História The Course Of Life - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 4
Palavras 1.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais um... A partir desse capitulo, terá meus sentimentos reais influenciando o personagem, mas também terá partes fictícias.

Capítulo 6 - Capitulo 6


Leandro já se encontrava no bar, estava à espera de Renata que demorava muito para aparecer, devia estar se arrumando, ela nunca sai desarrumada para nenhum lugar, muito bem vestida e maquiada. De longe Leandro a avistava vindo com vestido preto até o joelho cabelo preso e um sapatinho também preto.

- Então, me diga o que quer comigo, fiquei bastante curioso? – Falou Leandro admirando a sua amiga.

- Vamos conversar sim, mas não aqui, me segue. – Renata já estava andando deixando seu amigo para traz.

Os dois foram caminhando até uma praça que tinha logo em frente o bar, Renata com o braço entrelaçado no de Leandro, ambos foram até a praça sem dar um piu. Renata estava com um frio na barriga, não tinha certeza se falava que gostava dele, mas já que estavam ali, por que não.

- Isso é engraçado. – Renata disse quando se sentaram no banco. – Não nos vemos há anos e agora estamos aqui, sozinhos conversando. – Ela dizia em quando admirava os olhos castanhos de seu amigo.

- Você acha engraçado, pois eu estou sem entender a sua mensagem e o jeito que está me olhando é estranho, se não te conhecesse diria que você está me cortejando. – Leandro falou a olhando com indignação.

- C-Como assim, está tudo normal... – Renata falou desviando o olhar, em uma tentativa de mentir.

- Diga a verdade, por que me chamou para sair?

- Tá bom vou dizer... – Ela disse engolindo seco. - Eu amo você! Não é de hoje, desde que éramos amigos em Boston, acho que seria capaz de ficar minha vida inteira gritando bem alto o quanto sou louca por você e como imagino nós dois juntos. Você enche minha vida de alegria. Sou a pessoa mais feliz de ter você como amigo. Amo muito a nossa amizade, mas acho que poderia se tornar algo a mais. Essa é a realidade! – Ela falou tudo muito rápido, pois sabia que se desse uma pausa não teria coragem de continuar.

Leandro ficou perplexo com a noticia, nunca imaginou isso de sua amiga, ele nunca sentiu nada do tipo por ela, ele a amava, mas somente como amiga. Ele começou a falar com cuidado, pois não queria magoa-la.

- Desculpe te dizer isso Renata, mas não gosto de você como você gosta de mim. – Nesse momento a expressão de Renata se tornou tristeza. – Não quero ter nada com ninguém, nunca tive, mas saiba que te amo muito como amiga...

- Mas por que não? – Renata perguntou com os olhos cheios de lágrimas.

 - Não sinto nada por você a não ser amizade, você é muito importante para mim, mas para ter um relacionamento os dois tem que sentir... – Ele tentava explicar e foi interrompido.

- Mas eu amo por nós dois...

- Isso não existe Renata, o amor é uma via de mão dupla, se um não ama nada acontece...

- Não acredito que está dizendo isso para mim. – Renata dizia alto, com raiva e com os olhos afundados em lagrimas.

- Me desculpe.

Renata sairá do local correndo e chorando muito. Leandro não sabia o que fazer, mas achou melhor deixa-la sozinha, voltou para a casa e não conseguia parar de pensar que Renata poderá estar com muita raiva dele. Pegou o telefone e discou o numero de Thiago, ele não sabia ao certo o que estava fazendo, mal conhecia o garoto, mas nesse momento ele é o único que pode lhe escutar.

- Olá Thiago, é Leandro. – Dizia meio sem graça em estar ligando para um “estranho”.

- Haa, olá Leo, por que está me ligando? – Dizia Thiago meio curioso.

Leandro sentiu um frio na barriga n quando ouviu Thiago lhe chamando de Leo, por um momento a voz dele o fez esquecer-se de tudo.

- Acabei de chegar a casa, fui me encontrar com Renata, mas não foi como eu pensei.

- Teria como você me ver agora? – Leandro estava achando estranho, ele queria mesmo o encontrar?

- Até posso, mas porque exatamente você quer me encontrar?

- Para conversarmos melhor, me encontre em frente à escola, pode ser?

- Ok, até. – Disse desligando o telefone e pensando se iria mesmo se encontrar com Thiago.

Leandro trocou de roupa rápido e saiu até o ponto de encontro, chegando lá se deparou com Thiago sentado na calçada olhando-o bem nos olhos, Leandro não podia negar que ele era realente lindo, coisa que não deveria notar.

- Demorou! – Thiago disse se levantando e o encarando.

- Foi mal, tive que fazer umas coisas em casa... – Leandro dizia ainda sem graça.

- Me acompanha. – Thiago disse já andando sendo seguido por Leandro.

Os dois chegaram a uma pequena pracinha que havia a poucos metros da escola, Leandro se sentou e Thiago preferiu ficar em pé de frente para o amigo.

- Nunca havia vindo aqui, nem sabia que isso existia. – Leandro falava observando a beleza do local.

- Só vim aqui uma vez, é realmente bonito. – Direcionou o olhar para Leandro. - Diga o que aconteceu entre você e Renata?

- Ela havia me mandado uma mensagem para encontrar ela. Eu fui e ela me levou até uma praça que tinha logo perto, resumindo, ela não sente por mim somente amizade, ela disse que me ama e queria ter algo a mais comigo.

- E você não quer por quê?

- Eu a amo e me preocupo demais com ela, mas só sinto amizade, alias nunca tive nenhum relacionamento, nunca nem beijei... – Leandro parou ao perceber que havia dito que era BV.

- Entendo, não sabia isso sobre você, não acha que está na hora de mudar isto? Mas você acha que ela está com raiva de você?

Leandro ficou sem entender, não sabia se era isso que ele está pensando, será que Thiago acaba de se oferecer para mudar sua situação atual.

- Não tenho muita certeza, ela não me ligou ou mandou mensagem até agora. Mas mudando de assunto, eu não dei nada sobre você e você já sabe muito sobre mim.

-Vamos fazer o seguinte, já está ficando tarde, qualquer dia a gente marca de sair e conversar prometo contar tudo. – Ele diz olhando o celular que havia chegado uma mensagem. – Meu pai acaba de pedir para que eu volte, até mais.

Thiago nem esperou Leandro responder e tomou rumo a sua casa. Leandro fez o mesmo, chegou a casa, tomou banhou, jantou e deitou em sua cama, pensando no dia confuso que teve, percebendo também que ganhou mais um amigo há anos. 


Notas Finais


O que acharam, me deem a opinião de vocês...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...