História The Beautiful Boy (Imagine Jungkook - BTS) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Elychanx, Imagine, Jungkook, Você
Visualizações 186
Palavras 2.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente linda♥

Como eu adoro dá nomes para personagens não resistir em colocar um apelido na garota, é somente um apelido, vocês ainda podem se imaginar sendo ela, afinal isso aqui é uma long fic de imagine.

Tentei dá o meu melhor nesse capítulo, espero que seja do agrado de vocês. No próximo terá a interação entre os dois.

Capítulo 3 - Um talvez


Fanfic / Fanfiction The Beautiful Boy (Imagine Jungkook - BTS) - Capítulo 3 - Um talvez

São 11:11.

Quando não há muito tempo restando no dia, quando costumávamos fazer desejos e rir tudo me lembra você. O vento é tão frio quanto a borda do seu coração. Quando eu abro a janela, você sopra, quando este tempo passar esse término irá acabar? Eu irei te esquecer? — Taeyeon - 11:11

Uma vez me disseram que agir com pensamentos e obtendo confiança poderia facilmente superar a timidez de uma maneira mais fácil. Procurei seguir o que disseram e conseguir eliminar metade de minha timidez para conseguir alcançar as metas nas quais queria em minha vida, no entanto, a timidez que deixei para trás voltou em um piscar de olhos assim que aquele certo lindo garoto entrou na minha vida. Diante dele eu só conseguia morder meus lábios repleta de nervosismo no mesmo tempo em que os outros garotos me olhavam de uma forma preocupante, já Jungkook, ele não tirava os olhos de mim; suas bochechas estavam extremamente vermelhas e sua expressão atônita, parecendo que acabou de receber uma notícia assustadora que o deixou no estado em que estava.

Quando pensei que a situação desconfortável na qual nos encontrávamos iria se passar como na velocidade da luz, tudo só piorou me fazendo ficar com as bochechas coradas também. Jung Hoseok que só se divertia com aquilo, me olhou lançando uma piscadela, sustentando os sons de suas risadas omitidas. Levei a mão até o rosto vermelho de vergonha, cobri um pouco da minha bochecha esquerda, soltando um suspiro discreto sem os sete homens jovens perceberem. Procurando mudar a situação de olhares, risadas e vergonha, me curvei e pedi licença para sair e respirar ar fresco sem ninguém por perto. Os mesmos também se curvaram, forcei um mínimo sorriso e sair pela a saída que se localizava atrás de mim.

Quando estava longe dos sete e principalmente dele, me encostei na parede, pôs a mão sobre o peito sentindo meu coração bater aceleradamente. Tinha sido tão estranho, estranho num bom sentido. Eu não sei o que pensava daquilo que aconteceu, estava muito confusa, contudo mantinha mais um pensamento louco na mente, um relacionado a destino e união. Eu poderia ter caído e me esborrachado no chão, por sorte não cair graças a Jungkook que me poupou da queda, tinha muito que agradecer a ele, teria que deixar o meu lado tímido de fora e tomar coragem para agradecê-lo, assim falando pela a primeira vez com ele de verdade, já que devido ao nervosismo nem o respondi direito quando ele perguntou se eu estava bem.

Será loucura o que direi agora, mas eu tenho toda a certeza que tive a sensação de sentir que aquilo iria acontecer, que eu iria esbarrar, quase cair e ele me segurar com os seus braços fortes. Sim, só podia ter sido um daqueles déjà vê, certamente era isso sim com uma grande possibilidade de chance. Aish, o que está acontecendo comigo? Sempre que ele prendi seus olhos em mim eu fico tímida e envergonhado, descobri que ele provavelmente anda me observando discretamente e quando eu olho para ele, ele simplesmente desvia fingindo mexer no celular ou olhar para outro lugar ou pessoa. Que problema era esse dele? Me sentia tão confusa, não sabia se ele gostava de me observar ou porque só tinha curiosidade.

Não fazia nem uma semana que comecei a trabalhar como sua staff, que toda essa guerra entre um pouco disso e um pouco daquilo já estava acontecendo. E mesmo com poucos dias que o conheci, já sentia algo forte como uma atração nascendo de pouco a pouco. E o que é isso, atração ou paixão? Definitivamente uma pequena "atração", apenas isto.

— Jeon Jungkook. — Sussurrei o nome dele baixinho abrindo um sorriso pensativo nos lábios. — O que devo fazer? — Perguntei para mim mesma fazendo uma carinha chorosa cheia de dúvidas quanto agradecer a ele ou não. — Aish. — Resmunguei bagunçando os cabelos longos. — Malditas dúvidas. — Finalizei o diálogo comigo mesma suspirando suavemente enquanto fechava meus olhos.

                   [...]

O clima pesado e constrangedor havia se passado, tudo voltou à ser como antes: normal e silêncioso. No tempo em que estava no meio do grupo dos staffs conversando sobre assuntos aleatórias, alguns deles chegavam até a me fazer perguntas sobre a faculdade que estudo e qual curso fazia, nada obstante, nem sequer prestava atenção na conversa deles, minha cabeça e concentração estava praticamente no espaço. Pensava nas diversas maneiras de como criar coragem para me aproximar dele e dizer um "obrigada". Era simples fazer isso, porém para mim parecia ser a coisa mais difícil do mundo. Timidez, nervosismo e a vontade de gaguejar instantaneamente: isso impedia que eu falasse com ele, além do mais ele só me evitava, do que iria adiantar?

Ele me tratava diferente de como tratava as outras staffs que também eram novatas assim como eu e tinham a mesma idade que a minha. Jungkook as tratava normalmente, de vez em quando conversava com elas sorrindo de alguma piada que as meninas contou e se sentia mais a vontade, já comigo era totalmente desigual; ele só me observava de costas, sempre que mirava meu olhar nele ele não respondia virando o rosto de lado, seu semblante era sereno quando o fitava, seu sorriso permanecia trancado, sua animação e seu lado brincalhão aparentava que ambos os lados nem faziam parte dele quando eu estava na sua presença, me trazendo a dúvida cruel de saber o que eu fiz de errado para ele me evitar assim.

Já os outros meninos agiam normalmente comigo, às vezes puxavam assunto, mas Jungkook era mais reservado e preferia se manter longe de mim como se eu representasse uma ameaça para ele. Sabia que o seu modo de agir é por causa da timidez, entretanto com os outros ele demostrava ser menos tímido e mais sociável. Eu só podia ser um problema pra ele, não fiz nada de errado, respeitava ele querer não falar comigo e fingia que não percebia que ele costumava me observar enquanto auxiliava um de seus hyungs. Provavelmente eu não passava de um grande problema duvidoso para o Maknae, um problema cheio de dúvidas, incertezas e atrações. Só me acostumaria com isso, talvez com um tempo as coisa poderiam mudar, era só uma questão de tempo, não poderia forçar muito.

Por enquanto não tomaria coragem para demostrar o meu agradecimento, iria me conformar só com as nossas simples trocas de olhares repentinas. Daria um tempo a ele e seria paciente para esperá-lo se acostumar com essa staff novata aqui, seria a única maneira de deixar as coisas irem se fluindo de pouquinho em pouquinho.

— Ei, _____ você está aí? — Ouvir um estalo de dedos me fazendo sair dos desvaneios, murmurei um "hum" e olhei para a pessoa que tentava chamar a minha atenção, Eun Jin, uma das três staffs novatas e ainda por cima muito bonita. — Ouviu o que eu falei Liz? — Ela perguntou me chamando pelo o apelido que pedi que me chamasse.

— Ah… — Franzi de leve o cenho. — Não, sobre o que falava? — Dei um gole no suco que estava dentro de um copo plástico em minha mão há vários minutos que só agora fui perceber. Droga, esses desvaneios constantes estão me deixando cada vez mais perdida no mundo da lua, mal prestava atenção no que as três garotas conversavam.

— Estávamos comentando sobre os rapazes. — Ela sorriu maliciosa ao mencionar os meninos no assunto. — Quem você acha mais gostoso de lá? — Indagou com o seu sorriso malicioso se aumentando, comecei a torcer diversas vezes quase me angasgando com o suco se passando pela a minha garganta. Meu rosto estava ficando mais vermelho e meus olhos marejavam em motivo das vezes que torcia assustada com a pergunta dela.

— Q-que t-tipo de pergunta é essa sua maluca? — Limpei o canto dos olhos molhados pelas lágrimas recém caídas, as três começaram a rir debochado.

— Ah por favor né Liz, não venha se fazer de inocente para cima da gente, seja sincera e nos diga qual dos rapazes é mais gostoso pra você. — Torci outra vez revirando os olhos ao mesmo tempo. Aonde elas queriam chegar com essas perguntas indecentes?

— Desculpa meninas, eu preciso ir. — Disse me levantando e recolhendo minha bolsa junto com o celular que acabava de apitar com uma nova mensagem do meu irmão pedindo para eu ir pra casa urgente. — Meu irmão deve está precisando de ajuda na cozinha, vejo vocês amanhã. — Elas sorriram compreendendo, antes de me afastar me curvei educadamente e sair do restaurante andando com presa para conseguir chegar a tempo para chamar um taxi.

Suspeitava de qual emergência meu irmão estava precisando, certamente ele deveria ter queimado outra vez a comida ou causado uma bagunça na cozinha com a sua namorada maluquinha.

                   [...]

Quando cheguei em casa parei em frente a porta, comecei a revirar a bolsa em busca das chaves da residência. Assim que as achei coloquei a chave na tranca e abrir a porta, logo frazindo o cenho estranhando um silêncio estranho na casa pois quando meu irmão trazia sua namorada para passarem a tarde juntos os dois costumavam fazer muito barulho e rirem alto, tanto que era provável de que nossos vizinhos escutavam suas risadas eufóricas. Fechei a porta seguidamente depois me virei piscando os olhos pelo o ambiente está todo escuro. A cada cômodo estreito que andava, ligava as luzes até chegar na sala de estar. Esticando o braço para ligar o acendedor, levei um grande susto após acender a luz da sala e me deparar com todos os meus amigos da faculdade, irmãos, vizinhos e parentes gritando "surpresa".

Posicionei as duas mãos no coração respirando ofegante devido ao imenso susto repentino que levei, os que estavam ali presente vieram até mim sorrindo, de inesperado cada um deles começaram a me abraçar sem eu entender nada do porque eles me abraçavam carinhosamente e porque essa festa surpresa já que eu fiz dezenove anos mês passado, bastante tempo para uma festa de aniversário surpresa só agora. Sem saber o que fazer diante de todos aqueles abraços de afeto, abri os braços e fui retribuindo cada abraço deles estando confusa e perdida outra vez. Quando chegou a hora de Somin (a namorada do meu irmão) me abraçar, aproximei-me mais dela e sussurei só para a unnie escutar.

— Somin o que está acontecendo aqui? — Perguntei olhando em volta, notando a casa toda decorada de balões, no centro da sala uma faixa pendurada no alto da parede escrito"parabéns" e uma mesa cheia de comidas perto dos meus irmãos mais novos, quais se encontravam distraídos vendo algo de interessante no celular que dei para eles dois de presente no natal.

— É uma festa pra você em comemoração meio que é… Atrasada. — Ela se afastou cessando o abraço, arqueei as duas sombrancelhas franzino a testa. — Lembra da aposta que eu e seu irmão fizemos no ano passado? — Balencei a cabeça vagamente assentindo. — Prometemos que faríamos uma festa se você conseguisse terminar o colegial e entrar para a University Korean antes de fazer 18 anos caso você conseguisse cumprir, como você conseguiu vencer o desafio graças a sua total dedicação nos estudos, estamos agora cumprindo o nosso trato da aposta.

— Mas Somin unnie… — Disse entre as risadas que saiam. — Isso foi há um ano atrás, nem me lembrava mais disso.

— E daí? — Ela fez uma careta cruzando os braços. — Promessa é promessa! — Agora pare de reclamar e curta a festa. — Agarrou me braço começando a me arrastar para o meu grupo de amigos que conversavam segurando copos de refringente na mão.

— Ah, Liz estávamos falando justamente de você. — Exclamou Jiwoo, a minha melhor amiga de infância. Acenei pra ela e para os outros os cumprimentando na companhia de um sorriso indecifrável. — O Lee nos contou que você está trabalhando de staff de um grupo famoso, é verdade unnie?

— Sim. — Respondi sorrindo.

Foi apenas minha amiga mencionar o meu trabalho que a imagem dele se passou na mente. Continuava incomodada com o seu jeito desigual dos demais, me perguntava se talvez um dia muito próximo ele poderia conversar e me considerar como a sua mais nova amiga. Não importa o que for acontecer daqui por diante, continuarei na esperança de que talvez mesmo… Jungkook possa ser o meu amigo.


Notas Finais


Aqui a playlist da trilha sonora da fanfic:

Playlist romance💕🎤: http://www.youtube.com/playlist?list=PLkMebBQa-DJS-60jWGWnljhdiwPF8vg3E

Até o próximo, bjs.

Amo vocês♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...