História The boy and The Girl! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ezra Miller
Personagens Ezra Miller
Tags Ezra Miller, Hentai
Visualizações 22
Palavras 2.292
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Só um sonho que tive e é claro que eu tinha de transformar numa Onehot... Espero que gostem. Boa Leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction The boy and The Girl! - Capítulo 1 - Capítulo Único.

A ansiedade já me corroía por dentro desde a hora em que recebi seu telefonema, ouvir sua voz rouca me avisando sobre a visita surpresa depois de quase dois anos sem nos falarmos. Eu contava os minutos para o fim do expediente e torcia mentalmente para que nenhum cliente chegasse na loja de última loja. Minhas unhas já nem existiam mais e o tique de olhar as horas a cada segundo já havia se instalado em mim.

Um turbilhão de coisas passavam por minha cabeça, a última vez em que eu vi Ezra foi no seu aniversário do ano passado, nós havíamos exagerado na bebida e acabamos nos pegando na cozinha, o problema era que eu e Ezra somos amigos á praticamente dez anos, e na época eu namorava com seu melhor amigo, John, que por um acaso me conheceu por ele, e John acabou nos vendo e foi onde aconteceu toda a confusão, eles brigaram feio e acabamos terminando, o que na verdade foi uma decisão minha e não dele; no dia seguinte John foi atrás de mim para pedir desculpas por tudo que me xingou, disse que havia me perdoado e que sabia que o que aconteceu foi por conta da bebedeira, mas aquele beijo significou mais para mim do que apenas “bebedeira”, eu enganei a mim mesma quando comecei a namorar John achando isso iria fazer com que eu tirasse minha paixão por Ezra da cabeça.

Passei por aquela maldita parte sobre não querer estragar uma amizade que é perfeita, eu fiquei com medo de contar o que eu realmente sentia e estragar tudo, então corri para a primeira oportunidade que me apareceu e deu no que deu, mas tudo bem, o que importa é que ele está vindo e finalmente vou vê-lo depois de todo esse tempo.

Quando saí do trabalho eu fui direto pra casa, tomei um banho rápido e devo ter ficado um longo tempo me arrumando, quando estava pronta me achei exagerada demais e acabei tirando toda a maquiagem e colocando a mesma calça preta junto de minha inseparável blusinha do Pink Floyd.

-Onde está indo querida? –Meu pai perguntou quando me viu passar pela sala.

-Ezra está em casa, vou jantar com os Miller. –Falei mordendo o próprio lábio, reprimindo o sorriso de felicidade.

-Não vai dormir em casa. –Ele disse rindo.

-Não sei bem pai, talvez não. Eu tenho que ir, amo você! –Falei e saí depressa.

Nossas casas não eram tão distantes por isso fui caminhando, e é claro que a minha ansiedade fez o caminho parecer maior do que realmente era. Quando parei na porta tive de respirar fundo antes de bater, minhas mãos tremiam e minhas pernas estavam moles, o ar já queria me faltar, criei coragem e bati. Depois do que se pareceu uma eternidade eu ouvi a porta se destrancando, as borboletas na minha barriga tentando se libertar de forma desesperada e meu coração querendo sair pela boca, mas quem estava do outro lado da porta era a senhora Miller.

-Boa noite senhora Miller! Espero não ter chegado muito cedo. –Falei tímida.

-Ah minha querida, chegou na hora, o jantar está quase pronto, venha entre. –Ele disse me puxando e me abraçando.

-O cheiro está maravilhoso. –Falei enquanto ela me arrastava para a cozinha.

-Estou fazendo o prato favorito das minhas crianças favoritas. –Ela disse rindo e eu gargalhei.

-Crianças? Acho que não mais.

-É, vocês cresceram um pouco, na verdade você não tanto. –Gargalhamos juntas.

-O Ezra já chegou? –Perguntei mordendo o lábio, acho que corei porque minhas bochechas queimaram, ela sorriu e me lançou aquele olhar de desconfiada que sempre me perseguia.

-Ele está tomando banho, o voo foi bem cansativo, parece que teve muita turbulência. Eu acho que já passou da hora desse garoto voltar a morar conosco e transferir essa faculdade, eu me descabelo a cada viagem que ele faz, ele me deixa louca. –Ri pelo nariz e concordei.

Quando eu ia me sentar percebi de canto de olho alguém se aproximando, é claro que de imediato nossos olhares se cruzaram. Acho que fiquei imóvel, sem reação nenhuma, ele estava tão diferente, já não tinha mais os cabelos grandes e desgrenhados, já não estava mais tão magro, na verdade estava com o corpo mais definido, a barba grande lhe dando um ar mais sexy. Prendi a respiração quando ele sorriu pra mim e esqueci até mesmo de como andar, ele veio até mim parecendo receoso já que eu estava imóvel e o fitando de boca aberta, quando parou próximo a mim eu não consegui suportar a mínima distância e o abracei com força. Não aguentei e comecei a chorar em desespero, comecei a chorar porque sabia que ele iria ter de ir embora de novo e eu não queria, queria ele comigo.

-Hey. Eu também estava com saudade. –Ele sussurrou perto do meu ouvido enquanto me apertava mais ainda, como se pudéssemos ser um só.

Depois de longos minutos agarrados nós ouvimos sua mãe pigarreando, nos separamos em meio a risos e eu sequei meu rosto enquanto caminhávamos para a mesa que já estava posta.

O jantar foi recheado de risadas por conta das historias que Ezra contava sobre a faculdade, confesso que senti ciúmes por saber que ele se divertia tão bem sem mim, nós costumávamos ser dois capetas que aterrorizavam a vizinhança. Depois que terminamos de lavar a louça nós subimos para seu quarto, ele ligou o som e se jogou na cama, estava com uma carinha de preguiça que dava vontade de morder, provavelmente cansado da viagem.

Deitei-me ao seu lado e deixei meus olhos apreciarem o quanto ele estava se tornando um homem lindo, fiquei imaginando na quantidade de garotas que deviam ficar no seu pé e isso me deixou um pouco chateada, queria poder guardar ele só pra mim. Seus olhos me analisavam e ele tinha aquele sorriso bobo de quem tem um segredo.

-Eu sinto tanta falta de nós no dia a dia. –Ele finalmente quebrou o silêncio e estendeu a mão convidando-me a ficar mais próxima. Deitei sobre seu braço e afundei meu rosto em seu pescoço, sentindo o quanto o cheiro de sua pele era maravilhoso.

 O apertei contra mim novamente, como se com aquele abraço eu pudesse egura-lo para sempre aqui em meus braços.

-Eu também sinto tanta falta de Nós. –Falei dando muita ênfase no nós e ele riu pelo nariz.

-Eu tranquei a faculdade. –Ele falou e respirou profundamente em seguida, dessa vez foi ele quem me apertou em seus braços.

-O que? Por quê? –Fitei-o nos olhos nesse instante, ele mordeu o próprio lábio e senti sua respiração chegando até meu rosto, quente.

-Eu não consigo parar de pensar em você num segundo se quer Annie.-Ele respirou fundo e desviou o olhar por um instante, eu fiquei em choque porque não esperava ouvir isso, eu sempre achei que ele não tinha interesse nenhum por mim, mesmo depois do beijo, achei que tinha sido apenas o calor do momento.

-Eu não... –Não sabia o que falar, estava mesmo impressionada.

-Já faz tempo que gosto de você, e quando você começou a namorar o John eu achei que era melhor tomar meu rumo, achei que ia te esquecer, tentei conhecer outras pessoas, mas eu não consigo. –Ele me fitava com certo receio, como se estivesse com medo da minha reação. –Eu vou voltar, meu lugar é aqui e eu vou entender se você não quiser nada além de amizade, eu só não consigo ficar longe de você.

-Ezra eu... ual. –Falei abrindo um largo sorriso.

Eu não esperei muito mais, a tanto tempo eu queria ter essa oportunidade e agora ela estava aqui, era pegar ou largar. Levei minha mão até sua nuca enquanto meus lábios se colavam aos dele e davam inicio á um beijo á tanto esperado.

Sua mão travessa se enfiou por debaixo de minha blusa e acariciou minhas costas fazendo com que meu corpo respondesse com um arrepio intenso, acabei arfando entre o beijo e de imediato corei, á medida que suas mãos exploravam minha pele eu apertava sua cintura em desespero. Ele separou nossos lábios e me fitou nos olhos quando o feixe de meu sutiã foi aberto, aquele sorriso travesso junto aquele olhar penetrante.

Comecei a suar frio e a tremer, meu corpo todo tremia e eu não sabia o que fazer e nem por onde começar. Ele puxou minha blusa e eu terminei de tira-la, deixando-a caída no chão junto ao sutiã. Sua mão logo se ocupou de passear sobre meu seio enquanto seus lábios deslizaram pelo outro, a língua quente passando sobre o bico para em seguida suga-lo e novamente me fazer arfar.

-E-ezra...-Saiu mais como um suspiro, ele riu pelo nariz e forçou seu quadril contra mim, senti o volume e arfei, novamente voltando a ficar trêmula. –Sua mãe pode escutar. –Finalmente consegui fazer as palavras saírem.

-É só a gente não fazer barulho. –Ele sussurrou enquanto desabotoava minha calça.

-Mas eu não... –Eu respirava ansiosa, segurei sua mão e ele me olhou com aquele olhar calmo de sempre.

-Tudo bem se não quiser. –Falou repousando a mão em minha cintura.

-Eu quero, mas é que... Eu nunca f-fiz antes. –Falei desviando o olhar e corando.

-Você ainda é virgem? –Ele perguntou surpreso e eu o fuzilei com o olhar.

-O que você quis dizer com isso? –Perguntei brava e ele riu baixinho.

-Não é o que você entendeu. É que, eu achei que quando você começou a namorar com aquele idiota... –Interrompi ele, não queria lembrar da minha terrível experiência namorando o idiota.

-Eu nunca faria isso com ele. –Respondi sincera. –Só vai com calma. –Completei preocupada.  

-Eu prometo que vou tentar ir com calma. –Ele deu um sorriso safado e mordeu o próprio lábio, aquilo me excitou mais do que deveria. –De qualquer forma eu nunca me perdoaria se te machucasse. –Ele sussurrou com a voz rouca antes de depositar um selinho carinhoso em meus lábios.

Ele abriu os botões de minha calça e começou a puxa-la para baixo, levando junto a calcinha, se livrou das próprias roupas e quando foi tirar sua cueca eu observei seu membro pulando para fora, por uma fração de segundos eu quase desisti daquele momento, ele era maior do que eu havia imaginado e pelos meus cálculos mentais aquilo não iria entrar. Respirei fundo e senti minhas pernas moles. Fui desperta por seus lábios que se encontravam com minha intimidade, corei por aquilo e corei mais ainda por não conseguir controlar a sensação inexplicável que aquilo foi. Sentir sua língua deslizando suavemente para cima e para baixo enquanto seus dedos massageavam-me me enlouqueceu e eu tive de me controlar muito pra não fazer nenhum barulho.

Eu estava tão excitada que acabei me esquecendo que era minha primeira vez, quando ele subiu os beijos e chegou aos meus lábios eu achei excitante saber que seus lábios tinham meu gosto, ele me beijou com calma e começou a forçar seu membro contra mim. Separou nossos lábios e seus olhos se encontraram com os meus. Ele forçou mais e aquela dor horrível de que as pessoas tanto falam começou a me invadir, apertei minhas pernas contra seu corpo enquanto minhas mãos apertavam seus braços de forma desesperada.

-Com calma. –Pedi desesperada e respirei fundo, meus olhos estavam marejados e eu já estava começando a me arrepender.

Ele beijou minha testa em resposta, e deixou seu corpo cair um pouco sobre o meu, abracei seu corpo com força enquanto segurava pra não chorar.

-Eu juro que vou entender se você não quiser continuar. –Ele sussurrou em meu ouvido e me fitou nos olhos em seguida, parecia mais desesperado que eu.

-Eu não quero, mas também quero. –Sussurrei de volta e ele sorriu triste.

-Me desculpe por isso. –Pediu antes de investir novamente com mais força agora e me preencher por completo.

Fiquei mole e apertei os olhos, respirando fundo e me controlando pra não chorar. Então senti seus dedos acariciando meu ponto mais sensível, e aos poucos aquela sensação desagradável foi passando e dando lugar ao prazer. Ele começou a se mexer dentro de mim, entrando e saindo com calma, abri mais minhas pernas e acho que ele entendeu que já estava tudo bem. Ele gemia baixo contra meus seios enquanto me penetrava com mais facilidade, com mais força. Eu estava ficando louca, acabei arranhando suas costas em resposta ao quanto aquilo estava bom e acabei soltando um gemido sem querer, ele começou a rir e parou por alguns segundos.

-Shhhhh. –Falou em meio a risos.

-Eu não consigo eu...aah.-Não estava conseguindo me controlar com ele se movimentando daquela forma.

Ezra me abandonou quando eu estava sentindo minhas pernas tremerem e se deitou ao meu lado, me chamando pra ficar sobre ele. Fiquei um pouco tímida e sem saber o que fazer, mas nem precisei, ele se encaixou com facilidade e logo me preencheu de novo, timidamente eu me movimentei enquanto suas mãos se revezavam entre apertar meus seios e minhas coxas. Fui me soltando e aumentei a velocidade, foi onde eu senti meu primeiro orgasmo, ele se sentou no instante em que eu fiquei mais mole e não consegui me movimentar mais, e estocou fundo, puxou meu cabelo para trás deixando meu pescoço a mostra e senti seus lábios sugando a pele fina enquanto seu membro pulsava dentro de mim e eu sentia aquela coisa quente me preencher e escorrer, o gemido abafado que saía de seus lábios.

Ele me abraçou com força enquanto me abandonava e jogava o corpo para trás, ambas respirações descompassadas, ambos corpos em êxtase. Eu queria dizer tanta coisa naquele momento, mas mais que tudo eu queria mesmo era repetir a dose o quanto antes.


Notas Finais


xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...