História The Beginning Of A Life Not Too Normal - Capítulo 55


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adore Delano, Avenged Sevenfold
Personagens Adore Delano, Johnny Christ, M. Shadows, Synyster Gates, The Rev, Zacky Vengeance
Tags Bebes, Teen Mom
Exibições 68
Palavras 9.704
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


LEIAM, POR FAVOR!!!!

Olá, meninas!!!
É sério, me desculpem pela demora, por favor. Eu juro que tento ser rápida, mas às vezes fica difícil...
Enfim, vocês tem visto que tem sido falado em uma Q&A durante os capítulos há um tempinho, não é? Então, eu quero que vocês se coloquem no lugar de subscribers do canal e façam perguntas para a Q&A. Sejam criativos, perguntem tudo o que querem saber...sobre o futuro, sobre casamento, filhos...tudo o que quiserem. Vocês podem fazer quantas perguntas quiserem, pelos comentários ou por DM no Instagram, okay? Vou deixar o Instagram lá embaixo. As perguntas serão respondidas no Q&A do próximo capítulo, por isso não demorem, viu?
E, por favor, façam uma forcinha para comentar... vocês não fazem ideia do quanto isso me deixa feliz.
Os comentários do capítulo passado eu vou responder logo, logo, tudo bem? Pode deixar que não esqueci. <3


Enjoy!

Capítulo 55 - Disney On Ice, Aspen And Couples For Cash


Fanfic / Fanfiction The Beginning Of A Life Not Too Normal - Capítulo 55 - Disney On Ice, Aspen And Couples For Cash

# Dias depois...

- Vem aqui, Kaden!- chamei com um sorriso e os braços estendidos na direção dele.

Ele é todo sorrisos, apressando os passinhos para chegar até mim.

- Isso, vem!- incentivei.

Kyson começou a andar há alguns dias, e desde então só vem me dando sustos. Ele não só simplesmente anda, ele quer correr também. Kaden está indo mais devagar e arrisca um pouquinho mais a cada dia.

- Você conseguiu!- abracei ele quando alcançou meus braços.- Te amo, sabia?- enchi o rostinho dele de beijos.

Ergui meus olhos e o Sr corajoso mais conhecido como Kyson, está subindo em cima de um dos andadores em forma de carro de bombeiro.

- Kyson, você vai me deixar de cabelos brancos!- o vi sentar-se no brinquedo e começar a andar com ele pela sala.

Kaden está indo na direção do outro andador também. É sempre assim, um faz e o outro copia, desde quando eram recém nascidos. Vou ter muito trabalho com os dois daqui para frente.

Celly's Pov

Hoje é o dia da nossa viagem para Aspen. Vamos ficar apenas um fim de semana, mas será o suficiente para aproveitar algumas das atividades do resort em que vamos ficar e ainda curtir um tempinho em família. Será a primeira viagem de verdade da Aria e também minha primeira tentativa em fazer vlogs maiores. Eu ainda sou um pouco inexperiente com isso.

- Nossas coisas já estão todas prontas e o nosso destino é Aspen.- comecei a falar com minha câmera.- Eu pretendo filmar, não tudo, mas algumas partes pequenas. Desculpem se eu não souber direito o que eu estou fazendo. Vocês sabem que eu costumo gravar Aria e algumas partes do nosso dia, só que eu nunca falo direto com vocês como eu estou fazendo agora. Eu nunca fiz updates e coisas do tipo, por isso é totalmente estranho bater papo com uma câmera.- ri.- Se der certo, eu posso ver e começar a postar uma variedade maior de videos, o que acham?- sugeri, separando mais bolsas para Matt levar para o carro.- Matt está terminando de colocar nossas coisas no carro. Temos bastante coisa nas malas. Eu nunca consigo me controlar na hora de fazê-las. Sempre acabo levando uma quantidade absurda de coisas só para passar uma noite. Depois que Aria nasceu, eu tenho ainda mais desculpas. Juro que metade da nossa bagagem é só dela, o resto é meu e só uma mala é de Matt, muito provavelmente.

Matt voltou para pegar o restante das malas. Ficou surpreso ao me ver com a câmera, e eu fiquei desconcertada para completar. Pelo jeito, filmar esses dias será mais difícil do que eu pensei.

- Tá fazendo video?- perguntou.

- Eu quero filmar só algumas coisinhas.- respondi para tranquilizá-lo.

Ele não gosta muito de aparecer em videos até hoje.

- Pra que filmar?

- Eu juro que você nem vai notar, Matt. Encara como um video para guardar de recordação.- guardei a câmera.

Ele suspirou e revirou os olhos um pouco.

- Tá.- ponderou.- Só tenta se controlar um pouco, pra gente aproveitar também.

- Eu prometo.- falei.

- Então vamos! Já está tudo dentro do carro, incluindo Aria.

- Ai, tadinha.- franzi meu cenho.- Deixou a menina sozinha lá...

- Ela nem está ligando. Tá conversando com aquele macaco de pelúcia dela.

Eu bem imagino. Ela não desgruda daquilo.

- Vamos logo!- insisti.

Chegamos ao carro e a vimos quietinha como sempre. Acomodamos as últimas malas e entramos.

Tive que impedir Matt de escutar Guns N' Roses e agora, estamos escutando um cd infantil. Aria está toda animada, cantando o que consegue. Adoro ver a cara de Matt quando o obrigo a isso. É tão engraçado.

- Canta, Matt, canta.- o cutuquei.

Ele fez cara de insatisfeito, enquanto dirige.

(...)

Tudo deu certo durante nosso voo até aqui. Pegamos um táxi nosso hotel.

Eu estou filmando um pouquinho das coisas. Esse lugar tem o ambiente que eu gosto. Todo o resort é lindo, com um ar antigo e acolhedor.

- Que lindo!- filmei pela janela do carro.- Aria, olha! Neve!- apontei e ela abriu a boca em um "O". A coisa mais bonitinha.

- Ela  está toda animada.- Matt brincou com ela, que está em seu colo.

Tenho certeza que ela vai amar brincar na neve durante esses dias. É uma pena que não neve na California.

-  Aquele é o nosso hotel.- falei, dando zoom.

O táxi nos deixou em frente a entrada. Saímos do carro, os funcionários vieram ajudar com as malas e nos receberam muito bem. A primeira coisa que reparei, foi o lindo mural no saguão, com as programações e atividades do resort.

- Matt, olha isso.- chamei a atenção dele.

- O quê?- ele chegou mais perto com Aria.

- É o quadro de atividades daqui. Tem tanta coisa legal.- tenho certeza que meus olhos brilham.

A lista de atividades é infinita: ski, spa, escalada, atividades de acampamento, um local reservado só para a diversão das crianças...

- Vamos descansar um pouco e fazer alguma coisa legal mais tarde, só pra começar.- Matt sugeriu.

- Sim. Estou um pouquinho cansada mesmo.- concordei.

Me's Pov

- Pensei que já tinha arrumado as coisas da Adore.- me encostei no batente da porta do quarto da Adore, observando-o organizar roupas, acessórios e sapatos.

- Não. Eu tinha deixado tudo dentro das caixas e fui pegando só o que precisava.

Eu não entrei nesse quarto desde que nos mudamos. Nunca imaginei a quantidade de coisas que ele tem. É muita, muita coisa.

- Quer ajuda?- ofereci.

- Quero sim.- ele disse, sentando no chão com as pernas cruzadas.

Me juntei a ele, sentando igual.

É a primeira vez que vejo a coleção inteira de sapatos da Adore, e estou louca por eles.

- Olha tudo isso!- exclamei encantada.

Scarpins dos mais diversos tipos e alturas, botas com salto, sem salto...tudo uma tentação pra mim. Sou apaixonada por sapatos!

Danny deu um risinho, só observando enquanto analiso um a um.

- Onde você comprou essas maravilhas?- olhei para ele.

- Depende. Vários foram em lojas especializadas em tamanhos grandes, outras em sites para drag queens e tem alguns das marcas mais caras.

- Grandes tipo quanto?- fiz bico.

- Grandes, tipo, grandes.- ele virou o sapato em minha mão.- Viu só? Tamanho 46.

- Eu pensei que você calçava 42.

- Eu calço, só que os sapatos femininos tem que ser mais ou menos quatro números maiores para nós, do que nossos sapatos de "homem"- fez aspas com os dedos.- Os pés de vocês são bem menores que os nossos.

- Aaah...- fiz.- Seria tão bom se a gente calçasse o mesmo número...

- Ia ser muito legal.- ele riu.- Mas é impossível com esse seu pézinho 35 aí.

Eu e ele rimos juntos.

Eu o ajudei a organizar todos os sapatos. Depois, passamos para as roupas e por último os acessórios e o monte de perucas.

- Sabe o que eu acho?- ele começou, ajeitando a peruca vermelha e longa que eu tanto adoro.

- O quê?- o olhei.

- Que você podia sair montada comigo um dia.

Dei um sorriso enorme.

- É uma ótima ideia! Quando pode ser?

- A gente pode ver alguma data, quando eu não estiver muito ocupado.

- Eu vou adorar!- sorri.- Ah, eu queria ir ao Porn Idol com você na semana que vem. Pena que é em Londres.

- Você já viu como são as coisas lá?- riu.- Você ficaria vermelha feito um tomate. Sem falar que você vai ter que esperar mais um pouquinho, a boate é  para maiores de vinte e um anos. Mas no seu aniversário de vinte e um a gente pode ir lá.

- Okay.- assenti, fazendo biquinho de leve.

Me levantei para ir em direção à porta. Preciso dar uma ajeitada na cozinha e na sala de estar.

- Vi?- me chamou.

Me virei para ele novamente.

- Sim.

- Milena viu no seu Instagram que você vai levar as crianças ao Disney On Ice. Ela me perguntou se ela pode ir junto, eu disse que ia falar com você.- se levantou.

- Claro que ela pode. Passa meu número para podermos acertar tudo.

- Tá. Vou falar com ela.

É uma ótima ideia sair com Milena. Ela é uma das melhores amigas do Danny, e ele dá muita importância aos amigos. Por isso, é importante que eu me dê bem com todos eles.

Só espero que Milena não se importe em passar horas rodeada de crianças com menos de cinco anos.

Celly's Pov

Tivemos nosso merecido descanso, agora estamos nos preparando para descer e jantar em algum restaurante. Arrumei Aria com uma calça bem quentinha, uma blusa de manga comprida rosa, um casaco mais grossinho e um tênis para completar. Me arrumei também e ainda fui apressada por Matt, que mesmo acordando depois, ficou pronto primeiro.

Descemos e Matt falou com uma das recepcionistas, pedindo dicas sobre restaurantes aos quais possamos ir. Nos recomendaram um restaurante italiano bem pertinho, chamado Trecento Quindici Decano. Pegamos um táxi e em cinco minutos nós chegamos.

- Mas olha que lugarzinho mais aconchegante.- falei, filmando disfarçadamente.

- Bem aconchegante.- Matt concordou olhando em volta.- E tem play area.- observou.

- Podemos pedir o que vamos comer, alimentar Aria e deixá-la na play area um pouquinho. Assim vamos ter um período a sós.

Fomos recepcionados muito bem e logo nos direcionaram a uma mesa. Uma bem próxima da play area, para nossa satisfação.

- Diz como você se sente agora, Matt!- praticamente enfiei a câmera na cara dele.

Ele riu.

- Com fome!- desviou.

- E o que mais?- voltei a filmá-lo.

- Tô lembrando da Vi, porque sei o quanto ela ama comida italiana.- pegou um dos pãeszinhos que estavam na cestinha no centro da mesa.

- É verdade. Eu também sempre lembro quando como algo italiano.

Olhamos o cardápio e pedimos uma tortinha de frutas silvestres, uma porção de espaguete com molho e queijo fresco e um suco de uva para Aria. Eu e Matt optamos por espaguete com almôndegas de carne para nós dois e uma limonada rosa para acompanhar.

- Que gostoso!- falei para Aria, que come sua tortinha sozinha.

Ela comeu o espaguete praticamente todo e está acabando com a sobremesa. Fico orgulhosa que ela coma de tudo.

Aria estendeu a mão, tentando tocar a tela da câmera, porém a segurei antes.

- Não, não. Vai sujar tudo desse jeito.- ri.

Tirei do alcance dela e guardei dentro da minha bolsa.

- Eu estou tão animada com tudo o que vamos fazer durante esses dias...

- Eu também. Faz tempo que eu não esquio. Nem sei se lembro mais.

- Com certeza lembra. Eu também queria esquiar...

- É, mas vai ficar bem quietinha na sua atual condição.- falou rindo, mas sei que é sério.

- Claro que sim, pode ficar tranquilo.

Deus me livre um acidente feito o que aconteceu na gravidez da Aria.

# Dia Seguinte...

Me's Pov

Danny foi para Londres e só volta amanhã à noite ou segunda de manhã. Isso quer dizer que vou passar o fim de semana sozinha com as crianças. Combinei com Milena de ela vir para cá e irmos juntas para o Disney On Ice, mas antes vamos até a casa da minha mãe, ela  vai conosco.

Eu estou aprontando as quatro crianças para sairmos. Os espetáculo é só ao cair da noite, só que com tantas crianças pequenas, o único jeito de estarmos lá no horário certo é começando agora.

Comecei pelos gêmeos enquanto Alyna e Lilia assistiam Cinderella na sala de estar. Consegui vestí-los e ajeitar o cabelo deles. Levei os dois para a sala e os coloquei no cercado. Voltei ao banheiro e enchi a banheira novamente, dessa vez para as meninas. Eu as trouxe e as despi para o banho.

- Fechem os olhos.- avisei, colocando um pouco de shampoo em minhas mãos.

Alyna fechou e Lilia também, mas abriu novamente.

- Fecha os olhinhos, Lilia, senão vai arder.- repeti.

Ela obedeceu e eu esfreguei o shampoo em cada uma, usando um baldinho de brinquedo para enxaguar a espuma depois.

Meu telefone apitou o barulho de mensagem, me virei para dar uma rápida olhada. Duas mensagens de Milena. À essa altura, ela já deve estar quase chegando.

Celly's Pov

- Pronta?- falei com Aria, segurando-a firmemente, sentada no trenó.

Um dos instrutores empurrou levemente e fomos descendo pelo monte de neve. Estou surpresa vendo Aria toda feliz. Matt está de longe, filmando.

- Quer ir de novo?

Ela balançou a cabeça.

- Agora você vai com o papai.- me levantei junto com ela.

Acordamos bem cedo hoje e já fizemos bastante coisa. Esquiamos um pouco na parte plana, por ser mais fácil, mas foi bem legal. Matt quis ir logo para a parte mais radical e desceu pela montanha várias vezes sem problemas. Quase desmaiei quando o vi esquiando montanha abaixo na velocidade em que ele estava.

O observei se aproximar, junto com o instrutor. Ele me entregou a filmadora e pegou Aria para descer no trenó. Sentou, a colocou sentada na frente dele, segurando-a. Ela está toda lindinha e toda sorridente esperando para descer novamente.

Filmei os dois descendo, até ficarem minúsculos pela distância. Aria já desceu com cada um de nós umas seis vezes e, de qualquer forma, ela continua pedindo para repetir. É bom saber que ela está se divertindo, porque, fora a pequena parte destinada ao lazer das crianças, não há muito o que ela possa fazer.

(...)

Me's Pov

Milena chegou e foi uma mão na roda para mim. Logo conseguimos colocar as crianças no carro e as demais coisas que eu possa precisar pelo resto do dia. Eu e ela não paramos de conversar desde que ela passou pela porta de casa, parece até que já nos conhecemos há séculos.

- Eu fico feliz de ter uma desculpa para fazer qualquer programação para crianças. Eu sei que não é proibido e tal, porém muita gente fica dizendo que você está se tornando e deveria parar de gostar de coisas de criança...então, pelo menos eu tenho filhos para "mascarar" a situação.- gargalhei.

- Alguns adultos são tão chatos!- ela fez careta, olhando pela janela do carro.- Fala sério, ninguém nunca é velho demais para coisas de criança. Principalmente para Disney.

- Exatamente.- sorri grande, mas prestando atenção na estrada.- É o que eu penso.

- Eu vou ao Disney On Ice quase todo ano. Fui ao da Europa enquanto estava viajando, inclusive.

- Eu também sempre ia todos os anos. Depois que Lilia nasceu, eu não consegui mais. Ela era muito pequenininha, eu era mãe de primeira viagem e tinha medo de passar muito tempo no show com ela.

Chegamos à casa dos meus pais. Nem precisei entrar, mamãe já estava do lado de fora e veio andando em direção a minivan. Entrou na parte de trás, sentando-se ao lado do carseat de Kyson.

- Chegaram rápido!- ela disse, ajeitando-se.

- O trânsito estava bom.- respondi.- Lembra da Milena, mãe?

Milena acenou, virada para a parte de trás.

- Oi, Kim.

- Olá, Milena!- sorriu.- Claro que lembro.

Seguimos viagem. Pelo jeito vamos chegar a tempo, até cedo, eu diria.

- Já decidi o tema do aniversário dos gêmeos, mãe.- a olhei pelo retrovisor.

- Não era sem tempo. O que vai ser?

- Monstros.

- Monsters Inc?- Milena questionou.

-Não, só...monstrinhos mesmo. Eu já até comprei algumas coisinhas na Target e na Party City semana passada.

- Que bom que já começou a ver isso. Nem dá para acreditar que eles vão fazer um ano no próximo mês.

- Nem me fale nisso.

Meu telefone começou a tocar. Eu e Milena olhamos o visor.

É Danny.

- Eu não posso atender...- murmurei chateada.

- Ele sabe que você está comigo, com certeza ele vai me ligar também.- Milena me tranquilizou.

E assim como ela disse, segundos depois que meu telefone parou, o dela começou a tocar.

-" Oi.- ela disse com um sorriso.- Ela está dirigindo, por isso não atendeu. Espera um segundinho, eu vou colocar no viva-voz.- avisou.

Apertou o botão do viva-voz, segurando seu Iphone entre eu e ela.

- Oie, amor!-  eu disse.

Ele gargalhou com seu jeito gostoso.

- Oi, fofolete!- respondeu.- Estão indo para o Disney On Ice?

- Sim. Daqui a pouco estaremos lá.

- Eu não consegui falar com você mais cedo...eu dormi um pouco e ainda tive que me arrumar antes de te ligar, porque não tinha sinal na porra do hotel que eu estou.

- Não tem problema. Vai se apresentar agora?

- Ainda não. Tem o meet & greet antes. E as crianças?

- Estão bem.- eu disse.- John está aí perto?

- Tá. JOHN!- ele gritou.

Alguns barulhos e vozes dos dois antes dele pegar o telefone:

- Oi, Vi.

- Oi, John! Como está tudo aí?

- Bem. Vai ter meet daqui a pouco.

- Danny falou. Cuida dele, tá? Não deixa ele fazer besteira.

- Pode deixar.- riu.

- Se cuidem vocês dois.

- Okay. Ah, a gente tem que ir. Vou passar de volta para o Danny rapidinho.

- Uhum.

Mais alguns barulhos.

- Eu vou ter que ir agora.- Danny falou.

- Tá bom...me liga mais tarde, se der.

- Eu ligo. Dá um beijo nas crianças pra mim. Te amo, tá?- a voz ficou fofa.

- Também te amo.- falei. O escutei rir.

- Tchau, Milena! Tchau, Kim!- ele disse e nós três rimos.

- Tchau, Danny!- responderam.

- Beijo!- ele falou e mandou um, fazendo o barulhinho.

A linha caiu.

Mal vejo a hora de ele estar de volta. Sinto muita falta quando ele está longe e, por mais que eu saiba que é preciso, que é o trabalho dele, acho que nunca vou me acostumar a estar quase sempre longe. Eu me preocupo tanto...como ele está, se está tudo certo, se ele está feliz, se está comendo direito, dormindo direito...tantas coisas. O que me alivia é que John está sempre com ele.

(...)

O espetáculo começou há um tempinho. Estamos nos divertindo bastante, as crianças estão adorando. Até os gêmeos estão aproveitando.

- Olha, Lilia...é a Tiana!

- TIANA!- gritou.

Eu tenho assistido bastante "The Princess and The Frog" com ela.

Milena está com Alyna em seu colo, apontando os personagens na arena e brincando com ela.

- And I'm almost there, almost there...- cantamos junto com a Tiana.- People down here think I'm crazy, but I don't care.

- Doce!- Alyna pediu. Ela está apontando o homem subindo com seu carrinho de algodão doce pela arquibancada.

- Okay, eu...- comecei a dizer, porém, Milena me interrompeu.

- Deixa que eu compro pra elas.- se levantou com Alyna. A colocou no chão e pegou a mão dela.- Que cor você quer, Lilia?- questionou a minha filha.

- Osa!- respondeu de imediato.

Rimos um pouco.

- Rosa. Okay.- assentiu e foi andando com Alyna até o vendedor de algodão doce.

Ela comprou dois e voltou com uma Alyna feliz da vida, com a boca toda suja de açúcar lilás.

- Ola, mamãe!- exclamou. Ergueu a mão que segura o algodão doce.

- Eu sei!- sorri.- Tá gostoso?

Ela balançou a cabeça, afirmando.

- Esses dois estão adorando o show!- mamãe observou.

Kyson bate palminhas, toda animado e Kaden está olhando fixamente tudo, parece hipnotizado. Tenho certeza que tudo se deve a todas as cores e luzes.

Confesso que tive muito medo de trazê-los. Pensei que daria muito trabalho, no entanto, estou feliz que tenha me surpreendido para a melhor.

Celly's Pov

- Eu estou feliz de ter vindo para cá logo no início da gravidez.- estou deitada na cama, falando com a câmera.- O dia foi muito bom, mas também foi bastante cansativo na mesma proporção. Acho que nunca fiz tanta coisa em um só dia. Eu estou de roupão porque, para terminar o dia, eu e Matt vamos ao spa para uma massagem para casal. Aria vai ficar com uma babá recomendada pelo resort e...é. É desse jeito que vamos fechar o dia. Eu só queria atualizar o "diário" da nossa viagem. Acho que nos vemos amanhã, talvez.- acenei com a mão livre, dando tchau.

#Dia Seguinte...

Me's Pov

- Você está sentindo falta de HB?- Milena questionou, tomando sua coca-cola.

- Sabe, até que não. Eu gosto bastante daqui.

Estamos no Chuck E Cheese's com as crianças. Milena dormiu lá em casa depois de voltarmos do Disney On Ice ontem. Nós conversamos e nos divertimos tanto depois que as crianças foram dormir...foi maravilhoso não estar sozinha naquela casa enorme, como acontece sempre praticamente. Dois dias juntas e já somos amigas, posso dizer.

- Eu fico muito feliz que tudo está dando certo para vocês. É um relacionamento que tem tudo para ser difícil, por muitas razões. Ser alguém público é um porre às vezes.

- Sei bem disso.- concordei. Meus lábios franziram um pouco.- Com meu ex, eu sentia que nosso relacionamento não era "nosso".

- Exatamente. Todos observam, todos se intrometem...- falou antes de morder seu cheeseburguer.- Eu lembro que era louca para conhecer você. Danny falava sobre você direto, toda vez que eu e ele nos falávamos, ele tinha algo a comentar sobre.

- Sério?- um sorriso foi involuntário.

Não posso evitar imaginar Danny falando sobre mim para ela. Talvez ele fizesse isso com outras pessoas chegadas também. Minha nossa!

- E eu fiquei muito contente.- ela continuou.- Ele estava passando por um período muito ruim...mas quando conheceu você, pareceu melhorar bastante, em vista da situação que estava antes. Não tem nada que eu preze mais do que vê-lo feliz. Daí, eu pensei: "Eu preciso conhecer essa "fofolete" que ele tanto fala."

Nós duas rimos com seu jeito de falar.

- Eu sei pouco sobre o que ele estava passando ano passado. Acho que ele não quer falar muito no assunto, e também acho que ele ainda sofre com muitas coisas.

- Talvez ele não queira te preocupar com essas coisas. Ele não gosta que as pessoas que ele ama fiquem sofrendo por ele, por isso ele não entra em muitos detalhes com você.

- Deve ser isso mesmo. Mas, eu quero que ele saiba que pode contar comigo para qualquer coisa, não importa o que seja. Quando eu o vejo meio retraído ou para baixo, meu coração dói muito.- fechei meus olhos por um momento. Soltei um suspiro.- Eu só quero ajudar.- murmurei.

- Você já ajuda bastante.- segurou minha mão por cima da mesa.- Escuta o que eu digo.

Assenti às palavras dela.

- Você quer que eu passe mais uma noite na sua casa?- ofereceu.

- Quero sim.- balancei a cabeça.- Quero.

- Tudo bem, então.

#Dia Seguinte...

-"E como foi a viagem?- estou mexendo um molho para o jantar.

É bem tarde e as crianças estão dormindo, mas eu estou com vontade de comer um bom jantar, por essa razão, estou fazendo várias coisas.

- Foi perfeita!- Celly está toda alegre no telefone.

Ela está no viva-voz para que eu possa conversar e cozinhar ao mesmo tempo.

- O clima estava perfeito, o resort era maravilhoso e nós fizemos muita coisa legal.

- Que bom que aproveitaram.

- E o seu fim de semana, como foi?

- Ãhm...foi muito bom. O Disney On Ice foi divertido, eu não passei o fim de semana sozinha...

- Não?- sua voz tornou-se surpresa.- Kim ficou aí esses dias?

- Não, foi Milena. Ela foi um docinho.

- Ah...legal que estejam se dando bem.

- Sim.

- Eu queria te ver, quero ideias para a festa da Aria.

- Podemos marcar. Eu vou ter ensaio do recital duas vezes essa semana.

- Okay. Eu vou colocar Aria na cama porque já passou muito do horário.

- Tudo bem. Beijo.

- Beijo, Vi."

A linha caiu e continuei a preparar o jantar. Cozinhar só para mim não é legal...

Terminei a salada caprese, o arroz mexicano e estou dando os últimos retoques no chili. Tenho que admitir que exagerei para um jantar à essa hora, mas não é sempre que tenho essas vontades loucas. Lembro de ter ficado assim no mesmo período ano passado. Celly havia começado a organizar as coisas para o primeiro aniversário da Aria, eu estava ajudando-a. Lembro de ter atribuído meu apetite voraz vindo do nada, ao fato de estar grávida, só que agora, pensando melhor, não era bem isso.

Eu sinto uma espécie de ansiedade, não sei explicar direito. Esta é uma época do ano em que eu deveria estar da mesma forma que Marcelly. Deveria estar preparando tudo, não para o aniversário dos gêmeos, e sim os dois anos da Alesana. Já fui questionada inúmeras vezes sobre o por que de não falar muito sobre isso. Eu tento ser o mais positiva possível por meus outros filhos. Não seria justo com eles se eu simplesmente me isolasse com minha dor. Contudo, tenho meus momentos de choro, de tristeza, de pensar em como seria se ela tivesse sobrevivido. Penso em como seria o rostinho dela, a cor dos olhos e dos cabelos, a vozinha...como ela estaria agora às vésperas de seus dois aninhos. Muitas coisas passam por minha cabeça.

Ainda tenho as coisas da gravidez, todas muito bem guardadas. Nem sequer falei sobre o assunto com Danny, não tenho certeza se estou preparada para trazer isso à tona e ter de contar tudo a ele. E também porque ele já tem muito o que se preocupar e não quero ser mais uma.

Terminei de preparar o chili, finalmente. Me servi de uma boa porção de cada elemento e coloquei um pouco de suco de laranja em um copo. Me dirigi até a sala, escolhi algo na tv para assistir e me acomodei no sofá.

(...)

Escutei barulho de carro e logo depois, mais barulhos vindos da garagem. Fiquei feliz de imediato, finalmente ele está de volta. Me sinto como uma criança quando o pai chega em casa.

Rapidamente me levantei, fazendo o caminho até a porta que dá para a garagem. Danny abriu a porta distraído, mas assim que me viu de pé ali, abriu o sorriso que eu tanto amo.

- Oi!- sorri também.

O abracei antes que ele sequer pudesse responder. Ele correspondeu, estreitando seus braços ao meu redor. Nos beijamos rapidamente.

- Deixa eu te ajudar.- peguei uma das malas e puxei para perto de mim.

Ele aparenta cansaço, como eu já esperava.

O ajudei a subir com suas coisas. Ele tomou um banho demorado e vestiu algo mais confortável.

- Quer que eu faça algo para comer?- fiz um carinho em seus braços, de pé atrás do sofá onde ele está.

- Eu comi quando saí do aeroporto. Não precisa.

- Tudo bem.- subi minhas mãos por seus braços até chegar aos ombros, apertando-os um pouco, em uma massagem.

- Hmm...

- Você está tenso.- deslizei minhas mãos por seus braços, ficando na ponta dos pés para conseguir alcançar seus pulsos e mãos.

Dei beijinhos em seu pescoço e maxilar. Ele segurou minhas mãos, fazendo um carinho, roçando o nariz em minha pele. Ergueu a cabeça e fiz uma trilha de beijos até chegar aos seus lábios. Nos beijamos bem calmamente, aproveitando o momento.

Seu braço enroscou em torno de minha cintura, sua outra mão segurou a minha novamente. Ele interrompeu o beijo, deixando-me ofegante.

- Cuidado.- avisou igualmente sem fôlego.

- O quê?- estou confusa.

Sem nem me responder, puxou-me, arrancando-me do chão. Fui parar no sofá junto com ele, com minha cabeça em seu colo. Nós dois rimos por um momento e então voltamos a nos beijar.

Sua mão se infiltrou por minha blusa, alisando minha barriga, subindo para meu seio esquerdo por cima do sutiã. Gemi baixinho ao sentí-lo apertá-lo e acariciá-lo. Partimos o beijo e ergui minhas costas, ficando sentada. Ele aproveitou e foi puxando minha blusa, me despindo e eu o ajudei, ficando somente com meu sutiã. Me sentei em seu colo com uma perna de cada lado e foi minha vez de ajudá-lo com sua blusa. Suas mãos ávidas abriram os botões do meu short, enquanto acaricio seus cabelos tingidos de azul. Fiquei de joelhos por um momento, para que ele conseguisse puxar meu short e a calcinha para baixo um pouco, o suficiente para deixar minha intimidade livre. Posso ver a animação dele.

Massageei seu membro por cima da calça. Tenho bastante contato e ele sente muito mais devido ao pano fino da calça. Fechou os olhos, suspirando enquanto morde o lábio inferior. Puxei sua calça até a metade das coxas com ele ajudando. Levantei um pouco, descendo novamente bem devagar, encaixando-o dentro de mim. Nós dois gememos em uníssono.

Suas mãos trouxeram meu rosto para mais perto de si, os lábios grudando nos meus novamente. Meus quadris mexem em um ritmo mediano, nada muito lento ou rápido demais, a velocidade perfeita. Danny agora tem uma das mãos espalmada em minha mádega direita, apertando vez ou outra. Nossos gemidos mesclados, nossas respirações descompassadas...não demorou muito para atingirmos o clímax.

Danny me deu um selinho e levantou do sofá comigo em seu colo, com minhas pernas entrelaçadas em sua cintura e meus braços em volta de seu pescoço.

- O que tá fazendo?- questionei.

- Indo para o nosso quarto.- piscou um olho

Sorri.

- Eu amo o jeito que você fala "nosso quarto".- dei um risadinha.

- Vamos para o nosso quarto, a nossa cama...- ele repetiu, rindo.

- Quer dizer que ainda não acabou...

- Tá só começando.- me deu um selinho.

Subiu as escadas comigo, indo em direção ao nosso quarto. Entramos e eu ajustei a luz, deixando-as bem baixinhas.

Danny me deixou na cama e subiu na mesma também, ficando de joelhos. Fiquei de joelhos também. Ele começou a beijar meu pescoço, descendo para meu colo e puxando-me mais para junto de seu corpo. Coloquei minhas mãos em seu peito o fazendo parar por um momento. Ele franziu o cenho em confusão e tentou me beijar mais uma vez. Afastei o rosto novamente:

- O que foi?

- A janela está aberta.- gesticulei.

- Não se preocupa...nunca teve movimento naquela casa desde que viemos pra cá. E tá do outro lado, nem deve dar para ver direito.

- Eu não sei...

- Vem aqui, deixa isso pra lá.- me puxou para ele enquanto beija meu pescoço. Fechei meu olhos com a sensação gostosa.

Não é só por causa da casa do outro lado. Eu sempre achei estranho portas de vidro que parecem janelas, desse tamanho, ainda mais quando dão para um monte de verde, feito essa. Tenho medo de ser surpreendida por alguma pessoa ou sei lá.

Mas estou me deixando levar, de qualquer forma. Não é sempre que estamos juntos, por isso, quero aproveitar ao máximo.

O fiz recostar nos travesseiros, beijando-o. Fiz um caminho de beijos por seu corpo até chegar a seu membro, dando uma atenção especial a ele. Comecei lambendo da base até a glande. Fui chupando e acomodando-o em minha boca o máximo que consegui e fiquei satisfeita ao ouví-lo gemer e lamuriar enquanto eu o fazia. Ainda com Danny na mesma posição, fiquei por cima dele e fui sentando devagar, sentindo-me ser preenchida por ele. Apoiei minhas mãos em seu peito, movimentando meus quadris.

Gemi num misto de desconforto e prazer pela penetração profunda, mesmo eu estando no comando. Nos beijamos por algum tempo. Ele tomou as rédeas, ficando por cima de mim primeiro, depois, me fez ficar de quatro, dando alguns tapas sonoros em minha bunda antes de me invadir novamente. Estou fazendo o possível para não gritar.

- Ãhn...- gemi quando Danny puxou meu cabelo. 

Minha cabeça está apoiada em meus braços e o sinto ir cada vez mais fundo dentro de mim. Abri meus olhos por um momento, mordendo meus lábios para não gemer muito alto. Só que meu sangue gelou assim que me deparei com a luz do quarto da casa dos vizinhos acesa. E não só isso, uma senhora observa tudo de lá.

- Ah...Danny!- minha voz foi uma mistura de gemido e grito.

Ele praticamente rosnou em resposta. Com certeza pensando que meu gemido foi de prazer. Bom, também por isso.

- Danny?

- Oi, Vi.- arfou de olhos fechados.

- Temos que parar.- murmurei.

- O quê?- abriu os olhos, contrariado.

Puxei os lençóis para cima de mim rapidamente, e com minha atitude ele ficou ainda mais confuso.

- A gente tem platéia.- meu rosto queima de vergonha.

Só aí ele olhou para a porta e ficou surpreso.

- Que porra é essa?- gargalhou.- A mulher tá parada na porta.- pegou um dos travesseiros para esconder suas partes.

- Ai, que vergonha!- cobri meu rosto com as mãos.

Danny foi até as cortinas e as puxou até estarem fechadas. Não parou de rir por um segundo sequer enquanto o fazia. Acabei rindo também, porém, morta de vergonha.

Com tantas noites para aquele povo dar o ar da graça, tinha que ser justo hoje e numa hora dessas? Puxa vida! E a mulher olhava tão fixamente...parecia interessada em nossa "atividade".

Só espero que não tenha que encará-los tão cedo.

- Já pensou, dar um showzinho pra eles?- Danny veio para a cama. As risadas continuam.

- Para!- joguei um travesseiro nele.

Ele é um caso muito sério.

#Dias depois...

Já era de se esperar que eu passaria o dia dos namorados sozinha. Tudo o que me restou foi fazer um photoshoot com as crianças em comemoração. Postei algumas das fotos no facebook e no Instagram, ficaram muito boas.

Não tenho esperanças em falar com Danny tão cedo. Ele está em Las vegas e ontem esteve em Denver, precisa aproveitar todos os momentos que puder para descansar. Eu fiz um post para ele em algumas das minhas redes sociais e estou mandando uma mensagem também:

"Primeiro dia dos namorados!

Espero que seja o primeiro de muitos...

Eu te amo muito, muito, muito!! 

Mal posso esperar para te ter aqui comigo outra vez.

                                   Sua fofolete.

                                                   XxVi"

Estou preparando minhas coisas e das crianças, tenho ensaio do recital hoje e Lilia também. Depois, vamos para a casa dos meus pais, já que Danny não vai estar de volta hoje.

- Papai?- Lilia veio em minha direção.

- Papai está trabalhando.- respondi.- Mais tarde podemos tentar falar com ele, tudo bem?

Lilia sempre pergunta por Danny ao menor sinal da ausência dele. Ele também sempre quer saber dela quando está fora, além de sempre trazer algo do lugar onde esteve para minha filha. Esses dois são inseparáveis e isso me deixa muito feliz.

- Vem aqui para mamãe arrumar seu cabelo.- eu disse a ela.

Lilia veio até o sofá e subiu no mesmo. Coloquei na Disney para ela, e comecei a pentear seus cabelos para poder fazer o coque para o ballet.

- Tudo bem, vamos fazer o coque...

A campainha tocou.

Estranho. Não estou esperando ninguém e estou de saída. Quem pode ser?

- Fica aqui, tá? Mamãe já volta.- avisei.

Andei até a porta e dei uma olhada no monitor da câmera lá de fora.

Não acredito!

Já posso sentir meu rosto começar a queimar. Mas que droga!

Respirei bem fundo antes de abrir a porta com um sorriso, tentando agir o mais normal que eu posso.

- Oi.- sorri, mesmo estando um pouco nervosa.- Bom dia.

A mulher magra e grisalha deu um sorriso também. Ela segura algo coberto por um pano quadriculado em branco e azul.

- Olá! Eu sou a vizinha aqui de trás.

- Ah, eu sei.

- Desculpe não termos vindo dar as boas vindas antes. Eu, meu marido e meu filho estávamos viajando e só voltamos há alguns dias.

- Sem problemas.- assenti.

Pode ser só a minha cabeça por estar envergonhada, mas olho para ela e só consigo pensar no incidente da janela, noites atrás.

- Eu trouxe uma torta de maçã para você e seu...

- Namorado.- continuei por ela.

- Sim. É que eu pensei que morassem com seus pais. Parecem ser tão novinhos...

- Não. Eu moro com meu namorado e meus filhos.

- Filhos?

Deu para perceber que ela tentou disfarçar a surpresa. Os olhos até arregalaram levemente.

Grande novidade para mim...

- É, temos três.

- Nossa, eu, eu...

- Uh, me desculpe, mas eu preciso sair daqui a pouco.

- Claro, claro.- balançou a cabeça, concordando.- Pegue a torta, é para vocês.- me estendeu a travessa redonda.

- Muito obrigada.- peguei a torta.- Sinto muito não poder te dar mais atenção, te convidar para entrar...

- Vão ter outras oportunidades.

- Vão sim.- concordei.- Tenha um bom dia.

- Você também.- e foi andando até desaparecer de minha vista.

Ufa! Até que não foi tão ruim.

Hmmm...essa torta cheira muito bem. Com certeza vou levá-la conosco. Além de Danny não estar em casa, ele muito provavelmente não comeria a torta. Começou uma dieta recentemente e vive fazendo exercícios, não só quando está em casa, como quando está em tour também.

Deixei a torta em cima da bancada da cozinha e voltei à sala para terminar o cabelo da Lily. Fiz o coque em menos tempo do que  esperava. Depois, terminei de juntar as coisas. Só então fui acordei os gêmos, para meu trabalho não se tornar ainda mais complicado. Eles provavelmente vão cair no sono outra vez, quando estiverem no carro.

- Tudo pronto, certo!- falei comigo mesma, respirando por um momento, para pensar melhor.

A campainha tocou novamente e dessa vez eu bufei. Mas que coisa!

- Quem pode ser agora?- me dirigi à porta.

Abri a porta. Dei de cara com dois entregadores, um deles com uma prancheta nas mãos.

- Bom dia.- dei um sorriso pequeno.

- Bom dia.- Disseram.

- Vivian Sullivan?- um deles perguntou.

- Sanders.

Eles assentiram.

- Entrega para a senhora.- o mais baixo meneou a cabeça na direção de uma caixa grande atrás deles.

Eu não estava esperando nada. Se fosse algo dos meus pais, eles teriam avisado.

- Assine aqui, por favor.- o mais alto me entregou a prancheta junto com uma caneta.

Fiz o que pediram e eles ajudaram a colocar a caixa grande para dentro. Agradeci e os dois foram embora.

Fechei a porta e encarei a caixa. Não há muitas informações nela, por isso só vou saber abrindo mesmo.

- Que? Lilia veio para perto de mim, apontando a caixa.

- Eu também não sei.- disse.- Vamos ver.

Tive que ir até a cozinha pegar uma faca para ajudar a abrir a caixa. Passei na parte com fita no meio, depois nas extremidades. Puxei as abas, só para me deparar com outra caixa também grande, na cor roxa com um laço vermelho grande. Cortei o resto da primeira caixa para deixar a outra livre. Tirei a tampa da caixa de presente e encontrei um envelope.

Lilia continua por perto, curiosa para saber do que se trata. Retirei o cartão de dentro do envelope:

"Sinto muito não estar aí com você hoje,

mas saiba que você é uma das razões pela qual

eu amo a minha vida. Te conhecer foi uma das melhores coisas

que me aconteceram. Te amo e espero muitos outros dias dos

namorados pela frente!

                                     Danny."

Sorri, toda boba. Meu namorado é um doce.

Lilia está analisando tudo e não para de passar as mãozinhas na caixa.

- É um presente para a mamãe.- eu disse. Não consigo parar de sorrir.

Lily ficou ainda mais animada ao ouvir a palavra "presente".

Retirei a tampa e o laço da caixa. Fiquei quase sem fôlego ao ver o conteúdo.

- Ele é...impossível!- quase gritei.

Várias caixas de sapatos de várias marcas. E não qualquer tipo de sapatos, são os que ele tem e eu ficava babando.

Há mais de cinco pares e mais algumas coisas embaixo, que ainda não consigo identificar direito. Fui tirando cada um deles, cada um mais lindo que o outro. Coloquei todos lado a lado para poder ver o resto das coisas embaixo. São duas caixas um bem menores. Uma delas tem um: "Lilia".

- Olha, Lilybutt.- mostrei a ela.- É seu. Papai mandou pra você.

Os olhinhos dela brilharam. Ela deu pulinhos, sorrindo. Abriu o presente, e não poderia ter ficado mais feliz com o tanto de doces e com as duas bonecas My Little Pony que estavam lá dentro.

- Gostou?

- Siiiim.- ela fez toda fofa.

Peguei a minha caixinha também. Me sentei no chão, colocando a mesma à minha frente.

- Quer ajudar a mamãe?

Ela balançou a cabeça positivamente.

- Puxa o laço.

Ela puxou um pouco o laço, no entanto, não conseguiu desfazê-lo. A ajudei com a tarefa. Dentro, há chocolates de uma das marcas que eu mais gosto, alguns outros doces que eu adoro e por último, Cry Baby  da Melanie Martinez. Na versão deluxe que eu estava tentando comprar desde o lançamento, mas só vivia esgotado. Ele sabe o quanto eu gosto da Melanie. E ele também gosta bastante.

- Tá cedo pra comer doce, Lilybutt.- avisei ao vê-la tentando abrir alguns.- Mais tarde mamãe deixa, tá bem?- passei minha mão de leve por seu cabelo penteado.

Pena eu estar tão atrasada para sair, queria mesmo era babar meus presentes maravilhosos pelo resto do dia. Pelo menos eu posso escutar o cd pelo caminho.

"Eu tenho certeza que você está

dormindo agora, mas eu só quero dizer que

eu AMEI meus presentes! Te amo muito!!

Quando voltar tenho algo pra você também.

                                               XxVi"

(...)

O dia não poderia ter sido mais corrido. Lilia teve ballet, eu tive ensaio, saí com Emma e Jodie e tomamos um sorvete com meus filhos...eu teria ficado mais tempo, mas elas tinham show na Playhouse. Sinto falta de lá.

Passei mais de meia-hora com Danny no telefone e depois, mais uma hora no facetime, mais ou menos. Passei um tempo com Celly também. Matt também está longe devido a um show. Sem falar do fato de que eu não via Celly desde antes dela viajar, no início do mês. É incrível como a barriga dela cresceu durante esse tempinho.

Agora estou na casa da minha mãe. Ela preparou muita coisa, como sempre faz quando venho. Vovó disse que ela sente muito minha falta e, por isso quer sempre fazer o melhor. As crianças adoram aqui e adoram os avós. Jantamos, brincamos e agora estamos assistindo um filme antes de colocar Lilia na cama.

#Semanas depois...

Senti beijos em meu ombro e pescoço. Um sorriso surgiu em meus lábios no mesmo instante, meus olhos ainda permanecem fechados.

- Bom dia.- ele sussurrou em meu ouvido. Me fez arrepiar inteira.

- Bom dia.- peguei sua mão que repousava em minha barriga e trouxe até meus lábios, dando beijinhos no dorso e na palma de sua mão.

- A gente tem que levantar agora?- fiz um muxoxo.

- Sim. Daqui a pouco John está aí para sairmos. Eu falei com ele há uns minutos.

- Ai, eu queria tanto ficar mais um tempo aqui com você.- me virei na cama, ficando de frente para ele.

- Acho que a gente ainda tem um tempinho...- ficou por cima de mim, me dando um selinho e depois beijando meu colo.

- Hmmm...- nos beijamos novamente.

(...)

- Eu odeio ter que deixar seu primo responsável pelas crianças.- estou tomando meu banho enquanto Danny faz sua maquiagem em um dos espelhos do banheiro.

- É só por meia-hora. Ele nem está responsável, a gente está aqui. Ele está dando só uma olhada.

- Sei lá, eu não gosto de colocar responsabilidade em ninguém.

- Fica tranquila.- me olhou por um momento, antes de voltar a olhar para o espelho.- Tá animada?

- Sim!- respondi.

Hoje vamos para Hollywood gravar o Couples For Cash na World Of Wonder. Eu estou muito ansiosa e feliz em participar, e em conhecer tudo por lá também.

Vamos passar em HB para deixar as crianças, depois vamos seguir para Hollywood, junto com John.

- Como vai hoje? Já sabe o que vai usar?- me enrolei na toalha.

- Hoje eu vou dar uma de Diamonique Noriega.- ele riu, passando seu delineador perfeitamente e de forma bem rápida.

Isso me deixa louca, porque eu sou uma negação em matéria de delineador e ele faz tudo tão bem, e é tão rápido...

- Vou bem tomboy, mas toda maquiada. Ontem eu até fiz o penteado na minha peruca...- continuou.

- Uh, eu acho que eu cheguei a ver. Vai ficar lindo, como sempre.- elogiei.

O vi sorrir pelo espelho.

Saí do banheiro e me vesti com a roupa que deixei separada em cima da cama. Sentei  na cadeira da penteadeira e fiz minha maquiagem. Daí, comecei a fazer o babyliss em meus cabelos. Eles estão ficando cada vez maiores e com isso, demandam mais tempo para ficarem prontos.

Danny deixou o banheiro. Está com a maquiagem pronta e já até colocou a peruca preta com duas tranças, uma de cada lado. Entrou no closet, saindo segundos depois vestindo uma calça larga.

- Não tô nada afim de fazer tuck hoje.- bufou.

Só posso imaginar o quanto isso é desconfortável para as drags. Para o que vamos fazer hoje não é relevante que ele faça o tuck.

- CARALHO!

Eu e Danny sobressaltamos ao ouvir o grito de John no andar de baixo.

- O que será que aconteceu?- olhei para meu namorado totalmente confusa.

- Vamos lá ver.

Descemos correndo e nos deparamos com John. A expressão é um misto de riso e preocupação, se é que isso é possível. Mas o que mais chama atenção é Kaden todo sujo de algo preto. A roupa, as mãos, o rosto...até nos cabelos tem.

- O que aconteceu?- eu e Danny indagamos juntos e no mesmo tom de preocupação.

- Desculpa xingar desse jeito na frente das crianças, só que eu fui olhar meu celular por um segundo e o Kaden sumiu. Eu fui procurar e encontrei ele na cozinha, se acabando de tanto comer Nesquik.

- O quê?- arregalei meus olhos.- Mas isso estava dentro do armário.

Eu só posso ter deixado a porcaria do armário aberto. Merda!

- E ele sabe que fez coisa errada.- Danny comentou. Ele não riu ao dizer isso, para que Kaden não pense que achamos o que ele fez bonitinho.

Pela cara de Kaden, dá pra perceber muito bem que ele sabe que fez algo que não devia.

- Ai, Kaden.- o peguei de John.- Vou ter que te dar outro banho!- o afastei um pouco do meu corpo para não sujar minha roupa.

Já era o "só comer doce  a partir do aniversário de um ano". Ainda bem que só falta praticamente um mês agora.

(...)

Acabamos de chegar na WOW.

- Tá toda feliz.- John riu de mim. Danny riu também, me dando a mão.

Entramos no prédio e há muito movimento. Vários outros videos para o canal estão sendo filmados hoje também.

- LASKY!- meu namorado gritou para a amiga que está de costas, toda lindona como sempre. 

A peruca loira e longa em cachos de ondas largas e perfeitas, o vestido azul acentuando ainda mais a cintura fininha. 

Alaska virou imediatamente e abriu um sorriso ao nos ver.

- O que você tá fazendo aqui?- questionou com sua voz característica. Toda vez que escuto faz um "uuuuhh" nos ouvidos, mas eu gosto.

- Couples For Cash.

- Oh, que legal!

As duas se cumprimentaram, depois ela falou com John e daí veio falar comigo.

- Oi, lindinha!- falou.

- Oi, Alaska!- respondi toda feliz.

Ela é uma das minhas favoritas, e não a vejo desde o ano passado na época do meu aniversário.

Nos cumprimentamos com dois beijos, um de cada lado. Mas sem encostar os lábios para não estragar a maquiagem, é claro.

- E o que você tá fazendo aqui?- Adore perguntou.

- Fashion Photo Ruview. Vou substituir a Raven essa semana.

Alaska nos levou até onde vamos filmar. Foi um completo docinho, nos chamou para almoçar mais tarde.

- Vamos dar algumas perguntas e vocês vão escrever suas respostas nas folhas. Cada um em um canto, para não se espiarem.- uma das produtoras, Elisa, nos explicou.

- Certo.- concordamos.

- Depois vamos filmar com o narrador, tudo direitinho para não se confundirem.

Nos deram a lista com as perguntas que serão feitas. Me colocaram em uma sala e Danny em outra. Respondemos todas elas e agora estamos de volta para começar a gravar.

O jogo consiste em o parceiro acertar o que o outro respondeu em cada pergunta. E cada rodada que nós dois juntos acertarmos, nós ganhamos dinheiro.

-"WOW apresenta: Couples For Cash. O programa onde casais compartilham o quanto sabem um sobre o outro. E por cada rodada acertada juntos, nossos casais ganham 10 dólares.- escutei a introdução.

Adore está sentada em frente ao fundo verde, para filmar a introdução dela.

- Hoje nós temos Adore Delano, e a namorada dela, Vivian Sanders.

- Hey,  eu sou Adore Delano, da sexta temporada de Rupaul's Drag Race. Tenho vinte e seis anos, nasci em Azusa, California, mas atualmente estou morando em Rancho Cucamonga, California.- piscou.

Os produtores fizeram sinal para mim.

Corri para tomar o lugar de Adore, que acaba de sair. Me sentei na cadeira, esperando que eles digam algo.

- Vai.- acenaram.

- Olá! Eu sou Vivian Sanders, tenho dezenove anos. Nasci em Huntington Beach, California, mas agora moro em Rancho Cucamonga, também na California. 

Adore voltou e sentou ao meu lado, segurando suas respostas viradas para baixo. Estou da mesma forma.

- Nós estamos juntas "oficialmente"- fiz aspas com os dedos.- há três meses. Nos conhecemos em um show que ela fez na boate que eu trabalho, em Los Angeles, em Junho do ano passado.

- Ficamos amigas e as coisas foram rolando até chegar a esse ponto.- Adore brincou com suas tranças.

- Pra mim...eu fiquei perplexa com o que aconteceu e como aconteceu. Eu era muito fã dela, então imaginem como eu fiquei na época.- ri.

- ERA minha fã?- me encarou indignada.

- Eu ainda sou, amor.- senti minhas bochechas corando.- Sou sua fã número um.- completei.

Ela sorriu. Nos beijamos rapidamente.

- Vamos começar!- a voz do narrador voltou.- "Qual é a sua zona erógena favorita"?

- Eu acho que ela disse que é meu pescoço, mas na verdade é meu pau.- respondeu e caiu na gargalhada enquanto me olha.

- Cala a boca!- dei um tapinha nela.

Levantei minha cartolina com a resposta: "Pescoço".

Ouvimos o barulhinho de dinheiro. Tomara que ele tenha acertado o meu.

- Minha zona erógena favorita são meus...mamilos. Ai, minha nossa...- encostei minha testa em seu ombro.

- Yes Gawd!- levantou sua cartolina com "mamilos" escrito ali. Mais um barulhinho de dinheiro.

Já temos 10 dólares.

-"Qual é a cor da roupa íntima que você está usando agora"?

- Preto.- ela disse.

Levantei minha cartolina: "Preto".

- Haha.- fez.

- A minha é uma espécie de azul.- falei, meio hesitante.- Tem tantos tons, que é difícil saber qual é o desse direito. Mas em suma, é azul.- ri.

Ela levantou a folha com a resposta.

- Eu coloquei azul petróleo.- fez bico, indicando o que está escrito no papel.- Eu vi ela se vestindo hoje.

- Azul petróleo, viu?- dei uma risada.- Até ela sabe.

O barulhinho de dinheiro soou outra vez.

-" Qual é a coisa mais nojenta que você já colocou na boca"?

- A coisa mais nojenta que eu já coloquei na boca?- Adore parece pensar. As sobrancelhas unidas, os lábios cheios pintados de batom vermelho, em um biquinho lindo.- Eu já coloquei tanta coisa na minha boca...- falou e gargalhou alto logo depois, me fazendo gargalhar também.

- Que horror...- neguei com a cabeça.

- A coisa mais nojenta? Sei lá...chocolate branco?

- Eu escrevi "azeitona".- ergui minha resposta, com uma careta.

O barulho de resposta errada soou.

Ela me olhou, incrédula.

- O quê?- ergueu a sobrancelha.- Eu adoro azeitona, você sabe disso.

- Eu sei, mas eu odeio.- deu um risinho.

- Eu não entendo você não gostar de azeitona...- balançou a cabeça.

- E eu não entendo como você não gosta de chocolate.- ri.- É a melhor coisa do mundo.- sussurrei olhando para a câmera.

- Ãhn...eu tenho certeza que ela vai dizer que a coisa mais nojenta que eu já coloquei na boca foi meu ex.- olhei de relance para ela, e a vi mexendo o indicador para mim.- Só que a coisa mais nojenta que já pus na boca foi frutos do mar.

Adore levantou sua folha:

- Ela vai dizer frutos do mar, mas é óbvio que foi o ex dela.- leu sua resposta.

Nem pude acreditar no que ouvi.

- Não acredito!- estou boquiaberta.

- Perdemos a rodada, mas estamos em sintonia.- piscou pra mim.

-" Qual de vocês é a mais desorganizada"?

- Isso nem deveria ser uma pergunta, é mais do que óbvio.- Adore disse.

Erguemos nossas respostas juntas. A minha foi "Ela" e a dela foi "Eu".

- Ela é igual a minha mãe. É obcecada com limpeza e organização.- revirou os olhos.

O barulho de dinheiro se fez mais uma vez.

- Eu nem sou tanto assim.

- É sim.- replicou e riu logo depois.

-" Quem morreria primeiro em um filme de terror"?

Mais uma vez, eu e ela levantamos nossas cartolinas juntas. Minha resposta foi "Eu" e a dela foi "Ela, com toda a certeza".

- Eu provavelmente não duraria nem dois minutos.- adicionei.- Morreria naquelas primeiras cenas clichês, sabe?

-"Quando foi a última vez que fizeram amor"?

- Hoje de manhã, antes de vir pra cá.- ela disse.

Ergui minha folha com a resposta: "Hoje, logo depois que acordamos."

- Como ela disse, hoje de manhã.- falei e ela levantou a cartolina na mesma hora.

- "O que você mais gosta no seu parceiro fisicamente"?

- É tão difícil de escolher uma coisa só. Mas o que eu mais gosto...- tentei pensar.

- Awn...- Adore fez para mim, fazendo bico para que eu a beije.

Demos um selinho demorado.

- Eu amo os lábios, os olhos...

Ela levantou a cartolina: "Meus lábios".

- Eu amo tudo nela, mas bunda é a minha resposta. Eu amo a bunda dela.

- Eu sabia!- praticamente gritei.

Mostrei minha resposta: "minha bunda. P.s: ela é viciada em bundas."

- Coloquei o "P.s", porque é obrigatório.- expliquei.

- Sim. Eu sou viciada em bundas, eu amo bundas.- passou a língua pelos lábios.

Mais um barulhinho de dinheiro.

-" O que mais gosta de comer"?

- Duh...pizza.- fez.- Faz tempo que eu tô me segurando pra não comer, inclusive.

- É claro que é pizza.- mostrei minha resposta.

- Eu quero comer pizza quando sair daqui.- fez carinha de criancinha pidona.

Ela não come pizza há um tempinho.

- A gente pode comer. Algumas fatias não vão fazer mal.- dei de ombros.- Ãhn...eu gosto de várias coisas, porém, um dos meus favoritos é frango empanado.

Adore mostrou sua resposta: "Tudo que tenha frango ou chocolate".

- Duas coisas que ela ama: frango e chocolate. E aqueles doces de gelatina, sabe?

- Eu amo.- concordei.

- "Qual celebridade é seu crush"?

- Justin Bieber?- fez uma careta.- Sei lá, eu gosto de caras com traços femininos.

- Eu respondi:- ergui minha folha.- "Não tem como saber, isso muda toda hora. #LibraProblems".- li.

Ela gargalhou muito alto.

- Eu te amo. É exatamente isso.- deu um beijinho em meu ombro.

- Eu tenho um crush bem grande no Aaron Taylor Johnson.- olhei para Adore, com um sorrisinho sem graça.

Ela revirou os olhos para mim e então ergueu seu papel, com a resposta: "Aaron blábláblá". E a cara continua sem ser das melhores.

- Você é muito chata.

- Eu sou chata por quê?- encarou-me.

- Porque você tem implicância com ele sem motivo. Aliás, geralmente você gosta de caras que nem o Aaron.

- Eu não gosto dele.- negou com a cabeça.

-  Eu adoro. Quem sabe eu não tenho uma chance, um dia...- soltei.

Virou a cabeça na mesma hora:

- Mas você nem brinca.

Foi o que bastou para eu cair na gargalhada.

-"Numa escala de 1 a 10, o quão excitado você está agora"?

- Eu estou no 10. Tô sempre no 10, pra ser sincera.- sua expressão é toda safada.

- Aham.- levantei minha folha com um "10 constante" escrito.- Eu tô meio 2...eu não sei.- ri, envergonhada.

- Minha resposta é: "Pelo menos 5, porque ela é minha namorada." Mas, parece que não.- ela armou bico.

- Ah, para!- dei um tapinha em sua perna.- Vem aqui.- me aproximei de seu rosto e nos beijamos.

-" Se você fosse uma princesa da Disney, qual seria"?

- Eu seria a Ariel, mas é claro!- mexeu nas tranças.

Levantei minha resposta: "Ariel".

- Eu seria a Ariel.- pisquei meus olhos algumas vezes, sorrindo.

Ela mostrou sua resposta: "Ariel".

- Nós duas amamos " The Little Mermaid".- foi a vez dela de piscar os olhos e fazer biquinho, como se fosse um peixe.

Um dos produtores veio até nós com algumas notas de dez dólares, e as entregou a Adore.

- Mas já?- dissemos surpresos.

Adore começou a contar as cédulas:

- Dez, vinte, trinta, quarenta, cinquenta, sessenta...oitenta dólares! Parece que eu vou ter a pizza que eu tanto quero.- me estendeu quatro das oito notas.

- Domino's pra você e Chick-Fil-A pra mim.- dei um grande sorriso.

Ela passou um braço por meu ombro, deixando-me juntinha dela.

- Pronta?- sorriu para mim.

- Claro.- sorri de volta.

- E não esqueça de se inscrever no WOW Presents!- Dissemos juntas.

- Bem ali.- Adore falou e apontamos para cima, do lado direito.

Ela então segurou meu rosto com suas mãos, me beijando.

- E...é isso aí! Terminamos.- Elisa avisou.- Vocês são um casal muito fofo.- ela fez o comentário e sorrimos.

Fomos liberados. Adore ainda me levou para um tour por todo o estúdio. Vi várias gravações diferentes, conheci muita gente e no fim ainda rolou o almoço com a Alaska. O dia não poderia ser mais perfeito!


Notas Finais


Mandem suas perguntas!!! <3 <3 E qualquer dúvida, falem comigo ;)

Instagram: @viviansullivan @futuregirlsanders

Beijoooooos!!
:*
P.s: Espero voltar aqui antes do ano novo. Haha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...