História The dancer - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Abo, Dança, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Namjin, Sope, Taeyoon, Vhope
Visualizações 304
Palavras 1.398
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Lemon, Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


GENTE DESCULPAAAA

Demorei... Mas to aqui. As coisas estao corridas, mas tentarei trazer epi todos os dias. Me perdoem.

Espero que gostem ❤

Capítulo 17 - Tomorrow


Jungkook

Haviam se passado algumas semanas desde o dia em que eu acordei, feliz da vida, na casa do Jimin. O mês acabou e agora estamos dando continuidade ao projeto. Claro, a parte 1 do projeto, a parte 2 seria depois que a parte 1 estiver completa.

Eu descobri que dentro daquela mínima sala secreta, do estúdio de dança, havia outra sala secreta. É, outra. E essa era enorme, tinha um espelho do tamanho da parede no fundo as paredes laterais eram de madeira, assim como o chão também era. A parede em frente ao espelho era branca, com a escrita em 3D " Fallen Angel Entertainment ". Aquela sala era tão maravilhosa quanto à que o diretor Jackson me mostrou.

- Iremos ensaiar aqui - explicou Hobi para nós: eu, Jimin (meu lindo e recém namorado) e Yugyeom (este está furioso, não sei porque).

Por mais que eu e Jimin estejamos namorando, não ficamos agarrados ou grudados, nós sabemos conciliar as coisas quando é sobre trabalho, mas claro que envolvendo um sentimento maior. O máximo que já aconteceu foi eu e Jimin transarmos no chuveiro do vestiário. Foi incrível. Jimin sempre diz que tem uma grande vontade de me marcar e é quase incontrolável, mas se for o que eu realmente quero, ele me marcará no cio dele. É cedo falar disso ? Lógico! Mas, é o amor que sobe a cabeça. Fazer o que ?

- Podemos começar ?

O plano do projeto será o seguinte, como Hobi explicou: Será uma pequena estória. Duas pessoas que se apaixonam por meio da dança, mas há uma pedra entre essas pessoas. A música fala sobre um amor quase que proibido, essas duas pessoas se apaixonam, mas uma delas já está noiva com alguém arranjado pela família. As letras são profundas e sentimentais, o que torna a dança mais leve e solta.

Vocês já devem imaginar quem é quem nessa história, né ?

Após todos concordarem que podíamos começar, Hobi começou a mostrar os passos separadamente para cada pessoa. Horas eu dançava com Jimin e, horas Jimin dançava com Yugyeom, o que me dava uma pitada de irritação, mas não me deixava levar pela raiva graças a cara de nojo que Jimin fazia disfarçadamente, às vezes eu até segurava o riso. Foi o dia todo de dança pra lá e dança pra cá. Eu sai do trabalho às 20hrs, era uma quarta - feira.

- Amor - como eu amava quando me chamava assim - Quer ir para a minha casa hoje ? - Jimin estava com uma cara de safado que não dava para resistir.

- Claro Jiminie. Vamos - caminhei sorridente até o carro dele. Paramos beuscamente quando vi Yugyeom encostado ali.

- Olha só, que pombinhos… Não se conhecem nem a 1 mês e já estão se comendo ? Não sabia que você era fácil assim Jeongguki - ele me insultou, brincou com meu nome e riu da minha cara depois de tudo isso. Eu apertei a mão de Jimin e me pronunciei.

- Na verdade, nos conhecemos a mais de 10 anos Yugyeom, Jimin era um querido amigo de infância que reencontrei graças a essa linda empresa - eu vi seus olhos se arregalarem.

- Além de fácil, é mentiroso… Que belo namorado você arranjou em, Jiminina…

Ah! Ele brincou com a minha paciencia, eu posso ser um ômega, mas sou bem fortinho e… Jiminina ? Já é a segunda vez que ele chama o Jimin assim, será que… Youngjae era o garoto birrento que maltratava Jimin ? Mas, isso seria muita coincidência ou muito azar ? Os dois Jungkook, com certeza…

- Yugyeom… Apenas saia… - eu disse tentando controlar a raiva.

- Me tire daqui então - Jimin está tentando se controlar para não fazer nenhuma besteira, ele tem problemas com esse tipo de coisa. Mas, eu não preciso me segurar.

Peguei na gola de Yugyeom e o taquei no chão, seus olhos se arregalaram e até Jimin me olhou surpreso com um sorriso de lado.

- Fica longe da gente, seu energúmeno - mas que porra de palavra é essa Jungkook ? Não faço ideia, mas ele ficou puto. Ele se levantou vindo em minha direção, dando uma direita em seguida que eu apenas desviei me abaixando. Após seu inútil golpe, eu o acertei no queixo e ele caiu, denovo - que teimosia, eu fiz anos de artes marciais nos EUA. Vai ter que treinar muito para acertar um soco em mim - eu me virei para Jimin e vi que ele me encarava incrédulo - fecha a boca, amor. Entra mosca - eu dei um beijinho na bochecha dele e entrei no carro. Que belo show.

- Não sabia que eu tinha um namorado briguento - Jimin brincou quando entrou no carro.

- Só quando mexem com o que é meu… - me inclinei e dei um beijo rápido em seus lábios.

- Gostei… - Jimin ligou o carro, dirigiu um pouco e logo estacionou em um lugar que eu não conhecia.

- Ei, Jiminie. Onde estamos ?

- Em um lugar mais reservado, Kookie - Jimin estava prestes a me beijar quando eu o parei - o que foi amor ?

- Quer transar em um carro ? - perguntei indignado.

- E por que não ? - Jimin sorriu malicioso pra mim, ele começou a beijar meu pescoço.

- Aish Jimin… Se vc não fosse tão gostoso… - eu comecei a dar leves suspiros de prazer, meu pescoço era a minha fraqueza, afastei ele o suficiente para eu começar um beijo afoito.

- Kookie-ah… - Jimin começou a me apertar minhas coxas e me puxou para sentar em seu colo, com dificuldade. Ele empurrou o banco para trás e fez o encosto abaixar, como eu amo carros.

Jimin apertava minhas coxas e passava as mãos por minha bunda até a minha cintura, apertando-a fazendo com que eu pressionasse mais minha ereção com a sua. Ele desceu até a barra da minha camisa e puxou para cima, essa voou para algum lugar do carro. Fiz o mesmo com ele, tirei sua blusa e, aproveitando, tirei seu cinto junto.

Jimin já estava abaixando sua calça, mas o celular tocou. O. Celular. Tocou. E era o dele. Em meio aos beijos eu falei pra ele atender aquilo logo pra gente voltar o que estávamos fazendo.

- Alô.. ? - ele atendeu com a voz meio emburra, bufando logo em seguida.

- Hey, Jiminie! Quanto tempo, amor… - eu ouvi a voz de uma mulher na outra linha, afinal eu estava praticamente colado nele. Eu olhei indignado para Jimin e ele estava com os olhos arregalados.

- H-Hysoo… Por que está me ligando ? - eu ouvi a voz do Jimin meio embargada.

- Pra te avisar que é para me encontrar amanhã, às 10 horas naquela lanchonete - eu peguei o celular da mão de Jimin.

- Querida, ele tem namorado, byebye - desliguei.

- Sabia que eu te amo ? - Jimin estava com um sorriso largo no rosto.

- Quem era ela ? - eu sai de cima dele e coloquei minha camiseta, sentei no banco do passageiro e ele se ajeitou.

- Ela… É… Uma ex… Que fritou meus neurônios no começo da minha carreira, ai ela foi embora, mas parece que voltou.

- E que lanchonete é essa ? - eu estava me remoendo de ciúmes ? Estava.

- Uma que costumávamos ir... Mas, Kookie… Vem cá, esquece isso, por favor - ele pediu de forma manhosa.

- Não - fui ríspido - a gente vai amanhã.

- 'Tá doido é ? - ele começou a vestir a blusa que ele estava a uns minutos atrás.

- Não, a gente vai, já mandei mensagem para o Hobi dizendo que vamos nos atrasar - falei olhando para o celular e digitando algumas coisas. Em seguida, o encarei.

- Não, não vamos.

- Sim, nós vamos. Nem adianta tentar debater comigo Jimin.

- Nem sei se ela vai mesmo depois do que você fez, amor.

- Ela vai, ela tem voz de cadela.

- Nossa - Jimin me olhou incrédulo - não sabia que você era ciumento assim. Que lindo.

- Vamos pra casa Jiminie… Eu 'tô cansado.

- É... Depois daquilo, quem iria querer transar… Você ainda vai para a minha ? - Jimin disse rindo enquanto ligava o carro, eu ri em seguida, mas neguei dizendo que eu terei que ir lindamente maravilhoso... Ele apenas riu mais. 

Amanhã será um dia daqueles…



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...