História The Chosen - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Exibições 294
Palavras 2.438
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, meus amores! Espero que estejam todos bem. <3
Hoje eu trouxe um capítulo que eu amei escrever, amei pensar nele e amei tudo. KPODKAOPKO Ele já estava pronto, mas só pude atualizar hoje.
Leiam as notas finais, porque tenho um aviso importante a dar.
Beijinhos e boa leitura <3

Capítulo 43 - Receptacles


Fanfic / Fanfiction The Chosen - Capítulo 43 - Receptacles

O clima frio incomodava meus braços descobertos, fazendo-me arrepender de ter saído de casa sem uma jaqueta ou qualquer coisa que me protegesse contra a baixa temperatura. Eu olhava inquieto para o relógio em meu pulso, imaginando que quando eu chegasse à minha casa já seria recebido pela cara de choro dela, que por sinal era a coisa mais bela que eu já havia visto em toda a minha vida.

Após longos minutos caminhando consegui chegar e abri a porta, mas a casa estava escura, provavelmente todos haviam saído e a deixado em meu quarto, e sem pensar duas vezes corri pelas escadas e vi a luz escapar pela pequena fresta da porta do meu quarto. Eu parei, sorridente, em frente ao mesmo, mas antes de abrir ouvi um barulho que eu já conhecia muito bem.

A cama batia contra a parede de meu quarto, rangendo, os corpos suados se chocavam com força, a voz masculina soava rouca enquanto dizia coisas insanas para ela e seus gemidos tomavam conta do quarto, mesmo que não fossem altos.

Eu empurrei a porta devagar e me deparei com a pior cena que eu desejaria ver. Taehyung, meu próprio irmão, estava transando com a minha namorada.

Eu agarrei o cabelo dele e o joguei do outro lado do quarto, e eu desconhecia aquela força, mas a raiva era tanta que eu não conseguia me controlar. Ela imediatamente começou a chorar e a se explicar, dizendo ainda me amar.

Ah, querida, como o amor é belo.

Eu a agarrei pelo longo e macio cabelo, encharcado pelo suor, e o puxei para fora da cama, arrastando-a pelo corredor enquanto ela se debatia. A voz dela, tão bela e suave, gritava pela ajuda de meu irmão, mas ele apenas a ignorava, rindo de sua situação.

Ah, querida, meu nome fica bem melhor que o dele na sua voz.

Eu a joguei no chão da sala e acariciei seu rosto pálido e delicado, banhado pelas lágrimas, lágrimas que apenas deixavam-na ainda mais bela.

- Jimin, por favor... não!

Ah, querida, até implorando fica linda.

Agora entendo o porquê de meu irmão ter tirado a sua pureza.

Tão bela.

O sangue dela banhava minhas mãos conforme eu perfurava seu frágil corpo, conforme eu cortava a macia pele, conforme eu me deliciava com o prazer que seu desespero e sua dor me proporcionavam.

Então, vendo-a sem vida em minha frente, sorri.

Ah, querida, eu sempre soube que você era linda por dentro.

 

Quando as lembranças invadiram a minha mente pude ouvir os gritos e o choro dela, que me apertava com força em seus braços. Agora eu conseguia entender o motivo da minha dor. Ela sempre esteve ali, ao meu lado. Eu tentei toca-la, mas ela desapareceu tão rápido quanto surgiu e eu me levantei, tendo minha mente completamente atormentada pelo desespero e pelas lembranças da minha maldita adolescência.

A dor que senti há anos me preencheu e eu chorei, chorei a ponto de soluçar e fazer minha cabeça latejar, então a porta do meu quarto bateu com força e eu direcionei meu olhar à Sophie que me encarava sorridente, novamente com aqueles olhos verdes que ela não possuía. Sua pele pálida e suas expressões fortes me hipnotizaram e eu apenas permiti que meu corpo paralisasse quando nossos olhares se cruzaram. Em minha mente ideias absurdas corriam, e a única imagem que permanecia era a da minha morte.

Não consegui lutar contra aquela vontade e apenas me levantei como ela insinuava. Ela olhou para o banheiro e sorriu quando viu a banheira cheia de água, e eu apenas concordei, seguindo sem questionar até o local, então apenas me joguei dentro daquela água fria, afundando minha cabeça o máximo que consegui.

O ar falhava e a agonia imensa me fazia debater contra a água que me prendia, e por mais que eu já estivesse consciente de meus atos eu não conseguia sair dali, era como se eu estivesse preso por uma força que vai muito além do que eu imaginaria. Eu me debati ainda mais quando eu a vi agarrada a mim. A minha doce namorada estava repousada em meu peito, não me permitindo sair dali, e então, vendo-a, eu deixei que o momento me levasse, deixei que o doce sabor da morte invadisse a minha alma, e quando eu estava prestes a perder minha inútil vida, Sophie puxou-me para fora da banheira e o ar pareceu esfaquear meus pulmões frágeis, e quando consegui me recuperar, ela sorriu.

- Que isso lhes sirva de aviso. O tempo está acabando, Park Jimin.

E ela desapareceu de minha vista. Damara estava nos cobrando de algo que eu nem ao menos sabia o que era, algo que confundiu ainda mais minha mente.

Eu sabia que o tempo estava acabando, mas por que aquilo não parecia ser a nossa salvação?

 

JungKook

 

EunJi andava de um lado para o outro, inquieta, em um silêncio atormentador o suficiente para irritar até a mim, a pessoa mais calma que alguém já conheceu. Eu fui até ela e a obriguei a parar de caminhar, então ela direcionou seu olhar ao meu e eu percebi algumas lágrimas se formarem.

- Você poderia, por favor, explicar o que está acontecendo?

- A Carla não está aqui, certo?

- Não, ela viajou para resolver alguns assuntos e trazer o que é necessário para ajudar a Sophie. Diga-me logo o que está acontecendo.

- Algo estranho aconteceu noite passada enquanto eu dormia. – Ela estava tremula e olhando para todos os lados, mas mesmo assim prosseguiu: - Eu sonhei com algo horrível. Taehyung se jogou da sacada, como os pais. Jimin tentou afogar a si mesmo, como os pais. Hoseok tentou se enforcar, como seus pais. Yoongi incendiou o próprio quarto, como os pais fizeram. Jin tentava matar uma família inocente, como fizeram com os pais dele. NamJoon e Sophie torturavam a si mesmos após matarem toda a família. E você... – Ela caiu em prantos ao parar em minha frente. – Eu estava levando você para o inferno, JungKook. E o pior é que quando eu acordei eu vi cada um daqueles malditos Demônios parados em volta de mim. Cada um deles, JungKook.

- Você tem certeza de que os viu?

- Claro! O tempo está acabando, JungKook. Lúcifer está cobrando o contrato, ele quer aquelas almas a todo custo e não esperará mais. A Damara já está tomando conta da Sophie e eu tenho certeza de que está acontecendo algo naquela casa. Nós precisamos ir até lá.

Ela não precisou dizer mais nada para eu concordar com sua proposta, então a puxei para fora de casa e nem ao menos me preocupei em trancar a porta, mas quando chegamos ao lado de fora, Yoongi nos esperava ao lado de uma bela garota. Os cabelos ruivos esvoaçavam e ela estava séria, tanto quanto Yoongi, que logo nos empurrou para dentro outra vez.

- Aonde está a Carla? Precisamos conversar.

- Ela está viajando. O que aconteceu?

- A Sophie fez o Taehyung tentar suicídio. – Yoongi nos respondeu irritado, e naquele instante EunJi voltou a chorar. – Essa garota é uma antiga amiga do Jin e sabe de muita coisa que pode nos ajudar a esclarecer todas as dúvidas que tínhamos. Anna, conte a eles o que acabou de me contar.

- SooYoung está fazendo tudo isso para livrar a própria alma do inferno. Em troca da alma de todos vocês ela se libertará. Esse é o real motivo para tanta confusão. O Demônio fez um acordo com ela.

- Que novidade. – Acabei rindo, mas Anna permaneceu séria.

- Esse acordo é ainda mais importante do que qualquer outro. Os favores que ele fazia a ela estavam tomando proporções muito grandes e ele se cansou, e mesmo que ela já soubesse que precisava entregar os dois filhos prometidos, ele pediu por mais. Ele quer cada um de vocês, JungKook, e se ele não os tiver até o final deste mês, ela morrerá e estará condenada ao inferno. Vocês já sabem que ela matou os pais de cada um de vocês, sabem que ela vendeu suas almas e sabem de boa parte da história, mas o que vocês não sabem é que se ela não conseguir o que quer, se nós conseguirmos fazer cada um deles mudar e se arrepender de seus pecados, poderemos libertar vocês. A cobrança começou e a SooYoung sabe muito bem disto, por isso não está aqui, porque morreria.

- Ela voltará no último dia do mês. – Yoongi continuou.

- O famoso dia das bruxas? – Perguntei a ele, cruzando meus braços.

- Sim. O dia da morte da Damara.

- O aniversário da Sophie. – EunJi sussurrou com a voz tremula e me encarou. – Se é o aniversário dela e a Carla sabia, por que ela não está aqui nos ajudando?

- Isso é o de menos agora, tia. – Yoongi revirou os olhos e olhou para a Anna. – Conte o restante.

- O destino de cada um já está traçado. Cada um morrerá de acordo com seus traumas. Os irmãos já começaram a mostrar os primeiros sinais. Taehyung tem uma ligação muito forte com a Sophie e já começou a mostrar alguns desvios, já que segundo o Yoongi, há algumas noites ele estava planejando fazer algumas vítimas, coisa que ele não fazia há meses. Jimin está ficando ainda mais perturbado. A depressão do Hoseok está o atacando novamente. Yoongi voltou a beber. O Jin também estava começando a ficar perturbado como em sua infância, mas hoje ele se mostrou completamente diferente. A Sophie conseguiu fazer toda a dor dele desaparecer por um momento. Ela havia feito o mesmo com o Taehyung, mas depois que ele foi marcado, tudo voltou ao que era antes, por mais que ele ainda a ame. Yoongi não faz mal a ninguém desde que se juntou a ela e o Hoseok abriu mão de seus medicamentos, mas enquanto a Sophie está os ajudando, Damara está os afundando. Vocês entendem o que eu quero dizer?

- Nós precisamos do perdão e do arrependimento e a Sophie é a única que pode nos conceder isso, mas ao mesmo tempo o que ela guarda pode nos matar.

- Ela não matará até que o contrato finalize. – EunJi comentou rapidamente. – Temos menos de um mês para conseguir que seus irmãos se arrependam e peçam perdão de joelhos aos céus, então precisamos falar com eles.

- Não. – Anna balançou as mãos. – Se contarmos a eles, com certeza, eles nos matarão por ir contra a família.

- Afinal, Anna. – Eu chamei a atenção dela e ela me encarou. – Que relação você tem conosco?

- Isso é irrelevante agora, a única coisa que precisam saber é que a minha alma foi vendida pela SooYoung por um engano, e mesmo que eu não queira, estou ligada a vocês. Eu não tenho demônios, não tenho anjos, não tenho espíritos ao meu lado e não sofro possessões, mas eu tenho um dom maravilhoso e domino a magia tão bem quanto o Jin. Eu quero ajudar vocês, JungKook.

- O que faremos agora?

- Eu tenho algo que pode interromper as possessões da Sophie por alguns dias, ela conseguirá se controlar, mas precisaremos fazer o mesmo com o NamJoon, porque além de destinados ao inferno, eles são receptáculos um do outro.

- Receptáculos? – Perguntei.

- Quando duas pessoas nascem destinadas a ficarem juntas, chamamos de receptáculos. Tudo o que um sentir, o outro também sente. Se a Sophie se machucar, a dor afetará o NamJoon de alguma forma. Se a Sophie sofrer uma possessão completa, NamJoon também sofrerá, e então vocês podem imaginar o caos que acontecerá. Se as almas deles juntarem-se ao mesmo tempo, um matará o outro. É isso o que acontecerá no último dia. Damara e Alcander possuirão os corpos para o qual foram destinados e farão o caos até ambos estarem mortos, mas para isso, a força de vocês também fluirá, e nesta redoma de energia, todos morrerão, resultando na libertação das almas daquele casal.

- Não há como evitar?

- Se eles não se arrependerem, o único modo de quebrar o contrato é se um deles morrer e o outro permanecer vivo.

- Isso é ridículo! Não podemos matar nenhum deles. – EunJi gargalhou, mostrando certa irritação.

- Receptáculos, jamais, ficarão vivos enquanto juntos. É por isso que sempre que eles dois se encontram algo ruim acontece, mas por sorte algo sempre consegue salva-los.

- Eles são o que? Almas gêmeas? – Eu acabei rindo, mas parei quando Anna juntou minhas mãos com a de EunJi.

- Receptáculos são como almas gêmeas, e como elas, nunca terão um final feliz. – Ela suspirou e forçou um sorriso. – Um matará o outro, como manda a lei espiritual. Vocês já ouviram essa história antes, não é?

 

- Kookie, você acredita em almas gêmeas? – EunJi perguntou.

- Nunca pensei sobre isso. E você acredita?

- Passei a acreditar quando te conheci. – Ela riu, acariciando meu peito.

- Falando assim até parece apaixonada por mim.

- Idiota. – Ela gargalhou e ficou em silêncio logo em seguida.

- Dizem que almas gêmeas não podem ficar juntas, assim como dizem que os Guardiões da Morte guiam as almas de seus irmãos para o inferno. Talvez sejamos mesmo almas gêmeas.

- E como almas gêmeas, eu amo você.

- Eu também, EunJi. Eu também.

 

EunJi voltou a chorar, provavelmente se lembrou do mesmo que eu, da nossa conversa de algumas noites atrás. Ela apertou minha mão e Anna tocou o ombro de Yoongi enquanto nos direcionávamos para fora de casa, em silêncio.

O inferno estava subindo à terra e eu sabia que se nós não corrêssemos, nos queimaríamos no fogo dele.

Agora nos restavam dezoito dias, quatrocentas e vinte e nove horas e quarenta e oito minutos para o fim do contrato. Para o fim de nossas vidas e para o fechamento dos portais.

 

Damara foi uma famosa e poderosa bruxa da Idade Média. Junto ao seu companheiro, Alcander (muitos diziam que ele era o próprio Lúcifer), fez da terra o inferno.

Em vida foram tão ruins que os fiéis à Igreja Católica acreditavam que eram o caminho que Lúcifer trilhava para chegar à terra e guiar os povos ao pecado.

Quando julgados e queimados, suas almas caminharam ao lado do Demônio, e desde então não conseguem ter o tão sonhado renascimento.

Eles servem ao Mestre e cobram suas dívidas em troca da “Libertação”.

Suas almas descansarão quando forem substituídas pelo amor e pelo pecado em união.

Quando humanos são possuídos por esses demônios o caos acontece, a dor domina e o arrependimento adormece.

Eles não se alimentam, apenas vagam afoitos à procura do perdão.


Notas Finais


Por hoje é só, amores. Espero que tenham gostado e caso não tenham entendido algo pode deixar nos comentários que eu esclareço as dúvidas! <3
E quanto ao aviso:
É com muita dor que eu aviso que a fanfic está quase no final ;; não sei se ela terminará até o final do mês, que é o que eu pretendo, ou até o final do ano, dependendo do meu tempo. Agora as coisas começaram a ficar mais tensas e haverão bastante tretas dshuaadshu, mas também momentos meigos q. Não sei quantos capítulos serão até o final, tudo depende da minha imaginação e inspiração, e como eu quero terminar ela para logo começar a reescreve-la como um livro, provavelmente postarei mais de um capítulo no dia. Ou seja, se eu sumir por um tempo é porque estou juntando capítulos para postar em um só dia, podem ser dois, três ou quatro, vai depender do que eu já tiver pronto. :3
Bem, acho que por enquanto é só isso. KDPSKPODSK
Ah, obrigada aos 200 favoritos e aos comentários MARAVILHOSOS que sempre me motivam e me emocionam. ;-; Sem vocês eu seria nada. sz

Beijinhos e amo vocês. Até o próximo. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...