História O Encanto do Livro - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Debrah, Iris, Kentin, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya, Violette
Tags Castiel, Romance, Universo Alternativo
Visualizações 64
Palavras 2.726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hellooooow friends! É, eu sei que eu demorei MUITO para postar um capítulo novo (ಠ_ಠ)

Motivos:

Preguiça
Não tive tempo
Preguiça
Fiquei de castigo
Eu já disse preguiça?

O motivo do castigo é tão besta, quê se eu contasse para vocês, vocês iriam rir da minha cara (• ε •)

Eu só estou escrevendo hoje porque é dias das crianças e o meu pai deixou eu mexer no celular, mas eu não sou mais criança! 。゜(`Д´)゜。

Eu tive tantas ideias neste tempão que eu não escrevia (•ω•)

Ok, sem enrolação e vamos para o capítulo ♪~ ᕕ(ᐛ)ᕗ

Boa leitura e boa imaginação :3

Capítulo 4 - "Strange" Friendships


Fanfic / Fanfiction O Encanto do Livro - Capítulo 4 - "Strange" Friendships

Levantei devagar e virei-me lentamente para a direção oposta com a boca entreaberta. Eu avistei uma garota, seus cabelos eram grisalhos, seus olhos tinham um tom suave de avelã e âmbar. Seu vestido era negro e continha poucos decotes. Ela possuía lindos traços delicados em seu rosto, mesmo com raiva em seu olhar.

O seu arco estava erguido, cujo havia entre o mesmo uma de suas flechas, que estava mirando em direção à minha testa. A garota ergueu a sobrancelha, esperando que eu tivesse alguma reação. 


- Quem é você? E como chegou aqui?! —indagou a garota, esticando cada vez mais a linha do seu arco e ainda o mirando-me. 

- M-meu nome é Mackenzie Cooper, mas c-conhecida como M-maggie. — respondi a mesma. Eu engoli seco e minhas mãos estavam molhadas de suor devido ao nervosismo de imaginar aquela flecha acertando-me — Um r-rapaz ruivo me trouxe aqui. 

Sua expressão mudou para uma mistura de confusa e surpresa. Ela desarmou o seu arco e guardou sua flecha numa estranha mochila que ela carregava em suas costas. 

- E onde ele está? — mencionou a platinada. 

Olhei ao redor da vila à procura do Castiel, e não tive nenhuma surpresa. 

- E-eu não sei, ele estava atrás de mim. — respondi para a mesma.

- Hum... Antes de conhecê-lo, como veio para aqui? — questionou, cruzando os braços e encarando-me fixamente. 

- Se eu contar, você vai rir da minha cara, assim como o ruivo fez. — avisei para a garota.

- Verdade, Rosalya. — concordou uma voz familiar, vinda da minha direção oposta. 

- Castiel, eu preciso conversar com você. — disse a Rosalya, puxando a gola da camisa do mesmo. 

|| Castiel ||

Rosalya me puxava bruscamente pela gola de minha camisa, até chegarmos à uma pequena muralha de pedra. 

- Você está louco, Castiel?! — reclamou, soltando minha gola sem nenhuma delicadeza — Como pôde trazer uma desconhecida para cá?! Vai que ela é apenas uma isca para capturarem você! 

- Aquela voz irritante dela insistia para que eu à trazesse para um lugar seguro! — retruquei, serrando o punho e dando um leve soco na muralha. 

- Você não pode trazer qualquer pessoa para cá! Se acontecer alguma coisa por causa dela, a culpa será sua! — exclamou, com sua voz um pouco elevada. 

- Ela é apenas uma garota ingênua e palerma! Qualquer coisa que ela fizer, eu  a matarei. — respondi, dando-lhe as coisas e saindo daquele local patético. 

- Estou lhe avisando, Castiel! — gritou do local em que eu havia deixado. Apenas cruzei os braços e revirei os olhos.


|| Maggie ||

Vi a Rosalya vindo em minha direção com uma expressão séria, o Castiel estava indo na direção oposta. 

- Continuando... Como você chegou aqui antes de conhecer o Castiel? — perguntou a Rosalya, cujo a sua expressão mudou para curiosa. 

- Você vai rir... — lembrei para a mesma. 

- Estou lhe perguntando como chegou aqui, e não o gênero, flor. — retrucou, com um sorriso irônico e forçado em seu rosto. 

Fiquei um pouco ofendida com a patada que ela lançou para mim, mas mesmo assim, expliquei todo o ocorrido da história de como eu vim parar aqui... Detalhe por detalhe. 

- Hum... — a platinada franziu a sobrancelha e fez uma expressão suspeita — Você não está debochando da minha cara, não é? 

- N-não! Eu juro! — neguei com a cabeça — O estranho é quê eu não lembro o nome do livro. — comentei, fazendo uma expressão pensativa, tentando lembrar-me do nome — Eu realmente não me lembro.

- Hum, ok. Seja bem-vinda! — sorriu de ponta a ponta. 

- Huh? — questionei-me confusa. À segundos atrás, ela mantinha um olhar sério para mim, mas agora está "alegre". 

A garota viu o meu olhar suspeito e confuso e percebeu que eu não estava muito confiante com esse sorriso dela. 

- Desconfia de mim, Maggie? — suspeitou, ainda sorrindo. 

- Como eu não poderia estar... — pensei.

- Desculpe ser tão rígida com você, é apenas gestão de proteção. — disse Rosalya, dando meia volta — Se quiser, pode visitar alguns locais da vila, não posso lhe acompanhar agora, estou ocupada com alguns afazeres. — exclamou, caminhando para uma das casas mais próximas. 


Depois da bela garota me explicar o porquê de ser tão rígida, eu senti mais segurança em suas palavras. Eu estava bem curiosa para explorar este lugar, sendo assim, comecei a caminhar em um destino sem rumo. 

Caminhei aleatoriamente, apenas visualizando cada pequeno detalhe da vila, cujo era maravilhoso cada local que eu observava. Aquele ar da natureza era muito diferente do ar poluído da cidade grande. Esta é a primeira oportunidade que eu tenho de experimentar o oxigênio natural. A brisa batendo em meu rosto e fazendo o meu cabelo voar e bagunçar-se naturalmente era extremamente confortável e interessante. A grama alta fazia cócegas em meus dedos, fazendo-me dar um leve riso abafado. Era tão bom ouvir as aves cantados enquanto planavam sobre o céu. O som das folhas se mexendo dava um toque suave na natureza. 

Suspirei bem fundo para capturar o cheirinho bom da grama verde, pois era bem melhor que o odor terrível da fumaça dos carros. Após o meu longo suspiro, senti algo cotucando um dos meus pés. Olhei para baixo e vi o pequeno coelho que eu havia acariciado à minutos atrás, então me agachei para acaricia-lo novamente. Seu pelo era tão macio e suave... Soltei pequenos elogios para o frágil animal.

- Você é tão lindinho. — elogiei com os meus olhos fechados, sorrindo gentilmente enquanto escorregava meus dedos em seu leve pelo branco. 

- Você também é muito linda. 

- Oi? — indaguei, confusa. 


Abri meu olhos e o coelhinho não estava mais lá, eu só enxergava pés alçados por botas. Olhei rapidamente para cima, ainda agachada, e vi um rapaz de cabelos platinados e olhos bicolor. Com o susto, dei um grito abafado e tentei me levantar, mas pisei numa pedra e escorreguei, caindo de barriga para cima. 


- Q-quem é você? C-cadê o coelho q-que estava aqui?! — perguntei ao jovem, tentando me levantar. Minhas palavras bagunçaram-se em minha boca, então elas saíram desalinhadas e gaguejadas.

- Eu que lhe pergunto, senhorita. Quem é você? — questionou, erguendo a mão para mim, com a intenção de me ajudar a me levantar.

- E-eu sou Mackenzie, mas pode me c-chamar de Maggie. — respondi com insegurança, mas aceitando a sua ajuda e segurando a sua mão para deixar o chão.

- Sou o Lysandre, mas se quiser, me chame de Lys. Muito prazer senhorita. — falou o platinado, erguendo a minha mão e depositando um beijo suave. 

- S-só Maggie e-está bom. — minhas bochechas arderam e minhas palavras bagunçaram-se novamente devido ao seu beijo. 


Este rapaz era encantador. Seus olhos eram perfeitos, seu cabelo platinado e com um pouco de preto em suas pontas eram estranho, porém lindo. Sua camisa clara e sem manga deixava os seus músculos indescritíveis e definidos à amostra e sua boca pequena era, de fato, muito atraente...


- Como chegou aqui, senhorita Maggie? — perguntou, com curiosidade em suas doces palavras.

- Longa história... — avisei ao lindo rapaz. 

- Amo histórias, por favor, conte-me. — aquela voz extremamente sexy e suave conseguiram me convencer, então logo contei toda a história — Por favor, não ri.

- Rir? Porquê? Entrar em um livro não é algo tão estúpido ou irrelevante assim, senhorita Maggie. — comentou, sorrindo levemente. 

- Não mesmo, é completamente ridículo. — discordei, cruzando os braços. 

- Já aconteceu comigo coisas bem mais "ridículas" do que ocorreu com você, acredite. — afirmou, alargando mais ainda o seu belíssimo sorriso, que me fez corar violentamente.

- Afinal... Onde está aquele coelhinho? — mudei de assunto, para não ficar mais óbvio a minha vergonha e o meu embaraço.

- Digamos que você está falando com ele. — exclamou o mesmo. 

- Quê? — o platinado reparou da minha expressão de confusa. 

- Um dia você irá entender. Eu preciso ir agora, senhorita Maggie, tenho algumas coisas para fazer. Eu te vejo mais tarde. — ele ergueu a minha mão novamente e depositou outro beijo, só que desta vez mais longo.

- T-tchau, Lys. 


Parei no tempo e fiquei pensando, tentando entender o que ele quis dizer.

" Digamos que você está falando com ele"

Raciocinei rapidamente e cheguei a conclusão de quê... Ele era o coelho?! Mas como pode ser possível?! O quê mais de estranho à nesse mundo?!

Virei-me para a direção em que ele estava indo para dizer que eu entendi a sua "charada", mas ele já havia sumido. Dei de ombros e continuei à caminhar. 


> Minutos Depois <


Eu estava caminhando uma pequena parte da floresta, um pouco distante da vila. A grama do local era mais úmida, acho que devido à pouca iluminação que havia no local. Eu podia ver alguns ninhos de algumas aves que rondavam aquele lugar. O ar daqui era mais gelado, minhas narinas até ressecaram-se por dentro. As folhas caíam aleatoriamente pelo fato da brisa ser um pouco mais forte. 

Olhei para o lado, à procura de algo interessante para observar, eu avistei um alvo à pouquíssimos metros de mim, achei meio estranho ele estar entre a floresta e a vila. Caminhei um pouco, para me aproximar no alvo. Assim que eu me aproximei, passei levemente o meu dedo no mesmo, parecia ser novo em folha. Virei para a direção oposta e uma flecha vinha com rapidez em minha direção, fechei os olhos e, em milésimos, ela acertou no alvo, porém dois centímetros de distância de mim. Meu coração estava acelerado, devido ao susto.


- De novo não... — sussurrei para mim mesma.


Abri os olhos e vi dois rapazes caminhando em direção à mim. Um tinha olhos azuis com cabelos negros e o outro cabelos castanhos e olhos verdes esmeralda.


- Uma garota? Quem é você?! — indagou o de cabelos pretos. O mesmo estava segurando o cabo de uma faca, que estava em seu bolso. O de olhos verdes impediu que ele tirasse a faca do bolso. 

- O que faz por aqui, garota? — questionou, o de cabelos castanhos.

- Eu me c-chamo Mackenzie, apelidada por Maggie. Eu realmente não queria estar aqui, desculpe se estou incomodando vocês. — respondi, engolindo seco. 

- Não, não está incomodando. — exclama o de olhos verdes, dando um pequeno sorriso.

- Prazer em conhecê-la. — os dois disseram, em uníssono. 

- O p-prazer é meu. — falei, minha voz falhou um pouco, pois o jovem de olhos verdes estava sem a sua camisa. 

- Desculpe-me por estar vestido desta forma, eu estava tomando um banho. — o moreno de cabelos castanhos sorriu timidamente e bagunçou o próprio cabelo, que ainda estava úmido — Eu me chamo Kentin. — o mesmo depositou um beijo doce em minha mão.

- Eu me chamo Armin, prazer. — apresentou-se e fez o mesmo ato que o Kentin — Perdão pela flecha que quase acertou você, eu estava treinando, acho que você deveria saber que não é normal ficar na frente de um alvo. — o garoto branquinho deu um riso abafado, e que sorriso gostoso de ouvir.

- Desculpe, — eu soltei um pequeno sorriso — eu não reparei que o alvo estava sendo usado. 

- Sem problemas. Desculpe dizer isto mas, eu tenho que voltar à treinar. — informou o Armin.

- Ah, sim. Foi um prazer te conhecer. — mencionei. 

- O mesmo. — ele sorriu, saiu e voltou à focar em seu arco.

- Bem, tenho que ir também, desculpe, linda. — o moreno deu outro sorriso tímido e saiu. 

- T-tchau... — assenei para o mesmo, com minhas bochechas queimando. 


Eu nunca havia conhecido tantos garotos magníficos em apenas um dia, era novidade para mim. A risada no branquinho me fascina e o sorriso do moreno me encantava. Muita perfeição em apenas um dia. Mas o estranho era quê o Armin possuía orelhas pontiagudas

Parei de "babar" pelos garotos e caminhei para dentro da vila novamente. Eu gostaria de observar como será o interior de uma dessas casas, o lado de fora é fabuloso, imagina as partes inferiores. 

Caminhei por um corredor onde continha várias casas em ordem e perfeição, onde não havia ninguém no momento, apenas ficava observando por algumas janelas o que se passava por dentro delas. Passei por uma casa, que por sinal a sua porta estava aberta, e na sua cobertura interna, havia lindas roupas, porém muito diferentes do mundo em que eu vivo. 

Olhei para os lados para me certificar de quê não havia ninguém e entrei na linda casa, que era um pouco maior que as outras. 


||> Na Casa... <||


Após entrar, vi uma coleção de roupas magníficas, aparentava ser vários estilos, formais, casuais, modernos... Eram bem mais extravagantes e sofisticados que os da cidade. 

Olhei por cada estante de roupa com brilho nos olhos, até pegar uma roupa para observar e bater meu olhar com um garoto de olhos roxos. Gritamos em uníssono devido ao grande susto e caímos no solo, o jovem de cabelos azulados levantou rapidamente, retirou uma faca de seu bolso e segurou com as duas mãos, que estremeciam. 


- Quem é você?! O que faz aqui?! — perguntou-me o garoto de cabelos azulados, quase deixando a sua faca cair de tanto estremecer os seus braços. 

- Desculpe! Eu não quis te assustar e muito menos te machucar! — afirmei, me levantando devagar — Eu me chamo Mackenzie, mas me chame de Maggie. 

- Hum. — o jovem de olhos roxos abaixou lentamente a sua faca e à guardou em seu bolso — Eu me chamo Alexy. 

- Prazer em conhecê-lo. 

- O prazer é todo meu. — ele se aproximou um pouco mais de mim e sorriu — Desculpe te ameaçar, eu não sou acostumado com novas pessoas aqui. 

- Eu entendo. Você trabalha aqui? — indaguei, tentando conter alguma simpatia com aquele alegre rapaz, ele não parava de sorrir.

- Na verdade, eu faço algumas roupas para expor aqui. — respondeu gentilmente, olhando algumas roupas próximas à ele.

- Ah. Devem ser lindas... — elogiei, com um pequeno sorriso. 

- Eu realmente preciso ir, desculpe. Estou atrasado com algumas coisas. — mencionou, botando uma roupa em seu devido lugar e retirando-se do local. 

- T-tchau... 

O Alexy era idêntico ao Armin, sua orelha também tinha uma forma pontiaguda. Obviamente devem ser irmãos.


Eu saí do interior da casa e caminhei mais um pouco, procurando mais alguém para conhecer. Ao sair do corredor que continha algumas casas, dei de cara com a Rosalya e o Castiel logo atrás. 

- Hey, finalmente lhe achei. — chamou-me a platinada, ofegando. 

- O que foi? Algum problema? —questionei-a, um pouco receosa. 

- Acabei de checar a quantidade de casas, todas estão ocupadas. — informou-me.

- Parece que a palerma não vai poder ficar aqui. — debochou o ruivo, cruzando os braços e fazendo um pequeno sorriso brotar em seus lábios.

- Não, ela vai sim. Maggie vai ficar na sua casa. — retrucou, com um sorriso mais largo que o do ruivo rabugento. 

- Oi?! — disse eu e o Castiel, em uníssono.


|| Benjamin ||


- Me desculpe, senhorita. Não conseguimos achá-lo, ele sumiu por completo de nossas vistas. — exclamei, soltando a minha arma, que caiu diretamente no chão.

- Seus imprestáveis! — resmungou, formando um punho em suas mãos e os batendo fortemente na mesa — Como pôde perdê-lo assim tão facilmente?! — perguntou com uma voz elevada, com um olhar de ódio e seus punhos sobre a mesa.

- Desculpe, ele é muito ágil! A senhorita sabe que ele é um... — fui interrompido com um tapa ardente em meu rosto. 

- Preste muita atenção... Se você não acha-lo o quanto antes, eu mato você... — sussurrou em meu ouvido, enquanto segurava o meu queixo com força. 

- Senhorita, senhorita! — chamou-a um dos meus soldados. 

- O que foi, Amadeu? — respondeu-lhe, soltando o meu queixo. 

- Tenho um comunicado para você. — mencionou o homem.

- Diga-me.

- Ao procurar o seu amado, observei uma árvore, onde consegui ver uma parte de um cabelo longo e negro, parecia ser uma garota, e ela se localizava onde perdemos o Castiel de vista. — comentou, causando uma estranha expressão na vossa senhorita. 

- Eu quero que vocês à encontre e mate-a imediatamente! Aliás, traga ela à mim, eu adoraria me "divertir" com essa garota. 

- Ok, Debrah...



Notas Finais


Admito que me apaixonei pelo Lys nesse capítulo (´・ω・`)

OBS: A Maggie não conheceu todo mundo porque não são poucas pessoas e porque eu estou com preguiça (• ε •)

Outra OBS: Quando as palavras estiverem em itálico, é por quê é um sussurro ou pensamento.

O final desse capítulo foi bem tenso, não é? (ಠ_ಠ) Infelizmente Deabrah *Cof! Cof!* Debrah apareceu ;u; Mas a vida continua ¯\_(ツ)_/¯

Espero que tenham gostado desse bosta e lindo capítulo! Obrigada por ler e até o próximo (づ ̄ ³ ̄)づ

E obrigada pelos mais de 150 favoritos (•ω•)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...