História The Criminal - Capítulo 37


Escrita por: ~

Exibições 500
Palavras 1.729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Só queria dizer que o capítulo não é nada animador, sorry.. :/

Capítulo 37 - Emergência


Fanfic / Fanfiction The Criminal - Capítulo 37 - Emergência

Após toda euforia Camila foi levada para a delegacia e Mike juntamente com Vero acompanharam o corpo desfalecido de Lauren até a ambulância, ela estava sangrando muito por conta do ferimento de bala e estava desacordada, Chris havia se encarregado de prender Shay Mitchell.

-Michael deixa que eu acompanho ela, precisa fazer outra coisa

-eu não vou deixar minha filha sozinha, e ainda tenho que contar pra Clara, ela vai surtar

-todos nós estamos surtando, tudo que a Lauren mais me pediu foi que se acontecesse algo com ela colocasse Camila como prioridade, pediu para tirá-la da cadeia caso fosse presa, eu vou acompanhá-la, vou te ligar várias vezes se for preciso pra informar como está o estado dela, mas por favor vá atrás de Camila, ela iria gostar de saber que a garota está bem quando acordar

-mas e se ela não acordar? esse é o meu maior medo

-não fala isso nem brincando, precisamos ficar confiantes, agora preciso ir, cada minuto perdido pode deixar a situação dela ainda pior

-tudo bem, eu vou pra delegacia

 Verônica entrou no carro da ambulância e os paramédicos verificavam os sinais vitais de Lauren que estavam fracos, tentavam estancar o sangue até a chegada dela no hospital mais próximo. Camila se debatia dentro da viatura com suas mãos algemadas, ela chorava desesperadamente, não se importava mais com o fato de estar sendo presa, tudo que tinha importância pra ela ali era a vida de Lauren, e saber que ela corria riscos e não tinha nada que pudesse fazer a deixava em prantos e totalmente sem chão

-ME SOLTEM!! EU PRECISO VOLTAR PRA LÁ, EU PRECISO VOLTAR PRA LAUREN, ELA ESTÁ PRECISANDO DE MIM!

-calada detenta! você não tem que querer nada aqui ou sua situação vai piorar ainda mais! -um dos policiais gritou fazendo ela se calar, mas continuava chorando

Quando Lauren chegou ao hospital uma equipe de médicos retiraram-na do carro levando-a em uma maca para a emergência

-paciente do sexo feminino, Lauren Michelle Jauregui Morgado, 22 anos, ferimento de bala, arma KMK 512

-A pulsação está fraca, ela já perdeu muito sangue. pressão arterial está baixa, foi atingida e o projétil transfixou seu braço esquerdo e penetrou o tórax, batam uma radiografia rápido!

O residentes do hospital fizeram o que o médico chefe mandou, bateram uma radiografia na região em que Lauren foi atingida e logo voltaram com o resultado

-fratura supracondiliana do úmero esquerdo, há uma lesão na artéria umeral, precisamos realizar uma cirurgia com emergência para a reconstrução para evitar incidências de complicações agudas

-sim senhor!

-levem a moça para a sala de cirurgia de preparem tudo, irei comunicar aos seus familiares presentes

O médico saiu dali se direcionando a recepção onde Vero estava nervosa andando do lado pro outro e Clara estava aflita chorando, Chris já havia comunicado a ela do acontecimento

-familiares da senhorita Lauren Jauregui?

-isso mesmo! eu sou a mãe dela

-e eu a melhor amiga, como ela está doutor?

-por enquanto desacordada, precisamos realizar uma cirurgia de emergência

-ai meu Deus, então o caso é grave?

-um pouco, há projétil da bala alojado na parte esquerda do braço dela, seu úmero sofreu uma lesão 

-ela pode perder o braço doutor?

-faremos tudo que for necessário para que isso não aconteça

-mas isso pode acontecer? não tem chances né?

-infelizmente sim, mas como foi trazida assim que sofreu o tiro iremos cuidar dela, pode ter certeza que faremos tudo que pudermos para deixar sua filha fora de perigo, isso vai depender de como ela vai reagir ao processo cirúrgico, Lauren perdeu muito sangue e teremos que fazer uma transfusão, ela está fraca

-seja direto por favor doutor

-pode ser que ela não resista a cirurgia, seus sinais vitais estão a baixo do normal, a pressão arterial está baixa e ela está desacordada, por isso vim até aqui para pedir a autorização para operá-la, é de risco mas será o único jeito de tentar tirá-la de perigo, caso contrário não irá resistir e se resistir terá que remover o braço esquerdo

Clara entregou em desespero, seu sistema nervoso se alterou e as enfermeiras a seguraram colocando-a em uma cadeira de rodas pois haviam desmaiado, Verônica também estava mal porém precisava ser forte

-só temos você agora, podemos seguir e fazer a operação? cada minuto de conversa aqui diminui a chance dela

-pode fazer doutor

O médico saiu de imediato se locomovendo para a sala de cirurgia, a garota já estava devidamente conectada a aparelhos, agulhas perfurando a sua veia, um dos residentes começou a fazer a transfusão sanguínea

-controle a pressão arterial

-quais são as chances dela doutor?

-poucas, eu não quis preocupar a família mas teremos que retirar o projétil alojado, é complicado, não sei quantas horas irá durar e nem se o organismo dela vai ser forte o bastante pra resistir, ela está fraca, seus batimentos cardíacos não estão muito bons e a pressão continua caindo, tragam o cateter, injetem Diurético para tentarmos fazer a pressão dela subir um pouco, está baixa demais

-senhor ela está tendo uma parada cardiorespiratória

-é por conta da hemorragia, vamos! se mexam temos menos de 3 minutos para deixá-la instável ou começará a haver lesão cerebral e as coisas irão ficar piores do que já estão

-dilatação das pupilas, palpitação

-REANIMAÇÃO CARDÍACA

Enquanto as coisas na sala do hospital não estavam nada boas Camila era colocada dentro de uma das celas da delegacia, Michael chegou logo atrás, alegou pro delegado sobre todo o caso, mostrou as gravação sobre Justin confessando seu crime contra a família Cabello, no momento o homem estava também passando por uma cirurgia e fora diagnosticado que ficaria sem o movimento das pernas, a bala atingiu sua coluna e perdeu muito sangue por conta do outro tiro, Shay após ser atendida no pronto socorro foi levada diretamente para a delegacia e foi presa. Michael fez um acordo com a polícia e os bancos que sofreram a perda quando os desvios de dinheiro começaram. Logo foi levado até Camila que estava dando murros na grade da prisão

-COMO ELA ESTÁ? A LAUREN ESTÁ VIVA? POR FAVOR DIZ QUE ELA ESTÁ -praticamente gritava, seu rosto estava vermelho e ela chorava sem parar

-eu não sei o estado da minha filha, eu vim aqui por que Verônica falou que o pedido de Lauren foi que cuidasse da sua liberdade caso algo lhe acontecesse

-NÃO!! vai pro hospital, vai saber como ela está, eu não estou nem um pouco preocupada comigo, só preciso saber como ela está

-provavelmente precisando de você, então Camila eu fiz um acordo, você só precisa me acompanhar e fazer uso da senha que colocou para liberar o dinheiro que desviou dos bancos esse tempo todo, é uma quantidade absurda de dinheiro

-eu faço qualquer coisa, QUALQUER COISA! eu só quero estar perto de Lauren

-vamos então

Abriu a cela e levou a garota até uma sala reservada com um computador onde ela entrou no sistema por onde faziam o desvio do dinheiro, digitou a senha e o acesso foi permitido, fez tudo que lhe pediram, sua conta foi totalmente zerada e todo o dinheiro voltou para onde veio

-feito delegado! está tudo limpo, a ficha dela também vai estar né?

-se ela causar problemas..

-ela não vai! não matou nem machucou ninguém, minha filha precisa dela agora, poderá andar pelas suas sem correr perigo de ser presa novamente certo?

-sim, ela está liberada mas ainda preciso que venha até aqui para a assinatura de uns documentos

-pode deixar, cuidarei disso!

O homem tirou a algema dela que correu desesperada daquele local

-ei espera, eu vou contigo, Verônica me passou uma mensagem falando o endereço do hospital

-então vamos logo!

Em poucos minutos eles chegaram no local e encontraram Vero sentada na recepção com as mãos sobre o rosto

“A dor, você simplesmente tem que sobreviver a ela, esperar que ela vá embora sozinha, esperar que a ferida que a causou, sare”

-onde está a Clara?

-ela desmaiou e precisou ficar de observação

-A LAUREN! onde está ela Vero? diz que ela está bem por favor -suas mãos tremiam

-infelizmente não Camila, pelo jeito que o médico falou a situação é grave, eu autorizei uma cirurgia de risco, ou era isso ou as chances seriam quase nulas

-não!!! isso não, eu já perdi tudo! minha família, já perdi quase tudo que me dá felicidade nessa vida, não posso perder ela também, não assim, pelas mãos daquele monstro! ele tirou tudo de mim! ela se jogou na frente da bala pra me salvar, a culpa é toda minha

-não, a culpa é do Justin!

-eu que me envolvi com ela, devia não ter me envolvido ou ela não estaria nessa situação agora

-para com isso, vocês se amam, não tiveram culpa do que aconteceu, precisa tentar se acalmar, eu também estou mal mas tento manter a calma, ela precisa que sejamos fortes agora, não importa o que aconteceu, você foi uma das melhores coisas que aconteceram com a Lauren

As duas se abraçaram. Na sala de cirurgia os médicos controlaram a parada respiratória

-isso, deixem a máscara de oxigênio bem fixa, tragam o bisturi,anestesia, tesoura e a pinça, precisamos operar ela agora, continuem de olho nos sinais vitais

-sim senhor!

O médico começou o processo cirúrgico, a situação era delicada, depois de algumas horas ela teve uma parada cardíaca o que era ainda mais perigoso para a situação crítica em que já se encontrava, durante a euforia Camila havia entrado a força procurando Lauren em todas as salas até encontrar o lugar em que elas estava, adentrou a sala descontrolada

-senhor ela está tendo uma para cardíaca

-NÃO!! LAUREN POR FAVOR NÃO ME DEIXE MEU AMOR -Camila gritou ouvindo o barulho da máquina dando alguns bipes

-quem deixou essa louca entrar aqui? coloquem ela pra fora, estávamos quase terminando a cirurgia, peguem o Desfibrilador! podem exercer o primeiro choque

-LAUREN!! EU TE AMOO, EU TE AMO LAUREN!! -duas enfermeiras tentavam arrastá-la pra fora, a pressão arterial de Lauren estava cada vez mais baixa, e seus batimentos cardíacos diminuindo

-segundo choque

-LAAAUUREN!!

Tiraram Camila da sala de cirurgia aplicando um sedativo e fazendo-a ficar desacordada.

“Podemos costurar a pele, reparar os danos, diminuir a dor. Mas quando a vida sucumbe, quando nós sucumbimos, não há ciência nem regras fortes e rápidas. Apenas temos que superar”


Notas Finais


vou falar nada não, tô bem na bad :/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...