História The Danger Of My Dark Dreams - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Crowley, Dean Winchester, Gabriel, John Winchester, Lúcifer, Mary Winchester, Personagens Originais, Rowena MacLeod, Sam Winchester
Tags Angels, Darkness, Demons, Destiel, Dreams, Sabriel
Exibições 20
Palavras 2.816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Magia, Mistério, Policial, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem, prometo que o próximo vai ser maior, e mais emocionante
Não deixem de comentar ♡

Capítulo 1 - Haunted Days


Fanfic / Fanfiction The Danger Of My Dark Dreams - Capítulo 1 - Haunted Days

    ✵ Understand your fears, but never let them stifle your dreams.✵

 A chuva se alastrava por Lebanon, deixando um leve aroma no ar. Dean havia saído para comprar umas coisas enquanto Sam dormia profundamente, havia sido uma semana considerada calma para os Winchester, mesmo com o sumiço repentino de Castiel e a mensagem misteriosa, que apareceu no volante do impala. Já se passava das dez horas, Dean já havia voltado para o Bunker e Sam já estava acordado arrumando umas coisas para sair. Dean colocou as coisas na mesa e parou observando o irmão , contraindo as sobrancelhas, e antes que pudesse falar alguma coisa o mais novo se pronunciou.

 -- Temos um caso novo -- o olho passando a mão direita pelos meus cabelos, enquanto suspiro fitando as coisas que ele havia posto sobre a mesa

 -- O que foi dessa vez? -- reviro os olhos, cruzando os braços

 -- Assassinato -- suspiro -- assassinato de vampiros 

 -- Esse bando de morcego tem saído no sol? -- o olho -- parece que os sangue sugas, estão ativos... 

 -- Vamos para Boston -- o olho

 -- Eu dirijo -- pego as chaves do impala e saio com ele. Eu odiava esses casos envolvendo Vampiros, mas já que fazia parte do negócio da família eu não tinha opção a não ser investigar...

 Assim que pegamos a rodovia o caminho esteva livre, e o céu completam acinzentado deixando apenas uma neblina no ar. Sam permanecia calado, apenas analisando os arquivos do caso, enquanto eu dirigia atentamente para não derrapar em meio a neblina e a pista molhada.

 [Portland- 12:10 am] 

 -- Táxi -- estendo o braço esquerdo para chamar atenção do mesmo, e entro no carro colocando minha mala no banco de trás -- Aeroporto por favor -- sorrio de canto... 

-- Só se for na estrada para o inferno, para sua vádia!! -- a olho, deixando minha gargalhada profana se espalhar pelo veículo e acelero....

 [Boston - 13:40 Pm] 

 Após o longo caminho até Boston o sol finalmente havia saído, e as pessoas andavam calmamente pela rua. Dean e Sam havia chegado ao local, do mais recente assassinato, os policiais e detetives analisavam minuciosamente o local até que notaram a presença dos Winchester. Os policiais se aproximaram com certa desconfiança e os olham, contraindo as sobrancelhas ... 

 -- Quem são vocês? -- ergo a sobrancelha

 -- F.B.I -- mostro os distintivos -- Hum -- olho os distintivos, e volto a olhar para os dois 

-- estão atrasados -- deixo eles passarem 

 -- O que aconteceu aqui ? -- perguntou Sam 

 -- O nome dela e Sara Hetaway, vinte nove anos sem parentes na cidade, mora sozinha, foi estuprada e sofreu diversas mutilações e mordidas pelo corpo -- suspiro -- uma verdadeira carnificina...

 -- Tem mais alguma informação? -- o olho enquanto analiso o local, e olhos umas fotos que foram tiradas... 

-- Tudo indica que ela professora de história -- olho eles, com uma das sobrancelhas erguidas... 

-- Obrigado er.. -- olho o distintivo dele -- Jeremy -- disse Sam saindo do local com o irmão... 

-- Carnificina -- reviro os olhos -- vamos atrás desses sangue sugas, antes que algo pior aconteça.... 

-- As coisas estão no carro? -- o olho contraindo as sobrancelhas -- Sempre estão -- sorrio de canto e abro o porta malas

 -- Ótimo - o olho e sorrio de canto -- Vamos -- entro no carro com Sam e tomamos um rápido susto -- como você entrou? 

 -- Eu dei um jeito -- sorrio -- e bom estar de volta, na ativa, e na companhia de vocês... 

-- O que aconteceu com você Charlie -- perguntou Dean, manobrando o carro dirigindo até um dos prováveis locais, onde eles encontraria algum Vampiro...

 -- Teve a minha mãe, uns assuntos pessoais e uma mensagem estranha que eu recebi, mas não sei ao certo o que significava -- suspiro - soube do sumiço do Castiel...

 -- hum -- fico completamente sério, e com uma expressão fria no rosto mantendo a atenção para a estrada... 

-- Sim, mas nós estamos procurando -- tenho uma rápida troca de olhares com Charlie e ela concorda com a cabeça, deixando um silêncio ensurdecedor dominar o local... 

 Assim que chegaram a uma das zonas, onde existia mais chances de encontrar os vampiros, Charlie e os irmãos desceram do carro e começaram a andar pela rua, buscando por alguma pista ou algo que os leva - se para o assassino Altos barulhos eram ouvidos vindo de um beco, latas de lixo foram arremessadas na direção de Dean e Charlie, jogando os mesmos do outro lado da rua. Sam ficou estático e logo pegou sua arma, mirando nos olhos roxos que brilhavam no escuro, dando vários tiros seguidos...

 Um uivo foi ouvido, e logo a fera sumiu em meio a escuridão, deixando uma enorme marca de garra nas paredes do beco...

 -- Temos muitos problemas -- suspiro

 -- Esqueci que sair com vocês, tem suas desvantagens - disse Charlie se levantando, e arrumando suas roupas...

 -- Pois seja bem vinda -- disse Dean, se voltando para Sam e o olhando -- Vamos atrás de quem primeiro? O sangue suga ou aquele vira lata? -- Lobisomens e Vampiros não se dão bem, então vamos atrás do vira lata - saio seguindo as marcas do Lobisomem, com Dean e Charlie. Não sabíamos ao certo se ele nos levaria até o ou os Vampiros, mas não deixava de ser uma opção aceitável...

 [Portland - 15:20 Pm]

 Em meio à rodovia o táxi avançava cada vez mais rápido, ultrapassando todos os sinais e faróis, cada vez mais próximo do possível desastre...

 Cada vez mais distante da cidade, o aeroporto estava próximo mas o carro se afastava, mudando de pista e indo na direção de Boston, ultrapassando todos os limites de velocidade, até chegar numa única e extensa faixa, onde acelerou pela última vez até perder o controle numa curva e capotar...

 -- Desgraçado... -- estava completamente tonta, e minha visão turva. A pancada tinha sido muito forte, mas eu havia sido jogada para fora, em meio ao acidente. Me levanto e me seguro nas árvores, para me manter em pé -- Vai ter que fazer melhor do que isso, para matar uma bruxa como eu!! -- o carro estava destruído, o que o prendia dentro do mesmo. Recito um dos meus feitiços, fazendo com que o carro exploda, e saio o mais rápido possível do local... 

-- E você vai ter que fazer melhor do que isso, para conseguir matar.... -- estalo o pescoço e sorrio diabólico -- Lúcifer -- me viro e sumo em meio as árvores e arbustos -- até breve... Rowena Macleod... 

 Lúcifer tem muitos planos, sórdidos e sombrios, Rowena não sabia porque dele ter ido atrás dela mas logo a mesma descobriria, mesmo que fosse necessária a ajuda dos Winchester e a infeliz ajuda de Fergus... 

 Assim que conseguiu uma carona, Rowena lançou o motorista para fora e seguiu caminho em direção ao Lebanon , atrás de ajuda e principalmente atrás de pistas, do que estava acontecendo...

[Boston - 16:25] 

 Eles seguiram os rastros do Lobisomem, até uma enorme estrutura onde uivos e gritos eram ouvidos continuamente... 

 Cada vez mais próximos do prédio o ar estava pesado, uma grande quantidade de energia negra emanava do local, interferindo em muitos aspectos físicos e mentais. A visão de Sam e Dean estava um tanto turva, mas Charlie se manteve firme e junto com eles adentraram no prédio...

 Os vampiros avançaram na direção deles, com as presas a mostra e um olhar frio e mórbido. Num rapido movimento, Dean pegou sua arma e atirou contra um dos vampiros, acertando precisamente a testa do mesmo fazendo ele cair. Sam atirou em um acertando no pescoço, e Charlie atirou no outro acertando no peito do último dos vampiros, a mesma caiu no chão por conta do ricochete da arma... 

-- Charlie?! -- ajudo a mesma a levantar, e a olho ... 

 -- Não estou acostumada a dar tiros, em seres sobrenaturais -- me levanto -- ou como vocês chamam, sangue sugas... 

 -- Acho que resolvemos -- olho em volta...

 -- Não, nós não resolvemos nada ainda Dean -- o olho -- Temos que descobrir, o porque disso tudo 

 -- Está bem então -- bufo irritado e sinto o celular tocar -- Alo?

 -- Sentiu saudade Winchester? -- Quem está falando? -- olho Sam e Charlie confuso, e coloco no viva voz... 

-- Aprenda a jogar, Dean.... -- gargalho...

-- Olha só eu não sei quem está falando, mas quando eu descobrir você vai tomar uns tiros num lugar não muito agradável, entendeu? -- falo ríspido..

 -- Boa sorte em tentar, quem paga o preço -- rio fraco -- será seu anjo de estimação....

 -- CAS!! -- sinto um ódio crescer dentro de mim -- se você machucar o meu amigo... Eu machuco você!! 

 -- Que o jogo comece Dean Winchester -- gargalho -- Você não pode me ver , mas pode me tocar, se não tomar cuidado eu vou te machucar, quem sou eu? -- Desligo e não espero a resposta..

 -- Vou jogar com a sua cabeça, maldito!! -- atiro o celular contra a parede, e saio andando irritado... 

-- Parece que já sabemos o que aconteceu com Castiel -- olho Sam preocupada... 

-- Quem será que era? -- suspiro -- vamos resolver esse caso apenas nós dois, e depois vamos atrás do Dean... 

-- Não sei -- cruzo os braços -- vamos -- começo a andar pelo local..

 -- Charlie!! -- após dar uma breve volta pelo local, acabo entrando numa sala onde havia vários registros e documentos, todos falando sobre as vítimas e assassinatos..

 -- O que foi, Sam? -- o olho e olho os documentos...

 -- Acho que acabou de descobrir o motivo desses assassinatos -- a olho...

 -- E o que seria? - Contraio as sobrancelhas... 

-- Tem a ver com aquelas mensagens que recebemos, fora elas, cada pessoa morta estava de alguma forma ligada, todas elas se conheciam e sabiam de alguma coisa -- olho os documentos e pego todos

 -- basicamente essas pessoas tinham algo especial, se é que me entende -- suspiro -- vamos analisar isso no Bunker, esse pedaço do caso está encerrado, mas e começo aquela estranha voz disse...

 -- O jogo começou -- suspiro e saio com ele, em direção ao impala...

 Assim que entraram no carro saíram de volta para o Lebanon , o silêncio tomava de conta do impala, dando para ouvir apenas o ronco do motor. Sam e Charlie estavam no banco de trás, analisando os documentos enquanto isso, Dean dirigia numa expressão seria e fria, apertando o volante para tentar amenizar a raiva. O fato de Castiel estar correndo perigo, incomodava Dean por não poder fazer nada. Por não saber onde o amigo estava, ele se sentia culpado por não ajudar, ele se sentia culpado por ter afastado Castiel da sua vida sem dar satisfações. 

 A culpa e a revolta dançavam juntas, na mente de Dean, criando um perfeito caos entre a emoção e a razão. Sam apenas observava levemente o irmão, sabendo que qualquer coisa que fosse dita, poderia piorar a situação, ele se manteve quieto e permaneceu a analisar os documentos adquiridos no caso.

 Longe dali, Rowena havia chegado a sua casa no Lebanon , a mesma estava completamente acabada e com o vestido totalmente destruído. A raiva que ela sentia naquele momento, fazia os postes da rua explodirem e o céu trovejar.

 Assim que se arrumou apropriadamente, ando até a porta com a bolsa em mãos, pegou um guarda chuva vermelho e saiu, em direção a uma das unicas pessoas que poderiam ajuda-lá. 

 Havia voltada a chover violentamente sobre Kansas, as raios cortavam o céu e causavam leves e rápidos apagões em toda a cidade. Charlie e os Winchester já haviam voltado para o Bunker, Dean se trancou no quarto sem dizer uma palavra, enquanto Sam e Charlie ficaram na biblioteca. Algumas coisas estavam se desenrolando, com a análise minuciosa dos documentos, Sam e Charlie descobriram que as pessoas estavam todas ligadas, de alguma maneira biológica, psíquica ou até mesmo por guardarem segredos.... 

 -- Seis pessoas -- olho ela

 -- Todas mortas de diferentes maneiras, por terem algo especial -- o olho

 -- Elas estavam ligadas, porque eram experiências -- suspiro -- todas essas pessoas foram criadas em laboratório

 -- Criaturas híbridas feitas em laboratório, para nós proteger -- olho as imagens e começo a pesquisar na Internet... 

-- Ou para nos destruir -- começo a vasculhar os livros...

 -- O que aquela voz disse mesmo? -- ergo a sobrancelha.. 

-- " Você não pode me ver, mas pode me tocar, se não tomar cuidado eu vou te machucar, quem sou eu? " -- a olho 

 -- Um espírito maligno? Algo invisível? Não sei -- suspiro e olho para a tela do computador 

-- Talvez seja, vamos ter que investigar um pouco mais -- olho para os livros -- Precisamos do Dean 

-- Vamos dar tempo pra ele, ele não está bem Sam -- continuo a pesquisar na Internet

 -- Está bem -- começo a ler os livros, em busca de busca de algo que nos ajude...

 Rowena andava pela rua segurando o guarda chuva, e com a bolsa nos ombros. Algumas idéias e pensamentos passavam pela sua mente, enquanto tentava entender como Lúcifer estava livre? E porque ele estava atrás dela?.... 

 -- Olá Dear..

-- Quem é você, impertinente ? -- faço cara de pouco caso

 -- Que péssima forma de tratar um colega -- rio fraco e a olho -- sou... Crystal ... minha querida

 -- E eu achando que meu dia não podia piorar, aparece essa abusada -- a olho e faço cara de nojo -- como ainda está viva sua infeliz?

 -- E quem conseguiria me matar? Você? -- gargalho -- Você não foi capaz de matar, nem o seu próprio filho -- sorrio cínica -- eu quero uma coisa que você tem -- a olho -- o Codex!! 

-- Isso não e da sua conta, se eu matei ou não meu filho não te interessa!! -- a olho -- Pois perdeu a viagem -- lanço ela num muro e me aproximo, com uma cara nada feliz -- Você nunca terá o Codex, sua vádia metida a feiticeira -- saio andando...

 -- Se não vou ter por bem, então vou ter por mau!! -- me levanto -- saiba que uma mau profano se aproxima -- falo ríspida e sumo em meio as sombras...

 -- Era só o que me faltava -- bufo irritada e ando até uma cafeteria, para tentar esquecer dos prováveis problemas que virão... 

 Após horas pesquisando sobre todas aquelas informações reunidas, Sam e Charlie não obtiveram grande sucesso, mas não significava que eles iriam desistir tão cedo. Dean estava melhor do que antes, mesmo ainda se culpava pelo fato de Castiel estar correndo perigo. O Winchester se preocupava com o amigo, mas será que o que ele sentia era apenas amizade? A falta que Castiel fazia era inexplicável para Dean. Ele sabia que não ia desistir até, conseguir salvar o amigo, seja lá de quem está com ele. 

Rowena estava tento um breve encontro, com outras bruxas, interessada em fazer uma aliança com as mesmas enquanto sem saber, era observada calmamente por alguém que logo sairia do anonimato... 

 Nas áreas mais afastadas da cidade, um galpão se encontrava numa "Zona morta". Um ar sombrio tomava de conta do local, e apenas a luz das tochas adentravam no local. 

 -- Castiel -- sussurro... 

-- Dean.. -- Não me insulte, não lembra mais de mim "Anjinho" -- gargalho 

 -- O que você quer? -- abro levemente os olhos e rodeio minhas orbes azuis pelo local. Minha visão estava turva, e meu corpo completamente machucado com vários cortes, queimaduras e hematomas -- Lúcifer...

 -- Ver você sangrar -- sorrio diabólico -- mas não se preocupe, você tem companhia agora..

 -- onde ele está? -- o olho

 -- Num lugar especial, não se preocupe, você é o que importa -- pego a faca angelical e começo a passar por seu corpo, criando cortes e fazendo queimaduras. Aquela seria uma longa noite... 

-- AAAHH!! -- gritava e me contorcia, completamente amarrado e preso sem poder revidar...

 -- A noite apenas começou Castiel!! -- gargalho e continuo com a tortura, que por sinal duraria muito tempo....

 As horas passavam, Sam e Charlie conversavam calmamente, enquanto Dean dormia para tentar se acalmar um pouco. Algumas imagens passavam pela mente de Dean, ele sentia que Castiel estaca sofrendo e não podia ajudar. Dean se contorcia na cama, enquanto tinha aquele terrível sonho, seu corpo queimava e marcas de arranhões percorriam seu peito lhe tirando o fôlego, e lhe fazendo sentir uma dor que ele nunca havia sentido antes. Aquela seria o começo das piores noites de sono, que Dean Winchester já presenciou.... 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, é como eu disse antes, no próximo capítulo vou fazer de tudo pra ser melhor...
Não deixem de comentar ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...