História The Color Of Your Eyes - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Fugaku Uchiha, Hashirama Senju, Hyuuga Hiashi, Inochi Yamanaka, Izuna Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kakashi Hatake, Ko Hyuga, Madara Uchiha, Maito Gai, Minato "Yondaime" Namikaze, Mitsuki, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Shikaku Nara, Shisui Uchiha, Tobirama Senju, Tsunade Senju, Yamato, Yondaime Kazekage, Zetsu
Tags Abo, Hashimada, Jiraoro, Lactação Masculina, Mpreg, Tobizuna
Visualizações 503
Palavras 4.083
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello! Dando um "oi" estilo Adelle! Morrendo de sono! Mas uma boa notícia vem aí. ..
O próximo tem lemon! Ehhhh!



Boa leitura!

Capítulo 9 - Capítulo 9


Fanfic / Fanfiction The Color Of Your Eyes - Capítulo 9 - Capítulo 9

O ômega moreno tremia de modo suave mas ainda sim demonstrava seu nervosismo diante de sua primeira declaração. O alfa loiro achava o moreno à sua frente estranho, sempre tão sério, tímido e às vezes frio, e esse moreno acaba de se declarar para sí.

O alfa já estava acostumado a lhe dar com esse tipo de situação, afinal, era um alfa solteiro, de boa família e índole e ainda tinha aquela parte financeira que sempre interessava os interesseiros. Mas Minato admitia que Fugaku não parecia nem um pouco interesseiro, o ômega estava com as bochechas coradas e seus cabelos negros caíam sobre seu orbes ônix, tão pretos quanto a escuridão, olhos que expressavam tudo como um espelho que reflete a alma.

_N-Não vai dizer nada...?_Se Minato não fosse um alfa de linhagem pura não teria ouvido o sussurro mas tinha claramente escutado, Fugaku estava pronto para se virar e sair correndo para provavelmente se debulhar em lágrimas quando estivesse só ouviu algo que lembraria para o resto da vida.

_Desculpe mas meus instintos clamam por outra pessoa, e você é... Um pouquinho estranho... Quer dizer! E-Eu não sei bem lidar com essas situações e tal e também não quero te mago-..._Fugaku estava alheio ao que o alfa dizia, Minato lhe achava... Estranho? Mas o que tinha de errado consigo?

Fugaku se perguntava todos os dias, talvez, seja porque o ômega gostava de roupas largas ou porque era tímido demais. Quando a oferta de casamento apareceu, o ômega não hesitou em aceitar, afinal, ninguém lhe queria...

Era melhor um casamento arranjado do quê ficar sozinho para o resto da vida...












_Anda logo vadia, estou atrasada!_Fugaku revirou os olhos se contendo para não jogar um Amaterasu naquela puta aproveitadora.

_Estou indo, Oh grande Mikoto!_Debochado o ômega colocou o prato com o café da manhã da alfa na frente da mesma.

_Olha as confianças que eu nunca te dei, vadia gorda. Espero que essa porra esteja boa, seu inútil. _Fugaku se virou e seguiu em direção à cozinha, se ela soubesse o quanto o ômega tinha cuspido naquela comida até o garfo teria nojo de entrar ali.

_Mamãe? _Ao ver Itachi já pronto para ir à academia e do seu lado um Sasuke sonolento Fugaku sorriu ternamente, era apenas por aqueles dois anjinhos que Fugaku ainda aturava Mikoto. _Quer que eu dê banho no Sasuke?

_Não querido, obrigado. Coma seu café, já já eu volto, e seu otouto e eu vamos te levar à academia, tudo bem?_Itachi assentiu e se sentou na mesa para comer.

Fugaku não sabia como Mikoto podia desprezar aqueles dois anjinhos. Quando Mikoto ficara grávida através da inseminação artificial não cuidava nem da própria saúde imagine a dos filhotes? Madara, seu irmão mais velho tivera que intervir para que Mikoto fizesse o pré-natal. A alfa sabia que só estava no poder por estar casada com Fugaku, e por isso ameaçava o ômega constantemente para que o mesmo não pedisse o divórcio.

Mikoto vinha desviando dinheiro do clã, fazia várias coisas por debaixo dos panos, e agredir tanto emocionalmente quanto fisicamente Fugaku, era uma delas. Madara estava ocupado demais com a família dele para perceber algo, e Fugaku raramente aparecia nas reuniões familiares. Mikoto sempre aparecia sozinha com uma desculpa esfarrapada.

Até então as únicas pedras em seus sapatos eram Orochimaru e Nagato que andavam sondando o terreno, aparecendo aleatoriamente em sua casa e Fugaku ainda tinha a ousadia de deixa-los entrar, mas quando Fugaku tentava contar algo Mikoto ou alguns de seus homens apareciam atrapalhando completamente os planos do ômega.

Então Mikoto agilizava todo seu esquema de corrupção porque era questão de tempo até todos descobrirem, já fazia seis anos que estava conseguindo driblar Madara e Izuna. Mikoto sabia que deveria tomar cuidado, mas estava mirando nas pessoas erradas...

Pois Fugaku estava agindo...


_Ande logo com isso, inútil. Tenho meu horário. _Mikoto disse olhando de modo superior para Fugaku, o ômega terminava de arrumar os filhos.

Fugaku ajeitou sua roupa e garantiu que não estava esquecendo nada antes de entrar no carro de Mikoto. O ômega se sentou no banco de trás junto com os filhos, o silêncio era incômodo, nem seus filhos gostavam da alfa.

Chegando em frente a academia Fugaku desceu do carro, Mikoto não esperou nem um minuto e assim que o ômega desceu foi embora. O ômega suspirou contrariado, estava se segurando para não matar aquela vaca nojenta.

_Mamãe, o nariz do Otouto tá vazando._Itachi às vezes parecia um adulto e isso chegava à assustar.

_Ah, pegue a toalhinha dele na bolsa pra mamãe? _Fugaku ajeitou o filho que acabara dormindo em seu colo e limpou o rosto do pequeno, distraído não reparou nas pessoas atrás de si até um vulto loiro passar correndo ao seu lado e derrubar seu primogênito com um abraço, totalmente destrambelhado.

_Tachi!_A voz infantil gritou causando certa dor de cabeça no ômega  mais velho.

_Não corra Deidei, vai se machucar!_Itachi repreendeu.

_Deidara!_A voz rouca conhecida fez Fugaku estremecer, desde aquele maldito dia que resolvera se declarar a Minato, o ômega evitava o alfa durante todos aqueles seis anos!_Não saia assim, menino! Quer me matar do coração!?

_Desculpe papai!_O loirinho parecia envergonhado, Fugaku acabava de descobrir que Deidara era filho de Minato, não que não estivesse óbvio mas Deidara nunca falara o nome do pai.

_Ah, tá tudo bem beb-... Fugaku? _O Uchiha quase se mata ali na frente da escolinha de seu filho, que falta de sorte! O ômega estava morrendo de vergonha e suspeitava que estava no caminho para uma crise de asma.

_Olá Minato-san. _A face do ômega estava inexpressiva mas em seu interior imaginava como seria se saísse correndo, exatamente como seis anos atrás.

_É você mesmo?_A voz de Minato parecia incrédula, talvez, só talvez o ômega tenha engordado e não ligava muito para moda ou roupas. A cara era a mesma de seis anos atrás, até a altura! Mas o ômega parecia que não se cuidava...

_Sim, desculpe mas eu preciso ir, estou atrasado!_Fugaku já ia dar no pé, não que o Uchiha estivesse fugindo mais ficar ao lado do alfa ainda doía.

A ferida ainda estava aberta...

_Espere! Faz tempo que a gente não se vê, aceita tomar um café? _O Uchiha estava pronto para dizer não mas quando olhou em volta, Itachi já tinha entrado para a escola e estavam sozinhos ali. Merda!

_Não acho uma boa idéia, acho que você não gostaria de ser visto comigo. Com licença. _É, Fugaku foi sarcástico e enquanto andava em direção à sua casa pensava na merda de vida que tinha.

Não demorou muito tempo até o ômega reparar que estava sendo seguido por uma carro branco e aparentemente caro, parando de andar Fugaku esperou que o alfa descesse do carro para perguntar.

_O que foi agora?_Fugaku queria ir embora, não queria encarar aqueles olhos, os mesmo olhos que tinha se apaixonado e amado por toda a sua adolescência e até agora, ainda amava mas tinha consciência que nunca conseguiria nada com o alfa.

_Não precisa falar assim comigo, se ainda está magoado por aquele dia eu já pedi desculpas, e além do mais eu era meio idiota._O Uchiha o olhou com uma cara que dizia "Sério?"._Só achei que seria bom a gente tomar um café ou sei lá, almoçar.

_Nada que venha de você será bom pra mim, Minato. Acho que seria prudente você ir embora, já estou perdendo a paciência. _O ômega só queria chegar em casa, se trancar no banheiro e chorar como uma garotinha sem que ninguém veja, isso é pedir demais?

Antes que Minato respondesse o ômega, Kushina gritou Minato, a ruiva segurava seu filho mais novo. Quando a ômega chegou perto dos dois lhe olhou como se fosse um inseto, Oh Kami realmente queria testar o quanto Fugaku aguentava até tacar o fodasse!

_Quem é esse aí?_Kushina perguntou ainda olhando o ômega de cima a baixo.

_Ninguém importante, agora, com licença! _Fugaku resmungou e deu graças que Minato não lhe seguia mais, o ômega ainda tinha muitas coisas pra fazer.

O Uchiha sabia que estava sendo seguido, uma das várias ordens de Mikoto. O ômega soltou uma risada debochada, Mikoto era tão inocente que chegava à dar dó. Fugaku apenas estava esperando o momento certo para agir, os seis anos de casamento abusivo era apenas parte de um plano seu.

O clã Uchiha era divido por dois lados conservadores de duas famílias, a família de Fugaku era uma e de Mikoto outra, o casamento foi apenas para unir ambas as famílias. O Uchiha sabia que o clã Uchiha não admitia desonestidade muito menos golpes na política, um clã passional como os Uchihas jamais perdoariam um traidor ou uma traidora. No início o objetivo de Fugaku era apenas derrubar a segunda família, Madara não sabia de nada muito menos Izuna, eles não estavam para o clã nesse momento,  e Fugaku queria honrar o legado do pai.

Agora era pessoal, Fugaku iria derrubar Mikoto e a família usurpadora dela. Quantas vezes Fugaku não teve que fingir que era mais fraco do que parecia? Quantas vezes aturou os xingamentos e as punições de Mikoto fingindo que não podia se defender? Aquela brincadeira já estava cansativa e ainda tinha seus filhos que atrasaram levemente seus planos mais nada muito relevante.

E que Kami mantenha Minato longe, o ômega ainda não estava preparado para encarar um passado não tão distante.

Mikoto estava fora e Fugaku arrumava as malas de seus filhos, pegou tudo que era seu. Agora, dava almoço para Sasuke, o garotinho comia se distraindo com seu inseparável dinossauro de pelúcia, um presente de seu irmão mais velho.

Fugaku sorria para o menor, hoje seria um grande dia!

O ômega acordou de seus devaneios com a campainha tocando, rapidamente limpou as mãos Sasuke e o pegou no colo. As malas já estavam no Hall de entrada, tudo pra facilitar.

_Olá Sasu-chan! Como vai bebê? _Orochi sorriu para o moreninho que lhe encarava de maneira curiosa._Já está tudo pronto?

_Sim, já peguei tudo nosso e tenho que buscar Itachi._Orochimaru pegou Sasuke no colo e foi em direção ao carro, enquanto Orochi ajeitava o pequeno na cadeirinha Fugaku botava as malas dentro do carro.

_Tem certeza disso?_Orochi perguntou observando o ômega olhar a casa como se tivesse se livrado de um grande peso.

_Sim, e o senhor tem certeza que eu não vou atrapalhar? _O Uchiha perguntou inseguro.

_Senhor está no céu, garoto. E claro que não, você nunca nos atrapalharia. _O Uchiha sorriu, hoje a máscara de Mikoto iria cair.












Fugaku observava o balançar das árvores, o vento passava calmo numa melodia harmoniosa que levava as folhas de diferentes tons à dançar conforme as correntes de ar. A tarde estava entediante de tão calma, o ômega estava sentado nas escadas da varanda da casa de Orochimaru, o chá ao seu lado já estava frio, o tempo estava nublado.

Aquela famosa calmaria antes da tempestade, literalmente...

_Está distraído, nem me viu chegar. Normalmente você é que chega despercebido. _O alfa falou enquanto sentava ao seu lado o tirando de um topor de pensamentos desagradáveis, o albino carregava um edredom grosso e um travesseiro, a cara amassada demonstrava que o alfa tinha acabado de acordar.

_Você está ficando melhor nisso, Kakashi-Kun._Kakashi riu e se deitou no colo do ômega, abraçou o travesseiro e se cobriu com o edredom.

_Acho que fez a coisa certa, dava pra perceber o quanto você estava preso e infeliz nesse casamento. _Fugaku direcionou suas mãos pequenas aos cabelos macios e brancos de Kakashi. _Por quê demorou tanto?

_Talvez não seja o que parece, eu apenas esperei pelo momento certo._O Uchiha respondeu vago. O olhar se perdia entre os arbustos de flores e algumas plantas medicinais, um belo jardim.

_E qual seria o momento certo?_O albino perguntou acariciando as pernas do mais velho.

_Eu não sei, apenas senti que era agora. Mikoto achou que estava me usando para dar um golpe no clã, mas era o contrário. _Kakashi riu, o adolescente ainda estava ganhando as formas de um homem e a essência de um verdadeiro macho alfa, Kakashi desde novinho já mostrava habilidades incríveis e uma perspicácia invejável, Obito o considerava um rival à ultrapassar.

Kakashi como todo adolescente teve seus momentos rebeldes e arrogantes e, Obito como seu melhor amigo o botava nos eixos. Kakashi, Obito e Yamato eram inseparáveis, no início Obito era considerado um ômega tanto pelo físico delicado quanto pelo grude que tinha com Kakashi, mas com a adolescência veio o primeiro cio e um surpresa: Obito era um alfa.

Nem preciso dizer o quanto Hashirama ficou decepcionado por não ter mais uma princesinha e isso levou tanto o Senju quanto o Uchiha a adotarem um ômega, Zetsu. O ômega era peculiar, com sua pele extremamente alva e os cabelos verdes, os olhos âmbar intensos e exalava um perfume virginal e inocente.

Péssima ideia colocar um ômega perto de um alfa doido para reproduzir, não deu outra e Zetsu já estava marcado, Obito deixou sua paixonite por Rin de lado e foi procurar amor nos braços de Zetsu.

Kakashi negava com veemência mas estava totalmente apaixonado por Iruka, um ômega mais novo que ainda estava na academia. Era uma graça ver como Iruka ficava envergonhado com a proximidade que o alfa lhe impunha, Kakashi nem percebia o quanto era protetor com o menor.

_Eu vi o vídeo que você mandou para os jornais, meu irmão vai ficar arrasado. _Fugaku olhou com curiosidade para Kakashi, o moreno não tinha visto o vídeo mas sabia que era de Mikoto com uma ômega qualquer.

_Por quê? O que tem no vídeo? _Kakashi o olhou surpreso.

_Você não sabe? Nem viu o vídeo? _Fugaku fez um aceno negativo diante do tom cauteloso de Kakashi._É Kushina que está com ela, se deitando com Mikoto.

_M-Mas.... O quê? _O Uchiha mais novo agora se arrependia de não ter assistido o vídeo, não devia ter mandando aquilo para os jornais, Minato tinha acabado de se tornar Hokage._Merda!

_Você não sabia mesmo?_Kakashi indagou novamente.

_Não! Mas que merda, é claro que não! _Se levantou o mais rápido possível e enquanto trocava de roupa pensava na merda que tinha feito, quando o Uchiha desceu viu que era tarde demais para concertar a merda que tinha feito. Mikoto estava ali, furiosa.

_SEU GORDO INÚTIL!! EU VOU MATAR VOCÊ! _Mikoto gritou. Se Mikoto continuasse gritando logo viriam até a fonte dos gritos e do chakra denso, cheio de ódio.

_Como me achou?_Mikoto riu debochada.

_Para os seus irmãos que não tão nem ai para você que você não correria!_E aquilo doeu em sí, doeu porque era verdade, seus irmãos esqueceram de sí.

Fugaku não deixaria Mikoto pisar em sí, afinal, seu momento de ator tinha acabado...

_Então, você veio me agradecer pelo filminho teu de alta qualidade que eu publiquei?_A alfa rosnou e avançou para cima de sí, o ômega riu quando desviou do ataque da alfa e a mesma ficou surpresa._Venho te estudando á anos, descobri coisas que ninguém jamais suspeitaria que você fazia e faz. Fiquei todos esses anos aguentando suas agressões, seus insultos porque eu sabia que você era suja, que você tem rabo preso com aquele concelho de merda.

_Isso não vai ficar barato, ômega._Mikoto segurou o braço do menor enquanto o ameaçava com a voz de alfa._Quando chegarmos em casa você vai apanhar como nunca apanhou nessa vida, sua puta gorda! Acha que seus irmãos vão te salvar dessa?! Você é apenas um bastardinho que Tajima botou no mundo, o mais fraco entre os lendários filhos de Uchiha Tajima.

_Primeiramente, tire essa sua mão imunda de mim e, eu tô cagando e andando pra você. Você já teve a sua serventia, Mikoto, eu não preciso mais de você e se eu quiser posso dar um fim em você e alegar legitima defesa. Foi tão ingênua ao acreditar que eu era mais fraco que você? Mesmo que diga que tanto Madara quanto Izuna se esqueceram de mim, eles deram o cargo de líder para mim, não?_Mikoto o olhava como se tivesse duas cabeças e, com a gritaria, logo Orochimaru apareceu junto de quem mais Mikoto temia, Madara.

_Mas o que diabos está acontecendo aqui?_Madara indagou, Yamato, Obito e Kakashi apareceram logo atrás do ômega mais velho.

_Conte para ele, Oh grande Mikoto! Não é você que gosta de subjugar os ômegas?_Mikoto soltou Fugaku e deu um passo para trás, assustada.

Agora a alfa percebia o quanto fora idiota ao procurar Fugaku ali. Madara era unha e carne com Orochimaru então corria o risco de se encontrar com ele, com Madara. E, apesar de Mikoto ser tradicionalista e achar que o lugar dos ômegas era em casa esperando seus alfas ela admitia que Madara era um caso á parte. Um ômega lendário, sinceramente um caso á parte.

_Contar o quê, Mikoto?_A alfa engoliu em seco, completamente apavorada com a ideia de Madara descobrir o que fazia com Fugaku, que apesar da falta de participação na vida do irmão o amava muito, afinal, Uchihas são passionais.

_N-Nada!_A alfa tentou negar em vão, e a cada segundo que passava a sala ficava cheia. Todos já estavam ali, observando o desenrolar daquela "reunião familiar". E, Hashirama chegou com a cereja do bolo, o jornal de hoje.

_Talvez ela queira contar como vem desviando dinheiro público do clã ou como anda se encontrando com Kushina, não é Mikoto?_Hashirama perguntou debochado, Madara tomou o jornal da mão de Hashirama e enquanto lia o jornal se sentia furioso e ao mesmo tempo culpado.

Como Fugaku estava passando por tudo aquilo?

_Não! Isso é tudo mentira desse inútil, ele está tentando me tirar do poder! Isso é um golpe!_Mikoto tentava desesperadamente e explicar, Fugaku achava graça, então, Mikoto só pisava nos mais fracos que ela? Interessante...

_Eu? Inventando coisas? Mentindo? Oh, não! Eu nunca faria isso mas olha, esse dia foi bárbaro! Lembra? Foi no aniversário passado do Hashirama-san, você me espancou e me trancou em casa e inventou que eu estava doente, que eu andava muito fragilizado com as supostas crises de asma do Sasuke._Fugaku realmente estava se revelando, Madara se perguntava o quanto não sabia sobre seu irmão mais novo e o quanto tinha errado em esquecê -lo.

_Isso é verdade? _Jiraya tomou o jornal da mão de Madara e passou a ler também.

_Olha, como eu sei que você confunde as coisas e às vezes esquece de outras, eu tenho algo que vai te ajudar a se lembrar._Fugaku tirou de sua bolsa um envelope, jogou o conteúdo do mesmo na mesinha de centro, chocando todos os seus familiares. _Eu botei as datas também, os motivos, quais foram meus ferimentos, está tudinho aí!

_Sua... Sua vagabunda!_Madara gritou ao perceber que eram fotos de Fugaku, ou melhor, fotos de todos os ferimentos de Fugaku nesses seis anos. _E-Eu não posso acreditar nisso, ou melhor, eu não quero! Como eu pude errar tanto? Me diz, sua vaca! Eu confiei em você, confiei meus sobrinhos, o meu irmão!

_Ah, isso não é nada, Madara-San, essas fotos são apenas para mostrar quem ela é de verdade. E, Mikoto, antes de ir embora assine aqui, à partir de hoje você está livre do estorvo que eu sou para você! _Fugaku subiu para o seu quarto novamente, aquela discussão estava lhe dando dor de cabeça.

O ômega de seu quarto escutava a discussão que parecia ter ganhado mais vozes, mas o Uchiha estava indisposto. Tomou um banho e pôs um shortinho de moletom cinza de dormir um pouco curto demais com uma blusa de manga verde clara, já desgastada pelo tempo. O ômega não demorou muito para adormecer, ao lado de sua cama estava o berço de Sasuke, o garotinho dormia calmo mesmo com a barulheira no andar de baixo.

Horas depois, Fugaku acordou. A face amassada e a vermelhada de sono denunciavam o quanto o ômega estava cansado, Sasuke chorava em seu berço e o ômega e levantou para acudir o filhote.

_Sujou a fralda, né seu porquinho?_Fugaku perguntou ao menino divertido, Sasuke lhe observava com os grandes olhos negros marejados, assim que o pegou no colo o bebê se calou. O Uchiha verificou a fralda mas ela estava limpinha._Não acredito que o senhor me acordou por manha, Sasuke!

O bebê sorriu como se confirmasse ao pai o que o mesmo dizia. Sasuke levou as mãozinhas pequenas à boca enquanto encarava Fugaku.

_Está com fome? Tudo bem, vamos descer!_Fugaku pegou uma fralda de pano de Sasuke para que limpasse a boca babada e as mãos, desceu com o pequeno no colo se esquecendo totalmente de estar com um shortinho curto demais para ser andar na casa do amigo de seu irmão.

_Fugaku, finalmente você resolveu descer! Precisamos... conversar? _Nagato olhou Fugaku de cima à baixo._Que coxas!

_Ahn?_Quando Fugaku reparou no quê Nagato dizia já estava dentro da cozinha, da cozinha cheia de gente, inclusive Minato._Eu...Desculpe! E-Eu vou me trocar!

_Relaxa gato, o que é bonito é pra se mostrar! Você vive enfiado naquelas calças de velho que é novidade pra mim ver as suas pernas!_Nagato disse divertido, talvez ele só quisesse descontrair o clima tenso, mas não estava adiantando.

_À quanto tempo Mikoto fazia aquilo com você? _Madara perguntou e todos olharam para Fugaku.

_Acho melhor conversarmos depois, tenho que alimentar o Sasuke e ver como está Itachi._Fugaku já tinha se virado para ir em bora o mais rápido possível quando a voz de Madara se fez presente novamente.

_Deixe que Nagato cuide deles, agora, vamos conversar. Eu, você e Izuna._Madara disse num tom que não permitia desculpas esfarrapadas.

Fugaku entregou Sasuke à Nagato e lhe orientou sobre o que dar ao pequeno para comer. Madara se levantou da mesa juntamente com Izuna, Fugaku seguiu os dois até a varanda.

_Você não respondeu a minha pergunta, Fugaku._Madara disse enquanto se sentava na mureta que fechava a varanda.

_Desde sempre._O ômega menor estava desconfortável com o assunto, falar daquele assunto com seus irmãos o deixava com a sensação de ser mais fraco.

_E como você nunca disse nada ou sei lá, tentou conversar?_Izuna perguntou parecendo indignado.

_Você podia ter morrido! Eu olhei as fotos, Fugaku! Isso foi inconsequência! _Fugaku não estava acreditando que Madara ainda não tinha percebido.

_Eu deixei que ela fizesse aquilo porque sumária a imagem perfeita dela, da parte dela! Ela não sabia mas eu sou um Jouninn e pelo visto vocês também não._Os ômegas abriram a boca mas não tinham palavras, eles sabiam que tinham insinuado que o ômega menor era fraco.

Aquela informação só confirmava o quanto eles não sabia de Fugaku.

_Eu não quero conversar mais sobre isso, tudo bem? Dá pra ver o quanto vocês estão preocupados mas tá tudo bem, nada demais aconteceu._Madara suspirou, e abraçou Fugaku.

_Me perdoa? Eu fui um babaca..._Fugaku não queria admitir mas estava sem sentindo tão bem, era a primeira vez que Madara o abraçava tão carinhosamente e, quando Izuna se juntou ao abraço o ômega menor não pode segurar as lágrimas.

Pela primeira vez na vida se sentia acolhido...












O ômega terminava de subir as escadas e entrou em seu quarto, quase teve uma parada cardíaca com o susto que levou, Minato estava ali sentando em sua cama.

_O que está fazendo aqui?_Minato estava no mundo da lua esperando pelo ômega quando a voz do mesmo o tirou de seus pensamentos.

_Quero conversar, dessa vez sem desculpas._É, hoje seria o dia das conversas!



Notas Finais


Gente, desculpe pelos erros ou alguma palavra que não faça sentido! Eu estava com muito sono e se eu fosse editar ia demorar mais!
E aí, será que o Minato merece uma segunda chance?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...