História The Circus - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson
Tags Ashley Benson, Ficção, Pll, Tyler Blackburn
Exibições 13
Palavras 1.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura!!

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction The Circus - Capítulo 2 - Capítulo 2

Bella:

Acordo cedo para ir para o circo acompanhar o dia do pessoal de lá. Coloco uma roupa fresca e confortável, ajeito o cabelo e faço uma maquiagem leve. Ao sair do quarto, dou de cara com Melissa, com uma cara de morta.

- Ah, ai está você! – minha irmã diz assim que me vê.

- Mel, mil desculpas! Não deu mesmo para eu ir.

- Nem me importo mais com isso Isabella. Você sempre se importou somente com suas coisas, não vai ser agora que vai mudar.

- Mel, não seja injusta. Sempre me importei e muito com você. Te ajudei, te apoiei. Mas agora eu preciso do seu apoio, também preciso crescer na minha carreira.

- Não vamos discutir sobre isso agora. Não vai adiantar mais. – ela respira fundo e eu assinto – Já vai sair?

- Sim, tenho trabalho a fazer.

- Então tá. Bom dia! – ela diz e manda um beijo no ar.

- Bom dia Melissa. – respondo e então saio de casa.

Quando chego ao circo, a primeira pessoa que vejo é o indelicado do Theo.

- Bom dia patricinha! – ele diz, com aquele sorriso debochado no rosto.

- Bom dia. – respondo desanimada.

- Vejo que hoje veio mais adequada para um dia no circo. – ele diz dando uma checada em meu corpo. Nada discreto!

- Pois é. – respondo desanimada novamente.

- Qual é gatinha, não precisa ficar assim comigo. Eu sou legal! – ele diz se aproximando de mim.

- Não é o que parece. – digo me afastando dele.

- Ah mas eu sou. Não vai demorar e você vai estar caidinha por mim – diz sorrindo cafajeste.

Começo a rir e digo:

- Vai sonhando! Pelo visto quem está caidinho por mim aqui é você!

- Quem disse que você faz meu tipo?

- Você me parece daqueles que não tem tipo. – ele arqueia as sobrancelhas e ri.

- Atrevida você hein!

- Digo o mesmo de você. – digo com ar vitorioso.

Nesse momento, Catarina e Guga chegam e ela fala:

- Pelo visto vocês já estão se dando bem! – se aproxima de mim e dá um abraço – Bom dia querida!

- Bom dia! – respondo sorridente – E eu não diria que estamos nos dando bem.

- Mas logo irão se dar! – diz Guga – Pois será o Theo que irá mostrar tudo pra você.

PUTA QUE PARIU!

Theo sorri de orelha a orelha e diz:

- Isso vai ser muito divertido! Vamos loirinha? – ele diz me dando um braço.

- Detesto que me chamem de loirinha. – digo, cruzando meu braço no dele.

- Pois então Loirinha, o que você quer conhecer primeiro?

Reviro os olhos. Ele está gostando de me irritar.

- Você podia me mostrar tudo primeiro e depois dividimos por partes.

- Sim senhora! – ele bate continência e eu sorrio. – Viu, consegui te arrancar um sorriso! 1 a 0 pra mim.

- Você é sempre assim ou o problema é comigo? – pergunto.

- Infelizmente o problema é com você. Fica uma gracinha irritada.

Reviro os olhos novamente e pergunto:

- Você vai me mostrar as coisas ou não?

- Vem, vou te apresentar pro pessoal.

Então eu e Theo passamos algum tempo só conhecendo as pessoas de lá. São muitas pessoas e todos muito simpáticos. Aqui no circo existem desde crianças até pessoas idosas e todos desempenham alguma função. É muito bonito de ver a união de todos aqui.

Depois de conhecer todo mundo e entender como acontece a divisão, vamos todos almoçar. Nunca me imaginei numa situação dessa e até que está sendo divertido.

- E então Bella, gostando do nosso circo? – pergunta Rick, irmão de Theo.

- Tô adorando! O clima aqui é adorável! – olho para o lado e vejo Theo rindo – Algum problema?

- Nenhum Loirinha, só acho engraçado o modo como vocês falam. – responde.

- Vocês quem? – pergunto confusa.

- Patricinhas. – responde e eu reviro os olhos.

- Você não vai parar de implicar comigo não? – pergunto cansada.

- Estou adorando implicar com você gatinha. – diz Theo pegando em meu queixo enquanto eu bufo.

- Ih, já vi tudo! – diz Rick rindo de nós dois.

- Viu o que? – pergunto

- Vocês dois ai... – o rapaz responde e eu reviro os olhos.

- Vocês dois nada. Ele só sabe implicar comigo e olha que nem me conhece.

Olho para o lado e Theo continua rindo.

- Não entendo o motivo de tanta risada.

- Relaxa Loirinha, você é muito estressada! – Theo diz.

- Eu sou até calma demais!

Terminamos de almoçar e então Theo me leva para assistir seu treino. Fico sentada na arquibancada enquanto ele fica tentando me mostrar seus dotes de malabarismo.

- Vem cá Loirinha, sua vez de tentar. – ele diz acenando para que eu me aproxime.

Vou até ele, que me entrega duas bolinhas.

- Vamos lá, quero ver se você consegue. – me olha desafiador.

Tento fazer qualquer coisa com as bolinhas, mas elas caem no chão. Tento novamente e nada.

- Desisto, eu sou péssima! – digo me rendendo.

- Péssima é apelido! – Theo diz rindo, enquanto pega as bolinhas e começa a jogar para  o alto. Aos poucos ele vai acrescentando mais bolinhas e não deixa nenhuma cair.

- Isso já é humilhação! – digo rindo e ele para.

- Você fica mais bonita quando está rindo. – solta Theo sorrindo.

- E você deve falar isso pra todas. – rebato e ele ri.

- Você não me conhece Bella.

- Ei, você me chamou de Bella. Agora sim, ponto pra você! – falo animada enquanto ele ri.

- Até que você não é tão chata assim Loirinha. – ele diz e eu sorrio.

- Até que você não é tão insuportável Senhor Cara de pau. – ele sorri e então um silêncio constrangedor paira no ar e eu fico super sem graça.

- Então Loirinha, o quer fazer agora? – Theo pergunta para quebrar o clima.

- Eu queria muito ver a sala dos palhaços. Roupas e tal. – falo animada

- Você parece uma criancinha quando fala assim – fala sorrindo.

Mando língua para ele, que ri e me leva até a sala onde ficam as coisas dos palhaços. Ao chegar lá, encontramos Guga se arrumando para o espetáculo de mais tarde:

- Olha quem está ai! – diz ao me ver – Como está sendo seu primeiro dia no circo Bella?

- Muito bom! Estou adorando! – respondo animada.

-Também com um guia desses, não tem como não gostar! – diz Theo, apontando para si e todos riem. Já nem ligo para as brincadeiras dele, percebi que é sua marca registrada.

 – Vai ficar para o espetáculo de hoje à noite? – pergunta Guga voltando a se maquiar.

- Hoje não. Tenho uns trabalhos pra fazer. – olho no relógio – Por falar nisso, já está na minha hora.

- Já? – Theo pergunta.

- Sim. Mas amanhã de manhã estou de volta. Não vai dar tempo nem de você sentir minha falta. – digo bagunçando os cabelos de Theo, que ri afastando minhas mãos.

- Já te disse que você é muito abusada? – ele pergunta.

- Só hoje, umas mil vezes. – respondo rindo. – Tenho que ir. – digo me levantando – Até amanhã. – dou um abraço um tanto quanto desajeitado em Theo e então volto pra casa.

 

Theo:

Observo a porta se fechar e Bella ir embora. Para uma patricinha até que ela não se saiu mal hoje. É bem mais simpática e divertida do que eu imaginava, apesar de ser bem atrevida, não que eu não goste disso, mas ela me enfrenta de um jeito que nenhuma outra fez. Minha cabeça chega a girar ao pensar nas coisas que essa mulher deve ser capaz de fazer...

- Terra chamando Theo. – Guga diz me tirando do devaneio. – Deixe-me adivinhar... – ele dá um sorriso de lado – Estava pensando nessa loira linda que acabou de sair daqui?

- Não estava pensando em nada...

- Aham, sei. – ele ri – Te conheço Theo. Já está caidinho pela Bella não é?

- Eu não estou caidinho por ninguém. Só estava pensando em como ela não é tão chata como eu pensei que era.

- Hm. E a baba escorrendo ai no seu queixo é só por causa disso? – ele gargalha, enquanto passo a mão no queixo involuntariamente.

- Agora entendi o porquê de você ser palhaço. – digo debochado – Vou me arrumar para o espetáculo, até mais tarde.

Saio da sala e vou até meu trailer começar a me arrumar. Levo um susto ao entrar e me deparar com Lia sentada em minha cama. Lia é minha amiga, fomos criados juntos. O problema é que ela nutre uma esperança de nos tornarmos mais que isso, tivemos um rolo, mas não passou e nem vai passar de sexo.

- O que você tá fazendo aqui maluca? – pergunto assustado.

- Só vim conversar com você – ela diz se levantando e vindo em minha direção. – Você passou o dia inteiro com aquela loira oxigenada, nem me deu atenção. – diz passando a mão em meu peito e eu logo me afasto.

- E porque eu deveria te dar atenção? – pergunto indo em direção ao meu armário, procurar o figurino.

- Ah, você sabe né... – diz ficando atrás de mim.

- Não sei. – respondo curto e grosso.

- Qual é Theo? – Lia começa a acariciar minhas costas, subindo vagarosamente para meu pescoço – Porque você tá falando assim comigo?

- Lia – viro-me de frente pra ela – Hoje não. Não estou afim. Se puder me dar licença, agradeço.

Lia revira os olhos e diz:

- Ai, tá bom. – vai saindo do trailer, mas para e diz – Vamos ver se aa tal da loira vai servir para o que você quer. Aposto que logo vai voltar implorando por mim. – se vira e vai embora.

Dou um suspiro alto e então começo a me arrumar para o espetáculo de hoje.

(...) 


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Voltem sempre!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...