História The Demons and the Angel - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Luiz Felipe (Luiz 1227), Marco Tulio "AuthenticGames", Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Authenticgames, Baixauthentic, Cellbits, Cellps, Drama, Mitw, Rezendeevil, Romance, Tazercraft
Exibições 17
Palavras 1.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


boa leitura

Capítulo 7 - Ela é minha, e só minha!



~Luana~


(2 semanas depois)


Meu coração acelerado, parecia que iria sair pela minha garganta a qualquer segundo, ele doía, mas doía de verdade, como se alguém tivesse o arrancado. Lágrimas começaram a escorrer pela minha bochecha. 'Como ele teve coragem de dizer que iria me proteger?'. Slender segurou-me pelo colarinho de minha camiseta e me levantou até que eu pudesse ver seus olhos verdes (versão humano). Seu olhar mostrava que ele não queria me machucar, mas deveria, através de seu olhar, pude ver que havia uma guerra acontecendo dentro dele, entre me pedir desculpas e me abraçar, e me matar e ignorar-me. 
-Slendy...?-perguntei baixinho, minha dor era maior que eu para aguentar. 
Quando ele ouviu minha voz, seus olhos encheram de lágrimas, mas não as permitiu descerem.
-V-você p-prometeu não me m-machucar-digo com dificuldade por conta dos ferimentos.
Suas mãos ficaram trêmulas.
-M-me solta-pedi, minha voz falhou um pouco.
Ele fechou os olhos com força. Ele realmente está sendo obrigado a ferir-me.
-Slendy, por favor, me solta, você prometeu me proteger!-digo levantando o tom de voz. Ignorada-SLENDER ME LARGA!! SLENDER ME SOLTA! Por favor...!-grito com voz de choro, abaixando minha voz no final.
Ele me colocou com cuidado no chão, se ajoelhou na minha frente e algumas lágrimas começaram a rolar, olhei meio triste para ele e o abracei, Slendy correspondeu.
-Me desculpe, ela está me obrigando-Slendy sussurrou.
Um de seus tentáculos me amarra pela cintura, ele se levanta e, seu tentáculo me arremessa contra o chão. Gritei de dor, Slendy tapou seus ouvidos e desapareceu. Tentando me levantar, gritei por ajuda.
Mas ninguém veio...
Consegui finalmente levantar-me, andei mancando até uma árvore e me encostei, sentando no chão. 
-Como que isso pode acontecer..-digo, tapando meu rosto com minhas mãos, um pouco, ensanguentadas.


{Meia hora antes...}


-ESTOU COM FOME!-gritei, fazendo uma carinha fofa em seguida. Pac sorriu e me entregou uma maçã.
-Me diz, o Pac, quero dizer, seu pai é tão ruim assim?-Pac me perguntou.
-Não. Ele só está um pouco assustado. Ele teme a mim por eu ser um demônio-digo, mordendo a maçã.
-Posso lhe perguntar uma coisa?-Pac perguntou-me, sentando-se na minha frente.
-Acabou de perguntar. He he, desculpe, pode, fique à vontade-respondi.
-O Pac e o Mike no futuro, estão juntos?-ele perguntou, corado, seus olhos estavam brilhando.
-Você está interessado no Mike, senhor Tarik?-perguntei, sorrindo maliciosamente.
-Só responde a pergunta-ele responde, emburrado e corando ainda mais.
-He he, sim, estão namorando-digo, rindo um pouco.
'Bem fofo quando emburrado, assim como Mike falava'. Ele sorriu vitorioso, e depois cora muito mais, olhei para a porta da cozinha, e lá estava Mike, sorrindo vitorioso e um pouco corado.
-Namorando, hum?-Mike perguntou, aproximando-se.
Ele se sentou ao lado de Pac, o mesmo mostrava-se incomodado. Um silêncio meio constrangedor ficou, pelo menos é o que parecia, mas nada como uma garotinha sorridente como eu não possa mudar isso.
-Pac e Mike estão juntos, e me contaram que a vida deles melhorou muito depois disso-digo, ficaram ainda mais corados. Pac passou de vermelho para roxo de tão corado que está-Desculpa. Hãn..... Podemos ir na floresta, caminhar? Só nós três?
-Claro-responderam juntos.
Alguns minutos depois, estávamos no meio da floresta, eles conversavam alegremente, o que me deixou feliz. 'Esqueceram.. Que bom', sorri. Senti que alguém estava nos observando, procurei em meio as árvores e não vi nada.
-Pac, Mike, é impressão minha ou estamos sendo observados?-perguntei, virei-me e não tinha ninguém. Entrei em desespero.
Não sou acostumada a ficar sozinha, normalmente fico próxima ao Nick, mas ele está em uma "missão" de juntar o Pedro e a Lílian. Chamei por Pac e Mike, nada.
-Parece que alguém foi abandonada-uma voz feminina que reconheço e muito bem. Luna.
Virei e a vi, acompanhada de Jeff {versão Pedro} e..... Slender?
-Slendy?-o chamei, ele virou o rosto e me ignorou, o que, por algum motivo, me magoou muito.
-Ara ara.... Amor ignorado-Luna falou, seu sorriso transmitia dor e sofrimento só de olhar.
-N-não é um amor-digo, 'Por que diabos gaguejei?'.
-Slender, mate-a-Jeff falou, seco.
-O QUE?!-gritamos juntos.
-Você ouviu, mate-a AGORA!-Luna gritou, depois teleportou junto de Jeff.
Slendy me olhou de cima a baixo, corei com isso. Ele fechou seus olhos, respirou fundo e me atacou. Um de seus tentáculos me amarrou pelo pescoço e me arremessou contra uma árvore, tentei me levantar e fui arremessada contra outra árvore. Me levantei irritada, meus olhos brilharam e fiz aparecer uma faca na minha mão. Teleportei atrás dele e lhe fiz vários cortes em suas costas, ele me jogou no chão, levantei e corri em sua direção, e, antes que outro tentáculo seu me pegasse, teleportei e olhei para sua pele pálida e fiz um corte em forma de sorriso no lugar que seria sua boca.
-Smile, Slendy-digo e me teleportei para longe.
Minha faca sumiu, vi Slender vindo em minha direção e comecei a correr, tropecei em uma pedra, ajudando Slender a amarrar-me com seu tentáculo. Ele me levantou e me jogou no chão com uma enorme força, me machucando pra valer. Olhei para ele e vi que agora ele estava em sua versão humana, mas era diferente: pele moreninha claro, olhos azuis esverdeados, cabelos pretos e lisos, alto e aparentemente forte. Corei um pouco.


{ATUALMENTE}


Meu coração acelerado, parecia que iria sair pela minha garganta a qualquer segundo, ele doía, mas doía de verdade, como se alguém tivesse o arrancado. Lágrimas começaram a escorrer pela minha bochecha. 'Como ele teve coragem de dizer que iria me proteger?'. Slender segurou-me pelo colarinho de minha camiseta e me levantou até que eu pudesse ver seus olhos azuis esverdeados (versão humano). Seu olhar mostrava que ele não queria me machucar, mas deveria, através de seu olhar, pude ver que havia uma guerra acontecendo dentro dele, entre me pedir desculpas e me abraçar, e me matar e ignorar-me. 
-Slendy...?-perguntei baixinho, minha dor era maior que eu para aguentar. 
Quando ele ouviu minha voz, seus olhos encheram de lágrimas, mas não as permitiu descerem.
-V-você p-prometeu não me m-machucar-digo com dificuldade por conta dos ferimentos.
Suas mãos ficaram trêmulas.
-M-me solta-pedi, minha voz falhou um pouco.
Ele fechou os olhos com força. Ele realmente está sendo obrigado a ferir-me.
-Slendy, por favor, me solta, você prometeu me proteger!-digo levantando o tom de voz. Ignorada-SLENDER ME LARGA!! SLENDER ME SOLTA! Por favor...!-grito com voz de choro, abaixando minha voz no final.
Ele me colocou com cuidado no chão, se ajoelhou na minha frente e algumas lágrimas começaram a rolar, olhei meio triste para ele e o abracei, Slendy correspondeu.
-Me desculpe, ela está me obrigando-Slendy sussurrou.
Um de seus tentáculos me amarra pela cintura, ele se levanta e, seu tentáculo me arremessa contra o chão. Gritei de dor, Slendy tapou seus ouvidos e desapareceu. Tentando me levantar, gritei por ajuda.
Mas ninguém veio...
Consegui finalmente levantar-me, andei mancando até uma árvore e me encostei, sentando no chão. 
-Como que isso pode acontecer..-digo, tapando meu rosto com minhas mãos, um pouco, ensanguentadas.
Sozinha, comecei a chorar ali mesmo, sei que ninguém irá me ajudar, me abandonaram e não vão de qualquer forma me salvar. Mesmo se quisessem, nem imaginam onde estou, nem mesmo eu sei...
-SOCORRO!-gritei. Slendy apareceu.
-Me desculpe, de verdade-ele disse, e estendeu sua mão, olhei para ela desconfiada-Vou te levar para casa-peguei a mão dele, Slendy me pegou no colo em um movimento rápido, me assustei.
Ele teleportou até Pac e Mike, que chamavam por meu nome, preocupados. Ele me pôs no chão, com cuidado, ajeitou meu cabelos, colocando-os atrás de minha orelha, o que me fez corar um pouco mais, e sorriu. 'Bochechas rosadas'. Ele também estava corado. Sorri e o abracei, surpreendendo-o, depois Slendy retribuiu.
-Eu sabia que você era bom-sussurrei para ele, o que fez com que seu sorriso aumentasse.
-Luana, quem é esse?-Mike perguntou, correndo até nós.
-H-hum? Ah, sim, esse é o... Slendy...-digo, me afastando de Slendy.
-Slendy? Não é o Slender, é?-Pac perguntou, meio desconfiado.
-É-é-digo.
-Prazer-Slendy disse sorrindo-Eu meio que sou o protetor dela.
-Mas você não é um assassino? Um demônio?-Mike perguntou, irritado.
-Sou, mas não é porque sou um assassino que não posso protegê-la-Slendy responde, me pegando no colo novamente. Corei ainda mais.
-Humf, pode deixar ela ir embora?-Pac perguntou.
-Não, ela é minha, e só minha-Slendy me apertou contra seu corpo um pouco. Acho que inventei um novo tom de vermelho. Tapei meu rosto com as mãos, e o escondi no peito de Slendy-E acho melhor vocês não tomarem de mim, o que é MEU!-ele completou, dando ênfase no "meu".
-Ela.... pode ir embora, por favor?-Pac repetiu.
-Vou poder visitá-la, TODOS os dias?-Slendy pergunta, me colocando no chão e cruzando seus braços em seguida.
-Sim-Mike e Pac respondem juntos.
-Tudo bem então. Até amanhã, pequenina-Slendy bagunçou meus cabelos. Acenei com a cabeça, ele teleportou.
-"Ela é minha, e só minha". "Acho melhor você não tomarem de mim, o que é Meu"-Mike repetiu as frases de Slender.
-Só dele?-Pac perguntou, enquanto caminhávamos de volta para a cabana.
-Me deixe quieta-digo emburrada, tapando meu rosto novamente.
 


Notas Finais


espero que tenham gostado
Um beijo, um abraço e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...