História The Beat of Heart (NamJin) - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jin, Namjin, Namjoon, Yaoi
Exibições 1.493
Palavras 1.642
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoinhas!

Quando se tem um bloqueio criativo para fanfics, o desespero de uma autora é enorme.
Ainda estou passando por esse problema, mas logo consigo pegar o ritmo.

Boa leitura!

Capítulo 56 - Fifty Six


Fanfic / Fanfiction The Beat of Heart (NamJin) - Capítulo 56 - Fifty Six

JIMIN P.O.V

                Era incrível como Kook se transformava em uma criança quando o assunto é ganhar carinho, agora, por exemplo, estou deitado e ele dorme com a cabeça sobre meu peito. Enquanto os outros estão falando alto na sala, acho que assistiam a um filme.

- Eles não conseguem falar baixo. – Kook tinha a voz sonolenta.

- Estão animados. – disse rindo.

- Com o que? – falou após bocejar.

- Não faço ideia. – sorri mais e agora Jungkook me olhava. – Que foi?

- Você esta lindo com o cabelo bagunçado.

- Obrigado, eu acho. – ele então se ajeitou se virando ficando sobre mim e me beijou. Minhas mãos seguraram em sua cintura enquanto suas mãos apoiavam o corpo na altura dos meus ombros.  – Uou, que foi isso?  - perguntei quando nossos lábios se separaram.

- Eu quero carinho, H Y U N G. – falou ele pausadamente me fazendo sentir o corpo esquentar.

- Mas eu já estava te dando cafuné. – sorri sem graça escondendo meu desconforto com a situação.

- Não hyung. Eu quero assim. – falou me beijando o pescoço

JUNGKOOK P.O.V

                Acordei sentindo o carinho de Jimin, meu coração batia acelerado e havia acabado de sonhar coisas extremamente quentes e ter o corpo tão perto do Chimchim fez meus pensamentos alimentarem minha imaginação e com isso uma ereção.

                Meus beijos eram com mordidas no pescoço dele, e ouvia sua respiração forte quando dava pequena sugada próxima a sua clavícula.

- Kook... – ouvi sua voz sair um pouco falha.

- Hyung não me odeie. – falei com a boca um pouco encostada em seu pescoço.

- Para de me chamar assim. – ele suspirou quando passei a mão por baixo de sua blusa.

- Por quê? Hyung? – sorri quando mordi seu lóbulo da orelha esquerda.

- Você já se ouviu falando assim? É tão... – desci minhas mãos por cima da roupa até suas pernas apertando sua coxa. - Que droga.

- Hyung não quer brincar? – o olhei e seus olhos estavam fechados.

- Brincar? Aigo Kook! – ele abrira os olhos e me encarou. – O que te deu?

- Por enquanto nada. – sorri travesso e agora passando a mão no meio de suas pernas sentindo que Jimin estava ficando no mesmo estado que eu. Eu apertei de leve.

- Hum.. Kook... Você esta me deixando louco. – soltou entre gemidos e novamente o apertei e logo outro gemido.

- Hyung gosta?

- Kook. – Jimin segurou minha mão que o alisava e me olhou sério. – Se for para fazermos algo, acho que é melhor esperar.

- Esperar? O que? Por quê?

- Estamos no nosso quarto, o mesmo que dividimos com Tae e os outros estão na sala. Acho que quando for para fazer algo desse tipo, seria melhor estarmos a sós. – não falei nada, Jimin tocou em um ponto que eu não havia pensado.

- Entendo. – me deitei ao seu lado.

- Está bravo comigo? – ele me olhou.

- Não, só... – suspirei. – Estou nesse estado e agora você também.

- Vem cá. – ele me abraçou.

- Você sabe que isso é pior né? – eu sorri notando a expressão sem jeito de Jimin.

- Desculpe. – ele tentou tirou os braços que me envolviam, porém eu segurei.

- Não sai, fica assim.

- Kookie, eu te amo. – eu o olhei e dando um beijo na ponta do seu nariz respondi.

- Eu te amo também Chimchim.

TAEHYUNG P.O.V

                Estava na sala com os outros, riamos de um filme besteirol que passava e Jin havia preparado pipoca para nós. Apenas Jimin e Kook não estavam dispostos a ver conosco e eu até entendo o por quê, ambos haviam se declarado e desde então não tiveram nem tempo de se curtir e eu como bom moço que sou, não queria entrar naquele quarto e atrapalhar qualquer coisa que estivessem fazendo.

                As nossas risadas ecoavam pela casa, mas em certo momento o rapaz do filme dizia à garota o que sentia e nesse momento me senti incomodado. Não pelo fato de só haver casais a minha volta e sim pelas frases que o moço dizia.

                “Somos amigos, eu te conheço melhor que qualquer um, porque não tentar?”

                “Você já sabe dos meus sentimentos, mesmo que não sinta isso, acho que seria justo eu fazer você se apaixonar por mim”.

                Engoli em seco, o rosto de Minjae naquela noite veio em minha mente e logo o dia em que prometi que responderia o mais breve possível. Eu precisava conversar com ele e dá uma resposta, mas a coragem não existia em mim e nem a disposição de ter que olhá-lo sem ao menos sentir seus lábios. Estava passando muito tempo pensando nele, em como era bom estar perto e o modo como me fazia sentir.

- Tae vai derrubar a pipoca. – ouvi a voz de Hope e então acordei notando que quase perdi minha bacia de pipoca.

- Você esta bem? – perguntou Yoongi.

- Sim, só cansado acho. – falei o encarando.

- Acha?

- Tae, porque você não vai comprar alguns refrescos para nós? – a voz de Namjoon me surpreendeu.

- Hum? – perguntei estranhando.

- Aproveita e esfria essa sua cabeça. – ele piscou para mim.

- Ah sim, eu vou. – sorri para o mesmo e me levantei pegando a mascara para sair na rua.

                Andando na calçada sentindo aquele ar fresco batendo no meu rosto me dava uma leveza, parecia que não precisava fazer nada, que não havia obrigações e que não teria de ser corajoso. Respirei fundo e sem perceber eu estava com o celular no ouvido e então uma voz sonolenta atendeu.

- Alô?

- Minjae?

- Tae? Porque esta me ligando às... – uma pausa. – Dez horas da noite.

- Te acordei?

- Não, na verdade sim. Aconteceu algo?

- Desculpe, não aconteceu nada. – suspirei.

- Tem certeza?

- Minjae, posso ir ai? – um silêncio seguido de um som que eu conhecia, ele estava sorrindo.

- Pode, claro que pode.

- Ok. Até depois. – desliguei após ouvir o seu “Até”.

              O que eu estava fazendo? Porque liguei para ele? O que eu tinha na cabeça por estar fazendo isso? Minjae. Era isso, minha mente só buscava por ele, meu coração maluco só queria ele e desde que voltou a tocar nesse assunto meus sentimentos se reacenderam, depois que passei alguns anos escondendo, um longo tempo para saber que se ama alguém.

                Peguei um taxi até sua casa e no caminho havia passado uma mensagem a Jin dizendo a onde estava para que não se preocupasse por eu ter ido buscar refresco no outro lado do mundo. Quando cheguei a sua porta toquei a campainha que logo foi correspondida por uma porta sendo aberta com um Minjae de blusa de manga comprida e uma calça de pijama.

- Oi.

- Oi. – ele passou um bom tempo me olhando até se jogar para o canto da porta e me dar passagem. – Entra.

- Obrigado. – entrei e logo ele fechou a porta ficando do meu lado.

- Quer alguma coisa? – perguntou sendo bem receptivo.

- Não, valeu. – me sentei no sofá e passei a mão no rosto me jogando no encosto do acento.

- Está tudo bem Taehyung? – ele se sentou no sofá do meu lado e quando o olhei  vi por cima de seu ombro o quarto aberto e um espelho quebrado.

- O que aconteceu? – perguntei apontando e me ajeitando melhor.

- Excesso de raiva? – respondeu em forma de pergunta e eu o olhei sério. – Eu joguei meu celular nele, no dia que você esteve aqui em cima. – respirei fundo e ele fez uma expressão de que estava arrependido.

- Min. – encarei seus olhos escuros e tão arredondados na parte superior que davam uma certa inocência a ele.

- O que foi?

- Você tem olhos lindos. – nesse momento ele coçou a nuca e riu. – O sorriso tão fofo que queria ver ele todos os dias.

- O que te deu? Tirou a noite para vir aqui me deixar sem graça?

- Minjae, eu gosto de você do mesmo jeito que gosta de mim. – ele me olhou e o sorriso que tinha antes foi e voltou maior ainda.

- Como?

- Eu havia saído para caminhar hoje, esfriar a mente, mas me peguei ligando para você, porque tudo o que faço tudo que penso e tudo que sinto é que devo ficar ao seu lado. Acho que o que se encaixa aqui é ... Minjae, estou apaixonado por você.

- Eu quero muito te beijar agora, posso? – ele perguntou e eu comecei a ir em sua direção encostando nossos lábios.

                Senti seu gosto, não era de menta e sim de suco e suas mãos seguravam em minha nuca ditando a direção em que movíamos nossas línguas. Mas tudo que é bom dura pouco, ele se afastou ainda sorrindo e seus olhos fechados.

- Eu espero que não esteja sonhando porque cai da cama e estou em coma. – ele abriu os olhos.

- Você é exagerado, sabia disso?

- Eu estou feliz, eu te amo tanto Tae. – me deu um selinho. – Vai passar a noite aqui né? – disse ele olhando o relógio na estante.

- Eu ia embora ainda hoje. – falei olhando para o mesmo relógio até que ele me vira para encara-lo.

- Nada disso. Você vai dormir aqui. – Minjae apertava minhas bochechas me fazendo formar um bico. – Tão fofo. – e novamente me depositou um selinho, largando meu rosto e me beijando de novo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Por favor, amem o Minjae.

Frase da minha vida "Porque tudo o que faço tudo que penso e tudo que sinto é que devo ficar ao seu lado"
Estou no Twitter: @SraBlu
Beijos :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...