História The Blind Autumn (Vhope) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens B.M, J.Seph, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jiwoo, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Rosé, Somin, Suga, V
Tags Blackpink, Bts, Bwoo, Jenlisa, Jikook, Jmin, Kard, Lemon, Romance, Taeseok, Vhope, Yaoi
Visualizações 120
Palavras 3.237
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura, lindos <3

Capítulo 10 - 13 de outubro


 Hoseok ficou prestando atenção em Taehyung e Matthew organizarem as coisas para dali há algumas horas. Eles dois não quiseram a ajuda dele para esse trabalho, o que fez Hoseok ter dois sentimentos destintos. Um de falta de confiança por parte deles e o outro por — finalmente — poder descansar. Hoseok ficou também pensando no outro Taehyung e quando poderia dá-lo o presente, mas as horas só se passavam e nada dele, sequer, pisar ali nem para ver os preparativos para o aniversário do próprio amigo.

Quando Namjoon entrou acompanhado de Jin, ele até abaixou o rosto já que levou uma encarada nada legal dos dois. Hoseok olhou no seu relógio vendo que estava bem na hora dele sair. Ele tirou seu avental, indo até seu armário e as poucas coisas que trazia e, especialmente hoje, o presente de Taehyung para Jimin.

— Hyung. — Hoseok chamou Matthew, um pouco tímido já que Jin e Namjoon estavam por perto. — Podemos conversar.

— Sim. — Matthew confirmou, seguindo-o para um local mais afastado dos outros. — Algum problema.

— Entrega para Taehyung… O outro. — ele deu uma risada. — É o presente de aniversário de Jimin que nós compramos juntos.

— Pensei que tivesse sido convidado para a festa. — Matthew pegou a sacola.

— Não. Talvez eles tivessem pensando em me convidar, mas acabaram desistindo depois de Dong fazer bullying com Taehyung. Eu ainda sou muito assimilado a ele mesmo não falando com ele há meses.

— É, Hobi, realmente você precisa se livrar desse seu lado ruim que eram seus amigos. — Matthew suspirou. — Eu digo que você deixou isso para ele.

— Obrigado e boa festa para vocês.

— Bom descanso para você, meu amigo.

— Amigo? — Hoseok ficou surpreso depois de tanto tempo ser chamado de amigo por Matthew novamente.

— Você sempre vai ser meu amigo, Hobi. Meu melhor amigo, mesmo que queira te matar de vez em quando. — Matthew colocou a mão no ombro do rapaz. — Eu estou acreditando na sua mudança e sei que vai trazer muito orgulho para mim. — ele piscou.

— Espero que trago muito orgulho para você mesmo. — ele deu um sorriso bem grande, se despedido do mais velho e saindo.

Aquele final de tarde, estava bem mais escuro do que o normal para aquela época. Talvez fosse pela chuva que caia a cada cinco minutos naquele dia e deixa tudo mais cinza do que o normal. Hoseok ia andando devagar em direção à saída, mas foi surpreendido quando Rosé pulou em suas costas dando risada.

— Você nunca vai deixar de ser medroso?

— Você nunca vai deixar de me dar susto? — ele retrucou.

— Eu tenho uma queixa a te fazer, oppa.

— O que eu fiz dessa vez? — ele olhou bem para a ruiva.

— Não é porque você está tentando esquecer seu passado, que você tem que esquecer de mim. Eu sei que está tentando se livrar do má reputação que meu primo fez você se meter jurando falsas coisas, só que eu sou uma parte boa disso, não é? Eu e Jisoo sentimos sua falta e de quando saíamos para fazer coisas juntos. Passamos a aula inteira falando como seria bom irmos a um cinema juntos como nos velhos tempos.

— Eu sinto falta de vocês também, mas você começou a namorar também e tenho um pouco de vergonha. — ele coçou a cabeça.

— O Sunhee gosta de você. Vocês poderiam se tornar amigos, eu não tenho certeza sobre o namorado da Jisoo. Porém ele nunca disse nada sobre você, sabe? Talvez ele não queria tirar conclusões precipitada antes de conhecer.

— Nós podemos sair esse final de semana, o que acha? Dia 15? Mas, po favor, não me deixe de vela no meio dos casais.

— Seria ótimo dia 15, oppa. — Rosé ficou feliz. — Se quiser, eu posso chamar uma amiga Sook, quem sabe você não acha uma namorada, né?

— Namorada? — Hoseok coçou a cabeça, lembrando-se de Taehyung.

Taehyung naquele momento da sua vida não queria mais vê-lo e mesmo gostando do garoto, ele teria que seguir em frente em qualquer momento, já que Taehyung e ele era praticamente impossível de acontecer.

— Não gosta da Sook? — Rosé perguntou, tirando Hoseok de seu transe. — Não precisa aceitar se não gostar.

— Não é isso. Quer dizer, eu te mando mensagem para falar se eu prefiro ir sozinho ou com ela. Não me sinto preparado para conhecer uma pessoa com o intuito amoroso.

— Entendi. Então me responde mesmo, eu quero muito sair com a sua companhia.

— Responderei sim, Rosé. — Hoseok olhou para sua frente, vendo Taehyung vir em sua direção. — Também quero muito recuperar tudo que nós tivemos e ainda nessa minha nova fase. — ele abaixou o rosto quando Taehyung chegou bem próximo dele.

— Um abraço? — ela pediu?

— Claro. — ele riu, dando-a um abraço.

— Posso falar com você? — Taehyung disse. — Claro se não estiver falando com ninguém.

Rosé se afastou de Hoseok um pouco assustado por causa de Taehyung.

— Eu vou deixá-los sozinhos. — ela ficou tímida, saindo na direção contraria dela.

— Vocês têm algo? — Taehyung perguntou.

— Não, ela é minha amiga.

— Ela é prima de Dong, né? Você não deveria acreditar nela.

— Rosé é uma ótima pessoa, Taehyung. — Hoseok ficou ofendido. — Ela nem fala com o primo dela direito e desde que era playboyzinho, ela me dava conselhos de se afastar dele. Pena que eu não ouvi. — ele respirou, arrependido.

Taehyung sorriu, aproximando-se e dando um abraço em Hoseok. O mais velho não conseguia acreditar que estava sendo abraçado de uma forma tão espontânea por outro alguém que não fosse sua mãe e seu pai. Taehyung fechou seus olhos assim que sentiu o perfume cítrico de Hoseok. Ambos podiam sentir o coração do outro bater acelerado. Hoseok amou sentir que Taehyung estava do mesmo jeito que ele e o mesmo quase deu um gemido dolorido quando Taehyung se afastou dele, porém ele não conseguia abrir seus olhos para vê-lo.

— Me desculpa por ter sido duro com você. — Taehyung disse. A voz grave do mesmo, tornava-se muito mais atraente quando era escutado de olhos fechados. Parecia que o clima frio, chuvoso e com aquele cheiro de folhas de árvores molhadas casavam bem com a voz do mesmo. — Eu sou muito desconfiado… Eu deveria estar mais receptivos para ter novas amizades e confiar mais nos outros também.

— Eu sei. — Hoseok respondeu ainda com os olhos fechados. Daquele jeito, ele podia ter um pouco de noção como Taehyung sentia-se ao falar com ele. — Eu não fiquei com raiva de você, apenas preocupado e por isso fui falar com Jimin. Taehyung, eu não quero que você pense que eu concordo com o que meus ex-amigos estão fazendo contigo. Eu juro que eu mudei muito esses meses e eu tive mudando muito mais assim que te conheci. — Hoseok abriu os olhos.

— Mudar por mim?

— Como estava falando para meu pai, você é cercado de pessoas maravilhosas, inteligentes e talentosas. Eu estava realmente querendo chegar perto de você. Eu queria ser seu amigo, porém precisava me encaixar no padrão tão alto que você tem das pessoas.

— Eu não acredito que estou ouvido isso. — Taehyung sorriu, passando a mão no cabelo, deixando Hoseok um pouco mais nervoso do que já estava. — Principalmente de você. De verdade, eu sinto muito orgulhoso de mim por ser um dos motivos que você quer mudar.

— É… Na verdade não mudar, porém voltar ao que era antes. Eu nunca fui uma pessoa que me achava demais ou todo esse estereotipo de jovens que nascem em famílias muito ricas. Meus pais sempre me ensinaram a ser boas pessoas. Assim como meu avô sempre me dizia que devia ser alguém amável. Acho que ele deve estar bem triste comigo depois das minhas atitudes.

— Hobi, ele vai te perdoar. E… Você falou de mim para seu pai?

— Para os meus pais.

— Ah… Tudo?

— Tudo o quê? Que eu também gosto de você e te pedi um beijo? Sim, eu falei. — Hoseok falou, escondendo seu rosto e Taehyung fez o mesmo.

— Eles não…

— Não. Na verdade, eles estão com medo que eu faça algo com você.

— Eles não tem nada contra por você gostar de garotos?

— Acho que não…

— Meus pais odiariam isso. — Taehyung disse em um tom de voz baixo, deixando Hoseok bem mais desconfortável por causa daquilo. Era certo que Taehyung não faria nada para entristecer sua família. Talvez aquilo fosse um sinal de que deveria parar por ali mesmo. — Ah, eu não deveria falar isso para você, me desculpa.

— Não precisa se desculpar, Taehyung. Eu te entendo e não se preocupe, eu não vou ser inconveniente e tentá-lo pedir um beijo.

— Não fique com raiva de mim.

— Eu não estou com raiva de você. Eu que deveria não te pedi nada e se você quisesse me pediria.

— Só que a única coisa que eu realmente tenho certeza do que eu quero é ser seu amigo.

— Então nós vamos ser amigos. — Hoseok riu. — De verdade.

— Você não está sendo sarcástico, né?

— Não. — Hoseok se afastou um pouco. — Olha, Taehyung, eu tenho que ir para casa e eu deixei os anéis com Matthew. Pega com ele, ok?

— Você não vai ficar?

— Você não me convidou nem quando não estava com raiva e eu não gosto de ir em cima da hora. — ele suspirou. — E realmente eu preciso ir, pois tenho que estudar para as provas agora e arrumar minha mala.

— Você vai embora? — Taehyung ficou assustado.

— Vou passar um tempo em Gwangju porque vai ser aniversário de casamento dos meus avós e eles me querem muito lá.

— Entendi…

— Boa festa, Tae… Hyung. — Hoseok disse se afastando.

Taehyung abaixou o rosto, voltando para a cafeteria onde todos estavam se preparando para a festa do Jimin.

— Tae, vem aqui. — Matthew chamou-o.

Taehyung cuidadosamente, seguiu o caminho da voz de Matthew e o mesmo pegou em seu ombro quando já estava bem perto dele.

— Hoseokie pediu para entregar isso. — ele deu a caixinha com os anéis na mão de Taehyung.

— Ah, muito obrigado, hyung. — Taehyung pôs a caixa em seu bolso. — É meu presente para Jimin.

— Ele te ajudou a comprar? — Matthew ficou curioso por ver uma marca tão cara na caixa.

— Sim. Ele foi comigo até o shopping e eu confiei no bom gosto dele. Quer dizer, agora mesmo que eu estou confiando bastante no bom gosto dele. Eu quero que seja um presente bem importante para Jimin.

— Oh, com certeza vai ser. — Matthew riu.

— Jungkook está chegando com Lisa. — Namjoon se aproximou do irmão, colocando a mão em seu ombro. — Somin vai buscar Jimin.

— Só quero saber como Somin vai conseguir trazê-lo por aqui. — Matthew riu. — Eu era mais a favor de Jiwoo ir buscá-lo, pois era só falar que eu queria falar com ele.

— Mas Somin é prima do Jungkook. — Namjoon falou. — No máximo que Jimin vai pensar é que Jungkook sofreu um acidente e vai ficar desesperado.

— Você gosta disso? — Taehyung perguntou.

— Seria bem engraçado. — ele riu.

— Nossa, hyung, você está andando muito com Yoongi. — Taehyung começou a rir. — Acho que deveria ficar mais com Jin e ser uma pessoa mais amigável.

— Eu estou amigável, bebê. — ele apertou as bochechas do irmão. — Bem, vou continuar a ajudar com os preparativos.

— Estou nervoso, hyung! — Jungkook disse pela centésima vez para Jungkook desde que ele tinha colocado os pés ali.

— Jungkook, ele vai gostar, ok? Você está falando como Jimin fosse a pessoa mais difícil de se agradar nesse mundo e ele não é.

— Eu só quero que tudo saia perfeito.

— Kookie, está ficando perfeito. — Lisa disse. — Tae está certo, você está afobado demais.

— Isso Lisa, me ajuda ou eu vou agredir ele. — Taehyung bufou. — A gente vem preparado isso há dois meses.

— Se sair ruim, pelo menos vai ter comida para comermos. — Lisa riu, deixando Jungkook um pouco nervoso.

— Quem vai te agredir sou eu, Lisa. Nada pode sair ruim, tem que sair maravilhoso! — ele esfregou a mão uma na outra, tentando descipar seu nervosismo.

— Alguém liga pro Jimin e diz que o Jungkook quebrou a perna, pelo amor de Deus? — Jin reclamou. — Eu estou com fome!

— EU TAMBÉM, OPPA! — Lisa gritou, fazendo Jin se juntar ao pequeno grupo que tinha se formado ali. — Até Jennie já foi atrás deles.

— Será que aconteceu algo? — Jungkook arregalou os olhos. — Eles estavam em uma excursão do outro lado da cidade. E se bateram com o carro?

— Jungkook! — Taehyung cutucou ele. — Não aconteceu nada, mas que coisa.

— Eles estão chegando! — Yoongi falou. — Fica todo mundo quieto.

— Fica calmo, Kookie. — Lisa riu. — Tenho certeza que ele já está desconfiando mesmo.

— Lisa, depois que eu comer, a gente se resolve, viu?

Lisa deu risada do amigo e saiu para ficar mais na frente onde Jin estava, pois tinha uma boa distância da mesa com as coisas.

Somin abriu a porta e assim que Jimin colocou o primeiro pé para dentro da cafeteria, todos os presentes — que não eram muitos — começaram a cantar parabéns para ele. O dançarino ficou bem tímido com aquilo e ele só conseguia tentar procurar o rosto de Jungkook ou Taehyung no meio da multidão para ter a certeza que tudo aquilo era obra dele, porém o mesmo foi surpreendido quando o namorado abraçou-o por trás dando um beijo em sua bochecha.

— Eeeeh, Jiminnie! — Yoongi gritou, se aproximando de Jimin para abraçá-lo. — Muitos anos de vida, meu amigo!

— Eu sabia que tinha algo acontecendo aqui. — Jimin riu, se separando de Yoongi e tentando abraçar os outros. — Meu Deus, eu só comecei a pensar em algo assim ontem quando Jungkook chegou tarde no quarto.

— Nós estamos planejando tudo isso há quase dois meses. — Jin falou. — Eu cozinhei tudo.

— Mas eu ajudei. — Jungkook se aproximou do namorado mais uma vez, entregando-o o presente que tinha comprado para ele. — São as roupas que estava querendo há muito tempo.

— Você é o melhor namorado do mundo inteiro. — Jimin virou-se para Jungkook, dando-o um beijo de leve. — Obrigado, meu amor.

— Você merece. — Jungkook deu outro beijo no namorado.

— Jimin, todos nós sabemos que Jungkook te ama e você ama o Jungkook, e todos nós te amamos, mas a gente quer comer também. — Lisa se aproximou, estendo a sacola com seu presente.

— Sim! — Jin riu. — Lisa é minha versão mulher.

— Ok, seus comilões, espera. — Jimin tirou sua bolsa e colocou junto com os presentes em cima de uma mesa fazia. — Vamos fazer um pedido e cortar o bolo.

— Até que em fim! — Jin comemorou.

 

Taehyung esperou um tempo antes de se aproximar dos amigos para dá-los o presente de seu aniversário.

— Espero que não estejam de pegando. — Taehyung sentou-se na escada assim como eles.

— Estamos conversando, somente. — Jimin respondeu. — Você sabe muito bem manter um segredo.

— Muito melhor do que você imagina. — Taehyung pegou a mão do amigo. — Tenho um presente para vocês. — ele tirou a caixinha do bolso.

Jimin já sabia o que era, pois Hoseok tinha o contado no dia anterior, mas se surpreendeu quando viu a caixa com o logo da Bvlgari. Ele sabia o quão caro aquilo era para os padrões deles e logo passou Hoseok por sua cabeça. Jungkook abriu mais a boca, pegando aquela caixa da mão de Taehyung.

— Oh meu Deus! — foi a única coisa que o mais novo conseguiu falar. — Tae…

— Eu juntei dinheiro para isso e por vocês dois. Eu sei o quanto vocês queriam um anel de compromisso e não tinham dinheiro o suficiente e mesmo tentando juntar, dava trabalho com todos os gastos que nós temos aqui. Jimin também estava se sentindo mal por ser o mais velho e não ter oportunidade de comprar algo assim, então resolvi fazer para os dois.

— Tae, não precisava. — Jimin sentiu-se um pouco envergonhado com aquilo.

— É meu presente de aniversário para você, Jimin. — ele deu uma risada. — Agora pode dar o sonhado anel de compromisso para Jungkook. Mas espera, eu quero algo bonitinho, ok?

Jimin sorriu, tímido, pegando a caixinha da mão de Jungkook.

— Kookie? — Jimin falou com a voz suave dele, deixando Taehyung com um largo sorriso no rosto, imaginando a cena. — Faz quase dois anos que a gente namora, isso sem contar as vezes que a gente se trombava nas ruas em Busan e no curso para o vestibular e eu já ficava de olho em você…

— Opa, tô sabendo disso agora! — Taehyung comentou.

— Tae, depois, não corta o clima! — Jimin beliscou o amigo.

— Desculpa.

— Bem… — ele mordeu os lábios. — E desde de quando fizemos nosso primeiro ano de namoro, eu pensei dei dá-lo um anel de compromisso, mas o dinheiro estava muito curto. Já que eu ganhei esse lindo presente do meu melhor amigo e tem outro anel que é colocado propositalmente aqui, então eu quero oficializar esse namoro. Ah, não sei mais o que falar, pois não consigo ser muito romântico com as palavras.

— Mas foi fofo. — Taehyung deu um suspiro exagerado.

— É claro que eu quero oficializar o namoro. — Jungkook estendeu a mão para Jimin colocar o seu anel e fez o mesmo com ele. — Agora nós temos alianças como…

Noivos. — os três falaram juntos, dando risada.

Jungkook e Jimin abraçaram Taehyung bem forte, felizes com o presente que eles — principalmente Jimin — sempre sonharam desde que o namoro começou a ficar sério.

— Eu estou tão feliz que vocês gostaram. — Taehyung, pegou um de cada lada, dando um beijo na testa dos dois. — Eu estou realmente muito satisfeito.

— Tae, você não precisava fazer isso! — Jimin falou, olhando para o anel em seu dedo. — Isso deve ter custado uma fortuna.

— Fortuna? — ele paralisou um pouco, mas deu uma risada fraca quando lembrou-se que Hoseok tinha perdido os anéis e comprado novamente. Com certeza, Hoseok não deveria ser a pessoa mais simples do mundo quando estava sozinho. — Ér… Depois peçam obrigado para Hoseok, ele me ajudou a comprar. Eu confiei no gosto dele, já que era o único que podia enxergar.

— O quê? — Jungkook se surpreendeu. — Você saiu com ele?

— Sim. — Taehyung confirmou. — Que isso se torne um segredo de nós três somente, ok? Nada de deixar Namjoon ou Jin-hyung saberem disso, por favor.

— Nós não vamos contar nada, mas você teve que ter coragem para fazer isso nas nossas costas. — Jimin riu, rolando seus olhos.

— Eu queria que fosse uma surpresa para vocês dois e estava querendo começar uma amizade com alguém diferente. Acho que conseguir ter essa malícia da vida que vocês sempre me falaram.

— Até demais. — Jungkook riu.

— Bem, não importa mais isso. — Jimin olhou para Jungkook. — Muito obrigado, Tae! Você é o melhor amigo que alguém poderia ter e eu amo muito você. — Jimin o abraçou. — Amo vocês dois. — ele puxou Jungkook para o abraço.

— Também amo muito vocês. — Taehyung passou seus braços pela cabeça dos dois. — E eu vou sou ser o padrinho do casamento de vocês, mesmo que vocês não queiram.

— Você vai ser nosso tudo, já que até um pouco cupido já foi. — Jungkook deu uma risada, acariciando o cabelo escorrido de seu hyung.

— Eu já não aguentava mais saber que vocês gostavam um do outro e não tinham coragem para contar também. Então eu contei. — Taehyung gargalhou junto com os outros. — Desculpa por isso, agora eu consigo entender a vergonha que dar.

— Não tem problema, a gente conta também. — Jimin disse, dando uma piscada para Jungkook.

— Pelo amor de Deus, não! — Taehyung mordeu seu lábio.

— É, Jiminnie, a gente não deveria contar mesmo. — Jungkook falou com a voz baixa. — A gente só deveria fazer um banner e mandar colocar na frente do apartamento dele mesmo.

— Ótima ideia! — Jimin concordou.

— Vocês são meus amigos ou o quê, hein? — Taehyung perguntou, sentindo o seu rosto queimar de vergonha.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até a próxima!!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...