História The Choice - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Barbara Palvin, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais, Selena Gomez
Tags Bieber, Gomez, Jelena, Justin, Livro, Romance, Selena
Visualizações 84
Palavras 744
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - "Pai Solteiro"


Fanfic / Fanfiction The Choice - Capítulo 14 - "Pai Solteiro"

Embora Justin não tenha mencionado por Selena, as meninas vinham enfrentando problemas.

Christine tinha perguntado mais uma vez se a mãe u m dia voltaria para casa. Apesar de Justin garantir que sim, a menina parecia insegura, provavelmente porque o pai também se sentia desse modo. Crianças costumam perceber essas coisas e, aos 8 anos, Christine estava começando a descobrir que o mundo não era tão simples quanto imaginava.

Era uma criança adorável, com luminosos olhos castanhos iguais do pai, que gostava de usar tiaras no cabelo. Mantinha o quarto em ordem e se recusava a usar roupas que não combinassem. Não tinha acessos de birra quando as coisas não davam certo. Era o tipo de menina que organizava os brinquedos ou escolhia o próprio par de sapatos. Lisa que sempre fora pequena para a idade, tinha o cabelo da mesma cor do de Selena e era uma menina alegre. Levava seu cobertor para onde fosse, e seguia Christine pela casa como um cachorrinho, porém, já havia algum tempo que chorava antes de dormir. Do andar de baixo, Justin podia ouvi-la pela babá eletrônica e por pouco não fazia o mesmo. Nessas noites, ele subia até o quarto das meninas - outra mudança depois do acidente foi que as duas quiseram dormir no mesmo cômodo - e se  deitava ao lado delas, afagando seus cabelos e ouvindo a caçula choramingar " Eu quero a mamãe"  sem parar, as palavras mais tristes que Justin tinha que ouvir. Quase emocionado demais para falar, ele simplesmente dizia:

- Eu sei, eu também.

Justin não conseguia ocupar o lugar de Selena, e nem tentou; o que restava, no entanto, era uma lacuna, um vazio que ele não sabia como preencher. Como a maioria dos pais, os dois tinham criado responsabilidades em termos de cuidado dos filhos. Agora Justin sabia que Selena assumira uma parcela de responsabilidade bem maior que a dele, e lamentava isso.

Havia tantas coisas que não sabia como fazer, coisas que Selena realizava com naturalidade. Coisas pequenas. Justin sabia pentear o cabelo das meninas, mas, em termos de tranças, só entendia o conceito, não conseguia dominar a prática. Não sabia a que tipo de iogurte Lisa se referia quando pedia " o azul, de banana".

Quando ficavam resfriadas, ele ia até o corredor da farmácia, examinando as prateleiras de xarope contra tosse, ponderando se comprava o de sabor uva ou cereja. Christine nunca usava as roupas que ele escolhia. Não fazia ideia de que Lisa gostava de usar sapatos com purpurina ás sextas-feiras.

O Natal foi o pior momento, pois era a festa favorita de Selena. Ela adorava tudo o que se referia á ocasião: a árvore, a decoração, assar biscoitos e fazer compras. Justin ficava surpreso em ver como ela mantinha o bom humor no meio de multidões frenéticas em lojas de departamentos, mas á noite, depois que as meninas já tinham ido dormir, ela pegava os presentes com uma vertiginosa sensação de prazer e os dois embrulhavam tudo para que Justin pudesse escondê-los no sótão. Não houve alegria nas festas do ano passado. Justin fez o melhor que pôde, forçando um entusiasmo que não existia. Justin não soube como reagir quando leu o primeiro item da lista de desejos das duas: "mamãe". Não dava para substituir aquilo por um novo videogame ou uma casa de bonecas.

As visitas eram difíceis, pois não sabiam o que dizer nem como se comportar. Justin entendia aquilo e tentava tornar a coisa mais fácil. " É só conversar', dizia ás duas, e elas tentavam, mas as palavras se desfaziam quando não havia resposta. Em geral, quando visitavam, Justin pedia que levassem presentes - pedregulhos bonitos que encontrassem no jardim, folhas, cartões-postais caseiros enfeitados com purpurina. Mas mesmo esses objetos era carregados de incertezas. Lisa deixava o seu presente próximo á mão de Selena e se afastava; um momento depois, se aproximava da mãe. Em seguida, reunia tudo em cima da mesinha do quarto. Christine, por sua vez, não parava quieta. Sentava na cama ou ficava em pé junto da janela, olhava o rosto da mãe de perto, e não dizia uma palavra durante todo o tempo.

- Como foi na escola hoje? - perguntou Justin na última visita. - A mamãe quer saber tudo o que voces tem feito.

Em vez de responder, Christine virou-se para ele:

- Por que? - perguntou, com um tom de fria contestação. - Voce sabe que ela não pode me ouvir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...