História The Dance Brought Me Love Accidentally. Season 3 - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Imagine Bts, Imagine Jimin, Imagine Sunny, Lee Soonkyu, Sunny
Visualizações 79
Palavras 5.012
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oooooi coelhinhosssss
Olha só quem chegou com capítulo novo, TCHARAAAAAAAAAAM
AMFLKNSDLFNDSLFNDSLFN Depois de tanto pensar se continuava ou não, eu consegui escrever algo de meu agrado que conseguisse transmitir tudo o que eu tinha guardado aqui na caxola
Sinto muito pela demora, mas acho que valerá a pena a demora, não sei né kkkkkkkkkkkk
Tentarei deixar a preguiça de lado mais vezes para escrever, porque tem sido difícil, noss senhora
Vamos a leitura? Vaaaaaamos

Capítulo 7 - Maldita tranca.


— Tem certeza de que está tudo bem? - Jimin perguntou pela segunda vez percebendo a inquietação da namorada na cama por ficar se virando de um lado para o outro.

— Tenho, é só falta de sono. - deu alguns socos no travesseiro afim de afofa-lo e deitou a cabeça novamente, assim que o fez, Jimin passou o braço pela cintura dela a abraçando. - Ah não, desgruda um pouquinho. - pediu manhosa.

— Você nunca recusou ficar de conchinha comigo, o apocalipse está acontecendo e ninguém me avisou? - perguntou levantando a cabeça para olha-la.

— Não tem apocalipse nenhum acontecendo, só está calor e com você cheirando meu cangote não ajuda. - arqueou a sobrancelha.

— Eu baixo mais a temperatura do ar, mas não me deixa sozinho. - fez bico.

— Você não está sozinho, eu estou bem aqui. - deu um tapinha no peito dele.

— Mas ficar sem te abraçar é como se não estivesse comigo. - enquanto falava, apontou o controle do ar para baixar mais a temperatura apertando duas vezes o botão. - Está quase no mais baixo de todos, se eu morrer de frio, a culpa é sua.

— Você não vai morrer de frio, fecha os olhos e volta a dormir. - riu virando-se pro lado contrário.

— Está bem... Mas sem você eu não fico. - rapidamente ele colou o corpo nas costas dela enquanto a abraçava fazendo-a arregalar os olhos.

— Jimin! - esbravejou baixinho.

— Boa noite, jagi. - beijou o ombro da menor e fechou os olhos. Vendo que ele não a soltaria tão cedo, resolveu dormir assim mesmo.

03:48 am

— O que?! - Shelley se segurou para não gritar. - Como... É imp...

— Ele pode ser o seu irmão porque eu e a mãe dele tivemos um caso quando jovens. - Robert a explicou calmo sentado com ela ainda na cafeteria. - Nem Esmerald e nem Seung souberam disso, ela apenas me contou a incerteza dela no dia que eu iria embarcar para o Japão, Jimin já tinha quatro anos.

— E ela não tentou fazer nenhum teste? - perguntou ela de cabeça baixa.

— Não que eu saiba... E se descobriu, também não me contou. - a voz de Robert atormentava os sonhos de Shelley pela terceira vez naquela noite onde passavam pequenos flashs de quando o encontrou no café e teve uma breve conversa já que ela precisava voltar para o fanmeeting dos meninos.

— Eu não sei o que fazer... - fungou já sentindo algumas lágrimas se acumularem em seus olhos.

— Bem... Eu preciso voltar ao trabalho. Pode me passar seu número para irmos conversando? Eu não sei de quase nada sobre você. - e com aquela pergunta, Shelley começou a choramingar coisas desconexas e a chamar por Jimin baixinho enquanto dormia fazendo com que o próprio acordasse por ter um sono leve.

— Shelley? - nada ela respondeu, apenas a ouviu fungar. - Ei, tampinha, você está tendo outro pesadelo. - balançou levemente o ombro dela para que ela acordasse.

— Não... Não vai embora... Jimin, por favor... - falou baixo deixando o Park preocupado com o que ela sonhava, vendo que a sacudindo não adiantaria, ele então a abraçou com força contra o seu corpo.

— Eu estou aqui, você está apenas sonhando. - falou perto do ouvido dela conseguindo faze-la finalmente abrir os olhos de forma assustada pois, assim que acordou, agarrou a camisa dele com força. - Calma... Sou eu, Jimin. - falou baixo tirando uma mecha de cabelo do rosto dela. Ele achou que ela iria sorrir por vê-lo ali, mas ela começou a chorar assim que tapou os olhos. - O que você tem, huh? - voltou a abraçar a namorada apertado e a deixou chorar em seu peito até que acabasse dormindo novamente, por mais que só tivesse sido preciso alguns minutos, ele só conseguiu voltar a dormir quando ouviu que ela havia parado de chorar. - Vai ficar tudo bem... - foi a última coisa que disse antes de pegar no sono novamente.

Na manhã seguinte...

— Os blazers novos são lindos. - Hoseok comentou passando com os cabides dos seus em mãos.

— Pelo menos, esse não está dando aquela coceira no braço que nem o outro, todo mundo dizia que eu estava louco, mas eu sabia que tinha um fiozinho que gostava de me fazer cosquinha naquele... - Taehyung assentiu satisfeito com seu reflexo no espelho após provar o seu também.

— Fiquei bonito? - Jungkook saiu do provador vestindo um dos figurinos para que os outros vissem.

— Claro que ficou. - Namjoon respondeu primeiro tirando o seu blazer.

— Quando é que você não está bonito, Jungkook? - Jin perguntou ajeitando o seu de volta no cabide após ter provado também.

— Não fica falando essas coisas que depois ele fica todo convencido jogando o cabelo! - Jimin falou de dentro do provador fazendo eles rirem.

— Como será que é o figurino da Shell? - Yoongi perguntou sentado no sofá.

— Hitman disse que seria parecido com os nossos como os anteriores, só que adaptado para uma mulher, claro. - Jimin respondeu depois de sair do provador para por o cabide de volta na arara de roupas.

— Estou achando estranho é que ela não veio nem mostrar pra gente... - Taehyung disse com um tom desconfiado. - Será que ela quer nos fazer uma surpresa?

— Ou quem sabe ela está atrás da porta rindo da nossa cara. - Jin se aproximou da porta e abriu a mesma devagar se enganando com seu pensamento. - Esqueçam o que eu disse. - balançou a mão no ar em reprovação pra eles após fechar a mesma.

— Eu vou ir lá ver se ela está com dificuldade pra alguma coisa. - Jimin falou depois de arrumar seu cabelo ao passar no espelho.

— Não vão demorar hein, as paredes aqui tem ouvidos! - Namjoon disse arrancando risadas dos demais.

— Hyungs... - Jimin balançou a cabeça negativamente e saiu caminhando para o camarim da menor, ele achou que teria que sair gritando por ela, mas foi mais fácil do que ele imaginava porque ele a ouviu cantando atrás de uma das portas. Devagar, ele abriu a mesma e teve a visão da namorada sentada no chão de costas analisando seu figurino posto na sua frente, ela estava cantando baixo a música que Jimin quis dançar com ela quando estavam na casa dele, isso só fez com que Jimin sorrisse ainda mais. Querendo fazer uma surpresa, Jimin fechou a porta atrás de si sem fazer qualquer barulho e se aproximou dela a passos lentos.

— Nobody's gonna love me like you, nobody ah, nobody oh oh, nobody's gonna love me like you do, like you, uh uh... - Shelley continuou cantando enquanto analisava com cuidado os detalhes da roupa aberta dentro de um bolsão que guardava o mesmo pendurado em um cabide. - Nobody, nobody ah...

— Depois me perguntam como consigo me apaixonar mais por você a cada dia que passa. - Jimin se pronunciou depois de alguns instantes ajoelhado atrás dela. Shelley se arrepiou com as palavras e sentiu uma pontada no coração, coisa que fez com que ela tivesse que prender o choro mais uma vez.

— Oi... Jimin... - deu um sorriso pequeno ao olhar para ele e voltou a baixar a cabeça por sentir seus olhos embaçarem.

— Jimin? Achei que ia me chamar de ursinho... Ou amor, anjo, panda humano, onde foram parar os meus apelidos? - perguntou inclinando seu corpo ao lado dela risonho, mas o mesmo sumiu quando a viu claramente desanimada com o olhar longe. - Tudo bem?

— Huh? - virou o rosto pra ele como se tivesse acordado de um transe. - O que disse?

— Você está estranha. - estreitou os olhos desconfiado.

— Não! Imagina... - soltou uma risadinha. - Só um pouco nervosa... O estádio daqui é ainda maior que os que fomos... Não sei se as japonesas podem me aceitar tão bem ao vivo e tudo mais...

— Quem é você e o que fez com a minha namorada? - pôs o cabelo dela atrás da orelha para poder ver melhor o seu rosto. - Todas te amam, como poderiam se decepcionar com você ao vivo?

— Não sei... Vai que eu erro em alguma coisa. - suspirou cansada por ter dormido pouco.

— Sei que irá se sair bem, confio em você. - beijou a bochecha dela e fez menção de beija-la, mas ela grunhiu e virou o rosto. - Está me recusando? - franziu o cenho estranhando.

— Vim tomando café pra cá, minha boca deve estar com um gosto ruim. - pôs uma das mãos na boca disfarçando.

— Você nunca ligou pra isso. - riu da desculpa que ela deu. - Você já me beijou assim que acordamos, depois do almoço, até mesmo quando eu estava todo suado depois do treino, café não é nada. - esfregou a ponta do nariz na bochecha dela fazendo-a se encolher por ter feito cócegas.

— Quem sabe você não goste de café porque... Comi chocolate depois? - perguntou abafando a voz por ter a mão ainda na frente da boca.

— Já disse que eu não ligo. - sorriu ao olha-la. - Deixa de frescura. - tirou a mão da boca dela e segurou a mesma impedindo que ela a tapasse novamente.

— Não, esp... - sem deixar que ela terminasse a frase, Jimin colou os lábios nos dela fazendo-a calar-se completamente com o ato. Ela não sabia o que fazer. Se correspondesse, aceitaria que estava tendo um incesto com o próprio irmão mais velho pois, ela já tinha na cabeça que era certo que ele era seu possível irmão. Se recuasse, teria que explicar porque não poderia beija-lo e vê-lo triste e desamparado pelo resto da turnê, a deixaria se sentindo egoísta e extremamente culpada. Quando Jimin pediu passagem, ela não deixou e virou o rosto baixando a cabeça depois com muita vergonha.

— Doeu alguma coisa? - Jimin inclinou a cabeça ainda confuso.

— Doeu. - ela voltou a olha-lo e ele pode ver que ela estava com os olhos marejados.

— O que... - Jimin tinha a testa franzida não entendendo a reação da namorada.

— Não posso te contar isso agora, não insiste, por favor... - fechou os olhos para que ele não a visse chorando.

— Mas...

— Por favor... - interrompeu ele novamente pedindo fracamente.

— Tem a ver com seus pesadelos dessa madrugada? - perguntou realmente preocupado por ela estar recuando.

— Tem... - sussurrou de cabeça baixa.

— Tudo bem. - suspirou dando-se por vencido, beijou a cabeça dela e levantou-se depois. - Quando puder me contar, é só me chamar, está bem? - Shelley apenas assentiu com a cabeça e deixou que ele saísse, assim que a porta se fechou, ela se pôs a chorar novamente não acreditando que aquilo poderia ser real.

— Como vou te contar que você pode ser meu irmão, Jimin? Com que olhos eu vou te olhar depois disso? Como você vai me tratar depois que souber isso? A gente não vai poder nem namorar mais, e se isso chegar aos ouvidos da mídia? Imagina o escândalo que vai ser? O quanto vão te apedrejar por não saber que tinha uma irmã e que já beijou ela sem saber o parentesco... - passou as mãos pelo cabelo levando os fios para trás enquanto desabafava sozinha. - Eu não vou conseguir ficar aqui se não for pra ficar com você. - fungou limpando o rosto mais uma vez devido as lágrimas que caiam.

Uma semana depois...

— Tem certeza que quer ficar aí dentro de novo? É nosso dia de folga hoje. - Jungkook bateu na porta do quarto que ela estava trancada desde o café da manhã.

— Tenho, pode ir com eles, eu me viro aqui, já tomei meu remédio para dor de cabeça, vou dormir um pouco, depois nos vemos... - sua voz saiu baixa, mas alta o suficiente para que ele ouvisse.

— Tudo bem... Se precisar de algo, é só ligar pro Jimin ou pra um dos hyungs, está bem? - perguntou preocupado. Shelley vinha se afastando gradativamente não só de Jimin, mas também dos outros sem dar um motivo aparente. Ela estava ficando isolada a maior parte do tempo, sempre que perguntavam o que aconteceu, ela baixava a cabeça e depois levantava a mesma sorrindo com os olhos um tanto lacrimejados como se estivesse segurando o choro sobre algo que não poderia contar.

— Entendi. - assim que ela ouviu os passos do maknae se afastarem de sua porta seguido das outras vozes masculinas presentes no quarto que dividiam, ela abriu a porta cuidadosamente verificando se estava tudo realmente vazio. - Ótimo. - suspirou aliviada e tirou o celular do bolso de sua calça para discar um número. - Robert, posso sair, onde te encontro?

Minutos depois...

— Eu não sei mais por qual caminho ir, a Shelley não me deu mais opções, ela se afastou de mim por algum motivo e por mais que eu insista, ela não diz. Ela não tem me dado mais nem carinho, parece que ela está... Tentando me evitar. - Jimin falou tristonho no meio dos amigos enquanto caminhavam em um shopping. - Acham que ela cansou de mim e vai terminar comigo? - perguntou falando mais baixo dessa vez.

— Claro que não, você é Park Jimin, ela não iria terminar com um cara como você. - Taehyung disse achando um absurdo o pensamento do menor.

— Ela não terminaria com você seja lá por qual motivo ela se afastou. - Jungkook falou também cruzando os braços.

— Pode ser que ela só precise de um pouco de espaço. - Jin falou tentando tranquiliza-lo. - Sabe, ela não tem amiga nenhuma pra conversar só coisa de menina, a omma dela está nos Estados Unidos, as únicas meninas que ela trocou algum tipo de contato na Coreia, foram as meninas do BlackPink, pode ser que ela esteja sentindo falta de uma companhia feminina e queira um tempo com ela mesma.

— Acha mesmo que pode ser só isso? Ela recusa até meus beijos agora. - fez bico por sentir falta de ficar grudado como estava a alguns dias atrás.

— Eu confiaria, Jin é o super experiente. - Namjoon falou dando dois tapinhas no ombro do mais velho.

— Desculpem se eu presto atenção em coisas que passam despercebidas por vocês. - mexeu os ombros convencido.

— Isso é verdade, se duvidar, ele sabe até das reações da minha mãe que eu nem desconfio. - Yoongi falou apontando pra ele abismado.

— Pode ser que ela esteja fazendo uma surpresa também para que você tenha uma reação melhor do que o esperado. - Hoseok comentou também andando mais à frente.

— Pode ser isso também... - suspirou e balançou a cabeça espantando os pensamentos ruins que o rondavam. - Obrigado, vocês são incríveis. - sorriu sincero.

— A gente sabe, não é à toa que somos os melhores hyungs do mundo. - Namjoon bateu as mãos como se estivesse tirando poeira delas tirando risadas deles.

— RapMon está andando demais com o Suga... - Jungkook comentou olhando pra cima.

— O que disse, poste humano? - Yoongi perguntou virando-se pra trás.

— Que seu cabelo está incrível hoje. - sorriu fofo.

— Eu sabia disso. - deu de ombros e voltou a andar.

— Hyung, não acredite no que ele diz, o maknae só está tentando se safar. - Taehyung apontou para o mais novo fazendo-o arregalar os olhos.

— Eu já sabia disso também. - Yoongi falou sem importância.

— Está me entregando?! - Jungkook perguntou indignado olhando para Taehyung.

— Vamos logo que eu estou faminto, vocês falam demais. - Jimin passou os braços um de cada lado da cintura dos dois amigos e saiu puxando-os para junto dos outros enquanto discutiam.

Enquanto isso...

— Por que escolheu uma biblioteca pra conversar sendo que é o único lugar no mundo onde não podemos falar descentemente alto? - Shelley arqueou a sobrancelha andando por um dos corredores de livros distraída com o tanto que tinha ali.

— Porque... Era o mais perto que tinha, depois saímos daqui. - pensou em uma desculpa qualquer, ele na verdade, não queria estar sendo visto, estava sendo era procurado em plena luz do dia, não por policiais e sim por gangues, por a vida de mais alguém em risco seria injusto quando ele está apenas tentando salvar a própria pele. - Então... Contou ao Jimin sobre o que te falei semana passada? - sorriu esperançoso.

— Não... Não é tão fácil como parece. - suspirou pondo de volta na estante um livro grosso que havia pego para ver seu título, pena que não sabia tanto assim japonês, as capas lhe chamavam certa atenção. - Porque a pergunta?

— Achei que teria ficado feliz em descobrir que tinha um irmão. - deu de ombros olhando os livros a sua frente.

— Ficaria, se ele não fosse meu namorado... - disse a última palavra num quase sussurro.

— Seu o que? - um mísero ciúme pareceu brotar em seu peito ao ouvir aquela palavra. Robert fingia ligar para a filha quando bebê, mas agora, tendo-a ali ao seu lado depois de crescida, sabendo que ela estava se relacionando com alguém o causava um certo desconforto.

— Meu namorado. - afirmou passando a mão pela capa de outro livro que achou interessante. - Sobre o que será isso? - perguntou mais para si mesma do que para ele.

— Desde quando?

— Temos mesmo que conversar sobre isso agora? Aqui? Eu estou namorando com meu possível irmão e você quer logo saber desde quando estou com ele? Sério isso? - pôs de volta o livro na estante irritada e se virou para ele. - Achei que queria saber de mim, depois de anos que sumiu, perguntar o que fiz da minha vida sem você, porque foi embora, porque veio pra cá, porque não quis saber da filha que tinha, vinte anos se passaram, tem noção disso?! - Robert não tinha resposta alguma a altura para ela, ele parecia estar vendo uma assombração, a cópia perfeita de Esmerald na sua frente versão minúscula. -

— Eu... - passou a mão pelos fios pensando em alguma coisa. - Eu não sei o que te responder... - e realmente, ele não sabia, não era qualquer mulher brigando com ele, era a sua filha querendo ou não.

— Nesse caso, estou vendo que vir até aqui foi uma perda de tempo. - suspirou cansada antes de dar uma olhada no horário no celular. - Vou voltar antes que os meninos cheguem e ponham a polícia atrás de mim, até qualquer dia. - passou por ele sem olhar em seu rosto e sem esperar por alguma resposta.

— Espera! Eu... Me... - respirou fundo. - Me desculpe. - disse fazendo-a parar de andar e se virar para ouvi-lo, não parecia que aquelas palavras haviam o afetado, mas por dentro pareceram facas sendo enfiadas em seu corpo, já por fora ele tentava fazer a maior cara de arrependido que conseguia. - Eu ainda não sei lidar com isso... Não sonhava em ter uma filha quando mais novo, muito menos um filho, eu só queria conseguir conquistar o mundo, agora eu quero poder aproveitar o tempo que perdi. Sei que não será a mesma coisa porque você e nem ele são mais crianças, mas poder ver vocês juntos de perto, seria algo extremamente gratificante para um pai. - abriu os braços quando chegou perto o suficiente dela e aos poucos foi a abraçando. - Desculpe por o pai ainda não saber como te tratar como uma filha, isso... Ainda é novo pra mim, quando saí de New York, você estava com três anos e agora está com... - fez uma conta mentalmente. - Vinte e dois? - arqueou a sobrancelha.

— Isso. - falou baixo o envolvendo também.

— Estou velho, mas ainda sei fazer contas. - riu sem humor após solta-la. - Quer sair daqui?

— Quero... - sorriu sem mostrar os dentes e logo ambos saíram dali lado a lado para ir a algum lugar mais agradável.

Longe dali...

— A gente já pode voltar pro hotel? - Jimin perguntou assim que passou pela saída da sala de cinema junto dos outros meninos. - Eu nem prestei atenção nesse filme direito porque fiquei pensando na Shelley, é sério, eu preciso saber o que ela tem.

— Você precisa relaxar, vamos, ela só estava com dor de cabeça quando saímos e já deve estar devorando tudo o que tem no quarto. - Hoseok disse massageando os ombros do menor. - E se acabar, aposto que saiu pra comprar mais. Imagino eu que ela deve estar jogando aquele jogo que o Jungkook é viciado.

— Ela gostou de Overwatch? - o mais novo arregalou os olhos quase maravilhado por ter ouvido aquilo.

— Ela viciou naquilo isso sim... - Jimin riu baixo ao se lembrar de uma madrugada que acordou com o som de explosões e quando abriu os olhos, deu de cara com Shelley sentada na ponta da cama com um controle em mãos destruindo qualquer um que entrava em sua frente. - Até que ela era boa. - cruzou os braços certamente convencido.

— Irei testar as habilidades dela qualquer hora, aí sim vou ver se concordo com você. - disse pondo o resto de pipoca do saquinho na boca.

— Falou o super craque. - Taehyung deu um tapinha na parte de trás da cabeça do maknae logo ao lado dele.

— Au! Mais respeito com o maknae, fazendo o favor?

— Pior que ele é o mais craque mesmo, o filho da mãe mal me deixou entrar e já me matou antes de me explicar o que os botões faziam. - Yoongi fez uma careta ao lembrar da sua perda.

— De mim ele não ganha, a gente sempre empata. - Taehyung deu um de seus sorrisos quadrados dando dois tapinhas no ombro de Jungkook.

— Mentira que eu já te venci duas vezes. - bateu na mão dele emburrado.

— E eu te venci quatro. - empinou o nariz.

— Aquela não conta! Eu esqueci de pausar o jogo porque fui para o banheiro correndo se não eu faria xixi nas calças. - falou mais baixo como se fosse um arrependimento.

— Não ponha a culpa na sua bexiga porque tomou dois copos grandes de refrigerante e não pensou em ir ao banheiro antes da partida ter começado. - virou a cara pra ele.

— Namjoon hyung, faz alguma coisa, o Taehyung está dizendo que ganhou de mim quando não ganhou! - choramingou abraçando o braço do líder como uma criança.

— Quem é você e o que fez com o Jungkook? - perguntou arqueando a sobrancelha.

— Sou o Jungkook, não me reconhece mais, hyung?

— Tem a aparência, mas está agindo como um bebê. - provocou.

— Eu não sou um bebê, já tenho vinte e um anos! - bateu o pé indignado.

— Oh senhor não bebê do grupo mesmo sendo o mais novo, tem um jogo ali dos Vingadores que acho que vai te interessar. - Jin indicou com a cabeça pra ele que logo saiu procurando com os olhos desesperado como se estivesse faminto.

— Onde? Cadê? Me mostra Jin! - saiu empurrando o mais velho para a loja. - Seja o meu Charvis só pra achar o joguinho, depois você pode ir comer.

— Me chamou de que? - franziu o cenho confuso.

— Meu guia. - riu por ele não saber sobre o que se tratava.

— É agora que eu não volto pro hotel tão cedo... - Jimin resmungou fazendo bico e logo seguindo todos os outros que começaram a rir do comentário feito por ele.

Em um parquinho...

— Você se jogou na frente deles? Shelley, poderia ter sido atingida... - Robert falou em um tom preocupado enquanto a ouvia falar sobre o que aconteceu no show em que seu ex invadiu o camarim e causou não só o desmoronamento do estádio, mas também um incêndio.

— Eu sei, mas se algum deles saísse ferido dali, me faria me sentir culpada... Eu não poderia deixar que um louco irresponsável fizesse algum mal a eles, mesmo que fosse de raspão. - riu nasalmente olhando as pétalas de cerejeira caírem sem pressa. - Eles foram minha família desde que havia me mudado pra Seul. Minha rotina mudou completamente desde que os conheci. Na minha cabeça, eu levaria meses pra conseguir uma vaga em alguma escola descente de dança, aí eu pisquei e estava no meio dos sete k-idols mais populares do mundo, foi muito... Surreal. - sorriu de lado. - Então o menor deles virou meu namorado... Se não fosse pela insistência dele de me encontrar depois de ter me visto dançando, provavelmente eu ainda estaria na Coréia, quem sabe em New York passando alguns dias com a omma quem sabe... Tudo, menos aqui.

— É realmente impressionante o que você conquistou se mudando pra Seul, parabéns. - concordou assentindo com a cabeça. De certo modo, ele estava orgulhoso.

— Obrigada. - Shelley sorriu sem graça e baixou a cabeça. Em outros tempos, Robert brigaria com ela dizendo que isso não era emprego ou rumo a se tomar para uma garota, mas vendo tudo o que ela passou e conquistou para estar coincidentemente ao lado dele, valeu a pena.

— Posso lhe contar uma coisa? Se não for incômodo...

— Claro, o que?

— Bem... Minha empresa lançou um produto e faliu pois, os clientes não gostavam, por conta disso, preciso pagar uma multa que está extremamente elevada do que eu tenho condições de pagar.

— Nossa, e quanto pediram? - Robert então mostrou o número convertido na calculadora e a menor se assustou como tanto de zero mostrado. - É, bem elevado...

— Eu não sei mais pra qual recurso recorrer. - balançou a cabeça negativamente mostrando frustração. - Já vendi tudo de valor e se eu não pagar essa dívida, acabarei falindo a empresa. - suspirou cansado.

— Eu acho que eu posso te ajudar... - o mais velho logo a olhou surpreso. - Claro, não acho que já acumulei muito, mas... Eu acho que eu posso. - deu um sorriso mínimo.

— Qualquer ajuda vinda da minha filha seria bem vinda. - retribuiu o sorriso e a abraçou afetuosamente agradecendo por seu plano estar sendo mais fácil de executar do que imaginou.

Algumas horas mais tarde...

— Eu estou oficialmente morto! - Yoongi falou primeiro assim que entrou no quarto, já estava passando das sete da noite. - Jungkook me fez andar mais do que nossas caminhadas, parabéns, amanhã sei que não vou precisar levantar cedo pra me aquecer, já fiz isso um dia antes. - ergueu as mãos para o teto agradecendo.

— Nem foi tanto assim. - riu carregando as sacolas de jogos que comprou para o seu quarto.

— Pessoal... - Jimin chamou por eles assim que parou na porta do quarto da namorada. - A Shelley mandou alguma mensagem pra vocês? - o menor perguntou e assim todos eles foram ver suas notificações, porém a cada não que ouvia, fez com que entendesse o pressentimento ruim que sentia quando estava no passeio. - Então ela saiu e não voltou?! - falou ao ver que não tinha nenhuma mensagem ou chamada perdida dela no seu telefone mais uma vez. - Eu sabia que tinha alguma coisa acontecendo! - socou o batente da porta visivelmente com raiva.

— Calma, ela não deve ter ido longe... Com certeza o celular dela descarregou ou... - Namjoon se pronunciou primeiro, mas logo parou de falar assim que ouviu a porta sendo aberta e fechada em seguida.

— Quem sumiu? - a voz feminina da menor invadiu os ouvidos de todos surpreendendo-os quando a viram passar pela porta. - Que foi? Tem um inseto gigante na minha cabeça? - perguntou passando a mão sobre o topo da mesma.

— Shelley! - Jimin caminhou apressadamente até ela e a abraçou com força. - Que susto que você me deu... - fechou os olhos sentindo um alívio por tê-la nos braços.

— Mas... Eu não estou entendendo. - franziu o cenho ainda não entendendo a reação deles.

— Nós acabamos de chegar e o Jimin começou a ficar preocupado porque você não estava no quarto e já está escuro lá fora. - Taehyung explicou gesticulando com uma das mãos.

— Já estávamos achando que poderia ter sido sequestrada, se perdido... - Hoseok falou em seguida.

— Ela está aqui, meu pressentimento não passou de uma impressão. - Jimin sorriu abertamente assim que a soltou. - Da próxima vez, não sai sem avisar um de nós onde foi, por favor? - pediu pondo ambas as mãos no rosto dela com medo de que ela fosse fugir dele mais uma vez.

— Tudo bem... Desculpe.

— Já passou. - Jimin sorriu novamente e fechou os olhos novamente após encostar a testa na dela. Shelley não podia afasta-lo sem mais nem menos, então apenas comprimiu os lábios nervosa por ele estar muito perto dela. Jin fez um sinal de "circulando" para os outros que logo entenderam que era hora de deixa-los sozinhos. Cada um seguiu para o seu quarto assim como Jimin, mas ele não foi para o dele e sim para o dela, ele precisava de explicações. - Vai continuar se afastando de mim por quanto tempo? - o moreno perguntou assim que entrou no quarto dela.

— Como entrou? - perguntou assim que o viu se aproximar da cama onde ela se encontrava sentada.

— Alguém esqueceu de trancar a porta. - respondeu ironicamente e cruzou os braços frente a cama. - Quer que eu repita? - nisso, o celular dela começou a tocar e mostrou um nome no ecrã que Jimin nunca havia visto. - Robert? - arqueou a sobrancelha.

— E-ele é... Calma, não é o que você está pensando. - assim ela se pôs de pé quando o viu se aproximar mais dela, mas ele lhe tomou o celular sem esperar uma resposta.

— Alô? - Jimin atendeu ao celular com uma expressão dura pensando que poderia ser por isso que ela vinha se afastando dele.

 Olá, poderia falar com a Shelley?

— Quem deseja? - perguntou com o tom mais educado que tinha mesmo sabendo que a vontade era de pular no pescoço de quem quer que estivesse do outro lado da linha.

— Jimin, devolve meu celular! - Shelley esbravejou tentando tirar o aparelho dele, mas ele a afastou facilmente para ouvir o ser do outro lado.

— O pai da Shelley, e você, quem é?


Notas Finais


EITA PORRA ODHFKDLÇJDNVLKDN,SNV Em minha defesa, não tenho nada a declarar, só passei pra deixar o tiro mesmo, ia deixar pra postar de tarde depois que chegasse em casa, mas a ansiedade de ver a reação de vocês foi maior

Até o próximo capítulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...