História The Canadians - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Barbara Palvin, Justin Bieber
Tags Ação, Aventura, Barbara Palvin, Criminal, Drama, Gangster, Justin Bieber, Mistério, Suspense, Violencia
Visualizações 18
Palavras 2.833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Policial, Suspense
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amores, comecei essa nova fanfic e espero que gostem.
Boa leitura.

Capítulo 1 - I'm proud


Fanfic / Fanfiction The Canadians - Capítulo 1 - I'm proud

Scarlett Brooks.

Atlanta, Geórgia.

A mansão estava uma bagunça, todos estavam de mau humor e com sono. Resultado de ser acordado as sete horas da manhã depois de ter chegado tarde da boate.

Estávamos todos no escritório de Justin.

Justin estava sentado em sua poltrona de couro preta, Christian em seu lado digitando algo em seu notebook, Chaz estava de frente para eles sentado em uma cadeira também de couro preta, com Ryan ao seu lado. Enquanto eu, estava jogada no sofá que tinha no canto do escritório, com minha cabeça deitada no colo de Nolan que estava esperando, sonolento, que Justin dissesse o motivo por ter acordado a todos tão cedo.

— Desembucha, Bieber. — Disse levantando minha cabeça das pernas de Nolan, me arrumando. Ninguém ali tinha coragem de dizer algo ou todos estavam muito cansados para ao menos perguntar a Justin o porque de tudo isso.

Justin me olhou com os olhos Semi serrados mas começou a falar. — Hoje, Lucien irá receber um carregamento, e o cérebro aqui. — Justin aponta para Christian que tira seus olhos da tela do notebook olhando para todos com um sorriso em seus lábios. — Descobriu a rota, horário e do que se trata esse carregamento que Lucien tanto espera. — Justin continua abrindo um sorriso malicioso. — Drogas e Armas.

— Bom, e onde entramos? — Pergunto, queria mesmo era voltar para minha cama macia e dormir novamente, acordando apenas as duas horas da tarde, como de costume. Mas não seria possível.

— Nós vamos roubar esse carregamento. É daqui algumas horas e não temos o treinamento necessário, porém, Já fizemos coisas piores e roubamos coisas maiores. Da ultima vez Lucien ganhou, roubando o mesmo banco que nós horas antes de entrarmos em ação e isso me deixou puto. — Justin diz irritado travando o maxilar e se levantando, colocando suas mãos com força na enorme mesa de vidro. — E dessa vez, eu quero irrita-ló. Lucien, está fazendo de tudo para colocar esse carregamento para dentro sem ser descoberto e Christian descobriu que isso foi duro, Mas temos Scarlett em nossa equipe para facilitar algumas coisas. — Justin desvia seu olhar para mim mordendo os lábios o deixando sexy.

Reviro os meus olhos, já sabendo que depois desse roubo Lucien iria revidar, e eu entraria com a maior parte, Afinal, Sou advogada e policial de atlanta.

Devem estar se perguntando como pode um membro de uma gangue reconhecida e procurado pelo fbi ser advogada e policial. Simples, sou formada em direito e isso facilitou minha entrada no departamento de Atlanta. Sou uma infiltrada, e essa é a razão por ninguém saber quem somos. Todos os arquivos são encaminhados diretamente a mim, e eu passo ao seu devido servidor, e tudo que tem nossos nomes ou qualquer outra coisa que pode nos ferrar ou expor nossa identidade, eu deleto. Lucien é um traficante de atlanta reconhecido, e teme a nossa gangue, conhece os membros mas não sabe, em exatos, quais são as nossas cartas na manga, com isso quero dizer que, Lucien não suspeita que sei quem são seus homens infiltrado no departamento da policia e muito menos que uma Canadian tem um cargo tão importante lá dentro.

— Entendi. — Digo fazendo Justin continuar com os garotos apenas prestando a devida atenção enquanto Christian digitava algo sem parar em seu notebook.

— Hoje, as dez da manhã, quero todos no galpão, prontos para simulações e para ouvirem o plano. — Justin olha em seu relógio que levava consigo em seu pulso, voltando seu olhar para todos na sala. — Agora são, sete e meia. Vocês tem duas horas e meia para tomar café e se arrumarem. Estão dispensados.

Assim que termina me levanto para sair da sala mas paro ao ouvir Justin. — Todos, menos Scarlett. — O aviso foi o suficiente para parar o meu ato - que seria caminhar até a porta. - e me virar para olha-ló e assim que estávamos a sós me aproximo de sua mesa.

— Porque ainda estou aqui? — Pergunto confusa, arqueando minha sobrancelha.

— Senti sua falta ontem a noite, não passou em meu quarto. — Justin diz caminhando até mim, parando logo atrás de meu corpo me fazendo virar para encara-ló e assim que feito, colocando seus braços um de cada lado da mesa, me encurralando ali.

— Resolvi oque pediu na boate e voltei para casa, estava com sono. — Dou de ombros.

Justin e Eu não somos namorados, estávamos longe disso. Sempre que ele precisava de algo para se distrair, eu acabava sendo sua distração. Adoro ser sua distração, não vou mentir. Mas as vezes acho que deixei chegar longe demais.

— Se quiser passar em meu quarto, minha porta estará sempre aberta para você, Brooks. — Diz Justin e me aproximo de seu corpo, deixando nossos rostos praticamente colados. Intercalo meu olhar de seus olhos para sua boca.

— Eu sei que está. — Digo convencida e puxo o lábio inferior de Justin com meus dentes. Tiro um de seus braços que me prendia ali e caminho até a porta. — Te vejo no galpão. — Digo antes de sair do escritório e fechar a porta, deixando Justin ali.

10:00am

Estava em meu quarto, atrasada, como sempre. Os meninos com certeza já estavam a caminho do galpão enquanto eu ainda estava me arrumando em meu quarto.

Coloco uma calça jeans preta colada em meu corpo, um top preto decotado que deixava meus peitos maravilhosos e uma jaqueta de couro por cima. Coloco uma bota preta de salto e solto meu cabelo louro deixando que caíssem em meu ombro, Passo um batom vermelho e me vejo no espelho, satisfeita pelo resultado. Pego meu celular e a chave da moto e saiu indo até a garagem. Decido ir de moto, deixando minha lamborghini na garagem juntamente com os outros carros dos meninos.

Dirijo rapidamente, ignorando os sinais com meus cabelos ao vento. Em alguns minutos pela velocidade que estava, passo pela estrada deserta chegando no galpão parando minha moto com os meninos encostados em seu carro, provavelmente me esperando com cara de poucos amigos.

— Isso que da ter uma garota na equipe, nunca terá pontualidade. — Ouço Beadles falar e tiro meu capacete descendo da moto, fazendo os meninos me encarar.

— Exatamente. Mas por causa dessa garota não pontual que está na equipe, nenhum de vocês estão atrás das grades. De nada, Beadles. — Digo e caminho para a entrada do galpão rebolando com Justin e o restante dos meninos soltando risadinhas e um "poderia dormir sem essa, Chris." Bom, Christian era oque mais implicava comigo, ele sempre foi o cabeça da turma e todos os veneram por sua inteligencia e capacidade de resolver as coisas, mas ai eu entrei, provando que mulheres são melhores que homens, deixando todos os meninos puto com isso, Christian ainda mais.

Sou aquela tipica garota nerd. Cresci no canada e meus pais sempre foram família da sociedade baixa, mas com o dinheiro que tinham sempre priorizavam somente uma coisa. Os meus estudos. Por isso me formei e fiz diversos cursos, não porque meus pais queriam e sim porque eu queria. Sempre sonhei em sair de canada e ser uma pessoa reconhecida mundialmente já que além de talentosa sou uma pessoa bem eclética com meus gostos e fazia de tudo um pouco. Me formei em direito e isso foi o maior orgulho que dei para os meus pais. Fiz diversos cursos, como: computação, linguás, estratégica, e psicologia. Fiz balé, aulas de danças, ginastica e Entrei para academia de luta onde conheci os garotos. A maioria do pessoal que frequentavam a academia eram garotos, não foi difícil me enturmar, e não foi difícil ser aceita na gangue dos meninos com minha ficha. Logo, me tornando oque meus pais mais desprezam.

— Ryan vá para o treinamento de fuga junto de Nolan, Christian vá para frente do computador fazer oque sempre faz, Chaz vá para os fundos conversar com os seguranças que chegarão em dez minutos, e Scarlett, Venha comigo para a sala de luta. — Justin entra no galpão com todos o seguindo já dando as ordens, todos assenti e logo vão fazer oque Justin mandou.

Chaz além de fazer oque todos fazemos, ele é o chefe da segurança. Ryan cuida dos carros e Nolan ajuda com os planos. Christian faz o de sempre, fica na frente de seu computador descobrindo coisas que podem nos ajudar, desligando alarmes, forjando cartões e entre outras coisas. Justin é o Líder. Já Eu, faço de tudo um pouco. Desde ajudar em tudo oque eles fazem até me infiltrar na policia ou ser advogada de alguém que nos deverá um favor pelo resto da vida.

Sigo Justin até a sala de luta e assim que entro pela porta depois de Justin digitar a senha, vejo pela enorme parede com um vidro a prova de balas, Christian olhando para nós já dentro da sala.

Caminho até o canto da sala já sabendo oque faríamos ali, Justin iria lutar comigo, nesse quesito estava em fase de treinamento e precisávamos estar prontos para tudo. Tiro minha jaqueta colocando a mesma na mesa que tinha ali e pego as luvas, logo tirando minha bota e ficando descalça, subo no colchonete azul que tinha no meio da sala, ficando de frente para Justin que já estava ali amarrando suas luvas.

— Estamos aqui porque da ultima vez, eu ganhei na luta. — Justin diz com convencimento nítido em sua voz. — Você precisa estar atenta em tudo, Scar. — Justin diz se aproximando de mim. — Estou falando com você mas te quero atenta em cada movimento meu, quero que preste atenção em tudo oque estou fazendo e que calcule oque irei fazer. — Justin diz e presto atenção em seus movimentos, andando em círculos assim que ele se aproximava cada vez mais de mim. — Está prestando atenção?

— Sim. — Respondo e Justin da dois passos em minha direção me dando uma rasteira, me fazendo cair, ficando por cima de meu corpo.

— Isso não é o suficiente, Brooks. — Justin dizia com seu rosto próximo ao meu. Olho em seus olhos e me aproximo ainda mais de seu rosto fazendo Justin fitar minha boca. Me viro ficando por cima de Justin e coloco sua mão entre minhas pernas, que em um movimento poderia quebra-lá ou fratura-lá.

— Você estava prestando atenção em minha boca, mas deveria estar atento em tudo ao seu redor e calculando qual seria meu próximo passo, Bieber.— Aviso o soltando. — Inclusive em meus pés que estavam se movendo, para me virar e ficar por cima de você. Me fazendo ganhar.

Justin sorri como se estivesse orgulhoso. Todas as outras vezes que treinávamos ele sempre ganhava, Não conseguia nem ao menos me mover quando ele estava por cima de mim me prensando no chão, pronto para ganhar mais uma vez, mas dessa vez foi diferente. Eu ganhei.

Me levanto sorrindo. — Vamos de novo.

03:00am

Eram exatamente três horas da manhã. Estávamos na estrada onde iriamos descarregar o carregamento de Lucien para o nosso caminhão. Estava encostada em meu carro olhando para o relógio em meu pulso com Christian falando pela escuta, ele nunca vinha conosco. Os meninos estavam a minha frente, também encostados em seu carro esperando. Tínhamos apenas alguns seguranças ali conosco, o resto estavam todos camuflados no mato ao redor da estrada deserta e alguns dentro de outro caminho que estava no meio do mato, Para caso precisarmos. Avisto de longe o farol do caminhão e logo ouço Christian pela escuta.

— Chegaram. — Todos assenti mesmo sabendo que Christian não estava nos vendo, Justin caminha com sua arma, com alguns seguranças o seguindo, para perto do caminhão que acabará de parar ao lado do nosso caminhão onde havia dois de nossos seguranças dentro. Fecho a porta do meu carro e passo pelos meninos para ficar ao lado de Justin como sempre fazia enquanto o resto faziam a nossa proteção, prestando atenção em cada movimento suspeito.

Ouço Justin falar com o motorista do caminhão e logo ficar visivelmente puto, Me aproximo dele e percebo que o motorista era Lucky Beaumon, o braço direito de Lucien.

— Bieber, achou mesmo que não descobriríamos que tentaria roubar nossa carga. — Diz ele debochando, caminhando até a parte de trás do caminhão abrindo a porta do mesmo, onde dali saiu vinte seguranças, contado. — A carga está toda aqui. Mas vinhemos preparados, vejo que está em desvantagem.

Abro um sorriso diabólica, ele achou mesmo que iriamos vir apenas com alguns seguranças? Justin fingi estar impressionado e desapontado com a "Preparação" de Lucky.

— Poxa Lucky, realmente, Dessa vez você me pegou. — Justin faz bico me fazendo soltar uma risada com Lucky direcionando seus olhos para mim, sorrindo malicioso. — Mas, vou me arriscar. — Justin continua e me olha me fazendo entender o recado. — Vamos ficar com essa carga. — Justin diz determinado fazendo Lucky rir descontroladamente.

— Achei que fosse mais inteligente, Bieber. — Lucky já estava me dando nos nervos.

— Bom. — Exclamo, me intrometendo. — E ele realmente é. — Caminho me aproximando de Lucky. — Tirem toda a carga desse caminhão e passe para o nosso, agora. — Ordeno para meus seguranças fitando os olhos de Lucky, e vejo de relance seus homens se prepararem com as armas, fazendo todos os nossos homens que estavam escondidos saírem do mato com suas armas já prontas para quaisquer movimento. Lucky arregala seus olhos me fazendo sorrir e morder o lábio. — Coloque seus homens para ajudar a descarregar tudo desse caminhão e passar para o de Justin, ou além de estourar os seus miolos, eu mando a sua cabeça em uma caixa para sua esposa e filha.

Lucky me olha com raiva travando o maxilar se virando para olhar os seus homens e de Lucien. — Ouviram a senhorita, descarreguem tudo para o caminhão de Bieber.

Me viro e vejo Justin me olhar com um sorriso maravilhoso nos lábios, pisco para ele e volto a me virar, vendo os homens de Lucien trabalhar juntamente com no máximo cinco de meus homens. Assim que terminam Lucky se aproxima novamente me olhando com fúria e jurava que vi seus olhos marejados. — Feito. — Diz ele.

— Bom Garoto. — Digo o fazendo fechar suas mãos. — Da próxima vez, seja você mais inteligente e ao invés de vir com a carga venha apenas com seus homens, e mais deles por favor. — Solto uma risada baixa.— Até mesmo o clube dos idosos que jogam xadrez no parque tem mais homens do que me trouxe hoje. — Me viro para sair dali sabendo que agora seria com Justin que se aproxima e me lança um olhar orgulhoso.

— Antes que eu me esqueça. — Justin tira sua arma da cintura e atira em alguns homens de Lucky, que antes eram vintes e agora eram apenas dez, contados. — Apenas para não perder o costume. — Justin da de ombros e guarda novamente sua arma na cintura. — Coloque seus homens mortos no seu caminhão. — Justin ordena e assim que feito prossegue.

— Nós vamos embora, e quando você — Justin aponta para Lucky. — Não ouvir mais o barulho maravilhoso dos nossos carros, eu quero que saiam daqui. E vá correndo se lamentar e receber algumas broncas de seu patrão. — Justin se vira caminhando até seu carro.

— E diga para Lucien que sinto saudades de ver a derrota em seu olhar, derrotar você já está ficando cansativo, Beaumon.

Os meninos e Justin já estavam dentro de seus carros e assim que faço o mesmo, saiu dali cantando pneu ficando atrás do carro de Chaz. Justin havia ordenado para levarem as armas e drogas que acabamos de roubar de Lucien para nosso galpão e alguns homens ficaram na estrada para Lucky não dar uma de engraçadinho, mesmo sabendo que ele no final poderia morrer nunca se sabe com qual louco estamos lidando.

Assim que chegamos na mansão os meninos saem de seus carros fazendo bagunça, rindo e imitando a reação de lucky com Justin rindo e entrando na onda dos garotos. Ao entrarmos na mansão vou direto para a cozinha pegar algumas cervejas como de costume, enquanto os meninos se jogam no sofá e Christian sai do escritório onde estava a minutos atrás se comunicando conosco pela escuta. Volto para a sala e entrego uma cerveja para cada que me olhavam e sorriam em forma de agradecimento.

Ficamos jogando conversa fora e após recebermos a ligação do subchefe da segurança dizendo a carga já estava no galpão e que de manhã tudo já seria passado para o cofre subterrâneo, todos já estavam mais felizes do que nunca. Nós sempre ficávamos assim depois de uma ótima noticia, fazendo uma festa como se fosse a nossa primeira vez que ganhamos algo. E isso era realmente bom.

Me levanto para subir, precisava de um banho. Subo dois degraus da grande escada que tinha ali na sala, que levava para o andar de cima, logo parando quando ouço Justin me chamar.

— Scarlett. — Olho para o lado me dando uma ótima visão da sala e do sofá menor onde estava sentado Justin e Chaz. — Você foi maravilhosa. Estou orgulhoso. — Abro um sorriso gigante e sincero e assinto, em seguida continuando a fazer oque estava fazendo. Assim que chego no topo da escada, vou para o meu quarto. 


Notas Finais


Vou fazer essa fanfic diferente. Com o tempo vocês vão entender oque quero dizer com o meu "Diferente" tentarei deixar todas as minhas historias - incluindo essa, claro.- Menos clichê possível.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...