História The Beast Girl - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Hibridos, Original, Romance
Visualizações 42
Palavras 1.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Gente, estou muuuuito nervosa pq essa é minha primeira fanfic, espero que vocês gostem.. :)

Capítulo 1 - O começo


Fanfic / Fanfiction The Beast Girl - Capítulo 1 - O começo

Me chamo Rownny Wolf, sou híbrida de lobo, tecnicamente o termo correto seria dizer que sou um “lobisomem”, mas não gosto desse termo. Tenho 18 anos e fui resgatada a 3 anos de um lorde que me tinha como “seu brinquedinho de lutas”, ou como gostava de chamar: sua bonequinha. Eu não lembro dos meus pais, fui tirada deles muito cedo e levada para um lugar que prendiam híbridos, treinavam para ser tornarem armas e os vendiam para pessoas ricas por qualquer finalidade. Por sorte era usada só para lutas porque ainda tinha 15 anos. Apesar da pouca idade no tempo, era a melhor no que fazia, conhecida como “ The eyes of fear” ou “os olhos do medo”, meus oponentes ficavam amedrontados com um só olhar. Mas o sofrimento que eu lhes causei nas lutas nem se comparava com a realidade que eu vivia.

                Meu lar era um buraco escuro que não se via um único raio de luz, eu só tinha 2 refeições por dia, três se eu ganhasse uma luta. Eu tinha 10 metros de correntes pesadas espalhadas pelo meu corpo, tinha algemas em meus pés e mãos além de uma camisa de força e uma “coleira” em meu pescoço. É meio exagerado, só porque quebrei 5 correntes e quase matei dois guardas tentando fugir.

                Assim como qualquer outra noite, fui levada para uma luta que diziam ser suicídio. Meu oponente era um urso* (quando o nome de um animal for citado é o seu tipo híbrido), devia ter 2 metros e meio de altura e pesar uns 500 quilos. Até eu sabia que não conseguiria, mas o senhor lorde não se importava comigo e sim com o dinheiro porque eu não passava de um mero objeto...

                Após 5 minutos de lutas e eu ñ me aguentava em pé, consegui atingir sua perna para atrapalhar seus movimentos, mas já tinha vários machucados pelo meu corpo, um rasgo em meu ombro já sangrava a algum tempo, minha última tentativa foi me prender em seu pescoço e tentar cortá-lo, só não vi quando suas garras foram diretas em meu olho esquerdo e assim arremessada ao chão com força, senti como se meus ossos tivessem se quebrado em mil pedaços. Os paramédicos vieram em minha direção, disseram que era grave. O senhor lorde aproximou-se de mim e falou dando uma cuspidela no chão.

                -­Ela não presta mais para nada, joguem-na em algum lugar. Foram as últimas coisas que ouvi antes de me sedarem.

                Acordei meio atordoada com a trepidação, estava em um carro, vi pelas brechas do porta-malas que chovia naquela noite, alguns minutos depois pararam o carro, me vestiram apenas com um manto preto presa com várias correntes a minha volta e sem cerimônias fui jogada para fora.

                O frio e as dores eram minhas únicas companhias ali, ao ser arremessada do carro devo ter batido a cabeça em uma pedra já que sentia algo quente descer em meu rosto. As dores se tornavam insuportáveis ao ponto de sentir que iria desmaiar, aquele era o meu fim..., mas, ao longe vi uma luz e um ser se aproximando de mim. Ele falava comigo e eu não conseguia responder. A luz de sua lanterna não permitia ver seu rosto, mas vi outra coisa, acho eram... asas?? ERA UM ANJO!!! Parecia ser muito jovem pelo porte físico. Ao ver minhas condições e debilitada ele me pegou no colo e fui levada em seus braços quentinhos, não sabia aonde íamos, para o céu ou inferno, mas para mim já estava sendo um paraíso até eu desmaiar.

                Acordei em uma sala de hospital, um velho chamado Dr. Oogway Tartan (tartaruga) cuidou de mim até minha recuperação total, disse que era o diretor de um instituto que abrigava jovens híbridos e ensinava-os a aprimorar e aceitar suas condições. Ele era uma tartaruga velha que continha um coração bondoso, foi a pessoa mais próxima que senti se tornar como um pai para mim. Durante meus três anos internada ele me ensinava as coisas, de comportamento até conhecimentos gerais para que eu pudesse conviver com outras pessoas.

                Finalmente consegui sair daquele lugar para poder me tornar uma aluna, ganhei roupas novas e vários acessórios. Vesti uma blusinha azul clara colada com alças de um tecido leve que deixava meus ombros expostos, um short preto de cintura alta que desenhava meu quadril com uma pequena saia transparente presa com dois botões frontais deixando minha longa e sedosa calda bem a mostra (nunca tinha reparado o quando ela era linda). Coloquei uma meia-calça arrastão que combinava com as manguinhas das minhas luvas pretas, um par de botas pretas com salto e para completar duas chuquinhas na cabeça.

                Cheguei no portão do instituto e admirei um enorme jardim que envolvia o prédio de aparência quase como de um castelo com um monte de jovens, assim como eu, híbridos. Enquanto eu caminhava até o edifício sentia os vários olhos em minha direção, era bem desconfortável, me sentia um monstro, de certa forma eu era. De repente eu escutei uns gritos junto com uma bola vinda em minha direção, foi bem rápido de desviar daquele objeto, mas não da pessoa que corria atrás dela.

                Ele acabou caindo por cima de mim, quando abri os olhos vi seus olhos azul tão claro que parecia o céu, seus cabelos castanho médio quase mel... Meu Deus que garoto perfeito. Minhas mãos foram parar em seu peitoral bem definido, fiquei totalmente envergonha ao notar nossos rostos tão próximos ao ponto de sentir sua respiração.

                - Desculpa, não vi você. Antes que respondesse grosseiramente eu fui paralisada com uma visão, ele tinha asas!!!

                - Moça você está bem?? Acho que fiquei hipnotizada por um momento porque a voz dele me trouxe de volta a realidade.

                -Quê?? Há sim, estou.

                -É novata né?? Nuca vi você pelo campus.

                -Sou sim, mau cheguei aqui e já tive uma bela recepção!!! Falei dando um empurrão com força nele, andei com passos pesados de tanta raiva. Vai ser um longo semestre esse ano...

 

                 

                


Notas Finais


nossa que emoção, estou tentando juntar coragem faz tempo pra postas... então é isso, espero que gostem ^w^ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...