História The Coffee Boy - Capítulo 26


Escrita por: ~

Visualizações 172
Palavras 2.791
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura :')

Capítulo 26 - Chapter Twenty-Six


                                                                      Margot Turner

 

Por mais que eu não desejasse o dia passou devagar e sem o Justin, de verdade por mais que eu tentasse era difícil entender as malditas mudanças de humor que o loiro tinha. Quase nunca sei quando estou fazendo a coisa certa e quando consigo vou lá e simplesmente estrago, é complicado, também nunca pensei que seria ao contrário.

Eu sinto tanta vontade de socar sua cara quando ele faz isso comigo, quando faz parecer que o que temos não tem valor algum deixando tudo de lado, pedindo para mim esquecer e por último sumindo. Mas isso também é coisa de alguns segundos porque quando vejo aqueles olhos que por horas ficam vagos quando não estamos juntos acabo ficando amena e é difícil não perdoa-lo.

Se quer saber nunca entendi como pra ele é fácil ir e voltar, talvez ele saiba que se ir ele vai saber que vai me ter de volta. Tenho certeza que devo mudar essa situação, não quero que isso continue acontecendo, eu o amo e se ele sente o mesmo por mim não devia fazer o que sempre faz.

— Mar? Está ai? Margot! — Camila estralou seus dedos a frente de meu rosto repetindo meu nome pela quinta vez tentando chamar minha atenção.

— Oh... Desculpe — sorri — Estava pensando demais...

— Ah eu percebi, era no Justin? — fez uma cara óbvia elevando sua sobrancelha.

— Sim, como sabe?

— Ah Mar... — Mar foi o apelido carinhoso que Camila deu á mim, nem pude evitar e em tão pouco tempo todos já estavam me chamando assim — Cinquenta por cento dos seus pensamentos são ligados a sua irmã e os outros cinquenta são ao Justin, então como vocês não estão se falando é óbvio que você está pensando em como ele está e se ele vai voltar, estou certa?

— Está — concordei rindo do seu raciocínio — Ele é confuso Camila, eu já nem sei mais o que devo fazer, sempre erro e ele também.

— Relaxa ele volta é o típico do Bieber, quer saber o que eu acho?

— Quero, o que?

— Para de ser boba e começa a fazer o mesmo, é simples você dá muita abertura pra ele.

— Tem razão Camz, só é difícil...

— Não! — me interrompeu — Não é difícil Margot, isso só tá acontecendo porque você deixou, desculpa a sinceridade, mas amiga você está sendo boba demais... Você é muito apaixonada e pode até perceber que ele está te fazendo um tanto mal, mas vai negar a si mesma porque quer ele acima de tudo e tem certeza que o amor perdura, mas ás vezes o amor cega as pessoas. É bom amar, é bom sentir toda essa loucura com outra pessoa, mas só é ruim quando isso acaba se tornando algo complicado pros lados, se torna um relacionamento dificultoso e pode doer mais do que te fazer feliz compreende? Ele explode com você sem um motivo especifico, ele age como se não fosse seu namorado e isso é ridículo.

— Ma...

— Não, não tente protege-lo, pense — suspirou fazendo uma cara como se quisesse me fazer entender tudo o que pensava, mas no fundo eu sabia que ela estava certa — É o que você sente que acima de tudo está em jogo, tenha um pouco de amor próprio Turner, você vai ver o quanto isso vai te fazer bem... E não me leve a mal, as vezes dizer não a pessoa que você ama é um modo de fazer as coisas darem certo.

— Eu nem sei o que te responder, você tem razão e nada que eu disser vai mudar isso. Já entendi que eu dou muita liberdade pro Justin ir e vir, e que eu deveria... na verdade tenho que ser mais dura com ele porque ele me mágoa e eu não faço nada além de desculpa-lo e assim ele vai fazer a mesma coisa sempre, estou cansada disso.

— Só faça o que o seu coração mandar.

— O problema tá ai, eu faço o que ele manda e é sempre a mesma coisa — suspirei — Ele me mandar perdoar Justin.

— Ah... — disse pensativa tentando achar um solução — Faça então o certo, deixo o coração um pouco de lado mas não completamente — sorriu delicada.

— Camila só você mesmo — acabamos rindo com a situação, Camila era legal, uma ótima amiga na qual eu sabia que podia dividir tudo o que precisasse, eu podia confiar nela e em Anne, as duas são sinceras e me entendem — Será que vai demorar muito até a próxima sessão de fotos?

— Bem eu não sei, os meninos estão ocupados com as "Angels" do agência — disse revirando os olhos.

— Como assim? Luise me chamou para a sessão e disse que queria conversar comigo também, mas vejo que estamos atrasadas.

— Bem, você não sabe mas essas "Angels" que eu digo são as garotas mais prestigiadas da agência e quando estão aqui não gostam de esperar. Elas quase nem ficar por aqui, depois que foram lançadas no mundo da moda só viajam, não é diferente com a gente mas...

— Acho que entendi, será que a gente vai poder ver elas?

— Creio que sim — a morena deu de ombros, provavelmente não querendo continuar o assunto se ocupando com as revistas que estavam no centro da pequena mesa da sala de espera.

Dito suas palavras ouvimos alguns barulhos de pessoas conversando e um grupo se formou no corredor, aonde nós estávamos já havia algumas das outras meninas que modelavam também, uma delas eram Keith, Bethany, Rosie e Malia. Devia ter mais meninas, mas ás vezes a agência enchia e outras ficava vazia, já estava meio que pegando o jeito da coisa, logo eu que pensei que ficaria a vida inteira atrás de um avental servido café. Não desmerecendo meu trabalho porque eu gosto do que faço, mas nunca imaginei isso para mim.

Continuando, o grupo de meninas que havia se formado não era unicamente de meninas. Tinha chegado pouco tempo depois o moreno que eu tenho certeza que o reconheceria a dois metros longe de mim. Zayn estava com a sua jaqueta tipica e o cabelo como sempre gostava de usar, eu sorri lembrando da última vez que saímos e como era uma coincidência vê-lo ali.

Na verdade não era bem uma coincidência porque ele é amigo de Luise, então não seria motivo de tanto espanto encontra-lo aqui. No entanto ele não pareceu me ver, parecia entretido dando em cima da ruiva, esbelta que era muito bonita por sinal. 

Realmente o moreno não perdia seu tempo, ri comigo mesma, também, Zayn não era um homem de se jogar fora, inteligente, sedutor e um bom ombro amigo, era difícil não dar boas risadas com o mesmo, isso acabava por fim me fazendo lembrar de Justin e o motivo dos dois não se darem bem.

Todavia isso é o que menos importa, naquela roda eu vi que conhecia aquela mulher de costas para mim, sabia que mesmo sem ter visto seu rosto podia reconhecer por trás, pensei um pouco e confirmei quem era quando a mesma virou seu rosto para trás em um gesto rápido de ver quem estava ali e tive a certeza que era Loren.

Senti meu estômago revirar, por que raios ela sempre está aonde eu estou? Já não bastava andar grudada com Justin, agora até aqui, bufei e vi Camila me olhar curiosa.

— Que foi Mar? — disse ela foleando uma revista sobre moda.

— Olha disfarçadamente ali — Camila olhou disfarçada e eu continuei — A morena.

— Loren?

— Sim, você há conhece?

— Quem não?!

— Que droga — revirei os olhos — Não é possível que essa cidade seja tão pequena!

— Pequena não é, as pessoas que gostam de frequentar os mesmos lugares — disse debochada — Ela é ex do Justin, sabia né?

— Infelizmente sim, não é possível que ele tenha pegado todas de Nova Iorque — esbravejei.

— Todas eu digo que é exagero mas daqui da agência foi a metade.

— Camila como assim?

— Olá meninas, Camz os meninos já estão esperando você lá na sala — antes que ela respondesse mal percebi que Luise estava na minha frente sorridente e bem arrumada, como sempre.

Lancei um olhar á Camila como se quisesse saber mais detalhadamente sobre Justin ter ficado com "todas" da agência, ela sorriu entendendo.

— Olá, sim claro estou indo obrigada — Camila disse se despedindo e indo até a sala de fotos.

— Oi Luise.

— Margot tenho novidades para você — avisou se sentando ao meu lado.

— Sério? — perguntei surpresa.

— Sim, apresentei seu book a uns agentes e adivinha? Temos um desfile para você marcado semana que vem, o tempo é curto mas garanto que a gente consegue te ensinar o básico.

— Não brinca! Como isso é possível?

— Você é linda e talentosa, eles gostaram de você.

— Eu nem sei como te agradecer só sei que estou muito feliz, qual é o tema?

— Bem é uma marca nova de roupas de banho, vai ser super tranquilo, primeiro o ensaio de fotos e depois a passarela. Não vai ter problemas com o Justin né?

— Não... — tenho certeza que se Justin estivesse ouvindo isso ele diria que sim, eu pousar para uma marca de roupas de banho é o cumulo para ele mas ele não está então não há problemas — Obrigada por ser tão generosa comigo.

— Magina você merece, agradeça ao Zayn que se não fosse por ele eu não a conheceria.

— O que vocês estão dizendo sobre mim? — disse o moreno aparecendo a nossa frente com aquele sorriso de orelha a orelha.

— Eu estava dizendo que ela tem que agradecer a você por ter apresentado ela há mim — Hanna respondeu.

— É, obrigada Zayn, admito que você é um ótimo amigo — agradeci o moreno retribuindo seu sorriso.

— Amigo? — repetiu fingindo frustração — Viu Hanna porque eu fico tão triste? Ela só me vê como amigo — fez biquinho.

— Zayn deixa a menina, ela namora — Luise riu e eu balancei minha cabeça com aquela cena.

— Com um idiota.

— Não fale assim dele Zayn — o reprimi — Eu amo ele.

— Como pode? — suspirou — Enfim, onde está ele?

— Ele não pode vir...

— Então eu te espero e te levo para casa.

Não pude contestar, ele já estava sentado no sofá a minha espera então fui depois fazer uma nova sessão de fotos que foi divertida até. Depois disso saí da sala de fotos acompanhada de Zayn, fomos porta a fora da agência, já estava escuro e as luzes da cidade iluminavam as ruas movimentadas.

Andávamos lado a lado da calçada passando por lojas e prédios, Zayn me fazia rir e ás vezes esquecia que estava triste por Justin, se não fosse o moreno passando dos limites dando em cima de mim quando visse "abertura" estaria tudo certo, mas nada que algumas chamada de atenção não resolvesse.

— O que acha de amanhã ou depois irmos no mesmo bar?

— Ah eu não sei...

— Vai Margot, para comemorar, você me deve essa em — fez novamente um bico e uma cara de pidão.

— Não sei... — pensei, ele fazer uma cara séria apenas esperando minha resposta — Ah tudo bem — no mesmo instante que aceitei vi um sorriso agradável  transparecer em seus lábios, continuei não podendo evitar um sorriso — Só me dê o seu numero que eu confirmo — Zayn pegou meu celular digitou salvando seu contato — Obrigada — sorri.

— Seu sorriso é lindo demais...

— Zayn, por favor!

— Tá bem — o moreno disse parando a minha frente, levantando as mãos aos ares como se estivesse se rendendo — Parei agora!

— Sério? — franzi meu cenho.

— Não, que tal um beijinho?

Revirei meus olhos e acabei rindo Zayn ficou me olhando vidrado como se tivesse algo de errado comigo.

— O que foi? — mexi no meu cabelo pensando que tivesse algo nele.

— Não é nada com o seu cabelo — soltou um riso anasalado — Viu que eu posso te fazer rir? Posso te fazer esquecer o Justin, quando está comigo nem se lembra que ele existe.

— Zayn não é bem assim, você é meu amigo e me faz de fato muito bem, por que sempre toca no assunto do Justin? 

— Tá. Tem razão esquece, você pode me achar um bobo mas pelo menos te faço bem e sorrir — passou o polegar na minha bochecha e piscou.

— É, você é um amigo incrível.

— Para de me chamar de amigo, isso machuca o meu coração.

— Por que?

— Porque você sabe que eu não quero ser só o seu amigo.

— Mas você sabe que  é só isso o que nós somos e seremos, não é?

— Infelizmente sei, mas não me chame assim por favor a realidade dói — Zayn pareceu falar sério e fez uma cara triste mas se não fosse o seu sorrisinho no canto dos lábios eu iria acreditar.

— Então como quer que eu te chame? 

— Me chame de seu amor.

— Zayn...

— Tudo bem, de bebê.

— Por Deus Zayn! — cai na gargalhada e ele ficou parado sem entender — Céus, está falando sério?

— Muito — piscou uma, duas, três vezes e continuou sereno.

— Tudo bem, você que sabe bebê.

— Estou me...

O moreno não terminou e eu não continuei a prestar a atenção no que ele estava prestes a terminar de falar, parei tudo para olhar o carro que tinha parado ao nosso lado, meu coração bateu com tanta força quando o vi ali e abaixar o vidro do carro.

Justin me olhava fixadamente, senti tanta vontade de ir até ele, mas por um momento lembrei-me que devia um pouco de amor próprio para mim mesma, então sem dar passos até o carro me vi firme com os pés no chão o encarando.

— Droga...

Ouvi Zayn murmurar isso e ficar me olhando como se eu não devesse ir lá e nem falar com ele. Ficamos alguns minutos nos olhado com toda aquela tensão pelo clima que tinha criado, sabia que a presença de Zayn era incomodo para Justin ambos não tinham um tipo bom de empatia e eu odiava pensar que  isso era por minha culpa.

— Margot será que você pode vir até aqui? — Justin perguntou com a sua voz, sua doce voz calma que fazia meu coração acelerar quando era ouvida — Por favor.

Eu queria ir, eu já estava quase indo mas não podia, fiquei firme.

— Não acho uma boa ideia — respondi seca ainda olhando em seus olhos, meu peito apertou quando vi sua carinha.

— Por que não?

— Porque como pode ver Zayn está me acompanhando.

— Ah — ele olhou para Zayn e pareceu mais desapontado — Tenho certeza que o Zayn não vai se importar se você vir até aqui, preciso falar com você.

— Eu não quero Justin.

— Não quer?

— Cara você ouviu ela? — Zayn meio que gritou impaciente — Dá para deixar ela em paz?

— Quem você pensa que é Malik? — Justin disse saindo de dentro do carro e parando na frente do moreno — Acha que pode decidir algo sobre a minha namorada só porque está acompanhando ela? — disse debochado.

— Eu não sei Bieber mas você não pensa, você deveria estar fazendo isso, é tão bosta que nem presta pra acompanhar a namorada — Zayn falou com desdem e nojo.

Só vi quando o moreno levou um murro na boca e o sangue começou a escorrer, do nada já estava no meio dos dois tentando evitar que aquilo não passasse de um soco.

Coloquei minhas mãos sobre o peito de Zayn o afastando, olhei para ele que estava com o cenho franzido, ele tentou ir para cima de Justin mas não deixei, ele pareceu entender e ficou no mesmo lugar. Estava com a mão sobre a boca machucada que sangrava, tirei ela dali com delicadeza para ver o ferimento só que não podia ter noção do corte mas só por estar sangrando já sabia que não estava nada bom.

Imediatamente virei para olhar Justin que estava com uma cara nada boa, depois daquilo tive a certeza que deveria ter para evitar esse tipo de desastre, eu odiava vê-lo daquele jeito doía em mim, doía mais ainda em saber que eu tinha que mandar ele entrar daquele carro e ir esfriar a cabeça. Infelizmente depois de ter partido para a agressão ele acabou perdendo a razão se é que tinha uma.

— Justin vai embora por favor, a gente conversa depois pode ser?

— Não eu quero agora! — sua voz estava falha parecia que ia chorar.

— Justin você machucou ele, tem que ir por favor, estou pedindo...

— Você não me ama mais? — perguntou atordoado.

— É claro que eu te amo e se você sente o mesmo vai embora agora, depois a gente conversa.

Ele ficou quieto me olhou no fundo dos meus olhos e saiu entrando no carro desnorteado dando partida. Quando me dei conta tinha algumas pessoas em volta mas isso nem importava, me virei olhando para Zayn. Pobre dele que nem tinha nada haver com isso e acabou levando um murro, fui até o mesmo o abraçando.

— Pensei que vocês estivessem bem... — envolveu seus braços envolta do meu corpo.

— Tudo o que eu mais queria — murmurei decepcionada.


Notas Finais


Até o próximo :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...