História The Book of Shadows - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Beast Titan, Bertolt Hoover, Connie Springer, Dot Pixis, Eren Jaeger, Erwin Smith, Hange Zoë, Hannes, Historia Reiss, Jean Kirschtein, Kenny Ackerman, Levi Ackerman "Rivaille", Marco Bott, Mikasa Ackerman, Moblit Berner, Pastor Nick, Personagens Originais, Reiner Braun, Rico Brzenska, Rod Reiss, Sasha Braus, Ymir
Tags Armin, Attack On Titan, Colossal, Dmt, Eren, Ereri, Erwin, Gigantes, Hange, Levi, Levi X Eren, Mad Gurl, Mikasa, Muralhas, Rivaille, Shingeki No Kyojin, The Book Of Shadows
Visualizações 26
Palavras 5.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Super Power, Survival, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hallo! Espero que gostem.
Até lá embaixo. :3
xx

Capítulo 4 - O horizonte


Fanfic / Fanfiction The Book of Shadows - Capítulo 4 - O horizonte


IV 

O horizonte

...

Erwin estava apreensivo com tudo o que acontecia: sua tropa em choque, Levi ausente, seus soldados especiais indo a combate e Eren sendo levado. O que mais poderia dar errado? Mas Erwin não era tolo, já havia pensado em todas as possibilidades, e um ataque surpresa era uma delas, por isso trouxe os Sombras, queria pegar os traidores, e com sorte, conseguirá capturá-los com vida. A Guarda Estacionária já estava a postos para dar apoio ao combate que seguiria.

-=-=-

Levi vai ao subsolo. Cada coisa que a quatro-olhos me pede. Ele bufa. Andava pelos corredores. Muito dos soldados o olhavam e cochichavam em seguida. O pequeno causava arrepios na grande maioria deles. Não era por pouco, ele era o soldado mais forte da humanidade e fazia jus ao título. Ele andava por mais alguns corredores até a cela onde Nick estava.

 – Saia da frente. – ele diz para um soldado. – Mesmo esquema de ontem: sem intromissões. – ele fecha a porta. Nick estava deitado num colchonete no chão. Ele dormia. – Ei. Acorde. – Levi diz. O homem permanecia estático. – Pastor Nick... – nova tenativa. Puta merda! Além de roncar é surdo. – Ei! – ele dá um chute na perna do pastor, esse que acorda com um salto.

– Des-desculpe.  – o rosto do pastor estava repleto de hematomas. Levi e Hange não conseguiram ser cruéis, apenas bateram muito nele. Levi senta em uma das cadeiras.

– Está com fome? – o pastor fica confuso. Ele está falando comigo? – Está ou não? – Levi dá o ultimato.

– Sim, estou. – Levi o fitava com seu olhar inexpressivo.

– Vou pedir para um soldado lhe trazer algo para comer. Levante e sente. – o menor diz apontando para outra cadeira, a qual Nick estava amarrado horas atrás levando uma surra. Ele senta. – O que aconteceu ontem...  – Levi começa. – Você mereceu. Já sabemos de muita coisa e Hange descobrirá mais hoje. Querendo ou não, desvendaremos o segredo por trás das muralhas. – Levi diz olhando para frente, sem contato visual com o pastor. – Mas o seu voto de silêncio é errado. Você deveria pensar no bem maior que revelar o segredo proporcionaria, nos pouparia bastante tempo e vidas. – o pastor estava surpreso com a reação de Levi. Ele sempre pareceu tão frio e agressivo, como um animal indomável, ele e todos esses soldados loucos que saem das muralhas. O pastor pensava devido à calma que Levi falava.  

– Eu sei da relevância dessa informação, eu sei que pessoas morrem todos os dias para caçar aquelas coisas lá fora, mas foi uma escolha, não somente minha, e sim de todos os participantes da Igreja. Não posso os trair. Trair a minha escolha... – Nick dizia com o tom de voz cada vez mais baixo. Ele estava triste. Era muita responsabilidade sobre seus ombros. Uma responsabilidade unilateral, um fardo.

Levi levanta-se, vai até a porta e chama o soldado. – Traga algo de comer, veja se sobrou do lanche de mais cedo.

Levi fecha a porta e senta-se novamente. – Sei o que é fazer uma escolha...  Você fez a sua e vai morrer com ela. – Levi diz olhando para seu próprio braço ferido devido os golpes que deferiu no eclesiástico durante a noite e para sua perna distendida por ter salvado o pirralho. – Não vamos mais te prender aqui. Vou esperar Hange para te liberar, e não tente sequer reclamar com alguém sobre sua cara, como eu disse antes, você mereceu. – Levi diz normalmente ríspido.

– Obrigado Cabo Levi! – Nick diz e abaixa a cabeça como reverência. Levi desvia o olhar para o pastor. – Terei o prazer de lhe oferecer informações quando me for possível! – o pastor continua.

– Me responda ao menos uma coisa. – Levi diz.

Se me for possível... – o clérigo diz trêmulo.

– Quem exatamente pode te fazer falar? – Levi o fitava profundamente. O pastor estava confuso. Posso dizer a ele?

An... A família real... A verdadeira. – Levi deixa de fitá-lo.

– O que quer dizer com família real verdadeira?Me diga algo, monte de estrume! O resto da pouca paciência de Levi estava acabando.

– Os Reiss. Eles são os verdadeiros. – Nick suava frio. Não sei o que esse rapaz é capaz de fazer com essa informação. O pastor pensava, mas continua. – A corrupção tomou conta da sucessão do trono. A família Reiss foi sendo reduzida cada vez mais, até que outra família nobre tomou o poder. Não sei quantos Reiss ainda estão vivos. – Levi não estava satisfeito, porém aquilo era melhor que nada.

Hum... Então seu juramento foi feito a família Reiss e só eles podem quebrá-lo. – Nick assente com a cabeça. O soldado bateu a porta. – Seu desjejum, pastor. – Levi levanta, pega o pão de queijo e um copo de leite. – Aproveite. – ele coloca nas mãos do homem. – Mais tarde eu volto. – ele dá as costas e sai. O pastor devora com rapidez o lanche. Sua face doía, mas a notícia de sua liberdade lhe servia de bálsamo. 

Não foi dos melhores interrogatórios, mas saí com alguma informação. Espero que isso satisfaça Hange. Levi faz todo o caminho inverso que fez alguns minutos atrás pensando em apenas uma coisa. Reiss.

-=-=-

Skyler tentava manter-se firme com os movimentos bruscos de Reiner. Esse desgraçado! O meio louro pensa quando um de seus dedos cristalizados cai devido o atrito com a pele dura do oponente. “Ora, Skyler! Use o máximo de si, brother.”, Skyler retorce a face.

– Calado! – ele diz para si mesmo mordendo o lábio e tentando criar alguma estratégia.

“Só quero o seu bem... Se você morrer, eu morro, afinal...”, tal voz familiar ecoava na cabeça de Skyler, impedindo-o de pensar direito. “Vamos lá! Estripe-o!”, a voz masculina e aguda continuava. “Deixe-me ajudá-lo, brother. Juntos conseguiríamos...”, Skyler contrai o maxilar.

– CALADO, SAMUEL! – ele grita e mais nenhum barulho se faz na mente do rapaz. Sua pele e olhos brilhavam muito. Hora de pegar pesado. Ele pensa enquanto focaliza todas as suas forças para seus punhos e braços, logo um novo dedo crescia.

Eren estava inconsciente. Menos uma preocupação. Reiner pensa. Tenho que me livrar desse bastardo...  Ele pensa referindo-se a Skyler. Manuela via toda a ação do solo, mas logo teria que participar. Temos que pegar Eren, capturar esse titã e o maldito Jaeger. Ela pensa enquanto planeja como ajudar Skyler no resgate. Um titã de dez metros avança sobre a garota. Manuela queria alcançar o ombro de Reiner, mas os ganchos não infiltravam sua pele.

Ela lança seus ganchos nesse titã de dez metros e o mata, ela sobe até o topo da cabeça da besta abatida que ainda estava em pé, mas caia. Sua pele novamente fica avermelhada e seus olhos brilhavam. Ela flexiona os joelhos e pula na direção de Reiner, destruindo assim a cabeça do titã como resultado de seu salto impulsionado pela força titânica.

Ela escorregava pelas costas do Encouraçado, mas logo enrijece seus dedos até os cotovelos. Ela arranhava a pele do titan shifter até conseguir estabilidade. Skyler já estava no meio das costas da fera que corria. Já estavam distantes da Tropa e próximos do Bestial. Os titãs que acompanhavam o Titã Bestial tentaram atacar Bertolt e Reiner, mas o peludo grunhiu para que seguissem em frente e atacassem apenas os soldados da tropa.

Bertolt estava inseguro com toda a situação, desde a aparição repentina de outro titan shifter de fora das muralhas e desses novos soldados super-humanos. Ele cavalgava desesperadamente na direção de Zeke, desviando dos titãs que corriam descontroladamente em direção à muralha. Todos serão devorados! Temos que salvar Annie!  Ele estava claramente abalado: seus companheiros de tropa durante anos seriam dizimados apenas para pegar um garoto, que depois também seria morto junto com todos os habitantes das muralhas. Milhares de pessoas... Pessoas iguais a mim e a Reiner... Tinha que ser assim? Somos tão malditos que precisamos ser extintos? Sua atenção volta-se para Reiner que sucumbia aos Sombras. Aguente firme, Reiner...

Manuela e Skyler já estavam nos ombros de Reiner. O Encouraçado tentava os capturar com movimentos de sua mão livre, mas se vê obrigado a largar Eren, logo leva sua mão que segurava o garoto desacordado para sua boca para manter o moreno em seu domínio. Manuela nota a intenção do maior. Cortar sua mandíbula seria mais complicado que as juntas dos dedos... Ela pensa. Em seguida, ela solta um das mãos da carne endurecida do titã e a mantém em sua lâmina.

 Skyler estava sendo repreendido por Reiner, com tapas e movimentos rápidos de seu corpo, como se afastasse insetos durante um dia quente. Era muita informação para o jovem titan shifter. Como fizeram essa bizarrice com humanos? Como eles conseguiram tamanha proeza dentro das muralhas com tão pouca tecnologia e conhecimento sobre titãs? Reiner estava incrédulo. O que mais o preocupava seria o fracasso total: perder Eren e seu disfarce de soldado de tropa. Ou pior, ser capturado e morto.

Seu movimento com a mão é parado por Manuela. Ela salta do ombro de Reiner usando de sua força e, com a mão que segurava sua lâmina, corta dois de quatro dedos do monstro, deixando a vista parte do corpo do moreno desmaiado. Ela se apoia no pulso da criatura. Reiner estava em choque, permanecia correndo, mas sem qualquer objetivo. Tudo está perdido... Aqueles olhos azuis brilhantes fitavam-no profundamente e paralisaram qualquer intenção de movimento de defesa que impedisse a ação da garota. Esses olhos cheios de fúria... Parece que ela sabe todos os meus segredos e que me mataria facilmente... Reiner grunhi. Ele era atacado por todos os lados: Skyler tentava a todo custo alcançar seu ponto fraco e Manuela se preparava para resgatar Eren. Eles têm olhos de demônio.

(...)

Erwin e Hange notam a aproximação dos titãs. Eles evitaram Reiner, por quê? Ambos pensam. Armin notou a mesma coisa.

– Hange-san... – o louro menor diz – Como vamos prosseguir com isso? – ele pergunta frio. Ninguém foi capaz de proteger Eren. Uma tropa com mais de 70 pessoas não conseguiu proteger apenas um garoto. O que fariam agora, afinal? Hange olha para o menor tentando passar calma.

– Vamos retalhá-los e pegar Eren logo em seguida, Armin-kun. – ela diz e sorri olhando agora para o horizonte aterrorizante que se aproximava a passos desajeitados e rápidos.

Mikasa estava na linha de frente, junto de Jean e Marco. A garota estava mergulhada em completa concentração, queria apenas sair dali e destroçar todas as bestas que separam ela de Eren. Seus olhos negros estavam opacos e sem brilho algum. Ela estava com os nervos à flor da pele, qualquer movimento brusco a faria sacar sua lâmina e atacar quem ou o que fosse. Sua aura assassina já dava sinais: estava pronta para tudo.

– Soldados! Atenção! Vamos atacar! Matem o máximo possível! Fiquem próximos da muralha e a usem! A humanidade depende dessa batalha, soldados! – Hange grita a plenos pulmões. Eren-kun, salvaremos você...

Uma horda com mais de vinte titãs estava se aproximando. Eren... Esse é o único pensamento na mente da Ackerman. A imagem do garotinho de olhos grandes e verdes que a salvou, que a aqueceu com um cachecol vermelho e que agora foi levado. Ela conforta o rosto com o toque da lã vermelha envolta de seu pescoço. Ela sobe o tecido até seus lábios e lá o deixa, cobrindo metade de seu rosto. Eren...

Mikasa é a primeira a saltar de seu cavalo. Com movimentos rápidos, precisos e necessitados, a garota abate dois titãs. Outras dessas bestas descontroladas avançavam na formação. Os soldados estavam determinados. Sabiam da importância daquela batalha. Muitas mortes poderiam acontecer, mas estavam dispostos a tudo para salvar a humanidade, tudo para salvar sua única chance, Eren Jaeger.

Jean, Marco e todos os outros soldados próximos de Mikasa saltam para continuar o abate. Jean estava preocupado com as ações de Mikasa. Ela está imprudente, poderia facilmente ficar em perigo por nada! Não entendo! Como Jaeger tem tanta influência sobre ela? O rapaz pensava enquanto esquivava e matava alguns titãs. Logo a horda chega até as proximidades da muralha fazendo todos os soldados entrar em combate. Hange e Erwin faziam manobras elaboradas e precisas usando a muralha como apoio, juntos de alguns soldados da Guarda. Armin tentava ao máximo fazer algo útil. Ele vê Historia sozinha, defendendo-se e ajudando outros soldados. Ela é boa com o DMT. O louro pensa, mas ainda prestando atenção as bestas próximas de si. Armin abate um.

Historia estava determinada. Eu entrei na tropa por mim e mais ninguém! Ymir-chan... Eu vou lutar por mim e salvarei você...! Ver como Skyler priorizava sua segurança e ainda sim conseguia salvar soldados durante a batalha no flanco esquerdo fez a garota pensar. Não sou fraca. Fiquei entre os dez melhores! Se esse rapaz que mal chegou aqui consegue, eu consigo também! Isso foi o necessário para ela reprimir o medo da morte iminente e focar em matar o máximo possível e sobreviver. Seu corpo era pequeno e rápido, seus cortes não tão precisos, mas o suficiente para livra-la e salvar alguns soldados.

Marco tentava ao máximo manter Jean a salvo. Ele notou que seu amigo não tirava os olhos de Mikasa e isso poderia lhe custar caro, como um membro ou a própria vida. Marco abate um de sete metros e vê Mikasa ser pega por um. Marco ia ao resgate, mas Jean foi antes e, previsivelmente, foi imprudente e pego. Mikasa conseguiu se livrar dos dedos da criatura como o esperado, mas Jean não. O titã apertava Kirschtein. Marco não pensa duas vezes e lança seus ganchos por entre outros titãs que se aproximavam de Jean. Como pode ser tão tolo? Ele pensa e logo suas lâminas cortam os dedos do monstro que segurava seu colega. Mikasa, por trás, avança sobre o titã que segurava Jean e o abate, terminando com todos os que estavam próximos com a ajuda de Marco.

A batalha seguia por todos os lados. Sasha e Connie estavam a todo o vapor. A adrenalina já estava em suas veias desde a batalha no flanco traseiro, apenas despejaram toda essa excitação e bravura nos titãs. Queriam ser incríveis como Manuela, ser destemidos e compassivos como ela. A dupla foi a que mais salvou soldados das mãos de titãs. Estavam em êxtase, mas ainda sentiam medo, medo de perderem colegas e Eren. Essas vidas salvas são a minha vingança contra a batalha de Utgard, seus malditos! Connie pensa ao abater outro. Queriam a todo custo acompanhar Skyler e Manuela no resgate de Eren, mas seus superiores faziam vista grossa para manter os soldados o mais próximo possível e longe dos titan shifters.

– Não podemos deixá-los lutar sozinhos! – Sasha grita para um dos superiores que estava distante.

– Apenas siga as ordens da Tenente, soldado! – ele responde ríspido. Sasha estava incomodada, seu instinto dizia que algo não está certo. Eles podem ser bons, mas não devem encarar tudo assim. Não é possível... Todos têm limites. Ela salta novamente e abate outro. Ela olhava o horizonte não mais tão aterrorizante. Espero que fiquem bem e que Eren volte...

(...)

Manuela sobe pelo pulso de Reiner e puxa Eren da mão do titã. O Encouraçado ainda tenta apertar mais o garoto, mas é impedido quando ela corta todos os dedos restantes. Manuela ia tentar perfurar os olhos de Reiner, mas é impedida por Skyler.

– Volte para a tropa, Manu-chan! Nossa missão era salvar o garoto! – Skyler grita de trás do titã. Reiner, agora parado, tentava pegar Manuela. Ela teria que ser rápida. Ficar ali valeria nada de qualquer forma, ir era a melhor opção. Ela procurava uma maneira de descer dali sem quebrar as pernas. Ela decide escorregar pela curvatura das costas da besta e ir arranhando até as panturrilhas do titan shifter. Eren estava sobre um dos ombros dela. As pernas do moreno estavam esmagadas, mas já mostravam sinais de regeneração.

Bestial estava perplexo com tamanha inexperiência de Reiner. Não é total culpa dele, esses soldados são diferentes, mas ele está péssimo... O peludo avança e soca a cara do Encouraçado, fazendo Manuela e Skyler perderem o equilíbrio. Para Manuela foi bom, já que queria cair de qualquer foma, mas Skyler estava na parte de trás da cabeça e levou todo o impacto.

Manuela cai no chão e rola com Eren nos braços. Ela vê Skyler ser arremessado. Os dedos do Sombra não suportaram o impacto do soco de Zeke. Bertolt estava atrás do Bestial quando o mesmo acertou seu amigo. Por quê? Por que ele fez isso com Reiner? O corpo do Encouraçado cambaleia e parte da armadura facial é quebrada.

Se tivesse me escutado, Sky-kun... Cederia meu poder a você e teria pegado o titan shifter...” uma risada sarcástica aguda ecoa na mente do meio moreno. “Nunca mais me unirei a você, Samuel...”, Skyler responde mentalmente para seu inquilino indesejado enquanto passa as costas da mão em seu lábio que sangrava.  “Você sempre recorrerá a mim, lil’brother (irmãozinho)...”, Samuel diz e silencia-se.

– Sky-kun! – Manuela grita ao ver o Bestial aproximar-se de Skyler. Eren despertava.

Manu-Manuela-san... – o garoto balbucia. – Reiner... Ele... Onde ele está? – ele tenta levantar, mas a dor que sentia era insuportável.

– Eren-kun... Acalme-se, está quase tudo resolvido... – ele a interrompe.

– Vocês mataram Reiner? – ele diz, mas logo sua pergunta é respondida ao escutar o Encouraçado grunhir com outro golpe do Bestial. – O que-o que é isso?! É outro titan shifter? – ele pergunta nervoso. – Onde está o resto da tropa? Manuela-san me responda algo! – ele grita. A garota apenas levanta.

– Calado! – ela exclama para a surpresa de Eren. – Vou pegar Skyler agora... Pouco me importa se Reiner ou seja-quem-for está vivo ou não, garoto! Estou aqui para te salvar, e é isso que vou fazer! Depois posso matá-lo, se for o seu gosto...  – ela olha para ele e sorri. Ele sorri de volta.

Eu quero matar Reiner... – Eren diz sorrindo. Ambos estavam excitadíssimos: Manuela também era vingativa e entendia esse desejo peculiar e mórbido de Eren, já que ela quer matar Zeke.

– Farei de tudo para realizar seu desejo, Eren-kun... – ela sorri mais enquanto caminha – Espere aqui, nenhum deles chegará perto de você, não agora... – ela tinha dúvida se deveria mostrar sua habilidade para Eren, mas de costas ele não conseguiria ver, seu cabelo cobre toda a extensão de sua nuca e costas. Ela saca sua lâmina. Não sabia o que fazer exatamente, mas teria que salvar Skyler. Zeke viu o que eles estavam fazendo – ou seja, o uso de suas habilidades no ápice –, poderia capturar Skyler e usá-lo contra a tropa. E na pior das hipóteses, levá-lo para fora daqui. E isso ela não permitiria.

Os titãs lutavam entre si. Bertolt não sabia se aproveitava a brecha que Manuela deixou ao abandonar Eren sozinho ou se fazia algo sobre Reiner e o outro titan shifter estarem brigando. Os dois gigantes grunhiam entre os socos. O Bestial era claramente mais forte que o Encouraçado. Manuela deixou Eren para esperar a volta de seu cavalo, ela corria para pegar Skyler. A queda rendeu ao meio louro costelas quebradas. Reiner não entendeu o motivo de levar o soco, mas, assim como Zeke queria, ele revidou. Isso serviria de distração para que Manuela aproximasse de Skyler. Matarei dois coelhos com uma cajadada só. Bestial pensava enquanto batia mais em Reiner.

Skyler notou o que Zeke queria. Ele vai derrubar Reiner sobre mim... Skyler pigarreia devido o sangue que subia pela garganta. Vou sair logo daqui... Manu-chan não pode se aproximar. Ele tenta levantar. Reiner estava cada vez mais perto. “Brother... Estou aqui-i-i...”, Samuel dava sinal novamente, “Alivia, vai... Deixe-me sair, Sky-kun...”. Skyler cede. Preciso desse idiota... Ele fecha os olhos e deixa seu irmão toma conta de si. Sua pele brilhava um vermelho intenso, suas feridas são curadas instantaneamente e toda sua energia é recarregada.

Quando Samuel tomava conta, Skyler ficava adormecido, e essa era a preocupação dele: o que Samuel poderia fazer durante sua ausência? Skyler foi sem dúvida o experimento mais bem sucedido, nem Manuela o superaria, porém ele gastava grande parte de sua força, física e mental, para conter seu irmão dentro de si, por isso suas habilidades durante batalhas eram inferiores as de Manuela, mais ainda sim excepcionais. Quando ele libera sua outra metade, ele usa seu potencial máximo.

“Skyler” levanta rápido e põe-se a correr na direção de Manuela. – Vamos! – ele puxa Manuela pelo braço.

– Você está melhor, Sky-kun? – Manuela pergunta. Skyler sempre teve problemas com cura.

– Como acha que estou correndo? – “ele” pergunta irônico. Manuela já sabia do que se tratava. Sky-kun sempre fica estressado quando estamos em momentos decisivos... E hoje não seria diferente. Pelo menos ele fica mais voraz e ágil. A morena pensa inocentemente sobre a possível mudança de personalidade de Skyler. Ela não sabia da existência de outra pessoa no corpo do amado, sabia apenas que ele tinha mudanças repentinas de humor, cogitou até uma possível dupla personalidade.

Os cavalos já estavam próximos da dupla e de Eren. Manuela coloca Eren sobre o dorso do equino e monta em seguida. Zeke estava frustrado. Nem para cair esse guerreiro serve! E o outro? Ficou paralisado. Terei muito que ensinar a esses jovens... Zeke queria livrar-se dos ataques de Reiner para capturar os soldados que fugiam a cavalo, mas o louro só estava preocupado com o embate agora.

– Vocês vão deixá-los assim?! – Eren diz.

– Eles não são prioridade, Eren-kun, espero que entenda. Temos que levá-lo em segurança e esses dois parecem ter muito que resolver. – Manuela diz doce para o garoto em sua garupa.

– Mas eles terão tempo para planejar algo... – Eren diz cabisbaixo apertando levemente a cintura de Manuela.

– E nós também. – Skyler diz coberto totalmente pelo capuz.  Samuel ainda estava ali, ele precisava curar o corpo por inteiro antes de sair.

-=-=-

A batalha de aproximadamente quinze minutos tem fim. Três soldados da Guarda e cinco da Tropa foram mortos. Mikasa já estava histérica.

– Onde eles estão? Como ele pode confiar em apenas dois soldados para resgatá-lo! Eu seria ideal para isso, mas ele preferiu mandar dois desconhecidos! – Mikasa esbravejava para Armin. Ela estava se contendo. Hange pediu carinhosamente para que ela ficasse e aguardasse. Dois minutos apenas se passaram e ela já estava imaginando o pior. O louro apenas escutava as palavras da morena. Ele também não estava tão confiante nesse resgate, mas o que poderia fazer? Era fraco. Conseguia manter-se vivo com dificuldades, quem dirá salvar alguém. Ainda mais se esse alguém fosse Eren.

O horizonte agora limpo de qualquer ameaça era iluminado pela vista que Mikasa e Armin mais aguardavam: a dupla de loucos com o maluco que eles mais amavam. Um sorriso nasce nos lábios do louro e os olhos negros da garota agora estavam cheios de vida. Erwin estava orgulhoso. Eles conseguiram. Hange toca o ombro de seu Comandante.

– Eles são bons mesmo, Erwin-san. – ela sorri. Eren era um garoto incrível. Perdê-lo não seria apenas a perda de uma arma da humanidade, seria a perda de um jovem com ideais fortes e uma vivacidade cintilante, capaz de tirar até o mais sombrio das trevas.

Toda a tropa comemorava a volta de Eren. Muitos deles ainda viam o garoto como uma aberração, mas notar que seus esforços foram recompensados era animador.

Eren sorria. Sorria como nunca antes. Ele viu o que teria que ser feito e faria sem pena alguma. Eles eram como irmãos para mim, mas foi tudo uma farsa. Não terei piedade com quem não teve compaixão com os milhares que morreram com a queda das muralhas, eu serei forte! Forte para destruir todos os titãs! O pouco que Eren viu das táticas dos Sombras foi o necessário para aprender como lidar com situações como aquela: ter um propósito e cumpri-lo. Se fosse Eren o responsável pelo resgate, certamente teria atacado os titan shifters sem pensar duas vezes, e a missão teria sido um fracasso.

As pernas de Eren já demonstravam melhora, não para ficar de pé ou caminhar, mas estavam melhorando. Felizmente, Eren não notou que as feridas no rosto e punhos de Manuela e Skyler haviam sumido. Ele desce com o apoio de Manuela. Mikasa vem correndo abraçar Eren. Ela o apertou com tanta força que fez o rapaz ficar acima do chão.

– Mikasa... Eu estou bem... Graças a eles... – ele diz com um sorriso. Ela o olhava com ternura, uma feição de felicidade surge. Ela nota Skyler e Manuela ali.

Obrigada... – a voz dela soa como um sussurro. Ela recebe um sorriso de cada um dos Sombras.

– Não foi nada. – Manuela diz e sorri mais. Eles saem de encontro a Erwin. Mikasa não pensou que fosse possível salvá-lo, só ela salvaria... Ela sente um conforto por saber que não é a única capaz: o time de protetores de Eren ganham mais dois integrantes.

Skyler já estava de volta, nunca deixava Samuel ficar por mais de dez minutos, poderia ser arriscado. Erwin os recebe sorridente. – Muito bem, garotos. – ele diz.

– Desculpe-nos, mas não conseguimos capturar nenhum dos titan shifters. – Skyler diz. Hange observava a conversa de seu superior com a dupla.

– Por enquanto, ter Eren é o suficiente. Conseguiremos lidar com eles depois, tenho certeza. – Erwin diz.

– Já podemos voltar, Erwin? – Hange questiona. – A tropa deve estar exausta, temos que cuidar de Eren também.

– Claro, Hange.

Ela sai e pisca para a dupla com o polegar para cima. Eles sorriem sem jeito. – Tropa! Façam a formação novamente, estamos batendo em retirada! – ela grita afastando-se de seu superior.

– Vocês conheciam o tal titã de pelos, certo? – Erwin pergunta.

– Sim, senhor. – Skyler diz coçando a nuca.

– Vocês acham que ele é uma grande ameaça? – eles se entreolham.

– Ele é um mau presságio, senhor... Quando ele aparece, coisas ruins acontecem. – Manuela diz séria, o que deixa Erwin preocupado.

– Sigam com a tropa para as instalações. Vou ver Pixis-sama. – Erwin diz e escuta um “sim, senhor” de seus dois soldados. Isso não está bem... Erwin pensa ao dar passos largos em direção à muralha.

A Tropa cavalga em direção ao posto que estavam no início do dia. Smith seguiu com a Guarda Estacionária por cima das muralhas. Precisava falar com Dot sobre tudo isso. Skyler avisa Hange da ida de seu Comandante com a Guarda. Ela não fica surpresa, a Guarda era um grande aliado da Tropa, para manter esse laço de confiança seria necessário manter o Comandante das Rosas a par de tudo.

(...)

A Tropa chega ao posto. Os soldados se dispersam e buscam por algo para comer. Eren havia vindo na garupa de Armin e suas pernas já estavam curadas completamente. Hange vai a seu escritório acompanhada por Eren. O dia ainda seria cheio para a avermelhada: precisava escrever as certidões de óbito dos soldados, conversar com Armin e Connie, além de cuidar da situação do pastor Nick no subsolo.

Hange abre a porta e se depara com um Levi estático, como um réptil durante uma noite fria, em uma das cadeiras em frente a sua mesa.

– Finalmente, quatr– ele para de falar assim que vê os estado em que Eren estava: suas calças estavam rasgadas até a altura dos joelhos, descalço e suas roupas manchadas de sangue. A face do garoto se ilumina ao ver o Cabo, mas o sentimento não era recíproco: Levi estava possesso. – Eu não vou uma vez, uma vez, e você me volta com o pirralho destruído, quatro-olhos?! – ele esbraveja já de pé. Eren fica surpreso com a reação de Levi.

– O importante é que ele está aqui, Levi-kun... – ela diz passando pelo homem que demonstrava preocupação, mas sem tirar sua feição de indiferença, o que confundia bastante Eren. – Ele quase foi levado por Reiner, ainda bem que os Sombras foram ao resgate...

– Reiner? Vocês conseguiram deixar Reiner chegar perto de levá-lo? Onde está Erwin? – ele leva a mão boa para o braço que doía.

– Capitão... – Eren diz se aproximando do menor em dor.

– Calado! A imprudência está em níveis alarmantes... Onde ele está? – ele diz mais rísoido que o comum. Hange acha tudo bem engraçado: raramente Levi demonstrava preocupação, e por ser tão raro, ele não sabia como expressar.

– Ele foi visitar Pixis-sama, Capitão... – Eren diz cauteloso. Não queria levar um soco ou coisa do tipo de Levi. O menor suspira. Mantenha o foco, Levi. O pirralho está aqui ao menos...

– OK... Digam-me como procedeu a expedição... – Hange o interrompe.

– Estou muito ocupada, Levi-kun, perdão. Creio que Eren pode te contar, depois eu faço o teste de condicionamento em você, Eren-kun. – ela sorri e sai com alguns papéis em mãos, deixando os dois rapazes no escritório. Levi senta-se novamente e cruza as pernas e braços.

– Comece, Jaeger. – os olhos azuis de Levi fuzilavam Eren mais que o comum. O garoto sente um arrepio subir por entre sua espinha. Ele tentava fugir do olhar de Levi, mas era inútil, seus olhos eram atraídos pelo tom nebuloso dos de Levi.

– Bem... – Eren coça a nuca. – Foi tudo muito rápido... – Levi olhava atentamente cada expressão facial e escutava cada palavra do garoto. Vou massacrar qualquer um que tente te matar, Eren.

(...)

Hange caminha pelos corredores e vê Moblit correndo em sua direção.

– Hange-san! – ele diz ofegante. – Estava procurando pela senhora... Eu queria entregar-lhe as certidões de óbito... Fiz elas a poucos minutos, sabia que a senhora teria muito o que fazer...

Ela sorri. – Obrigada, Moblit-kun! – ele levanta sua face e sorri.

– De nada, senhora.

– Já que está aqui... – ela inicia. – Me ajude com um depoimento. – ele acena positivamente com a cabeça. Ele gostava desse tipo de trabalho, descobrir coisas, por isso quis fazer parte do esquadrão de Zöe, ele a achava incrível, apesar de meio louquinha, e muito inteligente, uma mulher genial sem dúvidas.

Eles caminham até o escritório de Erwin. Armin e Connie estavam lá aguardando pela Tenente.

– Bom, rapazes... – ela diz sentando na cadeira principal da sala e Moblit ao seu lado. – Vamos começar...

Armin e Connie estavam ansiosos. Finalmente direi a ela tudo sobre minha vila. Quero respostas e creio que Hange-san será a única capaz de me entender. Connie pensa.

Dizer isso a ela me classifica como insano, mas ela é tão compreensiva e louca que entenderia. Só me resta confiar... Armin suspira.

Isso será no mínimo interessante... Hange sorria.

...


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Samuel tretoso...
Até o próximo capítulo e façam suas teorias... Hihi!
Beijos com borboletas inofensivas.
xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...