso ele passa para Newton, que sem se preparar, arremessou a bola, que dançou no aro enquanto Newton ia de encontro ao chão.

-5... 4... 3... 2... CESTA! VITÓRIA DAS ÁGUIAS DE FRANKLIN! E a vitória é garantia nos últimos segundos! –O narrador gritava enquanto os alunos invadiam a quadra e festejavam a vitória. Anthony pulou a arquibancada e foi prestigiar o time junto com Brooke, enquanto Thomas abraçava Peter e pulavam.

Newton foi levantado por Bryce e logo foi levantado pelo time e sorria radiante. Logo pediu para descer e viu Maggie no meio de todos e correu para abraça-la.

Thomas desceu da arquibancada e foi parabenizar o time, enquanto Peter aproveitou o momento e foi no banheiro.

-Newt! Você conseguiu! –Thomas abraçou o irmão que o levantou e ambos gargalharam. –Eu fiquei muito nervoso. Eu quase ranquei o braço de Peter de tanto que apertei.

-Você tocou muito bem na abertura, fiquei orgulhoso. –Newton apertou a bochecha do irmão.

-Atrapalho? –Anthony colocou a mão no ombro de Newton. –Ótimo jogo. Você fez um belo arremesso.

-Eu estou cansado, mas mesmo assim eu vou querer ir no píer com vocês, e quero ver você tocando, Tony. –Thomas sorriu quando viu que os irmãos não estavam brigando, e Newton até usou um apelido.

-Okay, mas sobre tocar: temos que ver com a Brooke. –Anthony logo foi abraçado pela cintura por Brooke, que olhava sorrindo para Anthony. –Falando nela, estamos namorando.  –Thomas não segurou o sorriso e logo abraçou Brooke.


Notas Finais


Sobre o cap:
*Brooke me representa no assunto "Thomson".
*Eu tentei escrever a partida toda de basquete, vi metade da temporada dos Phoenix (meu time de basquete sz) e mesmo assim não conseguir escrever.
*Thomas sabe se defender, mas guarda remoço </3
*Anthony é um amorzinho com os irmãos, foi ver o jogo do Newton e a apresentação do Thomas sz

Música do capítulo: Dua Lipa - Blow Your Mind (Mwah)

bjs S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...