História The Broken Boy - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Automutilação, Darkfic, Death Fic, Gay, Lemon, Morte, Mutilação, Noshy, Suícidio, Yaoi
Exibições 147
Palavras 1.834
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Hello, bitches of my life!! (é brincadeira tá? hahah)

Mais um capítulo pra vocês, seu lindinhos <3 <3

Agradecimentos a ~mandypotato10, ~NairanMendesDun, ~Not_a_barbie e ~pandicaputo por terem favoritado :3

Boa leitura!!

Capítulo 12 - Chapter XII


“Sei que é difícil acreditar, já que esse meu jeito durão passa uma imagem de “Sou forte”, mas é tudo fachada. Sou a pessoa mais frágil do mundo, e qualquer ameaça de tempestade já me derruba”

- Desde 2006

~#~

A primeira coisa que escuto ao acordar é a irritante voz da repórter na TV dizendo o quanto o final de semana seria lindo e com sol, perfeito para passear com a família e amigos

- Ah, cala a boca! – me viro no sofá colocando a almofada em cima da minha cabeça para não escutar o que a mulher dizia

- Você como sempre tão amoroso assim logo de manhã – ao escutar uma voz vinda da cozinha me levanto assustado e corro para o cômodo, me surpreendo um pouco ao ver Derek cozinhando

- O que diabos você tá fazendo aqui? – pergunto irritado e ainda coçando os olhos de sono – Você não pode simplesmente invadir a casa dos outros assim!

Derek sempre teve uma cópia da chave do meu apartamento, mas ele nunca a havia usado, pelo menos até agora, o que me deixou realmente muito surpreso e confuso

- Vim ti ver, mas como estava dormindo resolvi fazer café da manhã – ele coloca dois pratos na mesa e começa a servir as panquecas – É sábado, Thom!

- Até ai nada de bom... – murmuro me sentando, agradeço por ter posto uma camisa escura com mangas longas pouco antes de dormir ontem a noite, porque se ele visse minha situação apenas pioraria nossa relação

- Final de semana, Thomas, podemos sair, assistir um filme, as possibilidades são infinitas – ele estava realmente animado com isso, e a ideia realmente me fez sorrir um pouco, mas logo depois me lembrei que tinha o maldito trabalho e meu sorriso morre, Dereck pareceu notar e pergunta – O que houve?

Ao encara-lo dou de cara com um olhar preocupado

- É que... – droga, não queria contar a ele, não queria nem ao menos ir para casa de Barry – Eu tenho uma coisa pra fazer - tento despistar enquanto parto a panqueca e coloco um pedaço na boca

- E que coisa é essa? – ele pergunta se sentando e começando a comer

- Um... – hesito por alguns segundos, mas ao encara-lo apenas suspiro desistindo de esconder – É um trabalho de escola

Seu sorriso aumenta quando escuta a frase até o final

- Com a Sam?

- Também – digo simplesmente

- E vai ser onde? Na biblioteca do colégio? – ele pergunta interessado

- Não exatamente, - mordo mais um pedaço, mas ele espera eu terminar para continuar a falar – É na casa de um menino que estuda com a gente

- E esse menino tem nome? – pergunta rindo, acho que pelo meu desconforto em falar

- Barry. Barry Allen, ele não mora por perto

- Ótimo, então eu levo você – ele havia terminado de comer e já se levantava para lavar a louça

- Não precisa, eu sei me virar

- Hoje é um dos únicos dias que vou poder vir ti ver, não me nege isso – ele pede ainda de costas, mas sua voz soou triste então eu apenas concordei e disse que iria tomar banho, o deixando sozinho na cozinha.

Eram quase 10 horas da manhã, e como o trabalho só seria a tarde ainda tinha muito tempo para ficar em casa, então logo após tomar banho e sair devidamente vestido, me sento ao lado de Dereck no sofá.

Ele mudava de canais procurando algo interessante até que resolve parar num canal de séries onde passava mais um episódio de Game of Thrones

- Então, como ta a faculdade? – pergunto encostando minha cabeça em seu ombro para relaxar

- Tá normal, nada de novo ainda – vejo ele morder os lábios em sinal de nervosismo – Thomas... – chamou minha atenção com um sussurro, ele me encara – Me desculpa, eu realmente pirei ontem...

Eu me afasto dele e encaro a TV, esperando ele falar mais coisas, mas ele não o faz então resolvo responder

- Tá tudo bem, Dery... Eu não devia ter mentido também, desculpa – o encaro sorrindo e ele me abraça forçando nossos corpos no sofá, eu sorrio

A manhã passou calma, passamos o tempo todo assistindo TV e comendo porcarias no sofá, mas quando deu meio dia e Dery se levantou pra fazer o almoço meu celular tocou num barulho de mensagem. Quando a abro vejo que era Samantha com o endereço de Barry suspiro e apenas respondo um “okay”

- O que houve? – Dereck perguntou aparecendo na porta da cozinha, ao virar para vê-lo, não consigo segurar o riso

- O que é isso, Dery? – ele estava com as mangas puxadas até o cotovelos e camisa cheia de farinha e molho de tomate

- Almoço! - ele exclama olhando para a camisa e rindo – Então, quem foi?

- Samantha, ela mandou o endereço – digo ainda rindo dele

- Ok, depois eu quero ver – ele diz voltando para a cozinha e eu fui o ajudar antes que ele destruísse minha cozinha

A manhã acabou tão rápida quanto chegou, depois do almoço ficamos um bom tempo deitados no sofá, até que vejo a hora no celular, faltava apenas minutos para as 14 horas

- Que foi? – Dereck pergunta ao sentir eu me levantar do sofá

- Acho melhor levantar essa sua bunda branca do sofá se for mesmo me levar – digo rindo

Depois de devidamente organizados vamos em direção à garagem, mas quando ia entrar no meu carro, Dereck chama minha atenção

- O que você ta fazendo? – ele indaga me encarando

- Entrando no carro? – pergunto como se fosse óbvio

- Hoje não – no primeiro momento não entendi o que aquela frase significou, mas ao ver ele ir em direção a vaga de trás e erguer um capacete, foi inevitável não abrir um sorriso – Como acha que cheguei até aqui?

- Eu dirijo! – exclamo correndo em sua direção

- Nada disso – ele fala rindo ao subir na moto, apenas ignoro e subo no bagageiro atrás dele, fico um momento em pé segurando em seus ombros

- Uhu! Eu amo isso aqui! – digo finalmente me sentando

- Sei que sim – ele me entrega o outro capacete – Endereço? – Entrego o celular a ele que após ler apenas dá um sorriso o que me deixa confuso, mas seguimos em direção a casa de Barry logo depois.

Eu realmente adorava moto, e até hoje ainda me perguntava o motivo de não ter comprado uma, mas eu adorava a sensação do vento no rosto, da liberdade e de correr. Correr como se precisasse fugir, como fosse chegar a algum lugar diferente, uma realidade diferente

Quando paramos em frente a farmácia que depois descobri ser térreo da casa de Barry a moça da recepção vai logo em nossa direção

- Dereck? – ele pergunta ainda meio incerta, mas ao vê-lo tirar o capacete um sorriso se forma em seu rosto – Oh! É você mesmo! Sabe, quando disse para vir me visitar não pensei que viria tão rápido

- E ai, Amber – ele fala rindo, meu sangue gela, eles se conheciam, ao me ver tirar o capacete ela me encara por alguns minutos, mas não diz nada  - Vim só deixar meu pequeno

Ele fala e ri ao senti eu cutuca-lo na barriga, ele sabia que odiava quando ele me chamava assim, e antes de Amber falar alguma coisa a interrompo

- Sou Thomas, irmão do Dereck, muito prazer – digo com o melhor sorriso que consigo e estendo a mão, que ela aperta logo em seguida ainda rindo. Quando olho para a frente do prédio vejo Barry acenando e aceno de volta – Já vou indo

Digo, e esperava ir em direção a entrada, mas sinto Dereck puxa minha mão

- Que isso? Sem beijo de despedida? – ele inclina a cabeça e me olha confuso

Me aproximo dele e junto nossos lábios, não durou mais de dois segundos, mas eu conseguia sentir perfeitamente o olhar de Amber e Barry nas minhas costas, por isso acabo me afastando

- Venho pegar você lá pelas seis, certo? – Dereck indaga e eu apenas murmuro algo em confirmação, me viro enquanto escuto ele e Amber iniciarem uma conversa, quando olho novamente para Barry o que mais me surpreendeu foi ver Bennet ao seu lado com uma expressão confusa.

- Cadê Samantha? – pergunto assim que os alcanço

- Tá lá em cima já, vamos subir – Barry diz nos mostrando o caminho da escada

Como Barry foi na frente, eu e Bennet acabamos andando lado a lado o que foi um prato cheio para ele iniciar uma conversa

- Não sabia que tinha namorado – aquilo me pegou de surpresa e me irritou um pouco

- Não tenho...

- Não foi o que pareceu- sua voz saiu num tom estranho

- Não creio que me importe com o que pareceu ou não – digo acelerando o passo e o deixando para trás sozinho

Assim que Barry abre a porta um grito chega até nós

- Thomas!! Você veio mesmo!! – ela pula no meu pescoço me abraçando, apertando demais que meus machucados doeram um pouco e eu soltei um gemido de dor – Que foi? Machuquei você? – ela pergunta se afastando – Sabia que era forte, mas não sabia que era assim também não – ela contrai o braço tentando ver um músculo inexistente

- Claro, claro, apenas vamos logo começar, sim? – Barry fala indo em direção ao que parecia ser o quarto dele, era enorme, tinha uma cama de casal e uma mesa com um notebook já ligado em cima

- Vamos lá! – Samantha parecia realmente animada com a ideia de passar as próximas três horas tranca num quarto, o que me fez apenas dar um suspiro

E iniciamos o trabalho, no começo foi difícil, ficávamos sempre querendo pesquisar as mesmas coisas, e em geral Samantha sempre era a responsável por nos distrair da pesquisa o que chegava a ser um pouquinho irritante, mas logo voltávamos a pesquisar sobre o assunto, mas foi quando finalmente terminamos o trabalho, por volta das 5 da tarde foi que Samantha veio com a ideia mais estúpida de todas

- Hey, vocês já brincaram de verdade ou desafio?! – Aquela pergunta fez todos a encararem como se fosse a pessoa mais esquisita do mundo – Yey! Vamos lá! – ela grita sentando no chão e esperando que os outros a sigam, mas isso obviamente – ou nem tanto assim – não acontece

- Vamos, vai ser divertido! – Barry dá de ombros e se senta ao lado dela, Bennet vai logo depois, mas eu continuo em pé agora encarando os três

- Vocês estão loucos se acham que eu vou fazer isso – cruzo os braços

- Qual é Thom! – Samantha exclama

- Você já viu algum jogo desse? Sempre acaba em morte ou putaria! – grito irritado

- Não vai ter nada disso, por favor – ela quase implora, penso um pouco e acabou suspirando

- Nada de tirar roupas, ou de beijos, ou de algo que cause a morte de alguém – digo me sentando e enfim começamos a jogar aquela porcaria


Notas Finais


Espero que tenham gostado ♥ ♥
Foi com muito carinho ~*3*~
Comentários são importantes, opiniões são necessárias

P.S.: Não esperem muito do jogo não, realmente não vai rolar putaria, kisses :**

Amo vocês e até depois :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...