História The Bride - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Tags Casamento, Drama, Noiva, Romance
Exibições 307
Palavras 2.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Sejam Bem Vindas ao terceiro dia da Semana Abençoada <3

Sejam bem vindas, leitoras novas, espero que gostem de The Bride <3

Obrigada a todas que acompanham, favoritam, comentam, vocês me dão inspiração para continuar. E por mencionar os comentários, desculpem pela demora para responder, eu vou tentar responder amanha, já que eu nao vou conseguir postar a one que eu queria </3

Bom, boa leitura, espero que gostem desse capítulo cheio de emoçoes <3

Capítulo 10 - Chapter Nine


Fanfic / Fanfiction The Bride - Capítulo 10 - Chapter Nine

                       Sentia o meu coração bater rápido desde o meu quase beijo com Justin. As partes as quais ele me tocou, parecia formigar. Mas o que era isso? O que estava acontecendo comigo? Suspirei, escutando a porta do banheiro ser aberta, revelando um Justin com uma calça moletom e uma camiseta. Até parecia quando ele acordou, quando ele estava só com a calça moletom. Neguei com a cabeça tentando me livrar de tais pensamentos.

                       Ele tinha um corpo magnífico, era uma excelente pessoa, um grande amigo, mas por que eu me sentia assim em relação a ele? Por que o meu coração batia rápido de uma forma que nunca bateu por Scoot? Por que o seu toque me deixa nervosa, desejando mais? Por que eu não consigo ficar calma com a proximidade dele? Cobri o rosto com as mãos, respirando fundo, tentando me recompor. Eu não queria que Justin percebesse que ele de certa forma me afetava.

-Tem certeza que não precisa ir comprar a pipoca ou algo parecido? Se precisar eu posso ir no mercado mais próximo, enquanto você fica aqui procurando por um filme. –Ele falou, enquanto dava a volta na cama, se sentando na parte vazia. Senti a cama afundar ao meu lado, me deixando nervosa por sentir a sua presença ao meu lado.  

-Eu pedi o serviço de quarto. Agora é só esperar. –Falei, dando um sorriso para ele. Justin apenas assentiu com a cabeça, puxando o cobertor que ele usou para dormir no sofá. –Olha os filmes que estão passando e que vão passar, se você se interessar podemos assistir ele. –Falei, entregando o controle para Justin.

-Você assiste qualquer gênero? Ou tem algum especifico? –Ele perguntou enquanto olhava os filmes que estavam passando. Ele parecia tão normal, enquanto eu estava à beira da loucura. Senti o olhar dele sobre mim, me deixando um pouco mais nervosa.

-Eu assisto qualquer um. –Falei, mordendo os lábios. Do jeito que eu estava, provavelmente eu não ia conseguir assistir nada do filme. Tentei relaxar, enquanto me ajeitava, me encostando melhor sobre os travesseiros. Escutei baterem na porta, me levantando quase que imediatamente. –Vou ir atender a porta. –Falei, saindo debaixo das cobertas as pressas.

-Precisa de ajuda? –Ele perguntou, fazendo menção de se levantar, mas eu apenas neguei com a cabeça, balançando os meus braços. Percebi Justin me olhar confuso, eu apenas sorri para ele, enquanto ia em direção à porta. Será que ele percebeu que eu estou estranha?

-Serviço de quarto. –Escutei um homem de no máximo 29 anos falar assim que eu abri a porta. Ele tinha um carrinho, cheio de coisas que eu pedi para a nossa “sessão de cinema”. Abri espaço para ele passar com o carrinho, recebendo um sorriso gentil do mesmo. Ele deixou o carrinho perto da cama, antes de voltar. –Com licença, tenha uma boa tarde Senhorita. –Ele falou, se retirando do quarto. Fechei a porta, decidindo ir ver o que trouxeram.

-Que variedades. Quer pipoca normal ou com chocolate? –Perguntei, enquanto pegava um cupcake mordendo o mesmo. Fechei os olhos, sentindo o gosto doce. –Isso tá ótimo. –Falei cobrindo a boca com as costas da mão, enquanto terminava de mastigar.

-Quero a pipoca normal. –Justin falou, olhando para mim, com um sorriso, me deixando envergonhada. Como podia alguém sorrir dessa forma?  –E deixe algum cupcake para mim também. –Ele complementou humorado. Senti o meu rosto esquentar, provavelmente me deixando corada. Entreguei o pote de pipoca normal para ele, pegando a outra para mim.

                       Voltei para debaixo das cobertas tomando cuidado para não derrubar pipoca na cama. Arrumei o travesseiro, me arrumando nele. Olhei para a televisão, percebendo que Justin já tinha escolhido um filme. Peguei um pouco de pipoca, enquanto começava o filme. Reconheci o mesmo, assim que eu vi os homens observando Elise, interpretada por Angeline Jolie.

(...)

                       Espreguicei-me, me levantando assim que começou a passar comerciais. Peguei o pote de pipoca vazio, colocando o mesmo em cima do carrinho. Conseguia sentir o olhar de Justin em mim a cada movimento que eu dava, mas eu apenas ignorei. Graças ao filme, o clima entre nós dois não estava tão ruim como eu pensei que estaria com o que aconteceu mais cedo. Respirei fundo, colocando um pouco de refrigerante no copo.

-Eu também quero. –Escutei Justin falar. Eu apenas revirei os olhos, assentindo com a cabeça. Peguei o outro copo, enchendo o mesmo. Coloquei os dois no criado mudo, para não derramar nenhum sobre as cobertas, já que era uma possibilidade de acontecer por causa do jeito destrambelhado que eu era. Entreguei o copo para Justin, sentindo os seus dedos esbarrarem acidentalmente nos meus, me fazendo largar o copo surpresa pelo seu toque.

-Meu Deus. –Falei, cobrindo a boca, assim que eu vi a coberta de Justin toda molhada pelo refrigerante. Ele se levantou imediatamente, e eu repeti o mesmo movimento que ele, pegando o copo vazio. –Me desculpe, eu não sei o que aconteceu, quando eu vi eu já tinha soltado o copo. –Falei, com uma mão sobre a boca, enquanto tentava explicar. Justin apenas sorriu para mim, negando com a cabeça.

-Está tudo bem, não me molhou. Não se preocupe, só sujou o cobertor. –Ele falou, enquanto tirava o cobertor da cama para não correr o risco de sujar ainda mais as coisas. –O ruim é que esse era o único cobertor aqui. –Justin falou, com uma expressão triste. Mordi o lábio, engolindo em seco. Coloquei o copo ao lado do meu no criado mudo, indo até ele.

-Eu vou ligar para o serviço de quarto depois, por enquanto, podemos compartilhar o que sobrou enquanto continuamos assistindo o filme. –Falei, enquanto Justin assentiu com a cabeça. Ele meio que pendurou o cobertor sobre o sofá, voltando para a cama. Ele conferiu para ver se não tinha molhado, antes de se sentar na cama.

                       Como o refrigerante dele foi parar todo na coberta, coloquei um pouco mais no copo entregando para ele, com cuidado para não derrubar. Respirei fundo, me sentindo culpada por ter largado o refrigerante em cima dele. Com cuidado, voltei para debaixo das cobertas, ficando com a ponta do edredon.

-Eu não vou te morder, pode vir mais para cá. –Justin falou, dando espaço para mim. Ele colocou o copo sobre o criado mudo que tinha do lado dele, sorrindo para mim. –Sem copos, não precisa se preocupar em derrubar. –Ele comentou fazendo graça. Mordi os lábios, envergonhada com o que tinha acontecido. –Será que eu vou ter que te puxar? –Ele perguntou, com um sorriso brincalhão. Antes que eu pudesse fazer algo, ele me puxou para perto dele, me apoiando sobre o seu peitoral. –É melhor que o travesseiro, não? –Ele sussurrou perto do meu ouvido, me deixando arrepiada. Escutei ele rir, como se tivesse percebido que eu estava arrepiada.

                        Mordi os lábios, sentindo os lugares onde eu estava encostada em Justin formigarem. Meu coração batia tão rápido, e tão alto, que eu me perguntava se ele era capaz de ouvir com essa proximidade. Se eu pudesse me ver agora, diria que eu estava corada com essa proximidade com Justin. Por quê? Por que o meu coração batia como um louco com a proximidade de  Justin?

(...)

                       Os créditos do filme começaram a passar, me fazendo perceber que eu não tinha conseguido prestar mais atenção no filme desde que Justin havia me puxado para ele. Sentia a respiração calma de Justin na minha orelha, como se ele estivesse adormecido. Com cuidado, me afasto dele um tanto curiosa, percebendo que ele estava adormecido.

                       Dou um suspiro, colocando a mão sobre o meu peito, sentindo o meu coração bater. Me surpreendi, por ele ainda estar batendo como um louco. Olhei para Justin ali deitado calmo, enquanto várias perguntas me vinham a mente. Será que eu era a única que se sentia assim com essa proximidade? Levei a minha outra mão em direção aos meus lábios, me lembrando do nosso quase beijo. Como será que deve ser a sensação de ter os lábios de Justin sobre os meus? Será que ele ia mesmo me beijar ou foi só impressão minha? Neguei com a cabeça, contendo tais pensamentos.

                       O que estava acontecendo comigo? Por que toda vez que Justin me tocava era assim? Eu estava começando a parecer uma louca. Mordi os lábios, sentindo as batidas frenéticas do meu coração, será que era essa a sensação que a sociedade chama de paixão? Olhei para Justin, seu cabelo estava um tanto bagunçado, com alguns fios caindo sobre o rosto dele. Olhei para o rosto dele, analisando cada detalhe, cada uma de suas pintas, como se estivesse guardando dentro do meu coração. Mordi os lábios, sentindo uma vontade de toca-lo, sentir a pele dele com a ponta dos meus dedos.    

                        Sem conseguir conter a minha vontade, ergo a mão hesitante em direção a ele, tocando o seu rosto suavemente com a ponta dos dedos, tentando não acorda-lo. Com o dedo indicador vou indo até os seus lábios rosados, percebendo as pontas curvadas em um sorriso. Faço o contorno de seus lábios com a ponta do dedo, conseguindo sentir a maciez dos mesmos contra a pele do meu dedo. Toco a pinta que ele tem perto da boca, descendo um pouco com os dedos para o pescoço dele, perto da tatuagem que ele tinha ali. Percebo ele se arrepiar com o meu toque, me fazendo sorrir.

                       Senti ele começando a se mexer me tirando dos meus devaneios, comecei a me afastar dele apressada, descendo da cama com medo de ter acordado ele com o meu toque. O que eu estava fazendo? Neguei com a cabeça, passando uma das minhas mãos pelo meu cabelo. Fui em direção do banheiro, eu precisava me acalmar urgentemente. Fechei a porta trancando a mesma logo em seguida. Me encostei na mesma assim que fechada. Eu ainda conseguia sentir a maciez dos lábios de Justin sobre os meus dedos, a temperatura quente dele sobre os meus dedos. Fechei os olhos, relaxando sobre a porta gelada. Eu estava enlouquecendo.

                       Será que ele percebeu que eu estava tocando ele? Será que eu o acordei com os meus toques? Será que ele vai perguntar o porque assim que me ver? Olhei no espelho a minha frente, percebendo o meu rosto vermelho. Respirei fundo, fazendo um coque com o cabelo, enquanto ia em direção a grande pia. Abri a torneira, molhando o meu rosto com a água fria que saia da mesma, tentando relaxar.

                        O rosto de Justin adormecido veio na minha cabeça, me deixando nervosa. Abri os olhos quase que instantaneamente, sentindo os mesmos começar a arder por causa da água. Deixei a água escorrer pelos meus dedos, esfregando os olhos. Como eu ia continuar a viagem me sentindo assim por Justin? Como posso continuar ao lado de Justin, fingindo que não sinto nada, quando o meu coração bate mais forte? E se Justin já tiver um amor a quem voltar? E se ele só estiver sendo gentil?

                       Senti o meu coração se apertar assim que pensei nisso, me deixando um tanto agitada. Fechei a torneira, secando o meu rosto. Por que eu estava pensando nisso? Respirei fundo, abrindo silenciosamente a porta do banheiro, olhando para Justin, que ainda dormia do mesmo jeito. Olhei para a coberta no sofá, me lembrando que eu tinha que ligar para o serviço de quarto para pegar de volta o carrinho, e falar do edredon.

                       Me aproximei do sofá, olhando para a mancha de refrigerante no cobertor. Pelo cobertor ser de uma cor escura, não era possível ver a mancha. Percebi o meu celular na ponta do sofá, pegando o mesmo. Coloquei a senha, esperando ele desbloquear enquanto eu me sentava na ponta oposta de onde Justin estava.

                      Assim que desbloqueou, eu percebi que ainda não tinha trocado a foto de papel de parede do meu celular, fazendo com que uma foto minha e do Scoot permanecesse ali. Scoot. Mordi o lábio, sem me sentir péssima como no começo, quando eu descobri a traição. Eu ainda não podia dizer que eu e sentia bem com tudo o que aconteceu, mas eu sentia que podia sorrir novamente. Eu podia sorrir novamente, e tudo por causa de Justin.


Notas Finais


Amores, desculpem se o capítulo ficou meio chatinho, eu tinha tantas ideias que me afoguei nelas </3

Desculpem se tiver muitos erros, estou considerando e muito procurar alguém que possa revisar os capítulos para mim antes de postar, eu acho que vi um site que revisa, nao seei por enquanto. Ah, quero pedir desculpas se ocorrer algum atraso de capítulos, eu estou ficando na bad ultimamente por algumas coisas ai, ai meu rendimento cai um pouquinho.

Não viu o trailer de The Bride? Clique aqui então -> https://www.youtube.com/watch?v=AtIp-jyXmEk <-

Conversem comigo amores, me digam o que acharam desse capítulo? O que acham que vai acontecer no próximo? Sam finalmente entendeu os seus sentimentos? Será que Justin se sente da mesma forma que ela? Vemos tudo isso no próximo capítulo, que é sexta feira.

Até sexta amores <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...