História The Complicated Boss! - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekyeol, Chanbaek, Chenmin, Exo M, Exo-k, Hunhan, Kaisoo, Long-fic, Sulay, Taoris, Xiuchen, Yaoi
Visualizações 228
Palavras 3.638
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong! Como estão? Espero que bem!

Vocês já devem ter acostumado com a minha demora pra atualizar, né!? rsrsrs desculpa, gente :3
Estou tentando não demorar tanto!

(ignorem os erros, por favor) Boa leitura! ❤

Capítulo 21 - Amizades e favores


A insegurança tomava conta de Jongin naquele momento. Aproximar-se de seu chefe sorrateiramente, levando em consideração o mau humor do rapaz, em pleno horário de trabalho era pedir para ser demitido. Mas Jongin não se importava mais com seus medos, queria apenas sentir o calor daquele corpo novamente.

Depois de chamar pelo nome do mais velho e não obter resposta, Jongin apenas caminhou cautelosamente em direção a Kyungsoo. O garoto ficou ainda mais nervoso ao notar o corpo do outro ficar cada vez mais tenso com sua aproximação.

Kyungsoo se assustou ao ouvir alguém pronunciar seu nome e, de imediato, reconheceu aquela voz que tanto admirava. Sentiu aquele corpo grande se aproximar do seu e um arrepio intenso o percorreu por inteiro.

Jongin chegou ainda mais perto e notou a respiração descompassada do mais velho. Isso lhe deu coragem para tomar uma atitude e, enfim, chamar a atenção de seu chefe.

O garoto, tomado pelo êxtase do momento, colou seu corpo ao de Kyungsoo, que arfou levemente em resposta. Jongin decidiu ser mais ousado e segurou firmemente na cintura do outro. Abaixou um pouco a cabeça, tendo a visão privilegiada daquele pescoço branquinho e desejou profundamente marcar com mordidas e chupões toda aquela área.

Jongin passou o nariz levemente por toda a extensão do pescoço do outro, sentindo aquele perfume inebriante. Kyungsoo se arrepiou com o toque e deixou a excitação do momento tomar conta de si.

A fim de ter toda a atenção do mais velho, Jongin direcionou seus lábios ao ouvido alheio respirando profundamente para que o outro percebesse o efeito que lhe causava. Roçou seu rosto na pele exposta de Kyungsoo e sussurrou tentando manter sua voz calma.

- Bom dia, chefe! – disse com a voz rouca em um to sexy.

Depois de desejar-lhe bom dia, o garoto depositou um pequeno beijo ao pé do ouvi do mais velho, sentindo-o estremecer com a situação.

- Jongin – Kyungsoo suspirou baixo enquanto pendia sua cabeça para o lado.

O mais novo sorriu e entendeu aquele ato como um pedido mudo para que continuasse com o carinho. Jongin, então, enlaçou a cintura do mais baixo com seus braços fortes e o apertou ainda mais contra seu corpo. Beijou delicadamente cada pedacinho daquele pescoço exposto. E quando deu uma leve mordida perto do maxilar, o garoto sentiu Kyungsoo segurar forte suas mãos enquanto suspirava baixinho.

Jongin ficou feliz com a reação que seu chefe teve com sua atitude repentina. Temia que fosse expulso daquele escritório com xingamentos ou até mesmo que fosse demitido. Continuou com os beijos e passou a morder aquela área com mais força deixando a pele um pouco avermelhada.

Subitamente, Kyungsoo se virou e enlaçou o pescoço do mais novo, fazendo-o se abaixar um pouco. Não esperou por permissão, nem mesmo quis ver a reação de Jongin, apenas atacou aqueles lábios que tanto desejava.

Jongin ficou surpreso com aquele beijo, mas em momento algum hesitou em retribuir.
Os dois tinham necessidade daqueles toques. O beijo era excitante, porém transmitia sentimentos que nem mesmo eles sabiam que existia. Kyungsoo agarrava o cabelo de Jongin, que apertava forte aquele corpo pequeno. Ambos já estavam sem fôlego, mas não se importavam, pois não queria se separar de forma alguma.

Quando Jongin estava prestes a caminhar com seu chefe até a mesa, para que o mais velho pudesse se sentar e assim ficarem mais a vontade, algo se passou na mente de Kyungsoo e, então, ele se deu conta do que estava acontecendo ali.

O rapaz se afastou rapidamente sentindo suas bochechas coradas enquanto ofegava, tentando se recompor.

- Jo-Jongin... Nós não podemos... Hã... Não podemos fazer isso aqui – disse acanhado fazendo o mais novo lhe olhar confuso.

- Por que, Hyung? Estamos sozinhos, podemos aproveitar um pouco – Jongin puxou o mais velho novamente, agindo por puro impulso.

- Alguém pode chegar e nos ver. Kris vai voltar daqui a pouco e se ele nos ver... – Kyungsoo falava, mas logo foi interrompido.

- Ele já nos viu em uma situação como essa, na sua casa, lembra? – Jongin comentou irritado por ter ouvido o nome de YiFan e Kyungsoo desviou o olhar envergonhado – Ah!... Acho que você não quer, é isso? – perguntou decepcionado.

- Não é isso, Jongin... É só que, não podemos fazer esse tipo de coisa aqui na empresa. Estamos em horário de trabalho. Imagina se algum funcionário entra aqui sem permissão e nos vê desse jeito – Kyungsoo explicou constrangido.

- Não fique pensando no pior. Ninguém vai entrar aqui. Estava tão gostoso sentir você bem pertinho de mim – Jongin disse já frustrado e puxou seu chefe para perto novamente, voltando a beijar seu pescoço.

- Jongin... É melhor não, eu... – o rapaz tentou formular uma frase enquanto suspirava, sentindo aqueles lábios quentes em sua pele – JONGIN! – gritou e se afastou deixando o garoto surpreso – Eu já disse que não. Aqui não é lugar para isso. Podemos até nos relacionar em outros lugares, mas aqui na empresa devemos ser profissionais. Não vamos misturar nossa vida pessoal com nosso trabalho – Kyungsoo vociferou.

- Sei que estamos trabalhando, mas não custa nada nos distrairmos um pouco quando temos a chance – Jongin disse cabisbaixo.

- É melhor você voltar a fazer o seu trabalho – o mais velho disse sério.

- Mas eu... – Jongin tentou falar, porém foi interrompido.

- Faça o que estou pedindo, Jongin. Você é meu funcionário e me deve respeito. Não vamos misturar as coisas só porque nos relacionamos fora daqui – Kyungsoo disse já se irritando com o mais novo.

- Tudo bem. Me desculpe, Senhor Do. Vou voltar para os meus afazeres. Isso não irá mais se repetir – Jongin disse decepcionado enquanto fazia uma breve reverência.

Kyungsoo ficou apenas olhando, sem reação alguma, quando o mais novo lhe deu as costas e saiu do escritório sem dizer mais nada. Estava irritado demais naquela manhã para correr atrás de alguém. Então, apenas deixou que o garoto saísse e, quando estivessem mais calmos, tentaria resolver as coisas.

Jongin não ousou olhar para trás. Saiu apressado e quando fechou a porta atrás de si, suspirou entristecido. Não sabia se Kyungsoo havia tratado-o daquela forma de propósito ou se foi apenas porque estava mal humorado. Mas, mesmo que estivesse decepcionado demais, tinha que admitir que o mais velho tinha razão. Não devia ter misturado as coisas, deveria ter esperado por uma oportunidade fora da empresa.

 

 

~~~

 

 

- Não acredito que ele disse isso! – Baekhyun disse surpreso.

- Sim, ele disse. E também falou que dormiria com a primeira pessoa que achasse quando fosse embora – Sehun contava com uma feição triste no rosto.

- Que descarado! Vou bater nesse cara – Baekhyun falou indignado fazendo o mais novo rir.

- Acho que todos os meus amigos querem bater nele – disse dando um pequeno sorriso.

- É melhor ele se preparar então, porque o nosso bonde é forte e nós vamos atrás dele e fazer ele implorar por perdão – o mais velho se levantou de sua cadeira fazendo pose de herói e Sehun gargalhou.

 Os dois rapazes, que não tinham uma amizade muito grande, se tornaram bem íntimos naquela manhã. Ambos conversavam desde o momento em que entraram no escritório de Baekhyun. Falaram de tudo um pouco e fofocaram sobre as coisas que haviam acontecido naquela semana. Sehun até se sentiu confiante em contar para o rapaz sobre sua briga com Luhan.

Baekhyun ficou revoltado com a ousadia do namorado de Sehun e tentou animar o pobre garoto que estava cabisbaixo e com o coração partido.

- Hey, Sehun! Que tal nós dois darmos uma voltinha pela empresa? – Baekhyun sorriu arteiro.

- Ah, não! Eu não quero ir até a sala onde Luhan e eu trabalhamos juntos – Sehun disse desesperado.

- Sehun, sei que você está triste e que não quer vê-lo agora. Mas uma hora vocês terão que conversar para resolverem as coisas – o rapaz disse sério colocando as mãos sobre o ombro de Sehun.

- Ele me magoou demais. Tenho medo que ele me machuque mais do que já estou machucado – o mais novo colocou uma das mãos sobre o peito enquanto uma lágrima teimosa rolava por seu rosto.

- Sei que pode ser difícil, mas não se preocupe. Se ele machucar você, eu o machuco, fisicamente – Baekhyun falou sorrindo para o amigo – Vamos fazer o seguinte, nós vamos dar uma volta pela empresa e aproveitamos para ver o estado dele, porque se ele realmente gosta de você, com certeza ele vai estar acabado e morrendo de arrependimento.

- Tudo bem, mas eu não quero ficar muito tempo perto dele – Sehun disse se rendendo ao amigo.

Baekhyun sorriu e logo puxou o mais novo para o corredor. Ambos entraram no elevador e Sehun ria alegre das coisas que o mais velho dizia. Quando chegaram a um dos andares, o garoto sentiu um frio na barriga e um forte aperto em seu peito. Aquele era andar em que ele e Luhan trabalhavam juntos.

Os dois caminharam lentamente pelo corredor, que se encontrava cheio de funcionários andando de um lado para outro. Cumprimentavam alguns conhecidos e Baekhyun tentava distrair o garoto.

Por um instante, Sehun se esqueceu de que poderia encontrar seu namorado ali e por impulso, acabou colocando seu braço sobre o ombro de Baekhyun enquanto ria de uma de suas piadas. Mas seu sorriso não durou muito.

No final do corredor, Sehun avistou Luhan parado, segurando alguns papéis. O rapaz o olhava como se, a qualquer momento, pudesse voar até os dois amigos e o afastar brutalmente de Baekhyun. O sangue do garoto gelou diante àquele olhar e seus olhos logo lacrimejaram.

Baekhyun percebeu a presença de Luhan no fim do corredor e se manteve firme o encarando na mesma intensidade, tentando demonstrar que não tinha medo dele. Agarrou forte o braço de Sehun, quando ele tentou recuar, o mantendo sobre seu ombro e lançou um olhar desafiador para o rapaz que observava de longe.

Não demorou muito para que Luhan começasse a caminhar em direção a eles, com passos rápidos demonstrando irritação. O mais novo arquejou tentando fugir, porem foi impedido pelo amigo que o manteve firme no lugar.

Quando o rapaz ficou frente a frente com eles, Sehun abaixou a cabeça sem conseguir olhar nos olhos de seu namorado.

- Sehun – Luhan pronunciou com a voz falha fazendo o mais novo levantar a cabeça.

- O que você quer com ele? – Baekhyun perguntou em tom firme, se colocando entre os dois.

Luhan encarou Baekhyun como se fosse jogá-lo da janela na primeira oportunidade que tivesse.

- Eu… Apenas quero conversar com ele – respondeu ainda encarando Baekhyun.

- O que você quer falar comigo? Não acha que já falou demais naquela noite? – Sehun falou se alterando.

- Sehun nós precisamos conversar melhor. Eu… Eu não estava bem… Você sabe que eu morro de ciúmes de você e… eu acabei me descontrolando… Me desculpa, Hunnie! – Luhan empurrou Baekhyun para o lado, podendo assim, enxergar o rosto triste do mais novo.

- Se desculpar agora é muito fácil, não acha? – Sehun perguntou irônico olhando diretamente nos olhos de Luhan e notando as grandes olheiras roxas em seu rosto – Você não sabe o quanto me magoou com tudo o que disse. Eu passei horas chorando por sua causa e eu nunca fiz isso por ninguém. A minha sorte é que eu tenho bons amigos que sempre estão ao meu lado – disse a última frase sorrindo para Baekhyun, que estava caldo observando tudo.

- Eu me arrependo tanto por ter dito aquilo pra você. Se você soubesse o quanto eu chorei, no outro dia, quando me lembrei do que aconteceu. Eu sou mesmo um idiota – Luhan tentou segurar uma das mãos de Sehun, mas o garoto logo a puxou.

- Ainda bem que você sabe que é um completo idiota. Aposto que você não chorou e muito menos se arrependeu quando estava com outra pessoa em sua cama – Sehun falou debochado enquanto secava algumas lágrimas.

- Eu não levei ninguém para a minha cama. Eu disse aquilo porque eu estava nervoso, mas eu saí da boate e fui direto para casa. Não demorou muito para eu apagar no sofá. Você sabe que eu nunca faria isso com você – Luhan também tinha lágrimas nos olhos e era nítido o arrependimento que sentia.

- Eu não sei de mais nada, Luhan! A única coisa que eu sei é que quero distância de você – respondeu secamente fazendo o outro se desesperar.

- Hunnie… Você não pode estar falando sério… - Luhan tinha seus olhos arregalados – Você não vai terminar comigo, não é!? Por favor… não faz isso. Me perdoa, Hunnie?

- Não me chama mais de Hunnie. Você perdeu o direito de me chamar assim quando me disse aquelas coisas horríveis – o garoto respondeu alto, em um tom confiante.

Sehun não esperou por uma resposta, simplesmente virou-se e andou em direção ao elevador novamente.

- HUNNIE… SEHUN! ESPERA! VAMOS CONVERSAR, ME PERDOA! – Luhan gritou desesperado com o rosto banho em lágrimas.

- Agora não adianta mais fazer esse showzinho. Você devia ter pensado bem antes de fazer tudo aquilo – Baekhyun se pronunciou depois de ficar o tempo todo quieto – Você o magoou demais mais, Luhan. Não vai ser um simples pedido de desculpas que fará com ele esqueça tudo o que aconteceu.

- Então… O que eu devo fazer? – perguntou com a voz embargada pelo choro – Nunca pensei que algum dia eu fosse gostar de alguém como eu gosto dele. Não posso perdê-lo.

Baekhyun ficou surpreso por ver Luhan chorar daquele jeito. Vários funcionários observavam de longe a cena.

- Chorar também não adiantará de nada e saiba que você está atraindo platéia – após escutar isso, Luhan olhou em volta e percebeu que estava sendo observado, então engoliu o choro – Olha, o Sehun gosta de você e você foi muito burro de ter falado aquelas coisas pra ele. Mas eu sei que vocês se gostam muito. Então, apenas lhe digo uma coisa, surpreenda ele – Baekhyun disse sorrindo de lado deixando o outro confuso.

- Como assim surpreendê-lo?

- Ele está muito magoado e não vai te perdoar fácil. Então, tente pedir desculpas de uma forma diferente. Faça alguma coisa pra ele, tente deixá-lo feliz – Baekhyun disse pensativo – Ah, sei lá! Se vira, cara! Não nasci pra dar conselho amoroso para os outros.

Quando terminou de falar, o rapaz simplesmente deixou o outro sozinho e seguiu a mesma direção que Sehun havia seguido antes. Depois de andar um pouco, Baekhyun encontrou o garoto parado na porta do elevador o esperando.

- Você demorou. Estava falando com ele? – Sehun perguntou em tom baixo e Baekhyun notou que seus olhos estavam levemente avermelhados.

- Sim, eu estava falando com ele. Não falei nada demais – o rapaz sorriu de lado – Você está bem?

- Estou bem. Me sinto aliviado por ter falado o que eu queria – Sehun suspirou e olhou para o amigo – Obrigado, Baek, por ter me ajudado a criar coragem para falar com ele.

- Vocês precisavam conversar, eu apenas dei um pequeno empurrão – Baekhyun segurou os ombros do garoto e o guiou para dentro do elevador – Agora vamos deixar esse clima de depressão para trás, porque ainda temos muitos lugares importantes para visitar nessa imensa empresa.

- Lugares importantes? – Sehun sorriu – E quais lugares seriam esses? – perguntou curioso.

- A recepção, é claro – Baekhyun respondeu com olhos brilhando.

Sehun riu ao lembrar-se que Chanyeol era o recepcionista e ficou feliz em saber que pelo menos um casal ali estava sendo feliz.

 

 

~~~

 

 

Completamente frustrado, sentado em sua cadeira, Jongin trabalhava com diversos documentos espalhados pela mesa. Tentava prestar atenção no que fazia, mas sua mente estava longe demais para conseguir trabalhar tranquilamente.

Varias coisas se passavam em sua cabeça. Estava arrependido por ter sido tão ousado. O garoto nunca havia agido daquele jeito com ninguém. Estava surpreso por não ter sido mandado embora. Também pensava em como foi idiota ao achar que um profissional, com Kyungsoo, cederia aos desejos amorosos em pleno horário de trabalho.

Estava envergonhado demais e não queria entrar naquele escritório de novo, pelo menos não naquele dia.

Em um pequeno momento de distração, Jongin pulou da cadeira ao se assustar com a porta da sala de seu chef sendo aberta brutalmente. No mesmo instante, Kyungsoo saiu com uma expressão de poucos amigos e nem sequer olhou para o garoto sentado próximo a ele.

Jongin ficou nervoso quando o viu com aquela feição rude no rosto e pensou que aquele seria o momento em que seria despedido. Mas seu chefe apenas fechou a porta com certa violência e caminhou pelo corredor com passos pesados. O garoto ficou, de certa forma decepcionado por não ter recebido nem mesmo um simples olhar.

Observou o mais velho sumir pelo corredor e ficou curioso para saber onde ele estava indo, já que Kyungsoo quase não saía de sua sala. Jongin então resolveu olhar em seu relógio e notou que já estava na hora do almoço. Suspirou sofregamente e então decidiu ir fazer sua refeição.

Jongin andou por todos os cantos e não encontrou Sehun e, muito menos, Baekhyun. Ficou chateado por ter sido deixado de lado por seus próprios amigos, como se bastasse a rejeição de seu chefe.

Os pensamentos do garoto logo foram para longe ao avistar Yixing conversando com um colega de trabalho. Lembrou-se do pedido de YiFan e ficou indignado por ter que resolver os problemas dos outros. Porém, como havia prometido, Jongin caminhou até o rapaz para conversar.

- Hey, Lay! – cumprimentou o amigo – Posso falar com você?

- Olá, Jongin! Pode, claro – Yixing despediu-se de seu colega de trabalho e caminhou até o garoto – Como você está?

- Eu estou bem e você?

- Estou ótimo – Yixing sorriu exibindo suas covinhas – E o Sehun? Como ele está? Até agora eu não entendi o que aconteceu com ele aquele dia.

- Longa história, Lay – Jongin respondeu sem vontade alguma de explicar – Mas ele está bem sim. Só está um pouco triste, mas logo passa. E você e o Suho? Se deram bem naquela noite, em!? – disse sorrindo para o mais velho.

- Ah, Suho é um cara legal! Ele é adorável e gostei muito de conhecê-lo. Nossa noite foi perfeita, acho que não preciso entrar em detalhes – Yixing sorriu acanhado com as bochechas coradas.

- Fico muito feliz por vocês! Vocês formam um casal bonito – elogiou – Bom, Lay, eu preciso de um favor seu – Jongin revelou sem graça.

- Pode falar, te ajudo no que precisar!

- Bom, sabe aquele seu amigo, o Tao? – perguntou e o mais velho assentiu com a cabeça – Então, você pode me passar o número dele?

- Claro! Ele adorou te conhecer, disse que até queria ter passado mais tempo você – Yixing comentou enquanto pegava seu celular para procurar o número – Desculpe a curiosidade, mas por que você quer o número dele?

- Na verdade, não é pra mim – Jongin confessou e Yixing o olhou confuso – Kris, aquele que ficou com o Tao na boate, me pediu ajuda para conseguir o número dele, porque o idiota se esqueceu de perguntar naquela noite.

- Ah, claro! Tao estava desesperado para achar um meio de se comunicar com o Kris. Acho que ele vai ficar feliz quando receber uma mensagem ou uma ligação do “crush” dele – Yixing fez aspas com as mãos quando disse crush para representar a forma como Tao chamava YiFan – Aqui está o número.

Jongin pegou o celular do amigo e anotou rapidamente o número. Os dois conversaram mais um pouco e o mais novo ria toda vez que Yixing falava de Suho, já que ele fazia uma expressão de bobo apaixonado.

Depois de alguns minutos ali, Jongin agradeceu pelo favor e se depediu do amigo. Decidiu encontrar YiFan antes que o horário de almoço acabasse. Andou um pouco e avistou o rapaz sentado em uma mesa sozinho. Ficou aliviado por Kyungsoo não estar junto com o primo, assim poderia conversar com ele mais tranquilamente.

Andou até YiFan e sentou-se em sua frente.

- Hoje em dia as pessoas nem se dão mais o trabalho de perguntar se podem se sentar com a gente, inacreditável! – YiFan disse irônico para Jongin, que havia se sentado ali sem pedir permissão.

- Nem vem reclamar. Eu vim até aqui para te dar boas notícias, mas se não quiser ouvir eu vou embora – o garoto falou sério.

- Certo, pode falar. Conseguiu o que te pedi? – YiFan perguntou se debruçando sobre a mesa ansioso para saber a resposta.

- Sim, eu consegui. Pedi ao meu amigo Lay e ele me passou o número – Jongin mostrou o celular com o número anotado e YiFan comemorou fazendo uma dancinha estranha.

- Obrigado, Jongin! Você salvou minha vida – disse sem tirar os olhos do celular onde anotava o número.

- Não me agradeça. Você me deve um favor – Jongin sorriu com a ideia e YiFan o olhou no mesmo instante.

- Bom, eu havia dito que ficaria te devendo uma, mas não pensei que iria levar a sério. Você vai mesmo me cobrar um favor? – perguntou coçando a nuca.

- Claro que eu vou cobrar o favor. Eu não iria fazer isso pra você sem receber nada em troca – disse fazendo uma careta.

- Okay, não tem problema. Eu faço o que você pedir. O que vai querer?

- Ainda estou pensando – Jongin sorriu malicioso e YiFan ficou desconfiado – Não e preocupe, não irei demorar muito para lhe pedir o que quero.

Dito isso, Jongin levantou-se e saiu daquele lugar. Não havia almoçado ainda, mas não estava com fome, então apenas se dirigiu para seu local de trabalho no ultimo andar.

No caminho pensou em muitas coisas que poderia pedir a YiFan, mas ainda não conseguia se decidir. Porém, com um sorriso no rosto, apenas chegou à conclusão de que esse favor poderia ajudá-lo em sua atual situação.


Notas Finais


Então, o que acharam??? Me desculpe se ficou ruim, eu estou um pouco sem criatividade esses dias. Mas espero que tenham gostado!

O que acharam desse Kyungsoo todo nervoso?
E essa conversa HunHan?

Será que o Sehun vai perdoar o Luhan?

E essa amizade SeBaek surgindo aí!? :3 :3

Por enquanto é isso, gente! Espero vocês no próximo capítulo! ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...