História The Blood Sins - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Blood Sweat And Tears, Sugav, Taegi, Vga, Vmin
Exibições 65
Palavras 1.228
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiiiiiiii...
Eu só brotei aqui pq esse capítulo já tava meio pronto daí eu dei um jeito e terminei, tá pequeno? Tá! Mas é só pra n dizer q eu n posto, me desculpem por isso, minhas provas tão sendo meio estranhas ent relevem pq eu quero muito entrar na escola técnica é eu tenho que ter um histórico bom!
Sinto falta de comentários... N me deixem só!
~Boa leitura.

Capítulo 4 - Os Guardiões


Os Guardiões


Guardiões são aqueles que cuidam e sustentam as leis e regras de todo o universo, existem os que cuidam dos anjos caídos, os que cuidam dos anjos, os que cuidam das almas que serão levadas - tanto para o céu quanto para o inferno -, e os que cuidam das reencarnações dos pecados. Todos eles têm de cumprir o seu trabalho, sem solicitar, reivindicar ou demandar sobre tais leis. Alguns guardiões já foram incompreendidos pelas autoridades máximas, e com isso expulso de toda e qualquer forma de vida, fazendo com isso que sua alma, corpo, poderes de demanda, requerimentos e até pensamentos se esvaíram virando pó.


~


Me reviro usando os braços de apoio e por fim tiro ia joelhos do chão ganhando impulso para o resto do corpo. Acabo soltando um muxoxo qualquer coisa sem sentido ao me dirigir para a porta e a luz atingir meu rosto em cheio. Minha camiseta está completamente amassada assim como a calça jeans está dobrada em uma só perna, a outra estava completamente amarrotada. Passo pela porta em passos lentos, mínimos, andando pelo corredor com os olhos reduzidos a linhas para conseguir visualizar alguns centímetros a minha frente.


– Olá, senhor “Minha vida não te interessa”. - abro os olhos para poder enxergar que está falando, a voz não me é muito estranha.


Encaro Jeon parado a minha frente durante alguns segundos e uso os próximos para me agarrar em sua cintura em um abraço apertado. Escutando a risada pesada do mais novo me lembro de quando fui transformado em reencarnação, ele quem me trouxe e que me ensinou completamente tudo que precisava saber.


– Você cresceu, filho da puta. - esqueço formalidades por um momento, sentindo o cheiro bom me invadir. Lembro-me de quando fugia a noite para ir dormir com Jeon. Aquelas foram as melhores noites da minha vida, ele cuidou de mim. Ainda era uma criança, mesmo que hoje em termos de idade universal eu seja mais velho e ele tenha lá seus dezoito anos.


Yooni Hyung, eu não consigo respirar. - então eu lembrei. Mundo dos humanos, Coréia do sul, Seul, 2016. Me afastei encarando o menino crescido a minha frente, quanto tempo eu fiquei sem o ver? 4 anos? Ah, que perca de tempo.


Escuto uma tosse forçada e encaro a Ira por alguns segundos seguindo os olhos dele até o sofá onde a Soberba abraçava aquele menino - que só conheço como Avareza - de lado.


– Não cansou ainda, Sob… JiMin? - perguntei revirando os olhos visivelmente. - Namjoon, você está usando seus efeitos sobre mim? Eu me sinto tão frustrado…


– Hyung. - Olhei para Jeon que agora estava atrás de mim, segurando minha cintura. - Não, não faça. - sussurrou para mim. - Eu vou cuidar disso 'pra’ você, tudo bem? Não se preocupe. - continuou, encarou JiMin por algum tempo inestimável. Quase senti os olhos fervendo sobre o outro - Eu quem trouxe o TaeHyunggie. Ele disse que queria conhecer meus Hyung’s e quando cheguei com ele JiMinnie já estava aqui.


– TaeHyunggie? - uso deboche.


– Isso são ciúmes, YoonGi Hyung? - NamJoon perguntou sentando no braço do sofá. Revirei os olhos.


– Talvez, mas você não precisa se meter em assuntos pessoais. Namjoon. - dei ênfase em seu nome antes de mostrar a língua em um ato infantil. - Jeon, você deveria avisar sobre possíveis visitas! - bufei encontrando os olhos que me encaravam.


– Não me chame assim, Hyung. - Jeon pediu manhoso. - Prefiro que me chame como antes. - sussurrou para mim me fazendo arrepiar por completo. Não podia deixar a Luxúria tomar conta de mim, não agora.


– Jeon JungGuk! Pare com isso, seu pirralho pervertido! - o “mais novo” sorriu abertamente e me deu um beijo na bochecha. - Argh, qual é o seu problema? Aposto que é a convivência com aquele outro. - apontei JiMin.


Eu só podia estar ficando louco, a cada segundo que se passava meu corpo humano se tornava mais quente. A Luxúria estava ganhando. Desviei meu olhar para o sofá encontrando TaeHyung e JiMin aos beijos, era só o que faltava. Deixo um gemido baixinho escapar e a mão de JungGuk contorna minha cintura.


– Não dá. - murmurei entre dentes. - Vocês, parem com isso. - esbravejo e TaeHyung me olha com os lábios inchados. Minha respiração se torna ofegante enquanto observo o mesmo passar a língua nos lábios, os umedecendo. - JiMin, saia daqui. Pare de perder seu tempo. - tentei não parecer fraco.


– Hyung, vamos conversar. - escutei Jeon me chamar e me puxar novamente para os corredores. Fui empurrando sobre a pia do banheiro enquanto a porta era fechada de maneira bruta. Encarei seus olhos negros do outro sentindo a tensão tomar conta do lugar. - Suga? - chamou me fazendo balançar a cabeça de leve.


– Huh? - mordi o lábio inferior enquanto meu corpo reagia às atitudes do outro.


– Está acontecendo outra vez. - sussurrou. - Você precisa se controlar. Está perdendo o comando racional para o pecado. - tentei pensar, mas já havia um volume em minha calça me impedindo de pensar em outra coisa que não fosse obter prazer. - Como isso aconteceu depois de tantos anos? - Jeon se auto perguntou andando no pouco espaço do banheiro.


– J-Jeon… - Estendi minha mão em sua direção. A outra já estava ocupada se direcionando até meu membro duro.


– Hyung! - Confesso que senti uma pontada de prazer me invadir ao escutar Jeon me chamando daquela forma, afinal ele é mais velho do que eu por parte de encarnações, mas na vida humana ele é bem mais jovem. - Faz muito tempo desde que… você… - passou a mão pelos cabelos. - se sentiu atraído por alguém?


– E-Eu? - senti o filete de suor escorrendo sobre minhas têmporas.


– YoonGi, se concentra, você só vai acabar com isso quando a pessoa por quem se atraiu te der o devido prazer. - quase gritou e eu arqueei as costas, a calça jeans me apertava.


– Tae…- suspirei. - Hyung. - os olhos de Jungkook se encontravam arregalados. - Jeoon… m-me ajuda.


– Eu não posso fazer nada, a não ser te livrar disso por uns dois dias no máximo. Desculpa Hyung… Você tem que pedir ajuda a TaeHyung. - gemi derrotado.


– Faça logo isso é saia logo daqui! - senti Jungkook apertando os dedos na minha cintura.


Seu rosto se escondeu na curva do meu pescoço, senti sua respiração em mim. - Feche os olhos, Hyung-min. - obedeço deixando minha testa apoiada em seu ombro. - Sinta. - arfo com a sensação de prazer me invadindo, seus dedos descem um pouco mais parando no cós na minha calça e desabotoando-a com uma calma indesejada por mim. - Está sentindo? Huh? Me responda, pequeno YoonGi. - a submissão me deixou ainda mais excitado.


Em poucos segundos o suor desapareceu, o aperto cessou e minha garganta conseguiu recuperar a liberdade para engolir a seco. JungGuk me deu um selo rápido e sorriu divertido.


– Que liberdade é essa? Não é porque você tem uns mil anos a mais que eu, que a minha pessoa te dá essa liberdade. - desci com um impulso.


– Nem parece aquela criança que vinha até mim todas as noites porque tinha medo de dormir no escutando. - ri nasalmente.


– Obrigado por cuidar de mim. - disse simplista em seguida abri a porta. - Hyung… - Sorri minimamente.




Notas Finais


Links das minhas outras Fanfics :)


Equation Of Love: https://spiritfanfics.com/historia/equation-of-love-6554081


Meu YouTuber: https://spiritfanfics.com/historia/meu-youtuber-5573337


Link do grupo das Furmigas (Minhas leitoras lindjaas): https://chat.whatsapp.com/ETP5OOaiQT1Ep2LQXLX11N

~Fui :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...