História The Chosen Ones - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Akhlys, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Atlas, Bianca di Angelo, Bóreas, Butch Walker, Calipso, Caronte, Charles "Charlie" Beckendorf, Chris Rodriguez, Cimopoleia, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Cronos, Dakota, Dionísio, East, Éolo, Éris, Eros (Cupid), Febe, Frank Zhang, Frank Zhang, Frederick Chase, Geras, Gleeson Hedge, Grover Underwood, Gwendolyn "Gwen", Hades, Hazel Levesque, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Hiperíon, Hylla Ramírez-Arellano, Íris, Jano, Jápeto, Jason Grace, Jason Grace, Júniper, Katie Gardner, Leo Valdez, Luke Castellan, Malcolm, Miranda Gardiner, Mitchell, Nêmesis, Nico di Angelo, Niké (Nice), Oceano, Octavian, Octavian, Paul Blofis, Percy Jackson, Perséfone, Personagens Originais, Phobos, Piper Mclean, Piper McLean, Pollux, Poseidon, Prometeu, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Tique, Travis Stoll, Treinador Gleeson Hedge, Tyson, Will Solace, Zephyros, Zeus, Zoë Nightshade
Tags Amigos, Aventura, Colegial, Drama, Família, Jasiper, Mitologia, Os Herois Do Olimpo, Percabeth, Percy Jackson, Romance, Solangelo
Visualizações 9
Palavras 1.069
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Olá :3
Sentiram minha falta?
parei q-q, desculpe a demora.
Mas é bem melhor demorar para postar um capítulo do que fazer mal feito, não é?
Espero que gostem do capítulo e
Boa leitura <3

Capítulo 8 - Espíritos do vento nos atacam.


POV Rayn

Depois de algum tempo, que gastamos conversando com Erick, começou a chover fortemente, então decidimos que seria melhor procurarmos esse tal acampamento que Alyssa mencionou.

Descobrimos também que o mortal era de uma família brasileira, foi interessante. Ele cantava e tocava muito bem, poderia até confundi-lo com um filho de Apolo, porém ele jurava que era apenas um mortal normal:

- Quanto tempo falta para nós chegarmos? - perguntou Marye, observando o por do sol. 

- Provavelmente daqui uns 10 minutos. - disse Lyla, observando o mapa que Erick tinha nos dado. De acordo com ele, o garoto iria nos ajudar nessa missão, ele também estava a procura dessa pedra, que, pelo visto, não era a fonte de vida de apenas um espírito, porém de vários.

Continuamos a caminhar calmamente, apenas sentindo as gotas da chuva que começaram a ficar mais calmas. Isso é bom, água é nutriente para várias plantas, ao ver a natureza se evoluir, isso acaba me deixando mais forte também:

- Ugh, estamos andando faz horas, e nada. - indagou-se Alyssa.

Marye pareceu pensativa por um tempo, apenas encarando o garoto dos olhos âmbar:

- Se vocês quiserem, eu posso voar um pouco, e tentar avistar algum lugar para passarmos a noite.

- Ou eu posso fazer algumas cabanas com os recursos que tem aqui, eu sou bom na sobrevivência quando o assunto é o ar livre. - digo, olhando ao meu redor.

Todos me olharam, curiosos e meramente surpresos:

- O que? Como acham que eu sobrevivi todo aquele tempo fora de casa? - digo, caminhando na direção de uma das árvores que havia ali. - Alguém pode me levantar para eu subir ali e pegar algumas folhas?

- Eu faço isso. Apenas preciso de água. - comentou Lyla, olhando a sua volta.

- Sério? Você não anda com garrafinhas de água em seu bolso? - disse Alyssa, retirando umas três garrafas de água de seu cinto.  - Segure-se, grandalhão.

***

POV Erick

Alyssa era realmente boa em manusear a água, era normal para um filho do deus do mar.

Eu bem que gostaria de ser um semideus, porém eu tinha certeza de que não era um. Não me encaixo com a personalidade de nenhum deus. É triste, no entanto, devo agradecer, a vida deles não deve ser fácil.

Enquanto Rayn construía nossas cabanas, eu decidi caminhar um pouco, apenas sentindo as poucas gotas da chuva caírem em meu corpo, eu já estava encharcado, sorte que trouxe algumas roupas de reserva. 

Confesso que estava com medo de encarar essa missão sozinho. Os pesadelos que eu tive não eram nem um pouco leves. 

Sento numa pedra, perto do mar. O cheiro salgado invade minhas narinas, já pensei na possibilidade de ser um filho de Poseidon... era o mais provável. A brisa marinha em meus cabelos negros, e a vista... era maravilhosa. Me lembro dos dias em que apostava corrida com meus amigos, eu era conhecido como o veloz, por ganhar sempre. Eram bons tempos. Porém um dia, alguns cães infernais apareceram e eles sumiram. Sim, não faz sentido, só que é a realidade. Essa foi a única vez que algum tipo de monstro apareceu para mim:

- Pensando na vida, humano? - disse alguém, colocando a mão em meu ombro.

Me viro para ver quem era e me deparo com Marye. Ela estava com seu cabelo negro preso em um coque. Seus olhos estavam focados no oceano, as ondas eram altas e fortes essa noite, ela usava uma calça jeans preta, rasgada nos joelhos, e um moletom preto. Seus pés descalços afundavam na areia:

- Sim. Nas boas memórias. - digo, encarando seus olhos negros. - São lindos.

Ela me olha , confusa e com os braços cruzados, posso ver sua face esquentar.

Eu realmente falei isso em voz alta?

- Ér... n-n-não, q-quero dizer... e-esquece. - digo. Droga Erick! Precisa gaguejar?

Ela solta uma risada mínima, passando a me encarar. Anda em minha direção e se senta ao meu lado, suas poucas sardas dão um realce na sua pele, fica mais bonita.

Olha ele bancando o apaixonado!

Coro com meu pensamento e desvio seu olhar, não antes de deixar um sorriso bobo escapar de meus lábios:

- O que são lindos? - disse, olhando para a areia em seus pés.

- Seus olhos. - digo, fazendo um montinho com a areia.

Ela abre um sorriso, o mais lindo que eu já vi na face da terra. Seus dentes são perfeitos e...

ERICK! CHEGA.

Afasto esse pensamento. Eu não posso estar me apaixonando por ela, não é? Nem nos conhecemos direito:

- Como foi sua infância? - pergunto, tentando quebrar o clima que estava se manifestando.

Vejo que ela estremeceu um pouco e que seu sorriso desapareceu de sua face, há desespero em seu rosto. 

Marye encara a areia, fazendo um sorriso com os dedos:

- Foi bem ruim, para ser sincera. E a sua?

Ela me encarava como se estivesse olhando o fundo de minha alma, é... estranho, porém bom. Será que é pelo fato dela ser filha de Tânatos?

- A minha? - apenas de lembrar do passado, já me deixa meio depressivo. - Foi horrível. A maioria das pessoas dizem para aproveitar a infância, pois você é criança apenas uma vez na vida. Tudo o que eu queria era ser um adulto e poder viver do meu modo. Minha vida era horrível, eu tinha vários pesadelos e coisas do tipo. 

- Você já pensou no fato de que poderia ser um semideus? Um escolhido, talvez. Os escolhidos têm pesadelos todas as noites, e não são nem um pouco bons.

A encaro, um pouco confuso, vejo que há um pingo de esperança em sua voz:

- Eu nunca atraí monstros, desde meus 12 anos até os 16. 

- Você tem 16? Uau! Nem parece. - disse, encarando meu rosto, surpresa. 

Concordo com a cabeça, deixando um sorriso mínimo escapar de meus lábios.

Iríamos continuar sua conversa, se um grito, não de medo, mas sim de guerra, fosse soltado por, provavelmente, Alyssa:

- ATACAAAAAAAAAAAAR! 

Nos olhamos, com a testa franzida. Sinto sua mão puxar meu braço e correr na direção do grito:

- Pegue seu arco! - gritou Marye, brandindo sua espada.

- Quais são os atacantes? - pergunto, me desajeitando com o arco e a aljava.

- Espíritos do vento, de acordo com Alyssa, foram enviados de Éolo. - respondeu Rayn.


Notas Finais


YEY!
ataques e mais ataques, nossos semideuses só se ferram q-q
Espero que tenham gostado :3
Comentem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...