História The daughter of the delegate 2 - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Anahí, David Beckham, Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags Anahi, Drama, Justin, Violencia
Visualizações 41
Palavras 3.556
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


boa leitura

Capítulo 41 - Casa do delegado


Fanfic / Fanfiction The daughter of the delegate 2 - Capítulo 41 - Casa do delegado

Melany P.O.V

 

 

Cheguei na sala e me bati com o meu pai, que falava com alguém no celular.

Se eu falasse a ele que o Justin não iria vir por conta de um tiro, ai sim que eu daria um otimo motivo para o meu pai não querer que o Justin aparecesse por aqui.

 

- Pai, o Justin não vem. Eu vou comprar chocolate amargo. – sorri e ele negou vindo ate mim, ainda falando no telefone – Estou com vontade.

- Eu vou com você.

- O Max me leva. – ele assentiu e eu corri ate a porta, vendo o Max mexendo no celular. Me aproximei dele e sorri

- Max, sera que você poderia me levar para comprar chocolate? O meu pai já sabe. – ele assentiu e abriu a porta pra mim

- Fico feliz em saber que vocês dois fizeram as pazes. – ele disse assim que entrou no carro

- Eu tambem. – forcei um riso e ele ligou o motor – Ah, Max, então… Eu gostaria de comprar um chocolate que só vende ali próximo a aquele hospital que eu fiquei internada, se lembra? – eu esperava que o Max tivesse caido

- Melany, Melany, o que você esta aprontando dessa vez? – ele perguntou e eu dei de ombros – Eu te conheco

- Eu estou gravida, Max, e só um desejo de gravida

- Nao sei porque, mas sinto que não e só isso. – fiquei calada – Acertei?

- E só isso, Max

- Me fala a verdade. – engoli seco

- Eu estou falando a verdade. – ele negou com a cabeca – Me deu vontade de comer chocolate amargo, que mal tem nisso?

- Voce pode confiar em mim, Melany. Eu prometo que dessa vez não conto para o seu pai, mas você precisa me contar a verdade. Nao da pra arriscar a sua seguranca. – continuei calada – Se você não me contar a verdade eu vou ser obrigado a voltar. – passei a mao no rosto e suspirei no momento em que ele parou o carro

- E que Justin ele… esta la. – ele esperou que eu continuasse – Parece que ele levou um tiro. – encarei as minhas maos por alguns segundos e voltei a olhar pra ele – Eu não queria mentir para o meu pai, mas e que eu tinha certeza de que ele não deixaria eu ir ver o Justin. – ele travou o maxilar – Ele e o pai do meu filho, Max, se algo aconteceu eu tenho o direito de saber você não acha? – ele não disse nada e eu mordi os lábios – Se coloca no meu lugar. – ele continuou na dele e eu suspirei – Voce me prometeu que não iria contar nada pro meu pai

- Tudo bem, Melany, você venceu! – sorri de leve – Mas eu não posso deixar você entrar la sozinha, eu vou te acompanhar. – assenti

- Ok.

- Essa sera a primeira e ultima vez que eu vou mentir pro seu pai.

- Ta, agora vamos.

 

 

Assim que chegamos no hospital, o Max me ajudou a sair do carro e foi comigo ate a recepcao.

 

- Oi! Eu gostaria de saber onde o…

- Melany?! – ouvir a voz da Pattie e virei rapidamente – O que você tá fazendo aqui? – ela perguntou, e olhou para a minha barriga e logo depois para o Max

- Cade o Justin? Ele esta bem? – perguntei e ela voltou a olhar pra mim, assentindo

- Sim, ele já esta bem. E eu acho melhor você ir pra casa.

- Pronto, Melany. Agora vamos. – Max disse e eu neguei

- Eu quero ve-lo. – disse e ele passou a mao no rosto sem deixar de olhar para os lados

- O... O pai dele deve chegar a qualquer momento, Melany, por favor… Eu acho melhor você ir embora.

- So preciso de dez minutos. Por favor, Pattie – disse segurando na mao dela

- Tudo bem, dez minutos.

- Max...? – ele assentiu

- Dez minutos. – assenti sorrindo e acompanhei a Pattie

 

Entrei no quarto do Justin e ganhei toda atencao do mesmo, que nao estava com uma cara muito boa.

 

- O que você veio fazer aqui? – ele sentou rapidamente e gemeu de dor

- Cuidado, Justin! – corri ate ele e o ajudei com os travesseiros – Ta bom assim?

- O que você tá fazendo aqui, Melany?

- Eu vim saber como você esta e o que aconteceu. – disse segurando na mao dele – O que foi isso? – me referi ao braco dele que estava enfaixado

- Eu não sabia que a minha arma estava carregada e enfim... – neguei com a cabeca

- Voce esta mentindo pra mim. – ele revirou os olhos – Eu não tenho muito tempo, só queria saber como você estava e não ache que eu vou esquecer disso. Ainda quero a verdade. – ele deu de ombros e eu me aproximei, ja juntando os nossos lábios por longos segundos

- O que aconteceu nesse meio tempo que não estive presente? – sentei ao seu lado – Voce voltou pra casa do seu pai, foi isso mêsmo?

- Sim. Umas coisas aconteceram e eu e o meu pai achamos que o melhor e eu passar a gestação, pelo menos, la na casa dele. – ele assentiu

- Nisso eu concordo, mas espero que ele saiba que eu não vou abrir mao de estar presente nesse momento. – umedeci os lábios e olhei para as nossas maos que estavam entrelacadas

- Entao… – ele me interropeu

- Entao nada. Eu sou pai dessa crianca.

- Justin…

- Qual foi agora? Era só o que me faltava, ele querer que aquele seu ex namoradinho registre o meu filho. Nem fodendo que isso vai acontecer.

- Nao mete o Taylor no meio que não e nada disso . Foi justamente por isso que eu te mandei aquela mensagem, Justin. – voltei a olhar pra ele que me olhava serio – Ele quer falar com você. – ele negou com a cabeca

- Eu já disse que não vou abrir mao do meu filho.

- Eu sei disso e ele tambem sabe. Mas não e só isso. – passei a mao no rosto e levantei

- Primeiro me fala o que aconteceu, por que você foi pra la?

- Parece que o Mike queria que a minha mae me convencesse a ir embora com ele.

- Embora? – perguntou confuso – Por que você faria isso?

- Eu não vou fazer. E ele queria que a minha mae tambem me convencesse a tirar essa crianca.

- O QUE? – ele sentou na cama rapidamente – COMO E QUE AQUELE FILHO DA PUTA TEM CORAGEM DE FAZER ISSO COM A PROPRIA FILHA?

- Calma, Justin – fui ate ele de novo e o mesmo respirou fundo e voltou a falar com mais calma

- Mas você já sabe o que ele pretende fazer, não foi só por isso que você foi pra casa do seu pai. Tem mais coisa e você vai me dizer. – ele sentou na cama de forma com que os pes ficassem pra fora da mesma, e me puxou para o meio das suas pernas

- Eu acho que ele me ameacou.

- Como assim você acha? – passei a mao no rosto e ele puxou as minhas maos – Me diz o que tá pegando.

- Eu não contei essa parte para o meu pai porque eu não queria me precipitar e tambem porque eu queria evitar problemas.

- Como sempre. – revirou os olhos

- Quando ele foi embora ele disse que …

- Vamos, Melany – Max entrou no quarto e Justin olhou pra ele e depois mim

- O que esse cara tá fazendo aqui?

- Ele me trouxe.

- E já estou levando, vamos. – Max disse serio

- Eu preciso ir agora. – disse e Justin encarou o Max por longos segundos – Depois terminamos nossa conversa.

- Posso trocar uma ideia com ela? – Max não disse nada – Dois minutos e nada a mais – Max olhou pra mim e eu assenti

- Ok. Dois minutos. – sorri agradecida e ele saiu fechando a porta logo depois

- O que você tá fazendo com esse cara, Melany?

- Ele me trouxe e não vai contar para o meu pai que eu vim te visitar. – me aproximei para beijar ele, mas o mesmo afastou o rosto

- Esse cara tá na sua? – franzi a testa e ri

- O que?! Nao. – revirei os olhos – Ele só foi gentil comigo e pelo que vi foi com você tambem.

- Ele só foi gentil comigo e pelo que vi com você tambem. – ele tentou me imitar e eu ri – Eu estou de olho.

- Eu já disse, ele só me trouxe, Justin. Para. – segurei nos dois lados do seu rosto e o beijei. – Agora vou indo. Se cuida e tenha amor a sua vida porque você vai me ajudar a cuidar dessa crianca. Falando em crianca, eu acho bom você ir escolhendo o nome desse bebe, acho que vai ser um mini Justin. – ele riu e alisou a minha barriga

- Cara, nem falei com você hoje. – ele levantou a minha blusa e beijou a minha barriga

- Cena fofa essa... – Chris disse entrando no quarto – Melany, o cara que esta la fora mandou vou sair . – suspirei

- Ja estou indo. – deI mais um, dois, tres… vários beijos no rosto Do Justin e me afastei – Nao pense que você não vai me contar a verdade. – ele levantou da cama e eu arregalei os olhos – O que você pensa que esta fazendo, Justin? – perguntei o ajudando

- O seu pai não queria falar comigo? Entao eu vou tambem – ele foi ate a porta e eu olhei para o Chris que deu de ombros.

 

(…)

 

- Voce tem certeza que o seu pai quer falar com ele, Melany? Lembra no que deu na ultima vez? – Max disse saindo do carro, enquanto o Justin saia de dentro do carro do Chris, com o mesmo

- Dessa vez vai ser uma conversa e nada de brigas. – disse e ele fechou a porta

 

Para o Justin sair do hospital rolou maior confusão. Primeiro porque a mãe dele não queria que ele saísse dali, e surtou quando ele falou iria vim ate a casa do meu pai para trocar uma ideia com ele. E depois ele bateu boca com uma enfermeira que não queria deixa-lo sair do quarto, mas ele assinou um termo e por fim veio junto com o Chris.

 

- Vamos – chamei eles dois, mas o Chris negou e disse que iria fazer uma ligacao

- Vamos falar com o meu sogrinho. – Justin debochou e eu ri negando

 

Assim que eu entrei na sala encontrei o meu pai ainda falando no telefone, ao notar a nossa presenca ele travou o maxilar e encerrou a ligacao.

 

- Quase uma hora e meia de atraso. Ao contrario de você eu tenho muito o que fazer.

- Ele teve uns problemas, pai – meu pai assentiu

- Oh, estou vendo os problemas. – ele aprontou para o braco do Justin – Na certa trocou tirou com a policia

- Sobre o que quer falar comigo? – Justin perguntou mudando de assunto

- Sobre o obvio. – ele apontou para minha barriga e o Justin assentiu – Me acompanhe. – meu pai disse seco e eu fui na frente do Justin – Voce fica.

- Nao, eu…

- Deixa comigo. – Justin disse baixo e beijou a minha mao – Prometo que dessa vez eu vou fazer a coisa certa.

- Mas eu não posso deixar você… – fui interrompida novamente

- Voce não queria que eu tivesse uma conversa com o seu pai? Pois então… – suspirei e ele beijou meu rosto – Volto já. – ele foi ate o escritório do meu pai

 

James P.O.V

 

 

Assim que fechou a porta ele se aproximou e eu apontei para a cadeira.

 

- E então? – ele perguntou serio, e eu ergui a sobrancelha

- Bom, vamos por parte. – ele assentiu e eu encostei as costas na cadeira – A Melany já deve ter te contado quais são os planos do Mike. – novamente ele assentiu e eu continuei

- Sim e mesmo sabendo que você faria qualquer coisa pra salvar a sua filha, assim como eu, agradeco por não dar as costas a ela.

- Recuso os seus agradecimentos. – disse simples e ele riu assentindo

- Esperava por isso, mas você poderia adiantar o assunto? – perguntou e agora foi a minha vez de assenti

- Eu conversei com a Melany e mesmo não querendo a sua presenca na vida dela e na do meu neto ela acabou me pedindo para que pelo menos você participasse da gestacao e conhecesse o seu filho. – ele ficou na dele

- Voce tá querendo dizer que assim que a crianca nascer eu terei que me afastar?

- Na verdade as coisas não são simples assim para o seu lado, Justin. – ri e ele me encarou – Eu pretendia entregar todas as provas que tenho contra você e contra o seu paizinho nas maos do juiz ainda essa semana, e você sabe que pode passar bastante tempo na cadeia. E ainda correr risco de nunca conhecer o seu filho. – ele não disse nada – Enfim… como eu sei que tem possibilidade de você conhecer essa crianca la pra depois do casamento dela ou dele, resolvi fazer essa caridade. Ate porque eu não deixaria nem a minha filha e nem o meu neto ir te visitar naquele lugar.

- Era só isso? – assenti e ele levantou

- Ah, já ia esquecendo. – ele virou novamente – Eu não quero que nada aconteca com a minha filha e nem com a crianca, como eu sei que você só anda com pessoas da sua laia peco que se afaste mais dela, fala mais por telefone. E se puder só aparece no nascimento da crianca. – ele negou com a cabeca

- Isso não. – ele disse – Eu posso ate não vistar ela sempre, mas eu vou participar de tudo você querendo ou nao

- Ah, sobre isso tambem, eu não quero você vindo aqui na minha casa e nem quero que ela saia com você, para a seguranca dela e do bebe. Sugiro que faca uma chamada de video ou sei la. – sorri novamente e ele me encarou – Sabe Justin, se você realmente se importasse com essa crianca e com ela já teria se entregado a muito tempo. Acha mesmo que essa crianca algum dia sentira orgulho de você? – ele travou o maxilar e eu neguei rindo – Isso nunca vai acontecer, sabe por que? Porque você não passa de um marginalzinho. Pode ter a certeza de que eu nunca deixarei faltar nada a ele ou ela, e nem tao pouco deixarei ele ou ela se humilhar ao ponto de ir te visitar naquele lugar. – fui na direcao dele que desviou o olhar – Sei que não vai adiantar eu te falar essas coisas, mas se você realmente ama a minha filha e o seu filho não permitira que eles te facam uma visita va te visita. – ele me encarou

 

Justin P.O.V

 

 

- Onde estamos, Justin? – ela perguntou novamente e eu tirei as maos dos seus olhos

- Lembra daqui? – ela assentiu sorrindo

- Sim. – abri a porta e entramos na casa. Ela estava do jeito que a minha mae tinha deixado da ultima vez, porem estava limpa.

- Eu pedir para a Maria da uma geral aqui semana passada. – sentei no sofa e ela fez o mesmo

- Achei que nunca voltaria pra ca tao cedo. – ri sem humor

- Por incrivel que pareca foi aqui que as coisas acontecam – rimos

- Lembro bem o que aconteceu. – neguei

- Nao foi só a nossa transa. – Melany franziu a testa – Foi aqui que eu descobri o que eu sentia por você de verdade. – olhei pra ela que já estava com os olhos brilhando. – Foi bem dificil quando a ficha caiu. – encarei as maos dela – Muito dificil. Quando a gente só ficava tava de boa, porque era só uma atracao, ate mesmo quando comecamos a namorar sabe, ali não era de verdade. Mas ai depois tudo mudou. Eu acho que depois de ter apontando um revolver na sua cabeca a parte mais dificil pra mim foi depois da sua primeira vez. Eu já estava apaixonado por você, mas ao mesmo tempo eu não podia porque eu achava que o seu pai tinha matado o meu. Mas ainda sim eu estava apaixonado e me apaixonava cada vez mais... – ela abaixou o olhar e deixou algumas lagrimas cairem – No momento em que o Alex sugeriu que eu te engravidasse, no inicio eu não nego que aceitei. Eu estava disposto a destruir o seu pai, mas ai no segundo momento eu não quis porque se alguma coisa acontecesse com a crianca iria te destruir e eu iria ser atingido porque eu não suportaria te ver sofrer. – aproximei a minha mao do seu rosto e enxuguei algumas lagrimas – Quando fui ate a Alicia para pedir pra que ela tirasse a Safira, foi a pior coisa que eu fiz, mas mesmo sendo egoismo eu só pensei em você. Eu queria te poupar porque sabia que mais cedo ou mais tarde ela pegaria a crianca novamente.

- Mesmo sendo errado tudo que você fez ou pensou em fazer eu hoje consigo te entender. A mesma protecao que o meu pai tem comigo você tambem tem, eu entendo. – ela riu entre as lagrimas

- Quando você me contou dessa gravidez eu não parei um segundo de pensar nele. Essa crianca mudou muita coisa em mim, Melany. Minha mente diz uma coisa, o meu coração diz outra e ai vem a pergunta : Sera que algum dia ele sentira orgulho de algo que eu fiz? – ri negando – Quando eu olho pra tras não lembro de porra nenhuma. Na verdade eu não fiz nada para que ele se orgulhe.

- Ele vai sentir orgulho de você. Você e um homem incrivel! Pra mim não importa o que as pessoas falam, eu sei do seu arrependimento e eu sei o que você sente. Isso e a unica coisa que vale pra mim.

- Voce fala isso porque você me ama. – ela negou e sentou no meu colo

- Voce fez coisas que eu mae do seu filho me orgulho. – neguei e abaixei o olhar

- O seu pai disse que assim que essa crianca nascer … – ela negou

- A gente pode contratar um otimo advogado, Justin. – ela enxugou as lagrimas – Eu tratarei de fazer isso no mesmo dia que isso acontecer

- Eu não quero, Melany. Foi por isso que eu resolvi te trazer pra ca, porque aqui a gente poderia conversar a vontade.

- Eu não vou te deixar la por muito tempo.

- Eu quero te pedir uma coisa.

- Tudo que você quiser. – ela disse rapido

- Eu não sei quando a minha mae vai cair na real, mas me promete que vai cuidar da Jolie como se fosse sua filha quando eu estiver na cadeia? – perguntei olhando nos olhos dela que assentiu

- Sim. Mas vale lembrar que você não vai ficar la por muito tempo. – fechei os olhos e respirei fundo

- Eu conversei com o seu pai e… Disse que não iria fugir ou tentar qualquer coisa. Eu me entreguei – ela arregalou os olhos

- Nao, você não fez isso! – ela riu sem acreditar – Voce tá louco ou o que? Tem ideia do que você fez? – ela saiu do meu colo

- Melany…

- NAO, VOCE NAO PODERIA TER FEITO ISSO. NAO SABEMOS POR QUANTO TEMPO VOCE PODE FICAR PRESO. VOCE NAO PODERIA TER FEITO ISSO SEM FALAR COMIGO! – ela gritou e eu me aproximei, mas a mesma se afastou

- Cedo ou tarde isso iria acontecer

- VOCE TA ESQUECENDO QUE AGORA TEM DUAS CRIANCAS. COMO E QUE A JOLIE VAI REAGIR AO SABER QUE VOCE NAO VAI TA POR PERTO, PAROU PRA PENSAR? – passei a mao no rosto e ela foi ate o sofa e voltou a chorar – Eu sei que você se arrependeu, eu sei – ela ficou de pe e veio na minha direcao para alisar meu rosto

 

Melany P.O.V

 

 

- Eu não vou deixar você ser tao duro consigo mesmo, você vai conhecer o nosso filho. Voce vai coloca-lo nos bracos… – ele negou e se afastou , pegando a primeira coisa que apareceu na frente e arremessou longe. Nesse momento eu fui ate ele e segurei os seus bracos

- Eu não posso ver ele porque… – ele gesticulou com as maos e encarou a parede e algumas lagrimas cairam do seus olhos – Porra se isso aconteceu eu não vou querer me afastar e vai ser pior pra mim. Eu não posso, Mel, não posso. – puxei ele para um abraco – Eu me apeguei tanto a essa crianca e ele nasceu ainda imagina quando isso acontecer

- Eu sei, meu amor. Mas você tá de cabeca quente. – me afastei e enxuguei as lagrimas dele – Vamos fazer assim... – funguei – quando eu completar seis meses ai eu deixo você escolher se quer conhecer ele antes de ser preso ou nao. Ok? – perguntei e ele ficou calado – E nesse tempo você pode ir preparando a Jolie

- Eu…

- Eu não estou passando a mao na sua cabeca, não nada disso, mas agora você tem a Jolie, Justin. O seu pai voltou… Vamos primeiro ir com calma, vamos conversar com ela. – alisei seu rosto – Nao faz isso com ela – ele assentiu

- Voce tá certa eu… Eu preciso conversar como a Jolie. – ele se afastou e eu suspirei mais aliviada.

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Deu pra postar rsrsrs... '-'-'-'-' Entao e isso, espero que estejam gostando =)


Ate o proximo cap, bjokaaas!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...