História The Dance Brought Me Love Accidentally. Season 3 - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Imagine Bts, Imagine Jimin, Imagine Sunny, Lee Soonkyu, Sunny
Visualizações 71
Palavras 6.445
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Como é que é produção? Sack escreveu um capítulo sem quase demorar um mês de novo pra atualizar a história? AMÉM PORRA NKJADNLSDHLSKJDLKSJD
Oi oooooi coelhinhos lindos do meu coração
Sim, vim trazer capítulo quentinho pra vocês, espero que gostem, tem último dia da WINGS Tour, apresentações solos, tretas, lágrimas rolaram, Shemin, Vkook, Taekookmin, Shekook resumindo: Um verdadeiro tiro.

FALANDO EM TIRO: Já viram os posters postados pela BigHit hoje sobre o projeto Love Yourself? Eu estava de boas lá no meu trabalho, aí a coisinha lá resolve dar tiro de uma em uma hora, fiquei tipo, MEU VAMO COM CALMA AÍ QUE EU AINDA NEM ME RECUPEREI DO JUNGKOOK NUMA CADEIRA DE RODAS, DÁ LICENÇA OIJSDIJASODJOADJSOJ

Esses meninos só me dão orgulho ~suspira~

Agora vão ler negada, boa leitura u.u

Capítulo 8 - Se você não me contar, então vou descobrir sozinho.


Fanfic / Fanfiction The Dance Brought Me Love Accidentally. Season 3 - Capítulo 8 - Se você não me contar, então vou descobrir sozinho.

(Coloquem Let Me Know - BTS pra tocar.)

— Porque não me disse que o problema todo era seu pai? - Jimin falou sentado perto dela bem na sua frente enquanto segurava suas mãos. - Achei que confiava em mim... - falou mais baixo dessa vez, ela estava com a cabeça baixa até ouvir aquilo.

— Mas eu confio! - exclamou ao olhar pra ele.

— Então porque não me disse? - insistiu parecendo magoado por ela não tê-lo contado.

— Porque... Tem... Outra coisa... - involuntariamente apertou as mãos dele, coisa que não passou despercebida por ele.

— Me diz o que é. - pediu olhando nos olhos dela.

— Não posso pegar toda a sua atenção pra mim quando ainda tem uma turnê pra finalizar, é um assunto muito delicado... - disse em um fio de voz.

— Seu pai tem a ver com isso? - acariciou a bochecha dela, em resposta, ela assentiu com a cabeça. - Ele quer te tirar de mim? - novamente ela só moveu a cabeça porém negando. - Porque eu não posso saber então?

— Porque você ficaria triste e eu muito mais em saber que eu sou a causa disso... - fungou e baixou a cabeça por não aguentar olhá-lo nos olhos.

— Seria tão mais fácil se você me dissesse.., - beijou o topo da testa dela com carinho.

— Eu te explico quando a turnê acabar, mas você tem que me prometer uma coisa.

— Qualquer coisa.

— Me prometa que não sairá do meu lado, independente do que aconteça.

— Mas você sabe que eu nunca te deixaria...

— Prometa, Jimin. - pediu convicta olhando-o.

— Eu prometo, não se preocupe. - mesmo sem entender, ele permaneceu alguns instantes a olhando tentando decifrar suas expressões, mas parecia ser mais complicado que fórmula de descobrir o x da questão. - Sabe que vou reclamar mais sobre a sua falta, não sabe?

— Sei... Mas nada disso está acontecendo porque eu quero também. - ela então se levantou e soltou as mãos dele enquanto ele a seguia com o olhar. - Está doendo mais em mim do que em você por te ver com essa cara de quem não está entendendo nada, porque sei que quando entender, vai ficar no mesmo estado que eu. - fungou e de olhos fechados ela abriu a porta. - Eu tenho que fazer isso... Pro seu bem.

— Está me mandando embora? - a tristeza em sua voz era nítida.

— Eu prometo te explicar tudo... Mas no momento, você tem coisas mais importantes pra cuidar. - ditou baixo ao encostar a cabeça na porta.

— O que é mais importante do que você? - perguntou indo até ela. - Público nenhum importa pra mim se você não estiver sorrindo.

— Mas eu me importo com a preocupação que elas têm com você, inclusive com você sorrindo, eu quero poder te ver sorrindo enquanto eu ainda posso. - levemente ela o empurrou para o lado de fora do quarto.

— Porque eu estou com a sensação de que posso te perder a qualquer momento? - a voz dele estava embargada enquanto dava alguns passos para trás para sair do quarto dela.

— Eu não vou embora, só se necessário. - riu irônica tentando espantar a vontade que tinha de chorar.

— Se necessário? Mas Shelley... - ela não o deixou terminar pois, subiu a mão do seu peito, para os lábios dele impedindo-o de falar.

— Eu te amo, não esquece. - falou quase como um sussurro e fechou a porta devagar para que não acordasse os outros ou deixasse que ele pensasse que estava com raiva dele. Assim que a mesma se encontrava agora fechada, ela encostou as costas na madeira e deixou que seu corpo fosse de encontro ao chão de maneira lenta, afastá-lo dela estava parecendo ser algo quase impossível porque ela amava a presença dele, amava tê-lo a abraçando, a fazendo rir ou seja lá o que fosse, mas saber que ele não poderia ficar assim tão perto dela por talvez terem o mesmo sangue correndo em suas veias, só a fazia se sentir pior por sentir a falta dele.

— Jimin? - Taehyung sussurrou ao ver o amigo sentado no sofá da sala escura iluminada apenas pelas luzes das janelas.

— Oi Tae... - falou baixo e abraçou as próprias pernas.

— Como foi? - manteve o tom baixo ao se sentar ao lado dele assim que saiu de seu quarto.

— Está tudo desmoronando... E eu não tenho a mínima ideia do que fazer... - respirou fundo e esfregou os olhos. - Eu não sei nem por qual motivo eu estou chorando se eu não sei porque ela está se afastando, eu não sei de nada! Meu Deus eu sou um péssimo namorado. - encostou a cabeça nos joelhos deixando que mais lágrimas rolassem por seu rosto.

— Claro que você não é um péssimo namorado. Se fosse, não acha que ela já teria ido embora antes mesmo de vocês completarem três meses?

— Então é por isso que eu estou sentindo que eu posso acordar a qualquer momento e ela não estar mais aqui? - perguntou com a cabeça abaixada.

— Ela não vai embora, Jimin, calma. - o abraçou de lado.

— Não deixa ela ir Taehyung, ela é uma das pessoas mais importantes que eu tenho do meu lado, sabe como eu ficaria se ela fosse embora? - o desespero era nítido na voz do menor.

— Arrasado, destruído, vai sentir saudade até se sentir esgotado, você não precisa nem falar. - Jimin havia o abraçado de lado também, então afim de tranquiliza-lo, ele começou a mexer nos fios escuros dele.

— Será que ela não me ama mais e quer deixar pra me falar isso pra depois da turnê pra que eu não aparente estar triste na frente das câmeras?

— Óbvio que não! - exclamou o maior indignado. - Ela não seria louca de te deixar, ela te ama e muito, não repita mais isso.

— Mas...

— Eu sei que ela está escondendo uma coisa e não é porque ela quer. - o interrompeu antes que ele falasse mais alguma besteira. - Dá pra ver só pela fala dela, então se ela pediu pra você esperar até depois da turnê pra contar, é porque é algo importante, se acalme que vai ficar tudo bem.

— E se não ficar? - perguntou ao levantar a cabeça para olhá-lo.

— Eu e meus cinco marujos estaremos aqui pra te paparicar. - arqueou a sobrancelha convencido.

— Cinco marujos, essa foi boa... - riu baixo enquanto enxugava as lágrimas do lado esquerdo de seu rosto.

— Eu sei, foi tão boa que te fiz rir. - cutucou a cintura dele fazendo-o rir mais por ter feito cócegas. - Vamos, está na hora de um Mochi dormir. - falou ao levantar-se.

— Me carrega? - pediu manhoso ao erguer os braços que nem um bebê.

— Não é pra tanto assim. - fez uma careta e saiu andando para a porta do quarto dele.

— Se fosse o Jungkook, ele me carregava. - resmungou assim que se levantou e o seguiu.

— É, só que tem uma coisa, eu não sou o Jungkook. - bagunçou o cabelo dele enquanto os dois começaram a rir.

— Odeio você. - deu um soquinho leve no braço do amigo antes de entrar no quarto.

— Eu sei. - deu de ombros. - Posso ir? Já está entregue?

— Na verdade...

— Ah não, Jimin, eu não tenho mais lencinhos pra você, para de tomar água que você para de chorar, óh que ideia genial! - ergueu os braços achando ter tido a melhor ideia de sua vida fazendo com que o menor soltasse uma risada alta, de imediato, ele levou a mão a boca por achar que acordou alguém.

— Eu só ia te pedir pra dormir comigo, mas já que voc...

— Precisa nem pedir. - o maior o interrompeu e correu para a cama onde se jogou na mesma.

— Será possível que ninguém mais sabe conversar baixo por aqui? - Jungkook apareceu com uma cara amassada assustando Jimin quando o ouviu. - Que foi? Viu uma assombração?

— Quase isso...

— É o que? - cruzou os braços com um dos olhos fechados devido à sonolência.

— Desculpa, não dá pra te levar a sério com essa cara de sono. - o menor apontou e logo se pôs a rir.

— Gukkie, quer dormir com a gente? - Taehyung perguntou afofando um dos travesseiros.

— Taehyung, o quarto ainda é meu. - Jimin arqueou a sobrancelha.

— Mas você me chamou pra dormir aqui, então eu temporariamente também mando por essas bandas, meu caro.

— Folgado. - riu enquanto encaminhava-se para a outra ponta da cama.

— Onde eu dormiria? - Jungkook perguntou ao fechar a porta atrás de si.

— Na ponta, porque o necessitado de carinho hoje, é o pequenino aqui. - Taehyung explicou e apontou pra Jimin.

— Pequenino é o seu...

— Olha os modos, mocinho. - interrompeu-o levantando o indicador como um pai autoritário, ele então virou o rosto fazendo uma cara emburrada.

— Tudo bem, não estou em condições de escolher mesmo. - Jungkook bocejou e se deitou assim como os outros dois. - Longa história?

— Quase um pergaminho... - Jimin suspirou ao se acomodar no meio deles, quando fechou os olhos, sentiu que ambos o abraçaram como se ele fosse um travesseiro. - É muito braço me abraçando, já me arrependi. - falou franzindo o cenho.

— Cala a boca e dorme, Jimin. - disseram em uníssono.

— Agora até minha cama eu perdi, mereço... - resmungou antes de deixar que o cansaço o abatesse de vez.

Na manhã seguinte...

— Onde estão o Taehyung e o Jungkook? - Hoseok perguntou esfregando os olhos de sono.

— Alguém me chamou? - Taehyung foi o primeiro que saiu do quarto de Jimin se espreguiçando.

— Incrível como só tem ouvido bom quando quer, não é? - Yoongi perguntou de sobrancelha arqueada.

— Bom dia pra você também, Suga hyung. - deu seu famoso sorriso quadrado risonho.

— Dormiu com quem dessa vez? - Jin perguntou arrancando risadas dos outros.

— Com dois. - Jimin foi o segundo que saiu e em seguida saiu Jungkook do cômodo.

— Nossa, levou logo dois? A carência estava foda então. - Yoongi disse.

— Yoongi! - Jin o repreendeu fazendo-o dar risada, porém a mesma foi cessada assim que ouviram a porta do quarto de Shelley ser destrancada, ela percebeu que os olhares caíram sobre ela assim que ela apareceu na sala de roupa trocada.

— Bom dia. - falou simples enquanto arrastava com si, sua mala.

— Bom dia. - recebeu de volta de forma uníssona.

O silêncio pairou no instante seguinte e o clima só pesou ainda mais quando viram Jimin respirar fundo e passar por eles voltando para o seu quarto assim que ela se sentou no sofá.

— Tudo bem? - Jungkook perguntou quebrando o silêncio quando ela ligou a TV.

— Na medida do possível. - seu tom era triste e todos perceberam quando uns olharam para os outros.

— Teve mais dor de cabeça? - Hoseok quem perguntou dessa vez.

— A noite inteira. - fungou e suspirou ao apoiar a cabeça na costa da própria mão após apoiar o cotovelo no braço do sofá.

— Porque já está arrumada tão cedo? - Jin perguntou tentando desviar do assunto de perguntar qual era o estado emocional da menor.

— Não tinha nada melhor pra fazer... Só... Achei que seria melhor, pra não atrasar mais vocês. - respondeu ela sem expressão enquanto olhava para a TV passando coisas que ela mal entendia.

— Mas você quase nunca atrasa... - Yoongi falou dessa vez analisando-a.

— Não se preocupem, só não tinha nada pra fazer. - disse mudando de canal mais uma vez, nesse, passava um desenho, algo bem melhor do que notícias e tempo.

— Vamos, está quase na hora de descermos, Hitman já já nos liga para irmos ao aeroporto. - Namjoon explicou percebendo que ela não se abriria tão fácil assim pra eles, inclusive, ele percebeu que Jimin espiava da porta dele o que acontecia ali e o seu olhar também era triste assim como o dela.

Cada um saiu em direção aos seus quartos, mas antes, passaram a mão no topo da cabeça da menor em forma de carinho pra mostrar que ela poderia contar com eles a hora que fosse e quisesse falar o que tanto a entristecia. Porém nem todos foram se trocar, Hoseok ficou e se sentou ao lado dela assim que ficaram sozinhos.

— Quer um abraço? - perguntou olhando para a TV, ele achou que ela diria que não precisava, mas se surpreendeu quando ela agarrou seu pescoço rapidamente. - Calma... - falou baixo passando os braços ao redor do corpo dela. - Queria poder te ajudar de alguma forma, não está doendo só em mim te ver nesse estado.

— Eu também queria poder sair do buraco em que me meti... - respondeu em um quase sussurro quando soltou a respiração.

— Como assim? - perguntou soltando-a.

— Eu não posso dizer... - falou ainda baixo e baixou a cabeça.

— Porque não?

— Seria injusto se eu contasse a você primeiro ao invés dele. - disse olhando para as próprias mãos.

— Está... Apaixonada por outro cara?

— Se eu estivesse, não estaria assim. - apontou para o próprio rosto e riu ironicamente.

— O que seria tão grave a ponto de afastar vocês dois? - ela suspirou pesadamente e desviou o olhar para a televisão não querendo respondê-lo, de imediato ele percebeu pois, ela ficou em silêncio, sabia que não seria tão fácil assim fazê-la falar. - Tudo bem... Mas se quiser me contar qualquer hora, sou todo ouvidos. Vou me trocar se não, acabo atrasando todo mundo. - beijou a cabeça dela, e ao se levantar, sentiu que o pulso dele foi puxado de volta por ela, ele percebeu assim que se virou e a viu fechar os olhos como se buscasse forças pra dizer o que estava guardado dentro dela a sete chaves.

— Jimin pode ser meu meio irmão. - sussurrou de olhos fechados e uma lágrima saiu de um dos mesmos.

— O que?! - perguntou espantado voltando a se sentar.

— Que foi, Hobi? - Jimin perguntou saindo de seu quarto fazendo Shelley abrir os olhos assustada, ela olhou para o mais velho ao lado dela e rapidamente soltou o pulso dele enquanto o suplicava com o olhar para que não dissesse nada.

— Nada não. - mexeu nos cabelos disfarçando. - Só me assustei com a hora, vou mudar de roupa logo. - riu nervoso e logo saiu andando para o seu quarto.

Jimin não havia engolido aquilo de primeira e ficou alguns instantes olhando para Shelley ainda sentada, ela sentia que ele a queimava com os olhos, então começou a implorar de olhos fechados pra que ele não viesse perguntar a verdade, a sorte, foi que os outros saíram de seus quartos carregando as malas já trocados impedindo que ele fosse perguntar qualquer coisa a ela pois, assim que Hoseok terminou de se trocar, todos desceram para o saguão para enfim, irem embora para a próxima cidade para continuar sua turnê.

Duas semanas depois...

Os dias passaram-se rápido como segundos. Os shows continuaram os mesmos, muitas Army's pra agradar e fazer sorrir, nossos garotos estavam na fase final da turnê e naquele dia, seria o último dia da WINGS Tour, não podiam estar mais felizes em ver como conseguiram percorrer o mundo em cinco meses.

Jimin passou a ignorar Shelley, sentia-se frustrado e com uma saudade imensa, mas fazia o possível pra não demonstrar na frente dela, fazia cara de durão e a respondia com poucas palavras quando ela perguntava algo necessário, mas depois que ela saia, formava um bico enorme e só faltava sair correndo atrás dela pra pedir abraço. Shelley não estava de acordo com isso, mas era para o bem dele, não queria que ele se sentisse mal como ela nos últimos dias com algo tão delicado, estava crente que estava fazendo o que achava correto.

Como prometido, depois de alguns dias, Shelley passou a mandar uma quantia a Robert, achava que essa era uma maneira de reaproxima-los. Ele ligava para ela todos os dias e vez ou outra, perguntava quando mandaria mais, mal ela sabia que estava era servindo de cofrinho para ele. Jimin percebeu a aproximação por ouvir algumas vezes ela falar com com o pai, pena que não conseguia descobrir o que era o maldito motivo dele tê-la afastado porque ela sempre percebe a presença dele, ele nunca foi bom em disfarçar coisas mesmo.

Para dar mais emoção ao último dia da turnê, resolveram fazer uma surpresa, Shelley não participaria apenas da apresentação solo de Jimin e sim de todos eles em algum momento.

Suga foi o primeiro para apresentar First Love, estava tudo normal e seguindo conforme o comum das apresentações solo dele, até o piano começar a girar sozinho (em uma plataforma redonda, óbvio), a frente do piano que antes estava virada para o telão, foi girando lentamente e aos poucos, foi sendo revelado que havia realmente alguém tocando o instrumento, esse alguém, era a própria Shelley tocando o piano, apenas os meninos sabiam que ela sabia tocar, então de certo modo, foi uma surpresa a mais para as Army's que amavam vê-la sempre dançando no meio deles, era outro talento sendo revelado a todas que foi aceito com total aprovação já que elas começaram a gritar mais ainda quando viram que era ela. Shelley tocava perfeitamente as notas de tantas vezes que ouviu a canção e que mesmo depois de vários ensaios, teimava em ficar depois dos treinos praticando com Yoongi as notas exatas que devia tocar. Tantas horas de prática, geraram o resultado perfeito que ela tanto queria, tanto que pra ela, era como se eles estivessem sozinhos ali, a concentração era tanta, que não ouvia nem sequer os gritos que as fãs davam quando ele se debruçava no piano e ficava analisando-a tocar totalmente focada. Ao fim da apresentação, ele se sentou ao lado dela segurando as lágrimas se sentindo feliz por ouvi-la tocar a sua música, e assim, as luzes só se apagaram, quando os dois se abraçaram.

Jimin foi o próximo com Lie como a ordem de sempre. Shelley e ele não dançavam mais como antes, sempre sorrindo e trocando olhares de carinho, era algo mais profissional que apenas quem os visse realmente de perto, perceberia que não havia mais prazer em dividir o mesmo palco, tanto que sempre que eram obrigados a olhar um pro outro devido a coreografia, ficavam sérios, doía sim em ambos, mas ninguém dava o braço a torcer, apenas quando estavam finalmente sozinhos em seus camarins após a apresentação, era que se deixavam relaxar diante tanto teatrinho na frente das pessoas, eles não aguentavam mais fingir que estava tudo bem.

Taehyung foi o terceiro a apresentar pela última vez Stigma, ele estava emocionado de certo modo em ver que estava fazendo tantas Army's sorrir, e como prometido, Shelley surgiu por uma plataforma vinda de baixo do palco em um vestido branco parecido com o que usava pra dançar Lie, enquanto ele cantava no meio do palco, ela fazia passos semelhantes aos de uma bailarina mais à frente assim como seus movimentos. A plateia adorou a combinação e amaram mais ainda, quando no último refrão, Taehyung se juntou a ela para segurar uma de suas mãos para ajudá-la a girar no próprio eixo, os meninos acompanhavam tudo do palco e se sentiam extremamente orgulhosos em ver o quanto ela cresceu.

Depois da apresentação feita, Taehyung saiu para mudar de roupa assim como a menor, o próximo que entrou no palco foi Jungkook para cantar Begin. Shelley entrou no segundo refrão da música vestindo um terno feminino semelhante ao dele e de salto brilhante, o maknae não pode deixar de sorrir quando notou o holofote em cima dela seguido dos gritos das fãs em vê-la ali, então da forma mais educada possível, se curvou como um cavalheiro e estendeu a mão para que ela pegasse e fosse junto dele para o meio do palco. Os dois dançavam em sincronia e vez ou outra quando se olhavam, sorriam por ver que a dança estava saindo exatamente como planejado. Ao fim da apresentação, Jungkook abraçou Shelley por trás causando em mais berreiro vindo das Army's por ela ter tapado o rosto com vergonha, Jimin achou fofo como o melhor amigo estava a distraindo, já Jin, estava pensando em "Isso vai dar merda...".

O próximo a se apresentar foi J-Hope, e para a surpresa de todos, Shelley apareceu deitada de pijama rosa no corredor que ligava a outro palco no meio das fãs. Como se não soubesse o que estava acontecendo, ela se espreguiçou como quem estava acabando de acordar e ficou sentada enquanto dava um bocejo, Hoseok achou aquilo a cena mais linda de alguém fingindo estar acordando e teve que segurar o riso quando ela acenou para o público fazendo cara de surpresa. Shelley acabou se tornando a coisa mais graciosa da coreografia quando começou a balançar a cabeça e apontar para as Army's para que a acompanhassem. Quando ele se direcionou a ela, ele a puxou para levantar pela mão e deixou que ela subisse em suas costas, para ajudá-lo, ela segurava o microfone enquanto ele cantava, assim ele podia segura-la. Aquela foi uma das apresentações solo mais fofas que infelizmente seria a última vez que veriam algo do tipo, pois quando chegou ao fim da música, às Army's começaram a bater palma no ritmo da música deixando que J-Hope cantasse em capela, Shelley ajudava batendo palma também e cantava mesmo sabendo que ninguém a ouviria. Por fim, os dois se abraçaram fortemente, a menor estava agradecendo não só por ter dividido o palco com ele, mas também por ele ter guardado seu segredo para que fosse revelado na hora certa.

No solo de Jin com Awake, ele ficou cantando no andar de cima do palco como nas suas outras performances sim, porém nessa, Shelley saiu de uma plataforma de baixo do palco assim como na apresentação de Taehyung. Ela vestia um vestido com a saia solta todo brilhante da mesma cor do blazer dele, o mais velho não sabia o que sentir em vê-la dançando ao som da sua voz junto do coro de suas fãs, era uma sensação única para um artista ver alguém coreografando sua canção, tanto Jin, quanto os meninos nos bastidores estavam sem palavras para descrever aquele momento. Nem sequer os sorrisos foram contidos ao verem Shelley caminhar pelo corredor passando a mão pelos mar de admiradoras que tentavam segurar a mão dela por um mísero segundo, os meninos acharam muito fofo vê-la cuidando de suas fãs. Ao fim da música, quando estava tocando apenas a melodia, as Army's começaram a bater palma assim como Shelley que ficou parada olhando-o de baixo com admiração, aquilo foi o suficiente para deixá-lo totalmente sem reação diante tanto amor vindo não apenas da menor que vinha os acompanhando durante a turnê, mas também vindo de todas as fãs ali presente. Emocionado e muito satisfeito com a sua última apresentação, ele deixou o palco para que o último membro fosse fazer seu solo.

A voz de Namjoon começou a ecoar ainda no escuro e aos poucos o palco foi sendo clareado. Nessa vez, Shelley apareceu atrás dele como quem não queria nada vestindo um top preto, jaqueta, calça saruel e tênis da mesma cor, pra finalizar, tinha um boné em sua cabeça, ela sentia como se estivesse em casa ou vestida para um treino, mas a ideia, era passar que estava vestida como uma rapper em homenagem a ele. Durante a canção, Shelley fazia gestos ao lado dele como se o imitasse e arrancava risadas do mais velho pelas poses dramáticas que fazia como se fosse começar a chorar a qualquer momento. No refrão de "I wish I could love myself", Shelley gritou no microfone que segurava o tempo todo "Love yourself!" surpreendendo ele e as fãs que gritaram com ela logo na segunda vez que ele cantou novamente essa parte, uma vez gritava ela e em outra as Army's, por fim, os dois fizeram uma reverência em sinal de respeito e saíram do palco se abraçando de lado.

As outras músicas seguiram conforme o roteiro sem surpresas. O fim do show estava próximo e mais uma troca de roupa foi feita para que fossem apresentar Spring Day, mas antes da música, Taehyung teve uma ideia.

— Antes da música, temos algumas coisas pra fazer. - Namjoon falou primeiro tendo a atenção dos outros membros. - Jungkook, pode ir lá pegar, por favor.

— Sim, senhor. - fez um sinal de soldado e correu para o local indicado, não levaram mais que segundos para que ele voltasse pois, uma staff estava com o que seria entregue em mãos para dar a ele logo na porta dos bastidores. - Tem que fazer algum anúncio? - o maknae perguntou enquanto voltava com um buquê de flores de cerejeira em mãos fazendo as Army's gritar assim que o viram aparecer no telão, Shelley não estava entendendo nada porque eles não contaram a ela que surpresas fariam.

— Eu anuncio. - Jin falou ao levantar a mão e ajeitar o óculos de grau na frente de seus olhos. - Shelley. - chamou por ela ao perceber que ela estava perdida sobre o que estava acontecendo.

— Huh? - virou-se para o mais velho para prestar atenção.

— As flores são pra você. - continuou quando Jungkook parou ao lado dela com o buquê, a menor esbugalhou os olhos não acreditando. - Você se desdobrou em três hoje e só não dançou em todas as músicas, porque achamos que seria demais já que dançou em todos os nossos solos. Então como forma de agradecimento por tudo o que fez por nós nessa turnê, queremos que receba esse buquê pela gratidão que teremos com você sempre, e também pra mostrar como te amamos. - ao fim da explicação, ele fingiu tirar do bolso algo e mostrou um coração pra ela com os dedos. Jungkook sorriu sem graça quando ela olhou pra ele e logo lhe entregou as flores meio sem jeito.

— Isso sim que é uma surpresa. - riu nervosa depois que falou a primeira coisa com as flores em mãos. - Falar só um obrigada parece ser até um insulto... Vocês merecem mais que isso. - olhou para todos que a olhavam sorrindo, até mesmo Jimin. - Vocês se tornaram minha família nesses meses que passamos juntos, então tudo o que fiz hoje, não foi por obrigação ou ideia, foi pra ver vocês e as Army's felizes. Posso estar cansada, mas é por um bom motivo, sabe? Eu faria tudo de novo se tivesse a opção de escolher. - sorriu abertamente depois de muitos dias. - Obrigada, de verdade, eu amo muito vocês. - ao terminar, as Army's bateram palma pra ela orgulhosas de quem ela havia se tornado.

— Pessoal, posso falar uma coisa? - Taehyung  perguntou no meio deles olhando para os outros.

— Fala aí. - Namjoon respondeu.

— Eu queria fazer um pequeno discurso, nada de fazer vocês chorarem, ok? - fez um gesto para que o público se acalmasse arrancando risadas delas. - Só gostaria de agradecer a todas vocês por terem nos ajudado a chegar onde estamos hoje, não seríamos nada se não fossem vocês nos apoiando todos os dias. - as Army's ao ouvirem isso, fizeram um coro de "Awn". - Agora pra selar todo esse amor e vínculo, eu quero dar um abraço em cada um! - abriu os braços sorridente fazendo todos eles rirem. - Primeiro Jin hyung. - correu para o mais velho o abraçando como se fosse um bichinho de pelúcia. - Agora o Namjoon. - foi para o líder que logo o recebeu com dois tapinhas nas costas. - Min Suga! - cantarolou e foi abraçar o turrão e teve que segurar o riso quando ele o soltou. - Hobi, venha cá. - os dois além de se abraçarem, começaram a pular que nem duas crianças causando a todos ainda mais risadas. - Nosso maknae de ouro. - abriu os braços para o mais novo que logo o recebeu seguido por gritos das fãs. - E agora o Jiminnie!

— Espera, eu quero fazer diferente! - levantou a mão pra que ele esperasse.

— O que vai fazer? - perguntou confuso.

— Espera aí. - tomou distância e os outros se afastaram por não saber o que ele faria, no instante seguinte, Jimin correu até Taehyung e pulou em seu colo o abraçando como um verdadeiro coala levando as fãs à loucura.

— Isso sim, foi um super abraço. - Hoseok bateu palmas orgulhoso.

— E eu, não ganho? - Shelley perguntou fazendo bico para Taehyung.

— Claro que ganha! Nunca esqueceria de você, Eevee humana. - assim que Jimin se soltou dele, ele foi abraçar a menor fortemente que logo o retribuiu de prontidão sorrindo. - Agora que eu abracei todo mundo, quero todo mundo se abraçando também. - falou mandão no microfone.

— Ninguém quer ver a gente se abraçando, vamos com calma? - Yoongi pediu fazendo o público rir, mas se pôs a rir também por ouvir as fãs pedindo por mais abraços.

Entre si, eles abraçaram um por um sem problemas, inclusive Shelley, isso até chegar na vez de Shelley e Jimin que foram os últimos, o clima pesou totalmente e as fãs gritavam implorando por um abraço e quem sabe algo a mais deles. O casal se olhava de forma intensa, nenhum dos membros ousou interromper a conexão que estava sendo feita ali, Taehyung estava com os dedos cruzados para que eles não fizessem apenas um toque como se fossem apenas colegas. Quando acharam que eles não fariam nada, ambos deram um passo à frente rendendo-se a saudade e instantes depois se abraçaram, eles pareciam não se ver a séculos, só o grupo sabia que eles estavam se ignorando a dias, foi ai que os outros entenderam o que Taehyung tinha em mente, em vez de falar "Bom trabalho", eles deram tapinhas nas costas do mais novo orgulhosos.

O que eles não esperavam, foi que assim que Jimin se separou do abraço dela, não a deixou se afastar e surpreendeu a todos selando os lábios nos dela, eles assim como as fãs levantaram os braços como se estivessem assistindo uma partida de futebol, e realmente, Jimin havia feito um golasso.

— Você é maluco... - Shelley sussurrou quando ele afastou o rosto do dela.

— Shhh. - deu um selinho rápido na namorada. - Eu ainda tenho um presente para as Army's. - Jimin falou sorridente no microfone com a testa encostada na da menor, então assim ai ele olhou para cima, acima do telão, apareceu escrito "BTS ♥ ARMY".

— Espera, a minha surpresa não pode ser tão grande como a sua. - Jin falou de forma desafiadora e pediu para que Jungkook segurasse seu microfone, logo ele tirou do bolso um papel vermelho e começou a desdobra-lo, parecia que não teria mais fim de tão grande que ele era, mas as fãs entenderam assim que ele estirou a folha que formava um grande coração. - Esse coração representa o quanto eu amo vocês. - o mais velho pronunciou quando Jungkook pôs o microfone perto dele para que pudesse falar.

— Já acabaram? Meu coração não aguenta mais essas coisas fofas, pelo amor de Deus. - Hoseok implorou juntando as mãos.

— Vamos a música. - Jimin falou risonho enquanto se soltava de Shelley ainda relutante, ele queria ficar ali pra sempre.

De volta a Seul...

— Não acredito que chegamos, finalmente. - Jungkook falou primeiro quando adentrou a casa e assim que soltou suas malas no chão, se jogou no tapete fofo. - Como eu senti falta desse tapete, dessa sala, desses móveis. - Disse gesticulando com os braços. - Daqui eu não levanto mais, travei.

— Levanta daí, esse tapete ainda não é a sua cama, a não ser que você queira virar um cachorro. - Jin disse repreendendo-o.

— Não, ainda amo a minha cama. - rapidamente ele se levantou e saiu correndo para as escadas. - Querida, estou chegando! - gritou no meio do corredor antes de chegar ao seu quarto.

— Onde o Jimin disse que ia mesmo? - Yoongi perguntou confuso. - Eu estava mais dormindo do que acordado quando ele falou antes de sair do carro.

— Foi resolver um assunto com a Shelley. - Hoseok falou trazendo as malas com ele para as escadas.

— Finalmente! Estava a ponto de trancar os dois em uma sala pra conversarem. - Namjoon disse em seguida aliviado pegando suas malas para levar ao seu quarto também. - Tomara que se resolvam.

— Também espero... Acho que só aquele abraço não foi o suficiente - Taehyung falou entortando a boca.

No apartamento de Shelley...

— Me põem no chão, Jimin! - Shelley mandou mais uma vez e assim, sua porta foi aberta por ele sem seu consentimento. - A dona do apartamento ainda sou eu, sabia?

— Não, ele é da sua omma, você só é responsável por ele, - riu e entrou carregando ela no ombro enquanto puxava sua mala e empurrava a de mão com o pé.

— Então quer dizer que você vai me assaltar?

— Quem sabe. - fechou a porta com o pé. - Se você não se comportar, faço pior.

— O que quer dizer com isso? - gelou com as palavras se agarrando a camisa dele.

— Não preciso te explicar, sei que você entendeu muito bem. - respondeu pondo-a sentada no balcão da cozinha. - Mas antes, quero saber o que tem te afastado de mim esse tempo todo.

— Agora? - arregalou os olhos.

— É, agora mesmo, você me prometeu, depois que a turnê acabasse. - falou rente ao rosto dela bem perto.

— Mas... É que...

— Agora. - interrompeu-a olhando em seus olhos antes que inventasse outra desculpa. Sem opção e encurralada entre a cruz e a espada, ela se deu por vencida, era só questão de tempo pra que isso acontecesse.

— Tudo bem... - ele assentiu pra que ela continuasse. - Você... Você pode ser... - sua garganta se fechou por um instante não deixando-a terminar de falar.

— Continua. - pediu ele praticamente implorando.

— Eu não consigo... - falou quase como um fio de voz e fechou os olhos sentindo-se fraca, ele estava ali bem na frente dela e ela não conseguia dizer cinco míseras palavras, claro, porque namorado nenhum quer descobrir que pode ser irmão de quem tanto ama. Em meio a pensamentos, o celular de Shelley começou a tocar e ela tirou do bolso para atender, mas antes de ver quem era o remetente, Jimin tirou o aparelho de sua mão e atendeu o mesmo sem ver quem era também.

— A gente está meio ocupado aqui, pode ligar depois? - falou irritado.

— Calma aí, genro ciumento. - a voz de Robert ecoou do outro lado da linha apavorando Shelley.

— Robert! - Jimin se afastou dela e virou as costas pra falar com ele. - Não morre tão cedo.

— Porque?

— Shelley estava prestes a me contar o porque de tanto mistério.

 Ah é?

— Não, pelo amor de Deus! - a menor exclamou ao descer do balcão e correu até o namorado. - Jimin, devolve, não escuta ele. - tentou tirar o celular da mão dele, mas ele não deixou.

— É, mas ela está enrolando muito e não consegue falar. - bufou irritado. - Gostaria de me contar em um jantar?

— O que?! - Shelley praticamente gritou ao lado dele.

— Quando? - Robert perguntou interessado.

— Amanhã, as nove.

— Esperaria isso tudo só pra ouvir uma notícia?

— Ah, é uma notícia? - olhou para o teto pensativo, Shelley tentou outra vez tirar o celular dele, mas ele a empurrou pra longe de leve impedindo-a. - Ainda não tenho ideia do que seja.

— Na sua situação, é realmente algo bem delicado.

— Me deu até sono depois de ouvir isso. - riu irônico.

— Tudo bem, eu te conto amanhã, posso ir aí encontrar vocês, só me mandar depois qual o restaurante.

— Está marcado então. - sorriu vitorioso. - Até depois.

— Tchau, Jimin. - a ligação foi encerrada.

— Jantar? - Shelley perguntou ao lado dele de braços cruzados.

— Você estava com a faca e o queijo na mão e não quis cortar, então eu achei outro modo e agora quem vai cortar sou eu. - pôs o celular no bolso da sua calça. - Agora, onde estávamos mesmo? - abraçou a cintura da menor e afundou o rosto no pescoço dela arrepiando-a.

— Primeiro que eu não estava de pé e sim sentada, segundo que não vou fazer nada que você está querendo. - respondeu quando sentiu os lábios dele tocando em sua pele.

— Porque não? - olhou pra ela com o cenho franzido.

— Estou... Menstruada. - falou a primeira coisa que passou em sua cabeça e sorriu tentando fazer ele acreditar.

— Mentira, você não veio pra casa comendo chocolate em momento nenhum. - arqueou a sobrancelha percebendo a desculpa. - Você sabe ser chata quando quer, hein?

— Não estou sendo chata... - revirou os olhos.

— É a coisa do seu pai ainda?

— Sim... - falou baixo com uma expressão triste.

— Que saco! - esbravejou irritado, mas ao ver que ela se assustou com a reprovação dele, respirou fundo e passou a mão nos fios escuros puxando os mesmos para trás buscando paciência. - Esse negócio está me deixando frustrado sexualmente, carente e com raiva, é bom que seja um motivo realmente grande pra que eu possa transar em paz depois. - falou sério olhando-a no fundo dos olhos com o indicador erguido perto do rosto dela. - Vou levar as malas pro seu quarto, posso entrar lá ou tem alguma restrição agora também?

— Não, tudo bem... - murmurou com a cabeça baixa, Park quando a viu daquele jeito não conseguiu manter a pose de turrão.

— Odeio quando me deixa irritado e depois fica assim falando que nem um ratinho indefeso. - disse fazendo-a levantar a cabeça. - Eu não consigo ficar com raiva de você por muito tempo quando faz isso, é jogo sujo.

—  Cada um usa as armas que tem. - riu baixo.

—  As armas que tem... Sei. - roubou um selinho dela. - Desculpa, está bem? - acariciou uma das bochechas dela, Shelley apenas assentiu e deixou que ele fosse levar as malas dela pro quarto. - Vou ganhar um cafuné de presente depois, não vou?

— Pode ser... - sorriu de lado ao vê-lo sair puxando as malas dela apressado e empolgado. - Pelo menos te fazendo carinho eu não me sinto tão suja pensando que estou ficando com meu irmão... - sussurrou pra si mesma olhando o anel de compromisso que ele deu a ela quando passaram os dias de descanso no Hawai e por alguns instantes, imaginou que reação ele poderia ter quando soubesse o real motivo de tanta negação vindo da parte dela.


Notas Finais


TODO MUNDO VIVO AINDA? KASHDHKJASKJDNKJADNKND
Segurem que o próximo sinto que será a grande revelação, eu não estou pronta pra fazer o próximo capítulo, é sério KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Cada K é uma lágrima porque eu to rindo mesmo é de nervoso viu

Até o próximo capítulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...