História The Cake - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias DAY6
Personagens Wonpil
Tags Aniversário, Comedia, Day6, Fluffy, Kim Wonpil, Oneshort, Para Vmustdie, Wonpil
Visualizações 49
Palavras 873
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eu não sei o que escrever aqui
aaaa
eu nunca sei o que escrever aqui
para @vmustdie
PARABAINS!!!!1!!

eu to morrendo de vergonha #scrr #gabua+shyzinha



boa leitura~~

Capítulo 1 - Chukahe; único.


Fanfic / Fanfiction The Cake - Capítulo 1 - Chukahe; único.

– Quantas vezes eu tenho que dizer ‘pra você entender? – Vitória ou Tori-yah, como ele gostava de lhe chamar, entrou na cozinha reclamando da bagunça que Wonpil tinha feito e do odor forte de queimado. – Você não pode em hipótese alguma pôr os pés na cozinha. É você entrar aqui e o desastre acontece.

A cozinha se encontrava totalmente suja. Tinha farinha espalhada pelo chão, balcão e pela pia, cascas de ovos em vários potes até mesmo em um de creme de avelã pouco consumido, leite derramado no fogão, o pote onde ficava o açúcar estava completamente vazio, tinha chocolate em pó dentro de uma frigideira, a batedeira estava camuflada pela massa do bolo, tinha várias formas de bolo untadas, manteiga não tinha mais. Parecia que um tufão havia passado pela cozinha.

O Kim tentara fazer um bolo para comemorar o aniversário de sua dongsaeng. Ele pesquisara por receitas de bolo de chocolate que fossem fáceis, infelizmente tinha o problema de ser péssimo quando o assunto era cozinhar. Até quando ia fazer ramyeon acabava sempre queimado e/ou com gosto ruim, ou como Tori sempre dizia: veneno.

– Eu sei, eu sei.. Mas eu queria fazer o bolo. – Disse Wonpil. – Eu nunca tenho tempo de fazer alguma coisa ‘pra você, aí eu preferi fazer o bolo ao invés de só ir comprar um. Eu queria que fosse feito com amor. Mas pelo visto não deu muito certo. – Acabaram rindo com sua última fala.

– Eu sei, ok. Mas você sabe que só a sua presença é suficiente – disse Tori, desviou o olhar e mordeu os lábios tentando segurar o riso.

Ele estava com o rosto e os cabelos brancos, parecia um fantasma, o avental que usava, antes era rosa se encontrava branco pela farinha e em algumas partes tinha uma gosma amarela; gema dos ovos.

Segundos depois, percebendo que algo não cheirava bem – realmente, o cheiro de queimado havia tomado o ar –, Wonpil resolvera ver como ficara o “bolo”.

Ao chegar perto do forno só se via a fumaça pelo vidro, quando abaixara a porta do mesmo foi atingido por uma nuvem de fumaça fedorenta que o fizera tossir. Tori não perdeu tempo soltando um “eu disse”.

Depois da fumaça se dispersar, colocou as luvas rosas com pequenas bolinhas brancas e retirou a forma que estava chamuscada. Quando colocará a forma em cima do balcão, Tori se aproximou e ao olharem o bolo, só avistaram uma coisa preta que nem crescera.

– Você colocou fermento? – Vitória perguntou olhando para o bolo-carvão.

Por alguns instantes Wonpil repassou a receita, e se deu conta que não havia colocado o fermento.

– Hmm.. Eu acho que esqueci.

– Eu não acredito! – A garota não aguentou, desatou a rir.

Decidiram depois de um tempo arrumar a bagunça feita pelo mais velho. Quando estava quase tudo limpo, o Kim pediu para a mais nova que fosse se limpar e que ele iria terminar de arrumar o resto da bagunça restante.  Assim feito, Tori foi para seu quarto. Como só faltava lavar algumas vasilhas e espátulas, acabou terminando rápido.

Foi ao banheiro do corredor se limpar, quando olhou seu reflexo no espelho levou um pequeno susto; estava coberto de farinha. Tori nem ‘pra dizer que eu ‘tô sujo, pensou e balançou a cabeça negativamente enquanto ria.

Depois de tirar toda aquela farinha de si — pelo menos era o que ele achava — foi ver se sua dongsaeng já tinha terminado seu banho. Bateu na porta do quarto, porém a garota estava ouvindo música e acabou não o ouvindo. Aproveitou isso e resolveu ir a um café; precisava de um bolo.

 

Quando a garota terminou seu banho e se vestiu, saiu do quarto a procura do Kim para que fossem pelo menos assistir um filme. Como esperado, não o encontrou. Quando estava desbloqueando o celular para saber onde ele estava, a porta do pequeno apartamento foi aberta, revelando o Kim.

Wonpil estava tão distraído que não percebeu que Vitória estava na sala, quando fechou a porta e se virou para poder chamar pela garota, levou um susto quando a viu a poucos centímetros de si; acabou soltando os balões coloridos que carregava e por pouco o pequeno pacote com o bolo não teve um encontro com o chão.

— Chukahe! — Disse Wonpil, meio assustado meio surpreso.

Tori riu, parecia que ele havia acabado de ver um fantasma ou que fora pego aprontando. Já recuperado do susto, estendeu para Tori o pacote, uma caixa media azul pastel com bolinhas marrons e um laço também azul pastel. A garota sorriu e pegou o pacote.

— Chukaheee! Tori-yah! ~ — Ele disse exibindo aquele sorriso lindo.

— Komawo! ~ — Agradeceu e foi logo abrindo a caixa.

Enquanto a garota estava abrindo a caixa, Wonpil foi pegar os balões que acabaram indo parar no teto.

— AWWWWWT! QUE FOFINHO!

O Kim olhou para ela e sorriu.

O bolo era de chocolate com um Totoro em cima segurando uma velinha colorida.

Wonpil acendeu a velinha, cantou parabéns — mesmo com Tori protestando —, a garota fez um pedido e depois partiram o bolo e o comeram.

A gorota sorriu ao lembrar do aviso dado pelos amigos do mais velho.

Nunca, em hipótese alguma deixe Kim Wonpil sozinho em uma cozinha. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...