História The Chosen Ones - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Akhlys, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Atlas, Bianca di Angelo, Bóreas, Butch Walker, Calipso, Caronte, Charles "Charlie" Beckendorf, Chris Rodriguez, Cimopoleia, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Cronos, Dakota, Dionísio, East, Éolo, Éris, Eros (Cupid), Febe, Frank Zhang, Frank Zhang, Frederick Chase, Geras, Gleeson Hedge, Grover Underwood, Gwendolyn "Gwen", Hades, Hazel Levesque, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Hiperíon, Hylla Ramírez-Arellano, Íris, Jano, Jápeto, Jason Grace, Jason Grace, Júniper, Katie Gardner, Leo Valdez, Luke Castellan, Malcolm, Miranda Gardiner, Mitchell, Nêmesis, Nico di Angelo, Niké (Nice), Oceano, Octavian, Octavian, Paul Blofis, Percy Jackson, Perséfone, Personagens Originais, Phobos, Piper Mclean, Piper McLean, Pollux, Poseidon, Prometeu, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Tique, Travis Stoll, Treinador Gleeson Hedge, Tyson, Will Solace, Zephyros, Zeus, Zoë Nightshade
Tags Amigos, Aventura, Colegial, Drama, Família, Jasiper, Mitologia, Os Herois Do Olimpo, Percabeth, Percy Jackson, Romance, Solangelo
Visualizações 8
Palavras 1.115
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Oi pessoas!
aqui está mais um capítulo para vocês :3



Boa leitura 💙

Capítulo 9 - Sou levada para uma caverna sombria.



POV Alyssa

Enquanto estávamos lutando, eu notei alguma coisa estranha, diferente e familiar, no ar. Não sei o que era exatamente, mas parecia algo como uma essência, sim, isso mesmo, como se estivesse um cheiro de hortelã com maçã. Estranho, porém é a realidade.

Perdida em meus pensamentos, não notei um espírito passar voando por mim, me contornando e atacando com rajadas de vento incrivelmente fortes. Balanço minha cabeça e pego minha espada, puxo uma adaga que tirei de meu bolso e joguei para trás, na direção em que o vento estava me jogando, olhei para aonde a arma estava voando e ela parou presa numa árvore. Pulei, deixando o vento me levar, era gelado e desconfortável, porém não era tão ruim. Estiquei meu braço e segurei a adaga, a ventania parou na mesma hora, não por causa de mim, mas sim, pois Rayn prendeu o espírito com vinhas e folhas, o monstro de debateu, e quanto mais o fazia, mais o garoto apertava, até que ele se desfez em pó.

Tirei minha adaga e me sentei num dos galhos, a árvore era muito grande e eu deveria ir com calma, se não quisesse morrer.

Desci, pulando de galho em galho, até alcançar o querido chão, vou até Rayn:

– Muito bem, garoto natureza, obrigada.  - digo, dando um soquinho em seu ombro. Ele sorri com o apelido idiota que dei, mas, logo aponta para um penhasco que havia ali, Marye estava no mesno, lutando e se debatendo loucamente para escapar de uma ventania enorme. Estranho, esse espírito parece bem mais forte do que os outros, eu consigo sentir, bem no fundo, porém consigo:

– Temos que ajudá-la! - gritou Erick, que estava vindo em nossa direção, colocando uma de suas flechas no arco. 

Acenamos com a cabeça, olho em minha volta, como poderíamos ir até lá?  

A água, imbecil! Tem um mar um pouco mais abaixo.

Puxo os garotos pelo braço, na direção do oceano que havia ali, era bonito e reconfortante, o azul do mar, as enormes ondas que se formavam e acabavam bem no começo da areia, o cheiro salgado:

– Vocês dois podem subir lá, em cima daquelas rochas, quando eu disser já, vocês pulam que irei levá-los até o penhasco, entenderam? - eles acenaram com a cabeça. 

– Mas, como você vai? Vai gastar muita energia sua se levar a gente até lá, e ainda tem você. - comentou o filho de Deméter, dei um sorriso para ele, indicando que eu ia dar um jeito. 

– Apenas subam. 

Erick puxou Rayn pelo braço, já que ele estava abrindo a boca para reclamar, pelo menos alguém aqui me ouve, eles esqueceram quem é que manda aqui?

Olhei para o mar e me concentrei o máximo que pude, o ambiente em minha volta pareceu perder a cor e o som, só conseguia ver o azul do mar e o barulho das ondas:

– Já! - gritei, na mesma hora puxei um monte de água e levei na direção dos garotos, com minhas mãos firmes. Eles pularam, caindo nas águas, se o momento não fosse tão sério, eu estaria rindo da água molhando a cara do mortal, enquanto Rayn apenas tentava parar sentado.

Os levei, com a maior rapidez que pude, logo eles acenaram com a cabeça, indicando que chegaram e eu desabei no chão, era uma distância enorme, minhas energias estão esgotadas. Vejamos, como posso subir lá em cima? Todas as coisas, os garotos levaram. Não há mais nada nosso aqui embaixo. Eu preciso subir lá para continuarmos a missão.

Talvez se eu chamar minha guardiã... Kamira... 

É a única opção, daqui a pouco eu vou desabar no chão e eles necessitam de mim, eu sou a única que conheço Chara o suficiente, eles iriam morrer se eu não estivesse presente.

Dou um longo assovio com os dedos, apenas sentido a brisa do mar batendo em meu rosto, junto com o cheiro salgado invadindo minhas narinas, parece que eu recuperei um pouco de minha energia.

Ouço um bater de asas, perfeito, ela veio na forma certa.

Você não deve estar entendendo nada, não? Irei explicar.

Os escolhidos, que no caso somos nós, possuímos um guardião, eles aparecem no momento certo, quando você mais precisa de ajuda, porém, quando você aprende a chamar o guardião, ele até você. Os guardiões podem se transformar em qualquer tipo de animal, assim fica mais fácil para ele vir até a pessoa que precisa proteger. No meu caso, Kamira, veio em forma de Pégaso.

Vejo o enorme cavalo com asas voando em minha direção, sua pelagem é azul clara, ficando linda a luz da lua, o mar sempre reforça a sua força e energia. Ao chegar aqui, faço carinho em sua nuca e crina, como ela é linda. 

Subo em cima de suas costas e levanto vôo. Consigo sentir a brisa batendo em minha face, meus cabelos ficam voando para lá e para cá, conforme a velocidade. Um frio percorre por minha barriga, a adrenalina corre solta.

Quando chego lá, agradeço mentalmente a Kamira, que responde com um relincho e levanta vôo, desaparecendo no céu escuro da noite:

– Pare de olhar para seu Pégaso e venha aqui logo! - gritou Lyla, me tirando de meus pensamentos. Ela me puxou pelo braço e saiu correndo na direção do espírito. O que ela pensa que está fazendo?

– Lyla! Não! - gritei. Porém ela não me escutou, antes que eu possa fazer alguma coisa, sinto que estou sendo envolvida por algo.. olho para baixo e estou completamente bem, minha visão fica turva e minhas pernas tremem, desejando cair. Meus pulmões imploram por oxigênio novo, porém eu não consigo respirar, tento gritar, nada sai de minha boca.

De repente, eu desmaio, não sabendo o final da história.

***

Acordo num chão molhado e frio. Um arrepio percorre meu corpo ao tocar o piso, é gosmento. Onde eu estou? Não me lembro de nada, apenas de minha irmã pulando em cima do espírito, ela é idiota ou o que? Não pode pular em cima desse tipo de monstro! Você passa direto por ele, e sente uma coisa muito ruim, é como se você estivesse no polo norte, só que sem roupa, completamente nu.

Abro meu olho lentamente, piscando para me acostumar ao ambiente, está mal iluminado, porém faz mal ao meu olho. 

Meu tapa olho dói, pelo menos o local inteiro está dolorido, como se estivesse passando um ferro extremamente quente ali. 

Olho em minha volta, estou numa caverna... estranho, ela me é familiar. Há uma entrada, meu subconsciente diz " Corra! " , porém, eu sinto que devo entrar, há algo que me chama, pedindo por ajuda cada vez mais alto. 

Seja lá onde eu estou, tem alguém que necessita de ajuda ali dentro.

Sem hesitar, me levanto e com passos firmes, na direção da caverna.


Notas Finais


Mistério ;3
Essa fanfic eu não posto muito, já que é necessário muita criatividade para produzir algo que chame a atenção q-q
Comentem ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...