História The daughter of demon - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Aline Penhallow, Asmodeus, Clary Fairchild (Clary Fray), Emma Carstaris, Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jonathan Christopher Morgenstern, Magnus Bane, Maryse Lightwood, Rafael Lightwood-Bane, Robert Lightwood, Simon Lewis, Valentim Morgenstern
Tags Clace, Malec, Sizzy
Visualizações 31
Palavras 1.727
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heyy shadowhunters, como vcs estão? Espero que bem... Estou postando mais um capítulo, me desculpe os erros, eu estou viajando. Bom, espero que gostem❤❤

Capítulo 23 - De volta para casa


Fanfic / Fanfiction The daughter of demon - Capítulo 23 - De volta para casa

Pov's Max

A luz do sol batia na janela do Instituto refletindo no chão da biblioteca.

Já faz um ano que eu e Jonathan conseguimos escapar de Sebastian, eu lembro como se fosse hoje todo o sentimento e a emoção que eu senti ao reencontrar minha família...

*Flashback on*

O Táxi balançava fazendo meu corpo colidir com o de Jonathan, eu estava ansioso, meus membros chegavam a tremer.

O platinado não estava muito diferente de mim, ele se remexia o tempo todo aparentando estar nervoso e balançava as pernas com rapidez.

- Jonathan? - Perguntei vendo ele virar a cabeça em minha direção. - Você está bem?

O Morgenstern me olhou assustado antes de dar um sorriso de lado e dizer aparentando estar mais calmo:

- Eu que deveria te perguntar isso, como está o seu coração, pequeno?.

- Acelerado, parece que a qualquer hora ele vai sair pela minha garganta.

Ele riu e colocou sua mão sobre a minha.

- Não se preocupe, eu vou estar lá para te acalmar se tiver um ataque.

Sorri para ele e foi quando eu percebi que o Táxi estava parando, Jonathan tirou algumas notas do bolso e entregou ao taxista agradecendo a corrida.

Saímos do carro e foi quando eu comecei a sentir meus nervos à flor da pele. O platinado me conduziu até a entrada e perguntou aflito:

- Pronto?

- Defina "Pronto".

Ele sorriu novamente me fazendo sentir um pouco de coragem. Abri a porta do Instituto e uma menina que estava sentada em um dos bancos da entrada me olhou confusa, depois seus olhos se direcionaram a Jonathan e ela logo sacou a espada serafim e foi em direção ao platinado que arregalou os olhos e foi se afastando rapidamente da morena.

- Hey, calma garotinha, eu não sou quem você está pensando. - Diz o platinado quando a garoto pressionou a lâmina no seu pescoço.

- Ah então você não é o demônio que matou e quer matar milhares de inocentes? - Perguntou irônica.

- N-Não. - O Morgenstern responde com a voz tremida de dor ao sentir uma gota de sangue cair de seu pescoço.

- Solta ele, Leia. - Um garoto loiro se aproximou e tirou a espada da mão dela.

- Mas que merda, James!? Ele é Sebastian Morgenstern!

- Você se esqueceu que Angel nos contou sobre a parte humana de Sebastian que foi separada dele? Olha a cor do olhos dele e comprove, realmente acha que aquele demônio ficaria parado ouvindo você o ameaçar sem fazer absolutamente nada?

Leia arregalou os olhos entendendo a linha de raciocínio de James.

- Oh, me desculpe... Eu achei que você era o Sebastian. - Diz a garota oferecendo um lenço para Jonathan limpar o sangue do pescoço.

- Não foi nada, se eu tivesse no seu lugar eu faria o mesmo. - Ele respondeu fazendo ela sorrir.

- Okay, sabemos que ele é o Jonathan, mas quem é você? - Um garoto azul, provavelmente um feiticeiro, perguntou se dirigindo a mim me olhando de cima a baixo.

- B-bom, eu sou...

- MAX! - Fui cortado por uma voz e o som de um vazo se quebrando ao cair no chão deixando os cacos e as flores esparramadas no chão .

Olhei para a mulher abismado e comecei a chorar, ela também chorava, as lágrimas molhavam o rosto dela como se fossem cachoeiras. Sem pensar duas vezes, ela saiu correndo e me abraçou com força sendo retribuída mesma intensidade.

- Meu bebê. - Ela sussurra ainda me abraçando.

- Mamãe. - Digo soluçando.

- Maryse? O que está acontecendo aqui? - Uma voz grave faz ela me soltar, mas ainda me tocava, como se estivesse provando que eu era real.

- Oi, pai. - Falo dando um sorriso. Ele também veio em minha direção, mas ficou me encarando por um tempo, depois, ele me abraçou e eu pude sentir o quanto que o "Chefe da família Lightwood" estava mudado desde que Sebastian me pegou, e para melhor, julgo eu.

Robert me soltou e meus olhos vagaram pelo longo corredor a minha frente, Jace, Alec e Izzy estavam parados em choque me encarando. Quase que ao mesmo tempo, os três tomaram noção da realidade e vieram me abraçar em conjunto.

Naquele momento, o tempo parecia andar devagar. As memórias me atingiram como se fosse munições... Alec me ensinando a usar uma adaga, Jace me dando o seu soldadinho de brinquedo, Izzy brincando de lutinha comigo... Então uma nostalgia bateu, nunca percebi o quanto eu senti saudades de quando Alec lia uma história para nós três e Izzy interpretava o personagem principal com um ursinho.

Sorri com a lembrança e percebi que meus irmãos estavam fazendo o mesmo, nós estávamos pensando na mesma coisa. Nos afastamos lentamente mas continuamos sorrindo, como se ainda estivéssemos naquela época. 

Eu voltei para casa, pensei feliz.

- Não querendo atrapalhar o momento, mas como isso aconteceu? - Robert perguntou curioso se revezando para olhar de mim ao Jonathan.

- Bom... - Começou o platinado.

- Os meninos precisam descansar, Robert. Depois fazemos perguntas. - Maryse respondeu brava. - Vamos, eu vou levar vocês aos quartos.

- Tudo bem? - Perguntei para o Morgenstern ao perceber que ele ficou mais pálido que o normal.

- Está sim, vamos, minha flor vermelha. - Ele responde sorrindo.

- Espera, você chamou meu irmãozinho do quê? - Izzy perguntou assustada e eu senti meu rosto queimar em chamas.

*Flashback off *

Descobrimos sobre tudo o que aconteceu com Angel dois dias depois, demorou para convencemos todos de que a garota era inocente, principalmente Izzy. Mas com certeza, Thomas foi o que mais ficou abalado quando soube a verdade, ele ficou em choque por alguns minutos e depois caiu em um choro profundo, sussurrando enquanto as lágrimas caía "Eu não acreditei nela" "Ela me odeia" "Como eu pude fazer isso?", depois disso, ficou nítido para mim e para todos que estavam no recinto o sentimentos dele pela platinada.

Depois de convencermos minha família sobre Angel, contando os fatos que ouvimos de Sebastian quando estávamos fugindo, começamos a procurar provas para que pudéssemos provar para a Clave. Mas desde que Jonathan começou a trabalhar com os outros caçadores, ele anda distante, o que me deixava sem humor para fazer nada. Sei que ele deve estar preocupado com o fato dos outros shadowhunters o olharem com desconfiança e medo, mas quando ele não fala comigo ou me trata com indiferença, eu sinto um vazio dentro do meu coração.

A porta da biblioteca se abre e uma Izzy saltitante entra no recinto. Ela vem em minha direção e me abraça.

- Como está, irmãozinho? - Diz me dando um beijo na testa.

- Preocupado com Angel, será que acharemos provas para que ela possa retornar ao Instituto?

- Olha Max, eu já fui muito estúpida em relação a Angel, mas posso te afirmar uma coisa... Aquela garota é forte, ela consegue se proteger. Mas deixa eu te perguntar... É só isso que está te preocupando ou tem algo haver com um certo platinado de olhos verdes?

Corei, eu sou um livro aberto.

- Talvez... - Respondo.

- Sabia! - Ela bateu uma mão com a outra e sorriu largamente, foi então que eu percebi a grande semelhança entre a Izzy e sua filha, Leia.

Derrepente, Jonathan entra correndo no recinto completamente ofegante.

- Conseguimos a impressão digital de Sebastian no caderno de Angel, Magnus nos ajudou a descobrir com um feitiço. Não acredito que demoramos tanto tempo para encontrarmos uma evidência que estava na nossa cara! - Ele diz rapidamente.

- E isso quer dizer... - Izzy perguntou ansiosa.

- Quer dizer que conseguimos provar a inocência de Angel para a Clave. Agora nós temos que procura-la.

- Isso não vai ser fácil, estamos procurando ela a meses! Mas em todos os casos, vou ligar para Rafael e ver se ele pode ajudar já que está viajando em Amsterdã. - Minha irmã diz e sai batendo os saltos no chão de madeira.

O silêncio se instala no quarto com sua saída, Jonathan parecia desconfortável e posso apostar que eu não parecia muito diferente.

- Então eu vou indo. - Diz o platinado fazendo menção de se afastar.

- FAZ ISSO MESMO. - Explodi, eu não sei o porquê de estar tão irritado.

O Morgenstern parou aonde estava e se virou assustado.

- Por que está fazendo isso, Jonathan? Por que está se afastando de mim? - Eu posso sentir as lágrimas se formulando nos meus olhos. - Eu sinto a sua falta, mas parece que você não dá a mínima para isso.

Abaixo a cabeça e ouço seus passos se aproximarem. Ele colocou uma das mãos em meu rosto e me obrigou a encara-lo.

- Eu não mereço você, Max. - Sussurra pressionando os lábios em minha orelha. - Os caçadores de sombras me olham com desprezo e rancor, quando passo nos corredores ouço sussurros por onde eu ando, fofocas sobre nós dois, alguns mais corajosos vêm e me dizer na cara dura que é melhor que fiquemos afastados um do outro... E em certa parte, eu concordo com eles.

Eu entro em choque, estou tão irritado, então era esse o motivo de ele se afastar de mim por meses!? Mal consigo pensar nos meus atos, nem vi quando minha mão fechada em um punho acertou seu rosto. Subo em cima dele e começo a deferir vários tapas pelo seu corpo.

- Por que está me batendo? - Ele pergunta irritado segurando minha mão.

- Por que!? Ainda tem coragem de perguntar isso? PORQUE EU SENTI SUA FALTA, IDIOTA. - Grito e ele arregala os olhos, nossos rostos estavam muito perto, eu conseguia sentir sua respiração.

- Max, você sabe que eu nunca te machucaria intencionalmente, mas se algo acontecer eu não sei como...

- PARA JONATHAN. Eu conheço seu passado, assim como você conhece o meu, e por isso mesmo eu sei que não vai me machucar... Eu sei quem é o verdadeiro Jonathan Morgenstern e ele é o ser humano mais incrível que eu conheço.

 Ele não me respondeu, ficamos nos encarando por algum tempo até eu perceber que estava sentado no seu colo e corar. Fiz menção de me levantar mas ele me puxou de volta, e então, o inacreditável aconteceu... Ele me beijou.


Notas Finais


Eai, gostaram? Espero que sim. Kisses do Seb😚❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...