História The Best Love - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Júlio Cocielo
Personagens Júlio Cocielo
Tags Julio Cocielo
Exibições 114
Palavras 897
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura 😉

Capítulo 14 - Sem Querer


                     Julio Cocielo

Eu estava quase incociente da bebida mas eu sabia que iria beijar ela. Até que o elevador resolve dar sinal de vida e na hora que a gente iria se beijar ele começa a funcionar e abre a porta. Na hora a gente se levanta, coloca a camisa e vai em silêncio absoluto até o apartamento. Entramos e eu vou para o meu quarto e ela foi para o dela. Eu estava muito estressado pois não pude a beija-la, mas me contive. De manhã acordo e vejo uma bandeja ao lado da minha cama com remédio para dor de cabeça e água, agradeci mentalmente pois eu realmente estava com dor de cabeça, tomei o remédio e levantei, fui ao banheiro e tomei um banho bem relaxante, não me lembrava de nada, mas me lembrava só do quase beijo no elevador, aquilo eu nunca vou me esquecer. Coloquei uma bermuda e fui a cozinha tomar um suco. Cheguei na cozinha e ela estava lá, com o shortes curto preto e um top branco, ela se virou para mim e sorriu

-Bom dia- ela fala- Quer suco?

-Bom dia, eu quero- falei me sentando rir

mesa e ela ne deu um copo de suco e eu tomei tudo- Eu queria me desculpar por ontem

-Tudo bem, isso acontece- ela fala e levanta da mesa- Eu sei que sou irresistível- ela fala e eu começo a rir

-Concordo, para mim que estava bêbado e ainda você tira a blusa, fica incrivelmente irresistível- eu falo e ela começa a rir

-Ta bom Cocielo- ela fala

-Vamos na casa do Castanhari?- falo

-Ele convidou a gente?- ela fala

-Não, aqui é Julio Cocielo, aqui é Osasco, eu não preciso ser convidado- eu falo e ela começa a rir- O nordestino vai ta la- eu falo com tom de provocação

-Ai Julio, não é nordestino, é o marcos- ela fala pegando o celular

-Ta bom, vamos?- falo

-Acabei de mandar mensagem para ele e se ele for eu também vou- ela fala até que uma mensagem vem no celular dela- A gente vai

-Ta bom, vê com ele que horas ele vai- eu falo

-As 19:00 horas- ela fala

-Ta bom, a gente vai as 15:00 - eu falo e ela me olha indignada

-Por que tão cedo?- eu falo

- Por que você tem que acordar cedo- eu falo- Aliás, que dia você tem faculdade- eu falo

-Verdade, a semana passada tava em greve, mas essa semana começa, toda noite de terça, quarta e quinta feira- ela fala e eu concordo

-Ta bom e o horário do seu trabalho é das 5:00 as 14:00, né?- eu falo e ela assenti

-Sim mas por que isso?- ela fala

-Nada, só para saber mesmo- eu falo e me levanto- Cara, eu vou dar uma saida- falo indo até o meu quarto

- Julio, me leva na casa da Carol- ela fala fazendo biquinho

-Claro, vai se arrumar que eu já to indo- falo e ela sai correndo pro quarto dela. Entrei no meu quarto e coloquei uma bermuda, uma blusa e um boné, peguei uma mochila e coloquei umas coisas pois eu iria dar uma passadinha no hotel do Christian, ele estava aqui por que semana que vem eu acho que é um evento dele. Sai do quarto e ela estava lá, linda como sempre, com um vestido rosa bebê e uma sapatilha.

-Vamos- ela diz e vai até a porta e eu vou atrás, ela chega na frente do elevador e eu a seguro

- Não vamos pelo elevador- eu falo- Estou com trauma

- Ta bom- ela fala rindo e vai em direção a porta das escadas, mas ela para- Cara, que impenho descer isso tudo

-Não seja por isso- falei e a peguei no colo e desci as escada, ela só sabia gritar e rir, desci todas as escada e na ultima eu a coloquei no chão

-Você é muito louco- ela fala rindo

- Sou mesmo, e daí?- falo e a gente vai até o carro, o caminho até a casa da Carol foi em silêncio

-Você vai fazer o que?- ela fala quebrando o silêncio

-Vou no hotel do Christian- eu falo e ela da um mini gritinho

-Meu Deus, o Christian- ela fala- Tipo, eu conheço todos os youtubers que eu gosto por causa daquela festa na casa do Igão, mas o Chris, ele é o único que eu não conheço- ela fala

- Ele vai ficar uma semana aqui, vou convidar ele para ir lá em casa- eu falo e ela da mais um gritinho, e eu começo a rir

-Ta bom- ela fala e eu estaciono na frente da casa da Carol, ela sai do carro e quando ela estava indo

-Ei, meu beijo?- eu falo a chamando

-Que beijo?- ela fala e eu aponto para a minha bochecha, então ela veio e quando ela iria dar um beijo na bochecha eu viro o rosto e ela acaba me dando um selinho, que logo vira um beijo, ela rapidamente sai do beijo e me da um leve tapa na cara

-Seu idiota- ela fala zangada

-Desculpa, te vejo depois gatinha- eu falo e saio com o carro com sorriso de bobo, depois de um tempo, estava quase chegando no hotel eu vejo ela

-Cara eu não acredito que ela ta aqui beijando o....


Notas Finais


Gente mil desculpas, eu tava com dificuldades para escrever pois deu uns probleminhas aqui.... Mas ta ai... E quem sera essa mulher?????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...