História The Beggar - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Niall Horan, Zayn Malik
Tags Niall Horan, Zayn Malik, Ziall
Exibições 74
Palavras 1.938
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLA

Capítulo 22 - Luz



A situação de Niall está bem pior que ele imagina, Louis sabia que isso poderia acontecer, o estado dele é muito grave e não seria um tratamento, mesmo que seja muito bom, que resolveria tudo, e infelizmente confirmando o que ele imaginava, mas o maior problema é que existem outras coisas que ele nem imaginava e que agora sabe, coisas que podem destruir Niall por completo se ele sequer souber. 



Para acamar o loiro deram um tipo de calmante a ele injetando em sua veia, está no quarto de Louis dormindo com uma enfermeira ao seu lado, enquanto o médico e Perrie estão no jardim da entrada do hospital conversando. 



— Você sabia que isso aconteceria não é? Perrie perguntou fungando e limpando seus olhos, não pode ver Niall chorando que ela chora também, e tudo piora quando a loira fica sabendo de uma notícia dessas. 



— Na verdade, sim. Louis olhou para baixo e arrumou seu óculos, uma corrente fria de ar passou por ali, dando uma sensação estranha aos dois sentados. De repente uma mais forte veio, e ambos perceberam que um temporal está bem atrás dos dois, e em poucos segundos tirou toda a luz do sol com as nuvens carregadas de chuva, ou talvez, de notícias ruins. 



— Você deveria ter me contado, pelo menos eu não ficaria nesse estado. 




— Me perdoe por isso, é que eu não queria acabar com as suas esperanças de o ver andar novamente, e também, eu tinha esperança que isso pudesse acontecer, mas as pancadas nas suas coxas foram tão fortes que destruíram tudo, Niall tem sorte por não ter que amputar as duas pernas. Louis voltou a olhar para sua frente e suspirou, é difícil dizer a si mesmo que não conseguiu o que queria, não se pode dizer que ele fracassou, só que para ele o que aconteceu foi isso. 



 — É tudo culpa daquele demônio. Perrie não conseguiu esconder o ódio em sua fala, suas mãos se fecharam estando sobre suas coxas, e seu olhar ficou sério. Louis olhou para ela e pode notar a raiva que ela sente de Zayn. — E o pior é que ele não está mais na cadeia. 



— Niall sabe disso? 



— Não, e se depender de mim ele nunca vai saber, eu sei que ele ainda gosta do Zayn, ele sempre foi assim, nutri grandes sentimentos por pessoas que não merecem nem um pingo deles, a carência que ele tem e a facilidade de se apaixonar acabam sendo culpadas por toda essa desgraça. 




— Perrie, ele é humano. 



— Eu sei. A loira disse com a voz embargada de pranto e seu olhar caiu sobre suas mãos fechadas sobre suas coxas. — O problema é que ele fica cego, a paixão o domina e o faz fazer coisas absurdas, eu não vou permitir que isso aconteça de novo. Mais uma vez as lágrimas começaram a escorrer de seus olhos, e aquela dor que a loira já sentiu a um bom tempo retornara para a atormentar novamente. 



— Eu sei que é difícil ouvir isso, mas você tem que aprender a deixar Niall caminhar sozinho, ele já é um homem feito e maior de idade, sabe o que faz e é responsável por seus atos, ele não é mais seu amigo do ensino médio Perrie, você tem que parar de se preocupar tanto com ele, claro que eu não quero que acabe com sua amizade, você precisa deixar que ele erre, só assim que Niall vai crescer como pessoa. 



— Eu sei. A loira disse entre pranto e permanecendo com o olhar sobre suas mãos.  — Mas… eu não consigo. Perrie desabou em lágrimas  e o médico a abraçou de lado, ele de uma certa forma entende ela, mas ela precisa entender ele também, não pode ficar a vida toda cuidando de Niall, ele tem que aprender a caminhar sozinho, e como todos, aprender com seus erros. 


Não demorou muito para que a chuva começasse a cair, e nenhum dos dois ligou para isso, devido o momento em que se encontram, não se importaram em se molhar. Vendo isso, Louis decidiu não contar a ela que Niall pode ficar cego, e que ele pode perder o movimento das mãos e braços, e o pior, que ele pode entrar em estado vegetativo. 




Uma Semana Depois… 



— Você tem certeza que quer ir embora Perrie? Podem ficar aqui por mais um tempo, não tem problema nenhum. Louis dizia pela segunda vez a loira, os dois estão no consultório do médico, chegou o momento de ir embora, já que o tratamento não deu certo, não a motivos para que Niall fique no hospital. 




— Eu já disse que não posso Louis. A loira disse franzindo o cenho com o olhar sobre a bolsa aberta. — Niall precisa sair daqui, mesmo que seja o lugar mais lindo do mundo, as lembranças ruins não vão sair de sua cabeça. 



— Mas, a cidade que vocês moram não é um lugar pior? Louis chegou a sorrir fracamente. — Não se preocupe com dinheiro, e também não pense que vai ocupar um lugar de alguém que precise, minha clínica é grande e se chegar a lotar, fazemos outra. Perrie riu fraco e fechou a bolsa olhando para o médico novamente. — É sério. Louis continuou com um pequeno sorriso nos lábios. 



— Não Louis, não tem necessidade, eu preciso voltar urgentemente para a cidade, tenho que pegar minha indenização do processo contra a família do diabo um e do diabo dois. 




— O que? Louis riu. — A. O médico se levantou parecendo entender o que Perrie havia dito. — O diabo um seria Harry, e o diabo dois o Zayn? 



— É. A loira disse abrindo um pouco mais os olhos e suspirando. — Infelizmente a minha briga com eles ainda não acabou, e do jeito que as duas famílias me queimaram por aí, não vou arranjar emprego nem nesse estado. Perrie balançou a cabeça para os lados em negação e Louis riu. 



— Você está exagerando. Ele se sentou na cadeira ao lado dela e voltou a ficar sério. — Já que você não quer mesmo ficar aqui eu não tenho outra alternativa senão amarrar você e o Niall e não permitir que saiam daqui. Louis tentou um olhar intimidador, mas Perrie já conhece ele bem e sabe que não passa de uma brincadeira. 



— Bobo. Ela se levantou da cadeira com um pequeno sorriso nos lábios e Louis fez o mesmo. — Obrigado por tudo o que você fez por Niall, não sei o que faríamos sem você, mesmo não conseguindo o que queríamos, pelo menos tentamos e é isso que importa. 




— É. Louis sorriu largo com as mãos nos bolsos de seu jaleco. — E não tem o que agradecer, só fiz a minha obrigação. Perrie sorriu e se aproximou do médico dando-lhe um forte abraço e agradecendo ele mais uma vez. O gesto não durou mais que dois minutos, e com os dois se separando, Perrie seguiu para a porta, e nesse momento Louis se lembrou de algo importante. — E Niall? Não vai se despedir de mim? 



— Ele está no jardim da entrada. Perrie disse já fora da sala olhando para Louis. — Está esperando você. Dizendo isso a loira fechou a porta e Louis olhou para os lados, pensando em algumas coisas. 



Saindo de sua sala e chegando rapidamente ao jardim, de longe ele viu Niall perto de uma árvore, com o mesmo olhar e expressão facial de tristeza, nessa semana que passou ele não falou com ninguém, só fez o que pediam para ele fazer, sem dar um piu, isso é preocupante, mas também é esperado. 



— Pensei que você não iria se despedir de mim. Louis se sentou no banco se aproximando de Niall que nem deu bola. A animação do médico não contagiou nada nada o loiro. — Eu vou sentir saudades de você, passamos muito tempo juntos e eu já te considero um amigo. Olhando atentamente para o rosto de Niall que não acontece mudança alguma com as palavras de Louis, ele sabia que isso aconteceria, mas felizmente tem uma carta na manga. — Sabe. O médico olhou para o céu se lembrando do que vai falar. — Uma paciente já teve quase a mesma coisa que você, eu me lembro bem dela, era loira, dos olhos verdes, parecia uma boneca de tão linda, e o que mais me impressionava nela era a sua força de vontade, sempre contente e alegre, e mesmo não conseguido se curar, ela ficou feliz. 




— O que ela tinha? Niall perguntou dando uma pequena animação em Louis, mas a mesma foi guardada dentro de si e o médico e olhou seriamente para o Loiro que continua do mesmo jeito. 



— Câncer. Ao ouvir Niall levantou as sobrancelhas mostrando estar surpreso. — E sabe o que é mais impressionante? Ela morreu a mais de cem anos. 



— Mas, você disse que 




— Sim. Louis interrompeu Niall com um sorriso nos lábios. — É uma lenda que eu soube assim que cheguei aqui, várias pessoas já disseram que a viram caminhar, na verdade correr por essas bandas, e disseram que sentiram uma sensação tão boa, reconfortante, indescritível. Por isso que esse local tem o nome de Vale De Luz, com certeza você não sabia, e agora sabe. Luz, porque esse era o nome dela, Luz, a luz que iluminava até a pior  escuridão. Louis sorriu olhando mais uma vez para o céu, e Niall olhou para os lados pensando nessa tal de Luz. — Eu espero que você seja como ela Niall, não desista, mesmo que tudo pareça estar desmoronando, seja forte, persista mesmo que tudo der a falsa sensação de fim. Colocando uma mão sobre a do loiro, Louis disse tudo olhando para o céu, que por sinal está lindo, o loiro olhou para ele também, e refletiu sobre isso.  — Essa é a única coisa que eu te peço. O médico olhou para Niall que fez o mesmo, sorriu largo para ele e apertou sua mão um pouco mais. — Não deixe que isso te impeça de viver, você é jovem e muito bonito, tem uma vida pela frente! Não desista nunca! Louis disse as últimas palavras em um tom mais alto, não que ele esteja bravo, e sim que esteja animado. E de repente, uma corrente fresca de ar passou por eles, poderia dizer que é ela, mas confirmar não é possível. 




— Tudo bem. Niall disse parecendo estar mais calmo e surpreendeu o médico dando um pequeno sorriso de lado. — Eu vou tentar. 



— Não, você vai conseguir! 



— Sim. O loiro disse assentindo e rindo fracamente. — Eu vou conseguir, mesmo não tendo fé nisso, eu vou. 



— Isso! Louis falou animado. — Você vai conseguir o que quiser, ninguém pode negar isso a você, vá em frente e coloque o mundo aos seus pés, e mostre a eles que você pode fazer o que quiser. Os incentivos cada vez animam mais e mais o loiro, seu sorriso finalmente se pode dizer que é um sorriso, mas. 



O portão de repente se abriu e dois carros pretos entraram, chamando a atenção dos dois sentados. O primeiro carro que entrou parou praticamente ao lado de Niall, e não se sabe porque ele ficou prestando atenção. A porta se abriu e uma pessoa usando um terno preto e um óculos saiu. Os olhos do loiro nunca se arregalaram tanto em sua vida. Começou a tremer, e a suar frio, seu coração bate tão rápido que parece que quer sair de seu peito. A pessoa se aproximou e ficou a frente de Niall. 



— Quanto tempo, mendigo. O olhar de superioridade e desprezo foram claramente vistos pelo loiro, e aquela voz que atormenta seus sonhos, está ouvindo mais uma vez. 




Zayn voltou, e agora para literalmente destruir a vida de Niall. 


Notas Finais


AÍ MEU DEUS DO CEU A COBRA VOLTO
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO!
100 FAVS THANKSKSKKSKDMSKSNSKSNSK!!
VAMOS PARAR DE FANTASMAR E COMENTAR!
KISSES E MAIS KISSES!
ATE MAIS!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...