História The Carousel Never Stops Turning - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Xerife Graham Humbert (Caçador), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Outlaw Queen, Regina Mills
Exibições 82
Palavras 3.796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heeeey everyone, LOOK WHO IS BACK!!!! Mais um capítulo fresquinho pra vocês!!! Espero que gostem!!!

Capítulo 18 - Shiny Happy People


 

Quero Regina Mills para mim e não vou desistir até conseguir.

 

 

 

6:00, escuto a campainha, Robin está adiantado, ainda bem que estou pronta. Uso um vestido preto com um decote não muito profundo, uma maquiagem leve o batom e os sapatos vermelhos. Não queria nada muito exagerado até porque, afinal, era uma entrevista e eu queria passar uma boa impressão.

Ando até a sala e abro a porta.

- Chegou cedo Robin! - Ele me olha de cima a baixo e sorri.

- Você está linda Regina.

- Obrigado, você está muito elegante - Ele usava um terno cinza com uma camisa branca - Entra - Ele se aproxima e me abraça, fico inebriada com seu perfume - O que você ia me falar hoje de manhã? - Ainda não tinha esquecido isso.

- Ah - Ele muda a expressão - É por isso que eu vim mais cedo, eu ia falar com você hoje de manhã, mas como nossos pais estavam junto desisti - Ele parecia nervoso - Não surte, só acho que será mais natural.

- Diz logo, ta me deixando ansiosa.

- Acho que devíamos usar alianças - Fala incerto.

- Alianças? - Será bom mesmo, quando disse a Victor que era casada a primeira coisa que ele me perguntou foi sobre a aliança que eu não usava.

- É, o que você acha?

- Acho que seria uma boa ideia, quando duas pessoas casam o comum é usá-las - Essa ideia me deixa inquieta.

- Eu tomei a liberdade de comprá-las - Ele me estende uma caixinha de veludo preto e me mostra a que ele colocou em seu dedo. Nem tinha notado que ele à usava, era de ouro branco lisa.

Ele abre a caixinha e me espanto.

- São lindas Robin! - Olho para ele com brilho nos olhos.

- Uma é a de noivado e a outra de casamento - A primeira era um solitário com um diamante enorme cravejado de brilhantes em volta, a segunda ela lisa com três diamantes pequenos em cima, ambas em ouro branco. Ele pega minha mão, tira os anéis e coloca em meu anelar.

- Aiiii meu deus! - Addie chega fazendo um escândalo, puta susto dos infernos.

- Que isso mulher, quer me matar? - Falo baixo.

- Cala a boca e me conta o que interessa, vão finalmente se assumir é? - Ela fala encarando os anéis, Robin ainda segurava a minha mão - Deixa eu ver essa pedra gigantesca. Mandou bem cunhadinho! - Ele abaixa a cabeça rindo.

- Menos ruiva, bem menos - Falo a reprendendo pelo showzinho - Desse jeito vai baixar a casa inteira aqui tentando saber o que está acontecendo. Nós estamos indo para entrevista na agência e Robin pensou que seria uma boa ideia usar alianças já que estamos oficialmente casados.

- Já estava mesmo na hora de selarem o destino né - Ela olha cheia de insinuações.

- Tchau Addie! Vamos Robin, não podemos atrasar - Falei autoritária e Addie fazia joinhas com as mãos para Robin. Ele ri e apoia a mão em minha cintura me conduzindo para fora.

Entramos no carro e saímos.

- Obrigada pelos anéis - Falo baixo - Eu amei.

- Fico feliz que você gostou Morena - Ele apoia a mão em minha coxa exposta e me olha de canto - Acho que Addison também gostou - Ele riu.

- Pior que quando eu chegar em casa vou ter muito para explicar - Suspiro.

- Porque? - Ele me olha confuso.

- Porque eu tenho certeza que assim que saímos, Addie saiu gritando pela minha irmã querendo lhe contar o que viu, as duas vão fazer um escândalo fofocando sobre o assunto, vai ser impossível alguém da casa não escutar, ou ao menos ir perguntar o que está acontecendo. Elas não vão saber o que responder, vão começar a enrolar e falar coisas sem sentido, meu pai vai perceber e vai pressionar até elas falarem, e ele é o único que não sabe que nós estamos casados – Olho em seus olhos.

- Como você pode ter tanta certeza? - Ele me olha rindo. 

- Porque já aconteceu outras vezes - Ri - Sei bem como funciona.

- Eu te ajudo a limpar a bagunça, não se preocupe - Aperta minha perna e eu estremeço.

- Seria ótimo.

 

Fazemos o resto do percurso em silêncio, ele estaciona em frente a um prédio grande com janelas espelhadas.

- Pronta?

- Não! Você acha mesmo que temos chances? - O último não tinha me feito perder um pouco a confiança. Parece que quanto mais eu quero alguma coisa ela nunca acontece.

- Acho sim Morena, não se preocupe, eu vou estar do seu lado, se você for pega de surpresa em alguma coisa só aperte minha mão e eu vou tentar resolver - Ele sorri me passando confiança.

- Tudo bem, vamos – Agora é tudo ou nada.

 

Subimos 10 andares até uma grande sala de espera, falamos com a recepcionista, seriamos os próximos.

- Regina e Robin - Escuto a mulher nos chamar após alguns minutos - Vocês podem entrar.

Vamos em direção a porta, a sala era grande e no centro havia a mesa onde a assistente social estava sentada e duas cadeiras à sua frente.

- Olá muito prazer, meu nome é Hilary, sentem-se por favor - Ela nos indica as cadeiras - Regina e Robin certo? 

- Sim - Respondo estendendo a mão - Muito prazer - Robin faz o mesmo.

- Vou começar com algumas perguntas tudo bem?

- Claro - Robin responde firme.

- Vocês são casados? 

- Somos - Dizemos juntos. Faço questão de apoiar minha mão sobre a mesa para que ela perceba o anel e eu vejo que ela olha. Ponto pra mim.

- Vocês consideram sua situação financeira suficiente para providenciar tudo que uma criança precisa em seu desenvolvimento?

- Sim - Dessa vez eu respondo.

- Com o que vocês trabalham?

- O pai de Robin possui uma grande imobiliária, eles trabalham juntos e eu sou médica. 

- Vocês se consideram capazes de estar presentes no dia a dia da criança?

- Sem dúvida, como somos nossos próprios chefes temos uma agenda bem flexível - Dessa vez Robin toma a frente.

- E o que levou vocês a decisão de adotar e se comprometer com essa responsabilidade?

Gelei. A resposta certa seria porque eu não tinha um marido, mas na teoria eu tenho, o que eu vou responder? A única coisa que eu consigo pensar é preciso de ajuda. Pego a mão de Robin e aperto. Me ajuda por favor.

- Nós sempre fomos apaixonados por crianças e numa viagem para Rússia, quando nos casamos, vimos quantas crianças existem no sistema de adoção e precisam de um lar. Percebemos que para gente não havia diferença entre um filho nosso e um adotado, ele seria nosso do mesmo jeito, então a vontade de adotar surgiu, nós procuramos bastante a respeito e quando chegamos à conclusão que essa era coisa certa a fazer, nos sentimos preparados para esse novo passo e aqui estamos - Não pude deixar de me sentir aliviada, o que ele disse não era mentira, era uma verdade mascarada.

- Fico muito feliz em ouvir isso - Ela sorriu pela primeira vez desde que começou as perguntas - Agora vamos para a parte prática do processo. Vou entregar um questionário sobre a criança que vocês pretendem adotar, idade, características, para que possamos traçar um perfil e achar o filho perfeito para vocês. Mas lembrem-se, quando mais forem as exigências mais demorado pode ser o processo - Ela nos entrega a folha.

- Certo - Dizemos juntos.

- Eu vou deixá-los a sós por alguns minutos para conversarem e preencherem, depois eu volto para continuarmos - Ela sai da sala e encosta a porta, ficamos sozinhos.

- Ela foi muito gentil - Digo ainda um pouco tensa.

- Também achei - Ele aperta minha mão - Vamos responder?

- Sim.

- A primeira pergunta é sobre a idade desejada, você sempre fala em bebês, você quer um recém-nascido certo?

- Tudo bem para você?

- Claro Morena.

Não demoramos muito para terminar o questionário, como já havíamos conversado antes, não tínhamos muitas exigências, só queríamos um bebê saudável com algumas de nossas características.

Dez minutos depois Hilary volta a sala.

- Com licença, o tempo foi suficiente?

- Foi sim - Responde e entrego a folha de volta.

- Certo, como procuram um recém-nascido, normalmente nós fazemos um perfil dos pais e entregamos para gestantes que pretendem deixar seus filhos sob a guarda do sistema. Isso é uma forma de garantir para elas que seus filhos irão para uma família que elas consideram adequada. Existem duas formas de fazer esse processo, a adoção fechada, onde a mãe não terá sua identidade revelada e nenhum contato com vocês, consequentemente conhecerão o bebê somente após o nascimento e a aberta, onde as duas partes tem a chance de se encontrarem, conversarem e vocês até mesmo podem participar do acompanhamento médico se as partes concordarem e desejarem. Eu preciso saber qual dos dois é o mais adequado para vocês.

 

Eu olho para Robin e ele aperta minha mão, me deixa decidir, eu aperto de volta, também quero a opinião dele, é uma escolha importante.

- Talvez seja interessante poder conhecer e saber como é o nosso filho ou filha antes dele ou dela nascer - olho para Robin sorrindo - O que você acha querido?

- Sim achei essa parte muito boa, poder saber se está tudo bem com a gestação, possíveis complicações e também seria bom conhecer a mulher que vai nos dar esse presente - Ele parece feliz.

- Bom acho que temos nossa escolha - Sorrio para Hilary.

- Muito bem, vou deixar dessa vez uma folha para vocês preencherem com informações suas para que a mãe possa saber mais sobre vocês e ter algo para se basear na escolha ou talvez um possível encontro para que ela conheça melhor vocês. Também vou chamar Jimmy, nosso fotografo. Ele vai tirar algumas fotos e nós vamos anexar no perfil de vocês.

- Certo - Digo e mais uma vez ela nos deixa sozinhos.

- Viu não foi tão ruim assim - Robin sorri.

- Não acabou ainda - Sorrio nervosa.

- Acho que a pior parte já foi - Ele pega uma das folhas e começa a responder, eu faço o mesmo.

Assim que terminamos a porta se abre e um homem entra, deve ser o fotógrafo.

- Boa noite, meu nome é Jimmy, acho que Hilary já explicou sobre as fotos.

- Sim - Dizemos juntos.

- Por favor, vamos primeiro tirar de vocês separados, senhor...

- Robin - Ele aperta a mão do fotografo.

- Por favor Robin fique na frente da tela branca como achar mais confortável - Deu para ver que Robin não estava nada confortável.

Todas as fotos tiradas ele estava sério.

- Sua vez senhora.

- Mills, Regina Mills muito prazer - Cumprimento-o.

Vou até a tela branca, a primeira foto fico seria e na segunda sorrio.

- Perfeito, agora os dois juntos por favor.

Robin para ao meu lado e passa a mão por minha cintura e eu faço o mesmo na dele, a primeira foto é batida. Encosto minha cabeça em seu ombro e ele me abraça, sorrimos, e Jimmy tira a segunda foto. Ele se aproxima e nos mostra o resultado, ficou muito bom, melhor do que eu esperava. A que eu mais gostei foi a última.

- Jimmy, será que podemos levar uma cópia da última foto de nós dois? -Robin pergunta, pelo visto não fui só eu que gostei.

- Lógico eu imprimo uma cópia para vocês, já trago, foi um prazer conhece-los.

- O prazer foi nosso - Digo e ele se retira - Também gostei daquela foto - sorrio para Robin.

- Com isso eu percebi que nós não temos nenhuma foto juntos, seria legal ter alguma e aquela ficou muito boa.

- Verdade não temos nenhuma foto - falei pensativa.

- Uma pena que não fizemos um álbum de casamento querida - Ele fala brincando, eu ri.

- Bom eu não estava em condições de tirar fotos naquele dia né querido.

- Você ficou bem fora de orbita com a surpresa mesmo - Ele ri.

- Eu surtei, por favor tome cuidado com surpresas grandes que eu fico sem saber o que fazer - Digo seria.

- Certo, vou manter isso em mente para as próximas vezes - Próximas vezes???

Hilary interrompe nossa conversa.

- Bom eu acho que está tudo acertado - Ela pega as folhas - Jimmy pediu que eu entregasse essa foto a vocês - Ela entrega a Robin - Vocês fazem um casal muito bonito - Ela sorri.

- Obrigada - Respondo sem graça.

- Por hoje é só isso, acredito que o pedido de vocês será aceito, entraremos em contato nos próximos dias, quaisquer dúvidas podem ligar, eu estarei à disposição para o que precisarem - Levantamos, nos despedimos e deixamos a sala.

 

 

O caminho de volta é feito em silencio, só consigo encarar a foto que Jimmy tirou, nos realmente fazemos um casal bonito.

- Chegamos - Sou tirada de meus pensamentos por Robin.

Subimos e eu destranco a porta. Mal consigo entrar.

- Reginaa!! - Minha irmã histérica.

- Oi querida.

- Deixa eu veeer! - Ela corre em minha direção, eu olho Robin com cara de "eu disse"

Ela puxa minha mão com tudo.

- Meu Deus é ENORME! - Fala com espanto dando pulinhos - Tá de parabéns hein Robin - Pisca para ele.

- Filha! - Meu pai chega com uma cara não muito boa. Merda, ele sabe.

- Daddy - Chamo com carinho tentando suavizar a situação. Eu vou matar essas putas por me fazer passar por isso desse jeito e pior, na frente de Robin.

- Que história é essa de casamento? - Ele olha para Robin bravo, o sinto ficar tenso. Deve estar lembrando de quando eu disse que ele iria apanhar.

- Mamãe não te explicou? - Tento fugir.

- Ela tentou, eu quero ouvir de você.

- Bom - Pego a mão de Robin e o puxo para a sala onde meu pai está - Na Rússia o processo é mais simples para pessoas casadas, Robin me ajudou lá e acabamos casando antes do pedido ser negado, como eu ainda ia querer adotar ficou por isso mesmo.

- Que história é essa de anel gigante que sua irmã e Addie estavam surtando sobre? - Ele me olha curioso.

- Ah, no casamento não usamos alianças e hoje o Robin disse que podia ser uma boa ideia, e foi, a assistente social não tirava os olhos do anel - Estendo minha mão para que ele veja. Nessa hora minha mãe entra na sala.

- Que anel mais lindo! Escutei Zel e Addie falando - Ela sorri para Robin - Muito bom gosto querido - Ele sorri de volta, ainda estava tenso, meu pai não estava nada feliz.

- O que está acontecendo Regina, tem algo mais que você não está contando? Você anda com tantos segredos - Ele me olha com expectativa.

- Não Daddy, e não se preocupe com essa história de casamento, pense que talvez em alguns meses você vai ter um netinho ou uma netinha - Pego suas mãos - Acho que a entrevista foi muito bem - Tentei mudar o assunto - Não foi Robin?

- Foi sim - Ele tentou sorrir - Acho que a assistente gostou da gente, ela foi muito gentil.

- Vou ficar de olho em vocês - Meu pai disse desconfiado.

- Pai - Falei mortificada - Não tenho mais 15 anos.

- Para mim você vai ser sempre minha garotinha - Ele me abraça e olha feio para Robin - E os garotos tem que manter a distância - Só escuto Zelena e Addison rindo no fundo. Eu imploro não digam nada suspeito, já estou ferrada o suficiente. Mais uma palavra e meu pai é capaz de empurrar Robin pela janela do 96º andar.

- Bom eu acho que já vou indo, esta tarde - Robin fala sem jeito - Amanhã cedo eu pretendo visitar meu pai no hospital.

- Como ele está se sentindo querido? - Minha mãe pergunta preocupada - Regina me contou sobre a doença.

- Ele ainda não demonstrou estar piorando, mas tudo indica que é questão de tempo - Ele diz com os olhos tristes e eu apoio a mão em seu braço - Bom eu tenho que ir.

- Te levo até a porta - O acompanho e sinto os olhos de meu pai observando cada movimento.

- Nada de gracinhas - sussurro - Meu pai está olhando.

- Okay garotinha do papai - Ele ri e eu dou um tapa em seu braço.

- Fica quieto que a coisa está feia para o seu lado - Falo brava.

- Eu realmente achei que ele ia me bater - Ele riu nervoso - Você não tem ideia do quanto EU - Enfatizou - Estou agradecendo que não era ele na adega - Eu ri de seu desespero.

- Nem fale, teria sido catastrófico. Juro que não sei o que deu nele, ele sempre foi protetor, mas nunca chegou a esse ponto. Me fez parecer uma adolescente apresentando o primeiro namorado - Fico sem graça.

- Detalhe, nós já estamos casados - Ele riu - Tenho mesmo que ir Morena - Ele sorri triste.

- Tudo bem - Me aproximo e dou um beijo em seu rosto, olho de relance e meu pai ainda está observando - Se eles me contatarem eu te aviso, agora vai logo embora que daqui a pouco a fera aparece querendo saber porque você ainda está aqui.

- Tchau Morena - ele se vira e sai. Meu deus que vergonha, meu pai pirou de vez.

Volto para a sala.

- Achei um pouco exagerado pai - Olho seria.

- Não foi exagero coisa nenhuma, já tinha notado como ele te olha, mas até então vocês eram só amigos que tinham acabado de se conhecer e eu chego em casa hoje e descubro pela sua IRMÃ – Enfatiza - Que você se casou com ele depois de uma semana e vocês vão adotar um filho juntos. Isso é muito mais do que uma simples ajuda. Você sabe que vai estar ligada a ele para o resto da vida, não é? - Ele me olha acusador.

- Eu sei pai, e eu confio nele, sei que ele não vai pular fora sem dar uma explicação para a criança, pode parecer loucura, mas eu o conheço.

- E quanto a você? Vocês se dizem só amigos, então se daqui um ano ele aparecer com uma namorada vai estar tudo bem para você? - Fala desconfiado. Addie que estava passando engasga com a água.

- Nosso acordo foi que iriamos adotar um bebê juntos, nada além disso, tanto eu quanto ele podemos nos envolver com quem quisermos - Essa ideia me deu vontade de chorar, não sei se conseguiria vê-lo com outra e fingir que está tudo bem - Cansei desse assunto vou deitar - No caminho puxo Addison até meu quarto. Entramos e eu fecho a porta.

- Addie que merda foi que acabou de acontecer? - Apoiei as costas na porta e coloquei as mãos no rosto.

- Ele vê o que todo mundo se recusa meu bem - Ela me olha como se fosse obvio - Ele vê a tensão entre vocês, como vocês se olham. É questão de tempo até que ele descubra a verdade.

- Addie a verdade é ainda pior do que eu contei e ele já não está levando numa boa.

- O que está acontecendo entre vocês? - Dessa vez ela não está levando na sacanagem o que é uma surpresa.

- Nem eu sei. Não estamos juntos, pelo menos não em algo definido - Decidi me abrir, ela é minha melhor amiga e já sabe de tudo mesmo, então porque não?

- Ele andava passando a noite aqui, não é? - Voltou com o olhar malicioso.

- Algumas noites, mas não é um relacionamento, eu estou tão confusa - Olho perdida - Oficialmente estamos casados, para quem sabe da história somos só amigos e ocasionalmente a gente se pega, isso não é algo que eu possa contar ao meu pai, principalmente porque nem eu estou entendendo.

- Você não ia gostar nada dele com outra né? Deu pra ver pela sua cara.

- Eu não consigo suportar a ideia - Bufo frustrada.

- Você está apaixonada por ele? - Me olha animada.

- Ele virou minha cabeça no avesso Addie, apaixonada é pouco para o que ele me faz sentir - Não tenho coragem de olha-la nos olhos.

- Aiii eu sabia! - Ela corre e me abraça - Eu sei que ele se sente assim sobre você também MORENA - Ela enfatiza – Consigo dizer apenas pelo jeito que ele te olha, pelo jeito que ele se preocupa com você, sobre como ele disse que precisava ir embora e ficou um tempão com você na porta agora - Ela sorri sugestiva.

- Addie ele vai me enlouquecer - Ri nervosa.

- Agora me conta

- O que?

- Como é o sexo com aquele gostoso? - Fala safada.

- Aii Addie pelo amor - Tento escapar.

- Não, começou agora termina - Me puxa de volta

- Robin ainda vai me matar, ele consegue me excitar só me beijando, as vezes só de estar próximo demais já é suficiente, fora que não tem como não cair de quatro por aquele corpo malhado, os músculos definidos, os olhos claros penetrantes, a voz grave com aquele sotaque sexy – Suspiro -As vezes é difícil de controlar, principalmente com toda essa provocação que costumamos fazer nos leva ao limite. Ontem ele perdeu tanto o controle, nós nem chegamos a transar e ele ficou com medo de me machucar por ficar fora de si.

- Meu deus Regina que calor! - Ela se abana - Eu deixaria ele me machucar e eu ia gostar muito.

- Confio nele, não acho que ele vá me machucar, mas ele estava realmente preocupado, eu não esperava, não sabia o que dizer.

- Deixa rolar amiga, se ele passar dos limites você fala.

- Foi o que combinamos.

- Agora me diz, como não dizer que o cara está doido por você quando ele chega com um presente desses - Ela aponta para os anéis.

- Ele disse que foi só pela agência, mas não deixou de mexer comigo, são realmente lindos - Olhei para o meu dedo encantada.


Notas Finais


- Almoça comigo hoje? - Ele diz ainda meio perdido.
- Desculpa, já combinei com as meninas, vamos as compras - Suspiro - Vem aqui mais tarde - Falo provocante - Addie vai jantar com Killian e Zelena vai encontrar umas amigas - Falo acariciando seu peito encarando-o de forma sedutora - Eu posso pensar em um milhão de coisas que podíamos fazer nesse tempo.
- Ah minha Morena, pedindo desse jeito como eu vou dizer não? - Ele encara meus lábios com desejo - Porque você não tira essa camiseta agora hein? - Fala sugestivo.
- Porque se eu fizer isso não saio de casa hoje - Me aproximo e o beijo - Te vejo mais tarde

See you next week!!! XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...